SlideShare uma empresa Scribd logo

Lição 13 josé, a realidade de um sonho

Este documento descreve a história de José no Egito, desde quando foi vendido como escravo pelos irmãos até quando foi elevado a governador do Egito. Apesar das dificuldades, José manteve sua fidelidade a Deus e soube interpretar sonhos, o que levou Faraó a colocá-lo no cargo de governador para implementar um plano de preparação durante os anos de fartura para enfrentar a fome que viria.

1 de 32
Baixar para ler offline
Lição 13   josé, a realidade de um sonho
TEXTO ÁUREO
"E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um
varão como este, em quem haja o Espírito de
Deus?" (Gn 41.38)
2
VERDADE PRÁTICA
Escravo, ou senhor, José
sempre se destacou por uma vida de excelência
e fidelidade a Deus.
3
4
1 - Então, José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou:
Fazei sair daqui a todo varão; e ninguém ficou com ele quando José se deu a conhecer a
seus irmãos.
2 - E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de
Faraó o ouviu.
3 - E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe
puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face.
4 - E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se. Então, disse
ele: Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito.
5 - Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes
vendido para cá; porque, para conservação da vida, Deus me enviou diante da vossa face.
6 - Porque já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que
não haverá lavoura nem sega.
7 - Pelo que Deus me enviou diante da vossa face, para conservar vossa sucessão na terra
e para guardar-vos em vida por um grande livramento.
8 - Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai
de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito.
Gênesis 45.1-8
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
OBJETIVO GERAL
Saber que os sonhos de José
foram concedidos pelo Senhor.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Conhecer a história de José;
Analisar a vida de José como escravo;
Mostrar que Deus providenciou, por intermédio de José,
um lugar de refúgio para Jacó e sua família.
Esboço da Lição
7
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
1. Filho da afeição.
2. Filho da decisão.
3. Filho dos sonhos.
II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ
1. O preço de um jovem.
2. A pureza de um jovem.
3. A prisão de um jovem.
III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL
1. O intérprete de sonhos.
2. Um economista de excelência.
3. O salvador de seu povo.
INTERAGINDO COM O
PROFESSOR
Com a graça de Deus chegamos ao final do estudo do livro de Gênesis. Com
certeza a sua fé, e a de seus alunos foram edificadas por intermédio de cada
lição. Como é bom saber que o Deus que tudo criou é o nosso Pai. Um Deus
que nos ama, cuida de nós e nos faz sonhar.
Na lição de hoje estudaremos a respeito da vida de José. Este jovem foi um
sonhador. Seus sonhos o levaram até uma cova. Mas, a interpretação de
alguns sonhos o levaram ao palácio e o fizeram governador do Egito. Com
José aprendemos que os sonhos que Deus estabelece em nossos corações,
não podem ser frustrados, embora, isso não nos impeça de passarmos por
várias situações difíceis.
PONTO CENTRAL
José se destacou, na casa dos seus pais,
na casa de Potifar e no palácio de Faraó,
por sua vida de excelência e fidelidade a
Deus.
INTRODUÇÃO
• Neste domingo, veremos como Deus usou José para garantir a sobrevivência de Israel.
Tudo começou com um sonho que, no devido tempo, fez-se realidade. Mas, do sonho à
realidade, o jovem hebreu viu-se reduzido à escravidão até ser exaltado como governador
de toda terra do Egito.
• José soube esperar com paciência.
• Quem tem sonhos dados por Deus não tem pressa. Sabe que tudo haverá de cumprir-se
no tempo estabelecido pelo Eterno.
10
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
1. Filho da afeição.
2. Filho da decisão.
3. Filho dos sonhos.
11
José era bisneto de Abraão, amigo de Deus. À
semelhança de seu pai, Jacó, e do avô, Isaque, era um
homem de profundas experiências com o Senhor. A seu
modo, era um profeta e um especialista em sonhos.
1. Filho da afeição.
• José era filho de Raquel, a
esposa amada de Jacó (Gn 29.18-
20,30). Seu nascimento foi
celebrado por sua mãe (Gn
30.22-24). Em hebraico, José
significa Jeová acrescenta.
12
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
2. Filho da decisão.
• Talvez o seu nascimento tenha levado Jacó a munir-
se de uma firme atitude diante de Labão, seu sogro:
"Deixa-me ir; que me vá ao meu lugar e à minha
terra" (Gn 30.25). O filho do coração mexeu com a
alma do patriarca que, por longos anos, achava-se
exilado em Padã-Arã. Enfim, chegara a hora de
retornar à casa de Isaque, seu pai.
13
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
3. Filho dos sonhos.
• Já deixando a adolescência, José teve dois sonhos.
Assim ele relata o primeiro deles aos irmãos: "Eis
