Ortografia

309 visualizações

Publicada em

Aula de ortografia-português

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ortografia

  1. 1. ORTOGRAFIA Profª Andriane
  2. 2. A ORTOGRAFIA prescreve a maneira correta de escrever as palavras, baseada no padrão culto do idioma. Existem algumas orientações gerais que podem ser úteis e que devem constituir material de consulta para as atividades escritas que você desenvolver.
  3. 3. A ortografia serve: ● Para regulamentar a escrita e uniformizá-la; ● Para evitar “gafes escritas”; ● Para dominar o padrão culto da língua, tão necessário em muitas circustâncias; ● Para conhecermos e utilizarmos melhor a nossa língua.
  4. 4. Principais fontes de erros ortográficos ● Confusão de letras; ● Aportuguesamento indevido; ● Tentativa de reprodução da língua falada; ● Desconhecimento da norma culta.
  5. 5. Emprego das letras K, W e Y Utilizam-se nos seguintes casos: a) Em antropônimos* originários de outras línguas e seus derivados. Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor, taylorista. b) Em topônimos* originários de outras línguas e seus derivados. Exemplos: Kuwait, kuwaitiano. c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como unidades de medida de curso internacional. Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km (quilômetro), Watt. *antropônimo: Nome próprio de pessoa ou ser personificado. *topônimo: Nome próprio de lugar, ou de acidentes geográficos.
  6. 6. Emprego do X 1) Após um ditongo. Exemplos: caixa, frouxo, peixe, ameixa, paixão, encaixar. Exceção: recauchutar e seus derivados 2) Após a sílaba inicial "en". Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca, enxerido, enxugar, enxergar. Exceção: palavras iniciadas por "ch" que recebem o prefixo "en-" Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro), encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...) 3) Após a sílaba inicial "me-". Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão Exceção: mecha
  7. 7. Emprego do X 4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras inglesas aportuguesadas. Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu, lagartixa. 5) Nas seguintes palavras: bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar, rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez,xarope, xaxim, xícara, xale, xingar, etc. 6) Em alguns casos, a letra X soa como Ss Exemplos: auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto, trouxe
  8. 8. Observações sobre o uso da letra X 1) O X pode representar os seguintes fonemas: ● /ch/ - xarope, vexame ● /cs/ - axila, nexo ● /z/ - exame, exílio ● /ss/ - máximo, próximo ● /s/ - texto, extenso 2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci- ● Exemplos: excelente, excitar
  9. 9. Emprego do CH 1) Nos seguintes vocábulos: bochecha, bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão, chuchu, chute, cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha, mochila, pechincha, salsicha, tchau, etc.
  10. 10. Emprego do G 1) Nos substantivos terminados em -agem, -igem, -ugem Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem Exceção: pajem, labujem 2) Nas palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio 3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem), vertiginoso (de vertigem) 4) Nos seguintes vocábulos: algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete, hegemonia, herege, megera, monge, rabugento, vagem.
  11. 11. Emprego do J 1) Nas formas dos verbos terminados em -jar ou -jear Exemplos: arranjar: arranjo, arranje, arranjem despejar:despejo, despeje, despejem gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando enferrujar: enferruje, enferrujem viajar: viajo, viaje, viajem 2) Em palavras terminadas com -aje Exemplos: laje, ultraje, traje. 3) Nas palavras de origem tupi, africanaou árabe. Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, manjericão.
  12. 12. Emprego do J 4) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j Exemplos: laranja- laranjeira loja- lojista lisonja - lisonjeador nojo- nojeira cereja- cerejeira varejo- varejista rijo- enrijecer jeito- ajeitar 5) Nos seguintes vocábulos: berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje, traje, pegajento
  13. 13. Para memorizar (Recurso Mnemônico) “Tigela bege de sopa gostosa.” “Juca tem ojeriza à berinjela e ao jiló - prefere fazer jejum.” “Dei gorjeta ao cafajeste do Juca, na sarjeta.” “Preciso enxugar a ameixa e mexer no abacaxi.”
  14. 14. Emprego do S 1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam s no radical Exemplos: análise- analisar catálise- catalisador casa- casinha, casebre liso- alisar Exceções: catequese (catequizar), hipnose (hipnotizar), síntese (sintetizar), batismo (batizar). 2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título ou origem Exemplos: burguês- burguesa inglês- inglesa chinês- chinesa milanês- milanesa
  15. 15. Emprego do S 3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e -osa Exemplos: catarinense gostoso- gostosa amoroso- amorosa palmeirense gasoso- gasosa teimoso- teimosa 4) Nos sufixos -isa (indicador de ocupação feminina) Exemplos: poetisa, profetisa, sacerdotisa, papisa.
  16. 16. Emprego do S 5) Após ditongos Exemplos: coisa, pouso, lousa, náusea, Neusa, Moisés. 6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus derivados Exemplos: pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse, puséssemos quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos repus, repusera, repusesse, repuséssemos
  17. 17. Emprego do S 7) Nos seguintes vocábulos: abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa, cortesia, decisão,despesa, empresa, freguesia, fusível, maisena, mesada, paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio, querosene, raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo, visita, etc.
