Pronomes

1.533 visualizações

Publicada em

Morfologia - Pronomes

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.533
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pronomes

  1. 1. MORFOLOGIA Pronomes
  2. 2. Pronome Pronome é classe de palavra (variável em gênero, número e pessoa) que acompanha ou representa o substantivo, serve para apontar uma das três pessoas do discurso ou situá-lo no espaço e no tempo. As três pessoas do discurso: - primeira pessoa: aquela que se refere à pessoa que fala: eu, me, mim, meu... - segunda pessoa: aquela que se refere à pessoa com quem se fala: tu, te, ti, teu... - terceira pessoa: aquela que se refere à pessoa de quem se fala: ele, ela, se, si, seu..
  3. 3. Exemplos: 1. Minha carteira estava vazia quando eu fui assaltada. [minha/eu: pronomes de 1ª pessoa = aquele que fala] 1. Tua carteira estava vazia quando tu foste assaltada? [tua/tu: pronomes de 2ª pessoa = aquele a quem se fala] 1. A carteira dela estava vazia quando ela foi assaltada. [dela/ela: pronomes de 3ª pessoa = aquele de quem se fala] Há, no português, seis espécies de pronomes: ● pessoais ● possessivos ● demonstrativos ● relativos ● indefinidos ● interrogativos
  4. 4. Pronomes pessoais São aqueles que substituem os substantivos, indicando diretamente as pessoas do discurso. Quem fala ou escreve assume os pronomes eu ou nós, usa os pronomes tu, vós, você ou vocês para designar a quem se dirige e ele, ela, eles ou elas para fazer referência à pessoa ou às pessoas de quem fala. Os pronomes pessoais variam de acordo com as funções que exercem nas orações, podendo ser do caso reto ou do caso oblíquo.
  5. 5. Pronomes pessoais retos e oblíquos RETOS Assumem na oração as funções de sujeito ou predicativo do sujeito (termo que caracteriza o sujeito da oração). Nós lhe ofertamos flores. Eu não cansei de correr! OBLÍQUOS Pronome pessoal do caso oblíquo é aquele que, na sentença, exerce a função de complemento verbal (objeto direto ou indireto) ou complemento nominal. Há anos ele não se move tão rápido! (complemento do verbo mover) Ofertaram-nos flores. (complemento do verbo ofertar) Pronome reto marca o sujeito da oração; pronome oblíquo marca o complemento da oração.
  6. 6. Pronomes pessoais oblíquos Átonos Os pronomes pessoais oblíquos átonos não são precedidos de uma preposição. 1.ª pessoa do singular - me 2.ª pessoa do singular - te 3.ª pessoa do singular - o, a, lhe 1.ª pessoa do plural - nos 2.ª pessoa do plural - vos 3.ª pessoa do plural - os, as, lhes Eu comprei-o numa loja no centro da cidade. O diretor ligou-lhe, mas ele não atendeu o telefone. Tônicos Os pronomes pessoais oblíquos tônicos são sempre precedidos de uma preposição, como: para, a, de e com. 1.ª pessoa do singular - mim, comigo 2.ª pessoa do singular - ti, contigo 3.ª pessoa do singular - ele, ela 1.ª pessoa do plural - nós, conosco 2.ª pessoa do plural - vós, convosco 3.ª pessoa do plural - eles, elas Você comprou esta blusa para mim? Você sabe que eu gosto de ti.
  7. 7. Colocação Pronominal (próclise, mesóclise, ênclise) É o estudo da colocação dos pronomes oblíquos átonos (me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes) em relação ao verbo. Os pronomes átonos podem ocupar 3 posições: antes do verbo (próclise), no meio do verbo (mesóclise) e depois do verbo (ênclise). PRÓCLISE Usamos a próclise nos seguintes casos: (1) Com palavras ou expressões negativas: não, nunca, jamais, nada, ninguém, nem, de modo algum. - Nada me perturba. - Ninguém se mexeu. - De modo algum me afastarei daqui. - Ela nem se importou com meus problemas.
  8. 8. Próclise (2) Com conjunções subordinativas (são aquelas que ligam duas orações, sendo uma delas dependente da outra): quando, se, porque, que, conforme, embora, logo, que. - Quando se trata de comida, ele é um “expert”. - É necessário que a deixe na escola. - Fazia a lista de convidados, conforme me lembrava dos amigos sinceros. (3) Advérbios - Aqui se tem paz. - Sempre me dediquei aos estudos. - Talvez o veja na escola. OBS: Se houver vírgula depois do advérbio, este (o advérbio) deixa de atrair o pronome. - Aqui, trabalha-se.