que estávamos atando molhos no meio do campo,
e eis que o meu molho se levantava e também
ficava em pé; e eis que os vossos molhos o
rodeavam e se inclinavam ao meu molho" (Gn
37.7). Embora campesinos e rudes, eles não
tiveram dificuldades em interpretar-lhe o sonho:
"Tu deveras terás domínio sobre nós?" (Gn 37.8).
• Nem sempre nossos sonhos são compreendidos.
Mas, se procedem de Deus, certamente se
cumprirão no tempo da oportunidade.
14
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
3. Filho dos sonhos.
• O segundo sonho foi ainda mais significativo: "E eis
que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a
mim" (Gn 37.9). Ao ouvir o relato, indagou-lhe o pai:
"Porventura viremos eu, e tua mãe, e teus irmãos a
inclinar-nos perante ti em terra?" (Gn 37.10). Por
causa disso, seus irmãos vieram a odiá-lo. Jacó,
entretanto, tudo guardava no coração. Na qualidade
de profeta e sacerdote de Deus, sabia que algo
grandioso estava para acontecer com o filho
sonhador.
15
I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
SÍNTESE DO TÓPICO (1)
A história de José nos mostra que é
Deus quem estabelece alguns
sonhos no coração do homem.
16
"A história de José nos revela como os descendentes de Jacó vieram a ser uma nação dentro
do Egito. Esta seção de Gênesis não somente nos prepara para a narrativa do êxodo do
Egito, como também revela a fidelidade que José sempre teve para com Deus, e as muitas
maneiras como Deus protegeu e dirigiu a sua vida para o bem doutras pessoas. Ressalta a
verdade de que nos justos podem sofrer num mundo mau e iníquo, mas que, por fim, triunfará
o propósito de Deus reservado para eles"(Bíblia de Estudo Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro:
CPAD, 2006, p. 90).
SUBSÍDIO DIDÁTICO
18
*José
CONHEÇA MAIS
"A história de José nos revela como os descendentes
de Jacó vieram a ser uma nação dentro do Egito. A
túnica ricamente ornamentada que José recebera de
seu pai, contrasta fortemente com as túnicas comuns
usadas por seus irmãos. Ela revela uma posição
especial de favoritismo e honra diante de seu pai."
Para conhecer mais leia, Bíblia de Estudo
Pentecostal, CPAD, p. 90.
II - UM ESCRAVO CHAMADO
JOSÉ
1. O preço de um jovem.
2. A pureza de um jovem.
3. A prisão de um jovem.
19
Se em casa era o mais querido dos filhos, no exílio, José
teria de experimentar as angústias de um escravo. O
Senhor, porém, era com ele.
1. O preço de um jovem.
• Os irmãos de José venderam-no a uns
mercadores ismaelitas por vinte siclos de prata
(Gn 37.28). Avaliaram-no abaixo da cotação do
mercado para a compra de um escravo (Êx
21.32). As pessoas socialmente aviltantes não
tinham muito valor. O valor de José,
entretanto, excedia ao do próprio ouro.
20
II - UM ESCRAVO CHAMADO
JOSÉ
2. A pureza de um jovem.
• Quem serve a Deus prospera até mesmo na servidão. Não
sabemos o preço que Potifar ofereceu por José. Mas logo
descobriria ter adquirido um bem mui valioso, pois tudo o que o
jovem hebreu punha-se a fazer prosperava (Gn 39.6,7). Quem
serve a Deus prospera em qualquer circunstância (Sl 1.3).
• Por ser um jovem formoso, não demorou a ser cobiçado pela
esposa de seu amo (Gn 37.7). José, porém, temia a Deus, e
guiava-se por uma ética superior. Por isso, respondeu à sua
senhora: "Como, pois, faria eu este tamanho mal e pecaria contra
Deus?" (Gn 39.9). Os Dez Mandamentos ainda não haviam sido
decretados, mas a lei de Deus já estava gravada em seu coração
(Rm 2.14).
21
II - UM ESCRAVO CHAMADO
JOSÉ
3. A prisão de um jovem.
• Embora muito o assediasse, a mulher de Potifar não conseguiu arrastá-lo
ao pecado. Certo dia, porém, estando apenas os dois em casa, ela o
agarrou pelas roupas. Ele, desvencilhando-se, deixou-lhes as vestes nas
mãos, e fugiu nu (Gn 39.10-12). Só um homem revestido da graça de Deus
é capaz de semelhante reação.
• Vendo-se rejeitada, a mulher acusa-o de querer forçá-la. Quanto a Potifar,
a fim de salvar as aparências, manda-o à prisão, onde eram apenados os
oficiais do rei (Gn 39.20). O egípcio poderia ter executado o hebreu.
Todavia, apesar de sua ira, preferiu não matá-lo.
• Apesar do cárcere, José é bem-sucedido. Por isso, o carcereiro-mor
entrega-lhe o cuidado dos outros presos, pois "tudo o que ele fazia o
Senhor prosperava" (Gn 39.23).
• Nem sempre nossos sonhos são compreendidos. Mas, se procedem de
Deus, certamente se cumprirão no tempo da oportunidade.
22
II - UM ESCRAVO
CHAMADO JOSÉ
SÍNTESE DO TÓPICO (2)
A inveja e o ciúme levaram os
irmãos de José a vendê-lo como
escravo.
23
24
SUBSÍDIO DIDÁTICO
1."José tipo de Cristo
Muitos tomam José como um tipo de Cristo; uma pessoa inocente que sofreu por causa da maldade dos
outros e, através do qual, o povo escolhido foi liberto da morte certa. O silêncio de José enquanto seus irmãos
deliberam seu destino (Gn 37.12-35) prefigura o silêncio de Cristo perante seus juízes (1 Pe 2.23).
2.A mulher de Potifar
