SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Crioterapia nas Lesões Esportivas
Fisiologia Aplicada à Fisioterapia
SILVA, A. M. B., 2013.1
Considerações iniciais ao trabalho realizado
Qualquer tipo de aplicação
do frio com fins
terapêuticos é crioterapia.
Atletas como Ronaldo
Fenômeno, Rodrigo
Minotauro e Anderson
Silva, fazem uso da imersão
em água fria.
Considerações iniciais ao trabalho realizado
A crioterapia tem um grande poder eficaz, tanto em
relação ao tratamento quanto na prevenção.
A crioterapia, se utilizada imediatamente após a
lesão, tende principalmente a reduzir o metabolismo.
Quando aplicado em fases subsequentes, é usada
primeiramente para reduzir a dor, o que facilita o
exercício precoce e com maior intensidade
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos circulatórios
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos no processo inflamatório
A crioterapia reduz o principalmente o processo inflamatório
agudo, sendo que a aplicação da crioterapia sobre a área
lesada tem a ação antiinflamatória por diminuir o
metabolismo além de se opor a vasodilatação inflamatória.
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos metabólicos
Um dos efeitos mais importantes do frio sobre o
organismo é a diminuição metabólica tecidual.
Os tecidos resfriados requerem uma quantidade
menor de oxigênio para sobreviver, ou seja, a
região necessita de um mínimo gasto de energia,
que diminui a extensão da lesão secundária.
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos na dor
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos no músculo
Diminuição da ação muscular e um relaxamento
do mesmo;
Redução da espasticidade, pois ocorre queda da
força de contração;
Redução da sensibilidade fusal e do reflexo
tendinoso.
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Efeitos no Sistema Nervoso
Reduz a neuro-condução e a dor por
decréscimo na transmissão das fibras de
dor, por diminuição da excitabilidade nas
terminações livres e também pela liberação
de endorfina.
Reduz a dor ao estimular os termorreceptores.
Provoca um aumento na duração do potencial
de ação, pois o período refratário absoluto
aumenta permitindo, assim, um maior efeito
na duração do estímulo.
Efeitos Fisiológicos da crioterapia
Métodos de crioterapia
Bolsas Frias Compressas Frias
Massagem com gelo Pacote de Gelo
Métodos de crioterapia
Banho de imersão
Turbilhão FrioAerossóis
Métodos de crioterapia X Lesões Esportivas
Entorse Tendinite Contusão
Em geral, o tratamento imediato para quase todas as lesões
esportivas consiste no repouso, na aplicação de gelo, na
compressão e na elevação.
Métodos de crioterapia X Lesões Esportivas
A técnica de gelo, compressão e elevação é usada
universalmente nos cuidados imediatos das lesões
agudas nos esporte, e pode ser realizada ou pelo
aparelho Polar Care, ou pelo Cryo Cuff.
Sintomas de doença vasoespástica (extremidades do
corpo a baixas temperaturas, o suprimento de oxigênio se
reduz, e torna a coloração da pele
branca, empalidecida, além de fria e às vezes dormente);
Contra-indicações
Hipersensibilidade ao frio;
Distúrbios cardíacos;
Comprometimento da circulação local;
As aplicações não
podem passar de 50
minutos para não
produzir ulcerações;
Não aplicar em pacientes paralisados ou em coma,
pois vão ter perda da sensibilidade.
Considerações Finais
A crioterapia é uma das
medidas mais utilizadas na
fase aguda de uma lesão
esportiva, seja a nível
articular, muscular e/ou
ligamentar.
Embora não existam muitos
estudos que comprovem
com exatidão a eficácia do
gelo este é amplamente
utilizado na medicina
esportiva.
Referências
LOPES, A. et al. Crioterapia. Disponível em:
<http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/crioterapia
2.htm>. Acesso em: 18 mar. 2013
MATHEUS, J. P. C. et al. Análise biomecânica dos efeitos da crioterapia no
tratamento da lesão muscular aguda. Revista Brasileira de Medicina do
Esporte, vol. 14, n. 4, Niterói, jul./ago. 2008. Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-
86922008000400010&lang=pt>. Acesso em: 25 mar. 2013
MOUREIRA, N. B. et al. A influência da crioterapia na dor e edema
induzidos por sinovite experimental. Fisioter. Pesqui., vol. 18, n. 1, São
Paulo, jan./mar. 2011. Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-
29502011000100014&script=sci_arttext>. Aceso em: 25 mar. 2013.
PINHEIRO, F. B. Estudo do uso da crioterapia na fisioterapia e sua
comprovação científica. São Paulo, 4 jun. 2006. Disponível em:
<http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/alternati
va/crioterapia/crioterapia_flavio.htm>. Acesso em: 18 mar. 2013
PRENTICE, W. E. Modalidades Terapêuticas Em Medicina Esportiva.
Editora: MANOLE, 1ª EDIÇÃO, 2002 Disponível em:
<http://books.google.com.br/books/about/Modalidades_Terapeuticas_Em_
Medicina_Esp.html?id=k2OkCterXD0C&redir_esc=y>. Acesso em: 26 mar.
2013
SANDOVAL, R. A.; MAZZARI, A. S.; OLIVEIRA, G. D. Crioterapia nas lesões
ortopédicas: revisão. Revista Digital, Buenos Aires, ano 10, n. 81, fev. 2005.
Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd81/criot.htm />. Acesso em:
25 mar. 2013
SILVA, G.M. Terapia com o frio. [s.l] 18 jul.2003. Disponível em:
<http://amigonerd.net/biologicas/fisioterapia/crioterapia>. Acesso em: 19
mar. 2013.
OBRIGADA!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