  9. 9. Próclise 4) Com pronomes relativos, demonstrativos e indefinidos. - Alguém me ligou? (indefinido) - A pessoa que me ligou era minha amiga. (relativo) - Isso me traz muita felicidade. (demonstrativo) (5) Em frases interrogativas. - Quanto me cobrará pela tradução? (6) Em frases exclamativas ou optativas (que exprimem desejo). - Deus o abençoe! - Macacos me mordam! - Deus te abençoe, meu filho!
  10. 10. Próclise (7) Com verbo no gerúndio antecedido de preposição EM. - Em se plantando tudo dá. - Em se tratando de beleza, ele é campeão. (8) Com formas verbais proparoxítonas - Nós o censurávamos.
  11. 11. Mesóclise Usada quando o verbo estiver no futuro do presente (vai acontecer – amarei, amarás, ...) ou no futuro do pretérito (ia acontecer mas não aconteceu – amaria, amarias, ...) - Convidar-me-ão para a festa. - Convidar-me-iam para a festa. Se houver uma palavra atrativa, a próclise será obrigatória. - Não (palavra atrativa) me convidarão para a festa.
  12. 12. Ênclise Ênclise de verbo no futuro e particípio está sempre errada. - Tornarei-me....... (errada) - Tinha entregado-nos..........(errada) Ênclise de verbo no infinitivo está sempre certa. - Entregar-lhe (correta) - Não posso recebê-lo. (correta) Outros casos: - Com o verbo no início da frase: Entregaram- me as camisas. - Com o verbo no imperativo afirmativo: Alunos, comportem-se. - Com o verbo no gerúndio: Saiu deixando-nos por instantes. - Com o verbo no infinitivo impessoal: Convém contar-lhe tudo. OBS: se o gerúndio vier precedido de preposição ou de palavra atrativa, ocorrerá a próclise: - Em se tratando de cinema, prefiro o suspense. - Saiu do escritório, não nos revelando os motivos.
  13. 13. Pronomes pessoais
  14. 14. Pronomes de tratamento Pronomes de tratamento são nomes que constituem formas corteses de tratamento, expressões de reverência, títulos honoríficos, etc. São pronomes como outros quaisquer, inclusive empregados da mesma forma que os pronomes pessoais, porém são utilizados em situações formais específicas antepondo-se a determinadas palavras que designam cargos ou posições sociais de prestígio.
  15. 15. Pronomes de tratamento Observações: ● Vossa Excelência X Sua Excelência : Os pronomes de tratamento que possuem "Vossa (s)" são empregados em relação à pessoa com quem falamos. Por exemplo: Espero que V. Ex.ª, Senhor Ministro, compareça a este encontro. Emprega-se "Sua (s)" quando se fala a respeito da pessoa. Por Exemplo: Todos os membros da C.P.I. afirmaram que Sua Excelência, o Senhor Presidente da República, agiu com propriedade.
  16. 16. Pronomes de tratamento ● Quanto ao emprego de iniciais maiúsculas ou minúsculas nos pronomes de tratamento, há ainda um certo impasse, porém alguns gramáticos sugerem que se use letras minúsculas nos pronomes mais usuais ou comuns, tais quais: senhor, senhora, doutor, dona, dom, senhorita, professor, você. Já nos demais pronomes, menos usuais e mais formais, utiliza-se letras maiúsculas, como por exemplo: Vossa Senhoria, Vossa Excelência, Vossa Santidade, etc. Quando se trata das abreviações, no entanto, utiliza-se apenas iniciais maiúsculas, e nunca minúsculas.
  17. 17. Pronomes possessivos São palavras que, ao indicarem a pessoa gramatical (possuidor), acrescentam a ela a ideia de posse de algo (coisa possuída). Por exemplo: Este caderno é meu. (meu = possuidor: 1ª pessoa do singular) Note que: A forma do possessivo depende da pessoa gramatical a que se refere; o gênero e o número concordam com o objeto possuído. Por exemplo: Ele trouxe seu apoio e sua contribuição naquele momento difícil.
  18. 18. Pronomes possessivos
  19. 19. Pronomes demonstrativos Pronomes demonstrativos são aqueles que situam pessoas ou coisas em relação às três pessoas do discurso. Essa localização pode se dar no tempo, no espaço ou no próprio texto. Exemplo: Você deveria ouvir este disco de vinil. O pronome este no exemplo acima, refere-se ao substantivo disco, localizando-o próximo à pessoa que fala (1ª pessoa).
  20. 20. São também pronomes demonstrativos: - o, a, os, as, quando equivalem a isto, isso, aquele, aquela, aqueles, aquelas; Ex: Imagino o que ela já sofreu. (=aquilo) - mesmo e próprio, quando reforçam pronomes pessoais ou fazem referência a algo expresso anteriormente; Ex: Eu mesma vi a cena repetir-se. - tal e semelhante, quando equivalem a esse, essa, aquela. Ex: Em tais ocasiões é preciso prudência. (=essas)