O contraste entre Judá e José é forte. Ambos foram tentados sexualmente. Judá procurou o sexo ilícito,
enquanto José recusou repetidos apelos da mulher de seu senhor. José lembra-nos que nunca podemos dizer
que o sexo nos leva a pecar. A escolha é nossa, agir como Judá ou como José" (RICAHRDS, Lawrence. Guia do
Leitor da Bíblia: Uma Análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012,
p. 45).
III - UM LUGAR DE REFÚGIO
PARA ISRAEL
25
1. O intérprete de sonhos.
2. Um economista de excelência.
3. O salvador de seu povo.
José não se limitava a sonhar; também interpretava sonhos.
O seu ministério era parecido com o de Daniel.
• Na prisão, José foi designado a cuidar pessoalmente
de dois assessores de Faraó (Gn 40.4). E, certa
manhã, ao ouvir-lhes os sonhos, interpretou-os
fidedignamente. De acordo com as suas palavras, o
copeiro-mor foi restituído ao cargo; o padeiro-mor,
enforcado (Gn 40.6-22).
• Quem sonha não despreza os sonhos alheios. José,
porém, atribuía este poder não a si, mas ao Senhor:
"Não são de Deus as interpretações?" (Gn 40.8).
Quando atribuímos a glória a Deus, não nos
tornamos arrogantes e jamais seremos esquecidos.
1. O intérprete de sonhos.
26
III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA
ISRAEL
• Passados dois anos completos, Faraó teve dois sonhos bem agropecuários. No primeiro,
viu que sete vacas gordas eram devoradas por outras sete magras e feias. E, no
segundo, observou que sete espigas boas e graúdas eram igualmente devoradas por
outras sete mirradas e queimadas pelo vento oriental (Gn 41.2-7).
• Ao interpretar o sonho ao rei, entregou-lhe também um plano econômico que, embora
simples, se mostraria eficaz para salvar não somente o Egito, mas os povos vizinhos,
entre os quais, os hebreus (Gn 41.32-36). O plano era bastante prático: a fartura dos
primeiros sete anos deveria ser armazenada para socorrer a penúria dos sete anos
seguintes. Ao ouvi-lo, Faraó constitui imediatamente José como governador do Egito:
"Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus?" (Gn 41.38). Seria
muito bom se nossos ministros tomassem algum conselho com José.
2. Um economista de excelência.
27
III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA
ISRAEL
• Foi como primeiro-ministro do Egito que José acolheu a família. Não somente
perdoou as ofensas aos seus irmãos, como proveu-lhes toda a subsistência. Ele
soube como interpretar as adversidades pelas quais passara. Diante da
perplexidade de seus irmãos, declarou-lhes: "Deus me enviou diante da vossa
face, para conservar vossa sucessão na terra e para guardar-vos em vida por um
grande livramento" (Gn 45.7).
• Após encontrar-se com o velho pai, Jacó, instala seus familiares na terra de
Gósen, onde os sustenta. E, ali, distante da influência dos cananeus e dos
egípcios, os hebreus puderam desenvolver-se até se tornarem uma grande e
poderosa nação (Êx 1.6,7). Aquele isolamento seria benéfico a Israel.
3. O salvador de seu povo.
28
III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA
ISRAEL
SÍNTESE DO TÓPICO (3)
José foi usado pelo Senhor para
providenciar livramento para sua
família e para o povo de Deus.
29
"As Escrituras deixam claro que a separação entre José e o seu povo
estava sob o controle de Deus. O Senhor estava operando através de José
e das circunstâncias deste, a fim de preservar a família de Israel e reuni-la
segundo as suas promessas.
Quatro vezes no capítulo 39 está escrito que 'o Senhor estava com José'
(vv. 2,3,21,23). Porque José honrava a Deus, Deus honrava a ele. Aqueles
que temem a Deus e o reconhecem em todos os seus caminhos têm a
promessa de que Deus dirigirá todos os seus passos (Pv 3.5,6) "(Bíblia de
Estudo Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 39).
José acolheu a família. Não somente perdoou as ofensas aos seus irmãos,
como proveu-lhes toda a subsistência. 30
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Conclusão
• Se fizermos a vontade de Deus, até as adversidades
redundarão em bênçãos e livramentos aos que nos
cercam. Todavia, não nos impacientemos se os
sonhos que nos dá o Senhor demoram a se cumprir.
Para tudo há um tempo determinado. Há tempo
para sonhar e também para que cada sonho se
realize. Que tudo ocorra, pois, de acordo com a
vontade de Deus.
31
32
Quem foi José?
José era bisneto de Abraão, amigo de Deus. À semelhança de seu
pai, Jacó, e do avô, Isaque, era um homem de profundas
experiências com o Senhor. José era filho de Raquel, a esposa
amada de Jacó (Gn 29.18-20,30).
Qual o significado dos sonhos de José?
Que ele dominaria sobre seu pai e seus irmãos.
Como você descreveria o caráter de José?
Como um caráter ilibado.
Que lição traz-nos as tribulações de José?
Quem serve a Deus prospera em qualquer circunstância (Sl 1.3). Se
fizermos a vontade de Deus, até as adversidades redundarão em
bênçãos e livramentos aos que nos cercam.
O que representou a região de Gósen para Israel?
Distante da influência dos cananeus e dos egípcios