  18. 18. Emprego do S 8)Nos substantivos derivados de verbos terminados em "andir","ender", "verter" e "pelir" Exemplos: expandir- expansão pretender- pretensão verter- versão expelir- expulsão estender- extensão suspender- suspensão converter - conversão repelir- repulsão 9) A letra S representa o fonema /z/ quando é intervocálica: aSa, meSa, caSa, riSo, caSulo, caSamento, faiSão, etc.
  19. 19. Emprego do SC ● Nos termos eruditos Exemplos: acréscimo, ascensorista, consciência, descender, fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, miscível, plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender, etc.
  20. 20. Emprego do SÇ Na conjugação de alguns verbos Exemplos: nascer- nasço, nasça crescer- cresço, cresça descer- desço, desça
  21. 21. Emprego do SS Nos substantivos derivados de verbos terminados em "gredir", "mitir", "ceder" e "cutir" Exemplos: agredir- agressão demitir- demissão ceder- cessão discutir- discussão progredir- progressão transmitir- transmissão exceder- excesso repercutir- repercussão
  22. 22. Emprego do XC e XS Em dígrafos que soam como Ss Exemplos: exceção excêntrico excedente excepcional exsudar* *exsudar: sair, gotejar em forma de suor
  23. 23. Emprego do Ç Nos substantivos derivados dos verbos "ter" e "torcer" Exemplos: ater- atenção torcer- torção deter- detenção distorcer-distorção manter- manutenção contorcer- contorção
  24. 24. Emprego do Z 1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam z no radical Exemplos: deslize- deslizar razão- razoável vazio- esvaziar raiz- enraizar cruz-cruzeiro 2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos a partir de adjetivos Exemplos: inválido- invalidez limpo-limpeza macio- maciez rígido- rigidez frio- frieza nobre- nobreza pobre-pobreza surdo- surdez
  25. 25. Emprego do Z 3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar substantivos Exemplos: civilizar- civilização hospitalizar- hospitalização colonizar- colonização realizar- realização Exceção: pesquisar - pesquisa analisar - análise 4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita Exemplos: cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito, avezita
  26. 26. Emprego do Z 5) Nos seguintes vocábulos: azar, azeite, azedo, amizade, buzina, bazar, catequizar, chafariz, cicatriz, coalizão, cuscuz, proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc. 6) Nos vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no contraste entre o S e o Z Exemplos: cozer (cozinhar) e coser (costurar) prezar( ter em consideração) e presar (prender) traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior) Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z. Veja os exemplos: exame- exato - exausto - exemplo - existir - exótico - inexorável
  27. 27. Emprego do E 1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar Exemplos: magoar - magoe, magoes continuar- continue, continues 2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior) Exemplos: antebraço, antecipar 3) Nos seguintes vocábulos: cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico, orquídea, etc.
  28. 28. Emprego do I 1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir Exemplos: cair- cai doer- dói influir- influi 2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra) Exemplos: Anticristo, antitetânico 3) Nos seguintes vocábulos: aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio, etc.
  29. 29. Emprego das letras O e U A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de algumas palavras. Veja os exemplos: ● comprimento (extensão) e cumprimento (saudação, realização) ● soar (emitir som) e suar (transpirar) Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume, moleque. Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua
  30. 30. Emprego do H Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético. Conservou-se apenas como símbolo, por força da etimologia e da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo, grafa-se desta forma devido a sua origem na forma latina hodie. Emprega-se o H: 1) Inicial, quando etimológico Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio 2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh Exemplos: flecha, telha, companhia 3) Final e inicial, em certas interjeições Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc. 4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo elemento, se etimológico Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc.
  31. 31. Emprego do H Observações: 1) No substantivo Bahia, o "h" sobrevive por tradição. Note que nos substantivos derivados como baiano, baianada ou baianinha ele não é utilizado. 2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a letra "h" na sua composição. No entanto, seus derivados sempre são grafados com h. Veja: herbívoro, hispânico, hibernal.
  32. 32. Palavras com dupla grafia abdômen ou abdome afeminado ou efeminado aluguel ou aluguer amídala ou amígdala aritmética ou arimética arrebentar ou rebentar arrebitar ou rebitar assoalho ou soalho assobiar ou assoviar assoprar ou soprar azaleia ou azálea bêbado ou bêbedo biscoito ou biscouto cãibra ou câimbra catorze ou quatorze chipanzé ou chimpanzé cociente ou quociente cumular ou acumular debulhar ou desbulhar degelar ou desgelar dependurar ou pendurar empanturrar ou empaturrar entoação ou entonação estralar ou estalar flauta ou frauta flecha ou frecha geringonça ou gerigonça hemorróida ou hemorróide hidrelétrico ou hidroelétrico imundície ou imundícia infarto ou enfarte laje ou lajem loiro ou louro maquiagem ou maquilagem marimbondo ou maribondo nenê ou neném parêntese ou parêntesis percentagem ou porcentagem surrupiar ou surripiar tesoura ou tesoira toicinho ou toucinho voleibol ou volibol

×