  21. 21. Emprego dos pronomes demonstrativos Em relação ao espaço - Este(s), esta(s) e isto indicam o que está perto da pessoa que fala: Ex: Este relógio de bolso que eu estou usando pertenceu ao meu avô. - Esse(s), essa(s) e isso indicam o que está perto da pessoa com quem se fala: Ex: Mamãe, passe-me essa revista que está perto de você. - Aquele(s), aquela(s) e aquilo indicam o que está distante tanto da pessoa que fala quanto da pessoa com quem se fala: Ex: Olhem aquela casa!
  22. 22. Emprego dos pronomes demonstrativos Em relação ao tempo - Este(s), esta(s) e isto indicam o tempo presente em relação à pessoa que fala: Ex: Esta tarde irei ao supermercado fazer as compras do mês. - Esse(s), essa(s) e isso indicam o tempo passado próximo ao momento da fala: Ex: Essa noite dormi mal, tive pesadelos horríveis. - Aquele(s), aquela(s) e aquilo indicam um afastamento no tempo, tempo remoto: Ex: Naquele tempo, os jovens de famílias ricas iam estudar na França.
  23. 23. Emprego dos pronomes demonstrativos Quando são usados como referente - Este(s), esta(s) e isto fazem referência a algo sobre o qual ainda se vai falar: Ex: São estes os assuntos que temos a tratar: o aumento dos salários, as férias dos funcionários e as horas extras. - Esse(s), essa(s) e isso fazem referência a algo que já foi citado anteriormente: Ex: Sua participação nas Olimpíadas de Matemática, isso é o que mais desejamos agora. - Este e aquele são empregados quando se faz referência a termos já mencionados, como se exemplifica a seguir: Ex: Pedro e Paulo são alunos que se destacam na classe: este pela rapidez com que resolve os exercícios de Matemática, aquele pela criatividade na produção de textos.
  24. 24. Pronomes relativos É uma classe de pronomes que substituem um termo da oração anterior e estabelecem relação entre duas orações. Não conhecemos o aluno. O aluno saiu. Não conhecemos o aluno que saiu. Como se pode perceber, o que, nessa frase está substituindo o termo aluno e está relacionando a segunda oração com a primeira.
  25. 25. Os pronomes relativos podem ser precedidos ou não por preposições. Eu enviei a meus amigos alguns cartões que eu mesma fiz. (sem preposição) O rapaz a quem você pediu informações trabalha aqui? (com preposição)
  26. 26. Pronomes indefinidos São palavras que se referem à terceira pessoa do discurso, dando-lhe sentido vago (impreciso) ou expressando quantidade indeterminada. Alguém entrou no jardim e destruiu as mudas recém-plantadas. Não é difícil perceber que "alguém" indica uma pessoa de quem se fala (uma terceira pessoa, portanto) de forma imprecisa, vaga. É uma palavra capaz de indicar um ser humano que seguramente existe, mas cuja identidade é desconhecida ou não se quer revelar.
  27. 27. Pronomes indefinidos ● cada qual ● cada um ● qualquer um ● quantos quer (que) ● quem quer (que) ● seja quem for ● seja qual for ● todo aquele (que) ● tal qual (= certo) ● tal e qual ● tal ou qual ● um ou outro ● uma ou outra, etc. Os pronomes indefinidos também podem aparecer sob a forma de locução pronominal:
  28. 28. Emprego dos pronomes indefinidos - o indefinido algum, anteposto ao substantivo tem sentido afirmativo; posposto, assume sentido negativo. Algum caso teve ocorrência. (afirmativo) Motivo algum me fará desistir de você. (negativo) - o indefinido cada não deve ser utilizado desacompanhado de substantivo ou numeral. Receberam dez reais cada um. - Qualquer (plural = quaisquer): Vieram pessoas de quaisquer origens.
  29. 29. Emprego dos pronomes indefinidos - o indefinido certo, antes de substantivo é pronome indefinido, depois do substantivo é adjetivo. Não entendo certas pessoas. (pronome indefinido) Escolheram o local certo para a festa. (adjetivo) - o indefinido todo e toda (singular), quando desacompanhados de artigo, significam qualquer. Todo homem é mortal. (Qualquer homem é mortal) - Quando acompanhados de artigo dão ideia de totalidade. Ela jogou todo o macarrão fora.
  30. 30. Pronomes interrogativos São usados na formulação de perguntas, sejam elas diretas ou indiretas. Assim como os pronomes indefinidos, referem-se à 3ª pessoa do discurso de modo impreciso. São pronomes interrogativos: que, quem, qual, quanto(e variações). Por exemplo: Quem fez o almoço?/ Diga-me quem fez o almoço. Qual das bonecas preferes? / Não sei qual das bonecas preferes. Quantos passageiros desembarcaram? / Pergunte quantos passageiros desembarcaram.

×