Recomendados

Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7   a família que sobreviveu ao dilúvioLição 7   a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvioAndrew Guimarães
 
pentateuco, gênesis, septuaginta, vulgata, peshita, crescente fértil, paleo h...
pentateuco, gênesis, septuaginta, vulgata, peshita, crescente fértil, paleo h...pentateuco, gênesis, septuaginta, vulgata, peshita, crescente fértil, paleo h...
pentateuco, gênesis, septuaginta, vulgata, peshita, crescente fértil, paleo h...RODRIGO FERREIRA
 
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de DeusLição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de Deus
Lição 1 – Tabernáculo - Um Lugar da Habitação de DeusÉder Tomé
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresPaulo Ferreira
 
MIQUÉIAS
MIQUÉIASMIQUÉIAS
MIQUÉIASEnerliz
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

José Fé em Meio as Injustiças.
José Fé em Meio as Injustiças.José Fé em Meio as Injustiças.
José Fé em Meio as Injustiças.Márcio Martins
 
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleiro
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do OleiroCinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleiro
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleirorenaapborges
 
Joel - Chamado ao Arrependimento
Joel - Chamado ao ArrependimentoJoel - Chamado ao Arrependimento
Joel - Chamado ao ArrependimentoIMW de Edson Passos
 
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no EgitoLição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no EgitoÉder Tomé
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLourinaldo Serafim
 
02 a criação dos céus e da terra
02  a criação dos céus e da terra02  a criação dos céus e da terra
02 a criação dos céus e da terraMárcio Martins
 
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016Pr. Andre Luiz
 

Mais procurados (20)

José Fé em Meio as Injustiças.
José Fé em Meio as Injustiças.José Fé em Meio as Injustiças.
José Fé em Meio as Injustiças.
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
 
35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleiro
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do OleiroCinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleiro
Cinco LiçõEs Que Aprendemos Na Casa Do Oleiro
 
Profetas menores lição 5 - Obadias
Profetas menores   lição 5 - ObadiasProfetas menores   lição 5 - Obadias
Profetas menores lição 5 - Obadias
 
Joel - Chamado ao Arrependimento
Joel - Chamado ao ArrependimentoJoel - Chamado ao Arrependimento
Joel - Chamado ao Arrependimento
 
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no EgitoLição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
Lição 4 - As dez pragas: A Justiça de Deus no Egito
 
Profeta Oséias
Profeta OséiasProfeta Oséias
Profeta Oséias
 
9 obadias
9   obadias9   obadias
9 obadias
 
33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
A profecia de daniel 7
A profecia de daniel 7A profecia de daniel 7
A profecia de daniel 7
 
# Bíblia a Palavra de Deus####
# Bíblia   a Palavra de Deus##### Bíblia   a Palavra de Deus####
# Bíblia a Palavra de Deus####
 
As setenta semanas
As setenta semanasAs setenta semanas
As setenta semanas
 
02 a criação dos céus e da terra
02  a criação dos céus e da terra02  a criação dos céus e da terra
02 a criação dos céus e da terra
 
26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes
 
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016
 

Destaque

Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egitoJoel Silva
 
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
A sabedoria de josé
A sabedoria de joséA sabedoria de josé
A sabedoria de joséthamyrisbarb
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasAilton da Silva
 
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu Alvo
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu AlvoJosé do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu Alvo
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu AlvoAdvec S. Mateus - S. Paulo
 
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguesePing Ponga
 
Abraão escolheu ser amigo de deus
Abraão escolheu ser amigo de deusAbraão escolheu ser amigo de deus
Abraão escolheu ser amigo de deuscchamaviva
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoDaladier Lima
 
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiças
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiçasLBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiças
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiçasNatalino das Neves Neves
 
Igreja Mais Generosa
Igreja Mais GenerosaIgreja Mais Generosa
Igreja Mais GenerosaIBMemorialJC
 

Destaque (20)

A VIDA DE JOSÉ
A VIDA DE JOSÉA VIDA DE JOSÉ
A VIDA DE JOSÉ
 
O Sonho de José
O Sonho de JoséO Sonho de José
O Sonho de José
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 
José, semelhante a Jesus
José, semelhante a JesusJosé, semelhante a Jesus
José, semelhante a Jesus
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
 
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
EBD CPAD lições bíblicas 4 trimestre 2015 aula 13 José,A realidade de um sonho.
 
História de São José
História de São JoséHistória de São José
História de São José
 
A sabedoria de josé
A sabedoria de joséA sabedoria de josé
A sabedoria de josé
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHOLIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
 
As 4 Respostas de José
As 4 Respostas de JoséAs 4 Respostas de José
As 4 Respostas de José
 
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade - um escudo protetor contra as porfias
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu Alvo
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu AlvoJosé do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu Alvo
José do Egito: O jovem que nunca desistiu do seu Alvo
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese
06 Jacó o enganador / 06 jacob the deceiver portuguese
 
Oferta do missões amigos de deus
Oferta do missões   amigos de deusOferta do missões   amigos de deus
Oferta do missões amigos de deus
 
Abraão escolheu ser amigo de deus
Abraão escolheu ser amigo de deusAbraão escolheu ser amigo de deus
Abraão escolheu ser amigo de deus
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodo
 