16 aplicacao de-calor_e_frio
16 aplicacao de-calor_e_frio16 aplicacao de-calor_e_frio
16 aplicacao de-calor_e_frio
Johnny Martins
 
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Marcelo Jota
 
Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
FUAD HAZIME
 

Mais procurados (20)

16 aplicacao de-calor_e_frio
16 aplicacao de-calor_e_frio16 aplicacao de-calor_e_frio
16 aplicacao de-calor_e_frio
 
Hidroterapia programa de exercícios aquáticos terapêuticos - Aula 2
Hidroterapia programa de exercícios aquáticos terapêuticos - Aula 2Hidroterapia programa de exercícios aquáticos terapêuticos - Aula 2
Hidroterapia programa de exercícios aquáticos terapêuticos - Aula 2
 
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
 
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
 
Hidroterapia
Hidroterapia Hidroterapia
Hidroterapia
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
 
Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
 
Fundamentos de fisioterapia - introducão - capítulo 1
Fundamentos de fisioterapia - introducão - capítulo 1Fundamentos de fisioterapia - introducão - capítulo 1
Fundamentos de fisioterapia - introducão - capítulo 1
 
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publicafisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
 
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em FisioterapiaTestes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
 
Termoeletroterapia Aplicada
Termoeletroterapia AplicadaTermoeletroterapia Aplicada
Termoeletroterapia Aplicada
 
ORTESES E PROTESES INICIAL
ORTESES E PROTESES INICIALORTESES E PROTESES INICIAL
ORTESES E PROTESES INICIAL
 
Fisioterapia aquática.pptx
Fisioterapia aquática.pptxFisioterapia aquática.pptx
Fisioterapia aquática.pptx
 
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica LaboralFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Ergonomia e Ginástica Laboral
 
Fisioterapia Pediátrica
Fisioterapia Pediátrica Fisioterapia Pediátrica
Fisioterapia Pediátrica
 
Aula 1 unidade i fundamentos de cinesiologia
Aula 1 unidade i fundamentos de cinesiologiaAula 1 unidade i fundamentos de cinesiologia
Aula 1 unidade i fundamentos de cinesiologia
 
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motorasCinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
 

Destaque

Calor e suas aplicações
Calor e suas aplicaçõesCalor e suas aplicações
Calor e suas aplicações
Bruno Tramontin
 
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
Hiderson Marciano
 
Como a Engenharia Química mudou o mundo
Como a Engenharia Química mudou o mundoComo a Engenharia Química mudou o mundo
Como a Engenharia Química mudou o mundo
VittorioTedeschi
 
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.ppsSlide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Claudionor Delgado
 

Destaque (20)

Crioterapia
CrioterapiaCrioterapia
Crioterapia
 
Calor e frio
Calor e frioCalor e frio
Calor e frio
 
termoterapia
termoterapiatermoterapia
termoterapia
 
crioterapia
crioterapiacrioterapia
crioterapia
 
Calor e suas aplicações
Calor e suas aplicaçõesCalor e suas aplicações
Calor e suas aplicações
 
7. termoterapia
7.  termoterapia7.  termoterapia
7. termoterapia
 
Corridas de aventuras
Corridas de aventurasCorridas de aventuras
Corridas de aventuras
 
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
Slides Tablet's Educacionais - Aula 03
 
Insight Marcenaria Técnica
Insight Marcenaria TécnicaInsight Marcenaria Técnica
Insight Marcenaria Técnica
 
Quiropraxia é Fisioterapia
Quiropraxia é FisioterapiaQuiropraxia é Fisioterapia
Quiropraxia é Fisioterapia
 
Como a Engenharia Química mudou o mundo
Como a Engenharia Química mudou o mundoComo a Engenharia Química mudou o mundo
Como a Engenharia Química mudou o mundo
 
Confecção de roupas esportivas
Confecção de roupas esportivasConfecção de roupas esportivas
Confecção de roupas esportivas
 
