Modernismo 1ª fase

337 visualizações

Publicada em

Aula sobre a 1ª fase do Modernismo brasileiro (1922-1930)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modernismo 1ª fase

  1. 1. MODERNISMO 1ªFASE(1922-1930) DESTRUIÇÃO PROFª ANDRIANE
  2. 2. MODERNISMO Realizada a Semana de Arte Moderna e ainda sob os ecos das vaias e gritarias, tem início uma primeira fase modernista, que se estende de 1922 a 1930, caracterizada pela tentativa de definir e marcar posições. Constitui, portanto, um período rico em manifestos e revistas de vida efêmera: são grupos em busca de definição.
  3. 3. características ● Experimentalismo ● Pesquisa estética ● Rompimento do acadêmico ● Rompimento com as estruturas do passado ● Busca do original / polêmico
  4. 4. características ● Busca de uma língua brasileira ● Nacionalismo (crítico/ufanista) ● Liberdade formal ● Paródia/Humor ● Espaço urbano
  5. 5. MANIFESTOS Manifesto Pau-Brasil: escrito por Oswald de Andrade, publicado no jornal “Correio da Manhã”, em 18 de março de 1924, apresentou uma proposta de literatura vinculada à realidade brasileira e às características culturais do povo brasileiro, com a intenção de causar um sentimento nacionalista, uma retomada de consciência nacional. “A língua sem arcaísmo, sem erudição. Natural e neológica. A contribuição milionária de todos os erros. Como somos.”
  6. 6. MANIFESTOS Verde-Amarelismo: este movimento surgiu como resposta ao “nacionalismo afrancesado” do Pau-Brasil, em 1926, liderado por Plínio Salgado, Cassiano Ricardo e Menotti Del Picchia. O principal objetivo era o de propor um nacionalismo puro, primitivo, sem qualquer tipo de influência. Anta: parte do movimento Verde-Amarelismo, representa a proposta do nacionalismo primitivo elegendo como símbolo nacional a “anta”, além de vangloriar a língua indígena “tupi”.
  7. 7. manifestos Antropófago: publicado entre os meses de maio de 1928 e fevereiro de 1929, surgiu como nova etapa do nacionalismo “Pau-Brasil” e resposta ao “Verde-Amarelismo”. Sua origem se dá a partir de uma tela feita por Tarsila do Amaral, em janeiro de 1928, batizada de Abaporu ( aba= homem e poru = que come). Assinado por Oswald de Andrade, tinha, como diz Antônio Cândido, “uma atitude brasileira de devoração ritual dos valores europeus, afim de superar a civilização patriarcal e capitalista, com suas normas rígidas no plano social e os seus recalques impostos, no plano psicológico” “Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade. Contra o índio de tocheiro. O índio filho de Maria, afilhado de Catarina de Médicis e genro de D. Antônio de Mariz. A alegria é a prova dos nove . No matriarcado de Pindorama. Contra a Memória fonte do costume. A experiência pessoal renovada.”
  8. 8. OSWALDDEANDRADE(1890-1954) ● Agitador cultural ● Polêmico ● Nacionalista ● Contra convenções ● Satírico/ Irônico
  9. 9. PROSA MEMÓRIAS SENTIMENTAIS DE JOÃO MIRAMAR SERAFIM PONTE GRANDE ● Mistura de gêneros/recortes/imagens ● Destrói a retórica ● Experimentos
  10. 10. POESIA PRONOMINAIS Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro.
  11. 11. PRINCIPAISOBRAS Romances Os Condenados (1922), Memórias Sentimentais de João Miramar (1924), Estrela de Absinto (1927), Serafim Ponte Grande (1933), A Escada Vermelha (1934), Os Condenados (l941) - reunindo os livros de 1922,1927 e 1934, constituindo a Trilogia do Exílio, Marco Zero I - Revolução Melancólica (1943), Marco Zero II - Chão (1946). Poesia Pau-Brasil (1925), Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade (1927), Poesias Reunidas (1945). Teatro O Homem e o Cavalo (1943), Teatro (A Morta, O Rei da Vela), (1937). Ensaio Ponta de Lança (1945?), A Arcádia e a Inconfidência (1945), A Crise da Filosofia Messiânica (1950), A Marcha das Utopias (1966). Memórias Um Homem sem Profissão (1954).
  12. 12. MÁRIODEANDRADE(1893-1945) ● Mentor intelectual ● Pesquisa estética ● Técnico ● Impulso Inconsciente ● Valorização de SP
  13. 13. POESIA PAULICÉIA DESVAIRADA PREFÁCIO INTERESSANTÍSSIMO “quando sinto a impulsão lírica, escrevo sem pensar tudo o que meu inconsciente me grita. Penso depois”(...)
  14. 14. PROSA MACUNAÍMA - O herói sem nenhum caráter ● Valorização do anti-herói ● Síntese étnica ● Aproximação da língua oral ● Crítica aos problemas sociais
  15. 15. PRINCIPAISOBRAS Poesia Há uma Gota de Sangue em Cada Poema (1917), Paulicéia Desvairada (1922), Losango Cáqui (1926), Clã do Jabuti (1927), Remate de Males (1930), Poesias (1941), Lira Paulistana (1946), O Carro da Miséria (1946), Poesias Completas (1955). Romance Amar, Verbo Intransitivo (1927), Macunaíma (1928). Contos Primeiro Andar (1926), Belasarte (1934), Contos Novos (1947). Crônicas Os filhos da Candinha (1943). Ensaios A Escrava que não é Isaura (1925), O Aleijadinho de Álvares de Azevedo (1935), O Movimento Modernista (1942), O Baile das Quatro Artes (1943), O Empalhador de Passarinhos (1944), O Banquete (1978).
  16. 16. MANUELBANDEIRA(1886-1968) ● A solidão, as frustações e capacidade de perceber o lirismo nas pequenas coisas ● Formas livres ● Com extensa obra literária, é possível perceber o tradicionalismo e a liberdade em diferentes poemas. A morte, o amor, a solidão estão presentes na sua poesia, da mesma forma que o erotismo e a infância.
  17. 17. PROSA ● Estrela da Manhã ● Libertinagem ● Os Sapos ● Vou-me Embora pra Pasárgada
  18. 18. OUTROSAUTORES RAUL BOPP Cobra Norato (1931) CASSIANO RICARDO Vamos caçar papagaios (1926) PLÍNIO SALGADO O estrangeiro (1926) ANTÔNIO DE ALCÂNTRA MACHADO Brás, Bexiga e Barra Funda (1927)

×