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiças
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiçasLBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiças
LBA LIÇÃO 7 - José, fé em meio às injustiças
 
Igreja Mais Generosa
Igreja Mais GenerosaIgreja Mais Generosa
Igreja Mais Generosa
 

Semelhante a Lição 13 josé, a realidade de um sonho

José a realidade de um sonho
José a realidade de um sonhoJosé a realidade de um sonho
José a realidade de um sonhoPr. Gerson Eller
 
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
José a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um SonhoJosé a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um SonhoMárcio Martins
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO Lourinaldo Serafim
 
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLiçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASantonio vieira
 
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLourinaldo Serafim
 
José, a realidade de um sonho
José, a realidade de um sonhoJosé, a realidade de um sonho
José, a realidade de um sonhoAilton da Silva
 
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às InjustiçasLição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às InjustiçasAndrew Guimarães
 
Lição 7 José: Fé em meio às injustiças
Lição 7   José:  Fé em meio às injustiçasLição 7   José:  Fé em meio às injustiças
Lição 7 José: Fé em meio às injustiçasRegio Davis
 
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptxJoel Silva
 
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016Pr. Andre Luiz
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07Joel Silva
 
José em exemplo de fé em meio as injustiças
José em exemplo de fé em meio as injustiçasJosé em exemplo de fé em meio as injustiças
José em exemplo de fé em meio as injustiçasRODRIGO FERREIRA
 
José - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiçasJosé - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiçasAilton da Silva
 
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021Marcus Wagner
 
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguesePing Ponga
 
José um líder temente a Deus
José um líder temente a DeusJosé um líder temente a Deus
José um líder temente a DeusPr.Jocemar Porto
 
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...Ping Ponga
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egitoJoel Silva
 

Semelhante a Lição 13 josé, a realidade de um sonho (20)

José a realidade de um sonho
José a realidade de um sonhoJosé a realidade de um sonho
José a realidade de um sonho
 
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.
Ebd aula 7 4°trimestre 2016 José,fé em meio as injustiças.
 
José a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um SonhoJosé a Realidade de um Sonho
José a Realidade de um Sonho
 
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
LIÇÃO 13 - JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO
 
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLiçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
Liçao 7 JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
 
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇASLIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
LIÇÃO 07 - JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
 
José, a realidade de um sonho
José, a realidade de um sonhoJosé, a realidade de um sonho
José, a realidade de um sonho
 
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às InjustiçasLição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
Lição 7 - José Fé em Meio às Injustiças
 
Lição 7 José: Fé em meio às injustiças
Lição 7   José:  Fé em meio às injustiçasLição 7   José:  Fé em meio às injustiças
Lição 7 José: Fé em meio às injustiças
 
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 07.pptx
 
José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13 José, a realidade de um sonho. lição 13
José, a realidade de um sonho. lição 13
 
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
 
José em exemplo de fé em meio as injustiças
José em exemplo de fé em meio as injustiçasJosé em exemplo de fé em meio as injustiças
José em exemplo de fé em meio as injustiças
 
José - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiçasJosé - fé em em meio as injustiças
José - fé em em meio as injustiças
 
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
Lição 2 - Fui Injustiçado - Lição de Adolescentes 3º Trimestre de 2021
 
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
08 Deus honra a José, o escravo / 08 god honors joseph the slave portuguese
 
José um líder temente a Deus
José um líder temente a DeusJosé um líder temente a Deus
José um líder temente a Deus
 
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...
07 Um filho favorito que se torna um escravo / 07 a favorite son becomes a sl...
 
Estudos josé do egito
Estudos  josé do egitoEstudos  josé do egito
Estudos josé do egito
 

Mais de Andrew Guimarães

Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Andrew Guimarães
 
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela FamíliaLição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela FamíliaAndrew Guimarães
 
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do SacrifícioLição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do SacrifícioAndrew Guimarães
 
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉAndrew Guimarães
 
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISLIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISAndrew Guimarães
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISEAndrew Guimarães
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadAndrew Guimarães
 
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de Crianças
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de CriançasLição 8 (Adultos) - A Evangelização de Crianças
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de CriançasAndrew Guimarães
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososAndrew Guimarães
 
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICOLição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICOAndrew Guimarães
 
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos DesafiadoresLição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos DesafiadoresAndrew Guimarães
 
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas Estratégias
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas EstratégiasLição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas Estratégias
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas EstratégiasAndrew Guimarães
 
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de AlmasLição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de AlmasAndrew Guimarães
 
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORALição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORAAndrew Guimarães
 
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelistaLição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelistaAndrew Guimarães
 
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOAndrew Guimarães
 
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de Andrade
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de AndradeLição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de Andrade
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de AndradeAndrew Guimarães
 
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOAndrew Guimarães
 
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.Andrew Guimarães
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaAndrew Guimarães
 

Mais de Andrew Guimarães (20)

Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
 
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela FamíliaLição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
 
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do SacrifícioLição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
 
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISLIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
 
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de Crianças
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de CriançasLição 8 (Adultos) - A Evangelização de Crianças
Lição 8 (Adultos) - A Evangelização de Crianças
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
 
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICOLição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
Lição 7 (Adultos) - O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
 
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos DesafiadoresLição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
Lição 6 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Desafiadores
 
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas Estratégias
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas EstratégiasLição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas Estratégias
Lição 5 (Adultos) - A Evangelização Urbanas e Suas Estratégias
 
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de AlmasLição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas
Lição 4 (Adultos) - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas
 
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORALição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
Lição 3 (Adultos) - IGREJA, AGÊNCIA EVANGELIZADORA
 
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelistaLição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
Lição 2 (Adultos) - Deus, o primeiro evangelista
 
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 01 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
 
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de Andrade
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de AndradeLição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de Andrade
Lição - O Desafio da Evangelização - 3ºTri. de 2016 Claudionor de Andrade
 
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃOLIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
LIÇÃO 1 - O QUE É EVANGELIZAÇÃO
 
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.
Lição 13 - O Cultivo das Relações InterPessoais.
 