3 inflamacao -mv
3 inflamacao -mv3 inflamacao -mv
3 inflamacao -mv
 
Quiropraxia - A arte de tratar com as maos
Quiropraxia  -  A arte de tratar com as maosQuiropraxia  -  A arte de tratar com as maos
Quiropraxia - A arte de tratar com as maos
 
Relatorio sbfqm quiropraxia
Relatorio sbfqm quiropraxiaRelatorio sbfqm quiropraxia
Relatorio sbfqm quiropraxia
 
Marcenaria Trancoso 2007
Marcenaria Trancoso 2007Marcenaria Trancoso 2007
Marcenaria Trancoso 2007
 
Quiropraxia
Quiropraxia Quiropraxia
Quiropraxia
 
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.ppsSlide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
Slide share i simpósio de fisioterapia esportiva aplicada ao futebol.pps
 
Aplicação de frio
Aplicação de frioAplicação de frio
Aplicação de frio
 
Inflamação
  Inflamação  Inflamação
Inflamação
 

Semelhante a CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS

Benefícios e limites da prática do alongamento
Benefícios e limites da prática do alongamentoBenefícios e limites da prática do alongamento
Benefícios e limites da prática do alongamento
Alexandra Nurhan
 
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
simoneroselin
 
Workshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph FisiotrainerWorkshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph Fisiotrainer
simoneroselin
 
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
Aline Gurgel
 
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
BIANCA ROCHA FREDERICO
 
Tratamento Fisioterapico
Tratamento FisioterapicoTratamento Fisioterapico
Tratamento Fisioterapico
Acquanews
 
2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.
Tony
 
Workshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainerWorkshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainer
simoneroselin
 

Semelhante a CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS (20)

Aplicação de frio
Aplicação de frioAplicação de frio
Aplicação de frio
 
Benefícios e limites da prática do alongamento
Benefícios e limites da prática do alongamentoBenefícios e limites da prática do alongamento
Benefícios e limites da prática do alongamento
 
Massagem Desportiva
Massagem DesportivaMassagem Desportiva
Massagem Desportiva
 
Centro de fisioterapia
Centro de fisioterapiaCentro de fisioterapia
Centro de fisioterapia
 
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
 
Workshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph FisiotrainerWorkshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph Fisiotrainer
 
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdfSLIDE - VD2  Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
SLIDE - VD2 Técnicas para melhorar a flexibilidade.pdf
 
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
Efeitos do alongamento muscular e condicionamento físico no 2
 
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
 
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
 
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-152759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
 
Tratamento Fisioterapico
Tratamento FisioterapicoTratamento Fisioterapico
Tratamento Fisioterapico
 
O Efeito da manipulação miofascial sobre o limiar doloroso em atletas durant...
O Efeito da manipulação miofascial sobre o  limiar doloroso em atletas durant...O Efeito da manipulação miofascial sobre o  limiar doloroso em atletas durant...
O Efeito da manipulação miofascial sobre o limiar doloroso em atletas durant...
 
2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.2º ano prova bimestral 4º bim.
2º ano prova bimestral 4º bim.
 
DOR LOMBAR CRÔNICA E OSTEOARTRITE NA ACADEMIA: EVIDÊNCIAS RECENTES
DOR LOMBAR CRÔNICA E OSTEOARTRITE NA ACADEMIA: EVIDÊNCIAS RECENTESDOR LOMBAR CRÔNICA E OSTEOARTRITE NA ACADEMIA: EVIDÊNCIAS RECENTES
DOR LOMBAR CRÔNICA E OSTEOARTRITE NA ACADEMIA: EVIDÊNCIAS RECENTES
 
Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro Guia CrossFit Seguro
Guia CrossFit Seguro
 
Workshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainerWorkshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainer
 
Dores musculares e suas causas e soluções
Dores musculares e suas causas e soluçõesDores musculares e suas causas e soluções
Dores musculares e suas causas e soluções
 
ARTIGO V3n1a08
ARTIGO V3n1a08ARTIGO V3n1a08
ARTIGO V3n1a08
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - ErgonomiaFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 

CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS

  • 1. Crioterapia nas Lesões Esportivas Fisiologia Aplicada à Fisioterapia SILVA, A. M. B., 2013.1
  • 2. Considerações iniciais ao trabalho realizado Qualquer tipo de aplicação do frio com fins terapêuticos é crioterapia. Atletas como Ronaldo Fenômeno, Rodrigo Minotauro e Anderson Silva, fazem uso da imersão em água fria.
  • 3. Considerações iniciais ao trabalho realizado A crioterapia tem um grande poder eficaz, tanto em relação ao tratamento quanto na prevenção. A crioterapia, se utilizada imediatamente após a lesão, tende principalmente a reduzir o metabolismo. Quando aplicado em fases subsequentes, é usada primeiramente para reduzir a dor, o que facilita o exercício precoce e com maior intensidade
  • 5. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos circulatórios
  • 7. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos no processo inflamatório A crioterapia reduz o principalmente o processo inflamatório agudo, sendo que a aplicação da crioterapia sobre a área lesada tem a ação antiinflamatória por diminuir o metabolismo além de se opor a vasodilatação inflamatória.
  • 8. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos metabólicos Um dos efeitos mais importantes do frio sobre o organismo é a diminuição metabólica tecidual. Os tecidos resfriados requerem uma quantidade menor de oxigênio para sobreviver, ou seja, a região necessita de um mínimo gasto de energia, que diminui a extensão da lesão secundária.
  • 9. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos na dor
  • 10. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos no músculo Diminuição da ação muscular e um relaxamento do mesmo; Redução da espasticidade, pois ocorre queda da força de contração; Redução da sensibilidade fusal e do reflexo tendinoso.
  • 11. Efeitos Fisiológicos da crioterapia Efeitos no Sistema Nervoso Reduz a neuro-condução e a dor por decréscimo na transmissão das fibras de dor, por diminuição da excitabilidade nas terminações livres e também pela liberação de endorfina. Reduz a dor ao estimular os termorreceptores. Provoca um aumento na duração do potencial de ação, pois o período refratário absoluto aumenta permitindo, assim, um maior efeito na duração do estímulo.
  • 13. Métodos de crioterapia Bolsas Frias Compressas Frias Massagem com gelo Pacote de Gelo
  • 14. Métodos de crioterapia Banho de imersão Turbilhão FrioAerossóis
  • 15. Métodos de crioterapia X Lesões Esportivas Entorse Tendinite Contusão Em geral, o tratamento imediato para quase todas as lesões esportivas consiste no repouso, na aplicação de gelo, na compressão e na elevação.
  • 16. Métodos de crioterapia X Lesões Esportivas A técnica de gelo, compressão e elevação é usada universalmente nos cuidados imediatos das lesões agudas nos esporte, e pode ser realizada ou pelo aparelho Polar Care, ou pelo Cryo Cuff.
  • 17. Sintomas de doença vasoespástica (extremidades do corpo a baixas temperaturas, o suprimento de oxigênio se reduz, e torna a coloração da pele branca, empalidecida, além de fria e às vezes dormente); Contra-indicações Hipersensibilidade ao frio; Distúrbios cardíacos; Comprometimento da circulação local; As aplicações não podem passar de 50 minutos para não produzir ulcerações; Não aplicar em pacientes paralisados ou em coma, pois vão ter perda da sensibilidade.
  • 18. Considerações Finais A crioterapia é uma das medidas mais utilizadas na fase aguda de uma lesão esportiva, seja a nível articular, muscular e/ou ligamentar. Embora não existam muitos estudos que comprovem com exatidão a eficácia do gelo este é amplamente utilizado na medicina esportiva.
  • 19. Referências LOPES, A. et al. Crioterapia. Disponível em: <http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/crioterapia 2.htm>. Acesso em: 18 mar. 2013 MATHEUS, J. P. C. et al. Análise biomecânica dos efeitos da crioterapia no tratamento da lesão muscular aguda. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, vol. 14, n. 4, Niterói, jul./ago. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517- 86922008000400010&lang=pt>. Acesso em: 25 mar. 2013 MOUREIRA, N. B. et al. A influência da crioterapia na dor e edema induzidos por sinovite experimental. Fisioter. Pesqui., vol. 18, n. 1, São Paulo, jan./mar. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809- 29502011000100014&script=sci_arttext>. Aceso em: 25 mar. 2013.
  • 20. PINHEIRO, F. B. Estudo do uso da crioterapia na fisioterapia e sua comprovação científica. São Paulo, 4 jun. 2006. Disponível em: <http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/alternati va/crioterapia/crioterapia_flavio.htm>. Acesso em: 18 mar. 2013 PRENTICE, W. E. Modalidades Terapêuticas Em Medicina Esportiva. Editora: MANOLE, 1ª EDIÇÃO, 2002 Disponível em: <http://books.google.com.br/books/about/Modalidades_Terapeuticas_Em_ Medicina_Esp.html?id=k2OkCterXD0C&redir_esc=y>. Acesso em: 26 mar. 2013 SANDOVAL, R. A.; MAZZARI, A. S.; OLIVEIRA, G. D. Crioterapia nas lesões ortopédicas: revisão. Revista Digital, Buenos Aires, ano 10, n. 81, fev. 2005. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd81/criot.htm />. Acesso em: 25 mar. 2013 SILVA, G.M. Terapia com o frio. [s.l] 18 jul.2003. Disponível em: <http://amigonerd.net/biologicas/fisioterapia/crioterapia>. Acesso em: 19 mar. 2013.