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão MissionáriaLição 12 - Cosmovisão Missionária
Lição 12 - Cosmovisão Missionária
 

Último

A Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioA Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioNilson Almeida
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxCelso Napoleon
 
Orações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisOrações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisNilson Almeida
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Oração Da Prosperidade E Da Riqueza
Oração Da Prosperidade E Da RiquezaOração Da Prosperidade E Da Riqueza
Oração Da Prosperidade E Da RiquezaNilson Almeida
 
Orações Para Crianças
Orações Para CriançasOrações Para Crianças
Orações Para CriançasNilson Almeida
 
Oração De Proteção Jesus Cristo
Oração De Proteção Jesus CristoOração De Proteção Jesus Cristo
Oração De Proteção Jesus CristoNilson Almeida
 
Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Nilson Almeida
 
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptBíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptIgrejadoVerbo
 
Orações Da Noite Junto A Um Recém-Nascido
Orações Da Noite Junto A Um Recém-NascidoOrações Da Noite Junto A Um Recém-Nascido
Orações Da Noite Junto A Um Recém-NascidoNilson Almeida
 
Oração A Deus Pai Todo Poderoso
Oração A Deus Pai Todo PoderosoOração A Deus Pai Todo Poderoso
Oração A Deus Pai Todo PoderosoNilson Almeida
 
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoRevista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoLindiomar Rios
 
Oração De Proteção São Miguel Arcanjo
Oração De Proteção São Miguel ArcanjoOração De Proteção São Miguel Arcanjo
Oração De Proteção São Miguel ArcanjoNilson Almeida
 
Oração De Proteção Às Crianças
Oração De Proteção Às CriançasOração De Proteção Às Crianças
Oração De Proteção Às CriançasNilson Almeida
 
Coletânea De Orações Cristãs
Coletânea De Orações CristãsColetânea De Orações Cristãs
Coletânea De Orações CristãsNilson Almeida
 
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?Joary Jossué Carlesso
 
Ho'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalHo'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalNilson Almeida
 

Último (20)

A Couraça De São Patrício
A Couraça De São PatrícioA Couraça De São Patrício
A Couraça De São Patrício
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
 
Orações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De LéllisOrações A São Camilo De Léllis
Orações A São Camilo De Léllis
 
Orações Do Cristão
Orações Do CristãoOrações Do Cristão
Orações Do Cristão
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
 
Oração Da Prosperidade E Da Riqueza
Oração Da Prosperidade E Da RiquezaOração Da Prosperidade E Da Riqueza
Oração Da Prosperidade E Da Riqueza
 
Orações Para Crianças
Orações Para CriançasOrações Para Crianças
Orações Para Crianças
 
Oração De Proteção Jesus Cristo
Oração De Proteção Jesus CristoOração De Proteção Jesus Cristo
Oração De Proteção Jesus Cristo
 
Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra Vibração Pelo Planeta Terra
Vibração Pelo Planeta Terra
 
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024
Oração Da Campanha Da Fraternidade 2024
 
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.pptBíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
Bíblia Sagrada - livro II de Salmos - 42-72 - slides powerpoint.ppt
 
Orações Da Noite Junto A Um Recém-Nascido
Orações Da Noite Junto A Um Recém-NascidoOrações Da Noite Junto A Um Recém-Nascido
Orações Da Noite Junto A Um Recém-Nascido
 
Oração A Deus Pai Todo Poderoso
Oração A Deus Pai Todo PoderosoOração A Deus Pai Todo Poderoso
Oração A Deus Pai Todo Poderoso
 
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oraçãoRevista adulto usada no projeto 10 dias de oração
Revista adulto usada no projeto 10 dias de oração
 
Oração De Proteção São Miguel Arcanjo
Oração De Proteção São Miguel ArcanjoOração De Proteção São Miguel Arcanjo
Oração De Proteção São Miguel Arcanjo
 
Oração De Proteção Às Crianças
Oração De Proteção Às CriançasOração De Proteção Às Crianças
Oração De Proteção Às Crianças
 
Oração Pelos Filhos
Oração Pelos FilhosOração Pelos Filhos
Oração Pelos Filhos
 
Coletânea De Orações Cristãs
Coletânea De Orações CristãsColetânea De Orações Cristãs
Coletânea De Orações Cristãs
 
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?
Discipulado na Assembleia de Deus: como fazer funcionar?
 
Ho'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração OriginalHo'oponopono Oração Original
Ho'oponopono Oração Original
 

Lição 13 josé, a realidade de um sonho

  • 2. TEXTO ÁUREO "E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus?" (Gn 41.38) 2
  • 3. VERDADE PRÁTICA Escravo, ou senhor, José sempre se destacou por uma vida de excelência e fidelidade a Deus. 3
  • 4. 4 1 - Então, José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou: Fazei sair daqui a todo varão; e ninguém ficou com ele quando José se deu a conhecer a seus irmãos. 2 - E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu. 3 - E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. 4 - E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se. Então, disse ele: Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. 5 - Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque, para conservação da vida, Deus me enviou diante da vossa face. 6 - Porque já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem sega. 7 - Pelo que Deus me enviou diante da vossa face, para conservar vossa sucessão na terra e para guardar-vos em vida por um grande livramento. 8 - Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito. Gênesis 45.1-8 LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
  • 5. OBJETIVO GERAL Saber que os sonhos de José foram concedidos pelo Senhor.
  • 6. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Conhecer a história de José; Analisar a vida de José como escravo; Mostrar que Deus providenciou, por intermédio de José, um lugar de refúgio para Jacó e sua família.
  • 7. Esboço da Lição 7 I - A HISTÓRIA DE JOSÉ 1. Filho da afeição. 2. Filho da decisão. 3. Filho dos sonhos. II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ 1. O preço de um jovem. 2. A pureza de um jovem. 3. A prisão de um jovem. III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL 1. O intérprete de sonhos. 2. Um economista de excelência. 3. O salvador de seu povo.
  • 8. INTERAGINDO COM O PROFESSOR Com a graça de Deus chegamos ao final do estudo do livro de Gênesis. Com certeza a sua fé, e a de seus alunos foram edificadas por intermédio de cada lição. Como é bom saber que o Deus que tudo criou é o nosso Pai. Um Deus que nos ama, cuida de nós e nos faz sonhar. Na lição de hoje estudaremos a respeito da vida de José. Este jovem foi um sonhador. Seus sonhos o levaram até uma cova. Mas, a interpretação de alguns sonhos o levaram ao palácio e o fizeram governador do Egito. Com José aprendemos que os sonhos que Deus estabelece em nossos corações, não podem ser frustrados, embora, isso não nos impeça de passarmos por várias situações difíceis.
  • 9. PONTO CENTRAL José se destacou, na casa dos seus pais, na casa de Potifar e no palácio de Faraó, por sua vida de excelência e fidelidade a Deus.
  • 10. INTRODUÇÃO • Neste domingo, veremos como Deus usou José para garantir a sobrevivência de Israel. Tudo começou com um sonho que, no devido tempo, fez-se realidade. Mas, do sonho à realidade, o jovem hebreu viu-se reduzido à escravidão até ser exaltado como governador de toda terra do Egito. • José soube esperar com paciência. • Quem tem sonhos dados por Deus não tem pressa. Sabe que tudo haverá de cumprir-se no tempo estabelecido pelo Eterno. 10
  • 11. I - A HISTÓRIA DE JOSÉ 1. Filho da afeição. 2. Filho da decisão. 3. Filho dos sonhos. 11 José era bisneto de Abraão, amigo de Deus. À semelhança de seu pai, Jacó, e do avô, Isaque, era um homem de profundas experiências com o Senhor. A seu modo, era um profeta e um especialista em sonhos.
  • 12. 1. Filho da afeição. • José era filho de Raquel, a esposa amada de Jacó (Gn 29.18- 20,30). Seu nascimento foi celebrado por sua mãe (Gn 30.22-24). Em hebraico, José significa Jeová acrescenta. 12 I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
  • 13. 2. Filho da decisão. • Talvez o seu nascimento tenha levado Jacó a munir- se de uma firme atitude diante de Labão, seu sogro: "Deixa-me ir; que me vá ao meu lugar e à minha terra" (Gn 30.25). O filho do coração mexeu com a alma do patriarca que, por longos anos, achava-se exilado em Padã-Arã. Enfim, chegara a hora de retornar à casa de Isaque, seu pai. 13 I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
  • 14. 3. Filho dos sonhos. • Já deixando a adolescência, José teve dois sonhos. Assim ele relata o primeiro deles aos irmãos: "Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava e também ficava em pé; e eis que os vossos molhos o rodeavam e se inclinavam ao meu molho" (Gn 37.7). Embora campesinos e rudes, eles não tiveram dificuldades em interpretar-lhe o sonho: "Tu deveras terás domínio sobre nós?" (Gn 37.8). • Nem sempre nossos sonhos são compreendidos. Mas, se procedem de Deus, certamente se cumprirão no tempo da oportunidade. 14 I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
  • 15. 3. Filho dos sonhos. • O segundo sonho foi ainda mais significativo: "E eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim" (Gn 37.9). Ao ouvir o relato, indagou-lhe o pai: "Porventura viremos eu, e tua mãe, e teus irmãos a inclinar-nos perante ti em terra?" (Gn 37.10). Por causa disso, seus irmãos vieram a odiá-lo. Jacó, entretanto, tudo guardava no coração. Na qualidade de profeta e sacerdote de Deus, sabia que algo grandioso estava para acontecer com o filho sonhador. 15 I - A HISTÓRIA DE JOSÉ
  • 16. SÍNTESE DO TÓPICO (1) A história de José nos mostra que é Deus quem estabelece alguns sonhos no coração do homem. 16
  • 17. "A história de José nos revela como os descendentes de Jacó vieram a ser uma nação dentro do Egito. Esta seção de Gênesis não somente nos prepara para a narrativa do êxodo do Egito, como também revela a fidelidade que José sempre teve para com Deus, e as muitas maneiras como Deus protegeu e dirigiu a sua vida para o bem doutras pessoas. Ressalta a verdade de que nos justos podem sofrer num mundo mau e iníquo, mas que, por fim, triunfará o propósito de Deus reservado para eles"(Bíblia de Estudo Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 90). SUBSÍDIO DIDÁTICO
  • 18. 18 *José CONHEÇA MAIS "A história de José nos revela como os descendentes de Jacó vieram a ser uma nação dentro do Egito. A túnica ricamente ornamentada que José recebera de seu pai, contrasta fortemente com as túnicas comuns usadas por seus irmãos. Ela revela uma posição especial de favoritismo e honra diante de seu pai." Para conhecer mais leia, Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, p. 90.
  • 19. II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ 1. O preço de um jovem. 2. A pureza de um jovem. 3. A prisão de um jovem. 19 Se em casa era o mais querido dos filhos, no exílio, José teria de experimentar as angústias de um escravo. O Senhor, porém, era com ele.
  • 20. 1. O preço de um jovem. • Os irmãos de José venderam-no a uns mercadores ismaelitas por vinte siclos de prata (Gn 37.28). Avaliaram-no abaixo da cotação do mercado para a compra de um escravo (Êx 21.32). As pessoas socialmente aviltantes não tinham muito valor. O valor de José, entretanto, excedia ao do próprio ouro. 20 II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ
  • 21. 2. A pureza de um jovem. • Quem serve a Deus prospera até mesmo na servidão. Não sabemos o preço que Potifar ofereceu por José. Mas logo descobriria ter adquirido um bem mui valioso, pois tudo o que o jovem hebreu punha-se a fazer prosperava (Gn 39.6,7). Quem serve a Deus prospera em qualquer circunstância (Sl 1.3). • Por ser um jovem formoso, não demorou a ser cobiçado pela esposa de seu amo (Gn 37.7). José, porém, temia a Deus, e guiava-se por uma ética superior. Por isso, respondeu à sua senhora: "Como, pois, faria eu este tamanho mal e pecaria contra Deus?" (Gn 39.9). Os Dez Mandamentos ainda não haviam sido decretados, mas a lei de Deus já estava gravada em seu coração (Rm 2.14). 21 II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ
  • 22. 3. A prisão de um jovem. • Embora muito o assediasse, a mulher de Potifar não conseguiu arrastá-lo ao pecado. Certo dia, porém, estando apenas os dois em casa, ela o agarrou pelas roupas. Ele, desvencilhando-se, deixou-lhes as vestes nas mãos, e fugiu nu (Gn 39.10-12). Só um homem revestido da graça de Deus é capaz de semelhante reação. • Vendo-se rejeitada, a mulher acusa-o de querer forçá-la. Quanto a Potifar, a fim de salvar as aparências, manda-o à prisão, onde eram apenados os oficiais do rei (Gn 39.20). O egípcio poderia ter executado o hebreu. Todavia, apesar de sua ira, preferiu não matá-lo. • Apesar do cárcere, José é bem-sucedido. Por isso, o carcereiro-mor entrega-lhe o cuidado dos outros presos, pois "tudo o que ele fazia o Senhor prosperava" (Gn 39.23). • Nem sempre nossos sonhos são compreendidos. Mas, se procedem de Deus, certamente se cumprirão no tempo da oportunidade. 22 II - UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ
  • 23. SÍNTESE DO TÓPICO (2) A inveja e o ciúme levaram os irmãos de José a vendê-lo como escravo. 23
  • 24. 24 SUBSÍDIO DIDÁTICO 1."José tipo de Cristo Muitos tomam José como um tipo de Cristo; uma pessoa inocente que sofreu por causa da maldade dos outros e, através do qual, o povo escolhido foi liberto da morte certa. O silêncio de José enquanto seus irmãos deliberam seu destino (Gn 37.12-35) prefigura o silêncio de Cristo perante seus juízes (1 Pe 2.23). 2.A mulher de Potifar O contraste entre Judá e José é forte. Ambos foram tentados sexualmente. Judá procurou o sexo ilícito, enquanto José recusou repetidos apelos da mulher de seu senhor. José lembra-nos que nunca podemos dizer que o sexo nos leva a pecar. A escolha é nossa, agir como Judá ou como José" (RICAHRDS, Lawrence. Guia do Leitor da Bíblia: Uma Análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 45).
  • 25. III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL 25 1. O intérprete de sonhos. 2. Um economista de excelência. 3. O salvador de seu povo. José não se limitava a sonhar; também interpretava sonhos. O seu ministério era parecido com o de Daniel.
  • 26. • Na prisão, José foi designado a cuidar pessoalmente de dois assessores de Faraó (Gn 40.4). E, certa manhã, ao ouvir-lhes os sonhos, interpretou-os fidedignamente. De acordo com as suas palavras, o copeiro-mor foi restituído ao cargo; o padeiro-mor, enforcado (Gn 40.6-22). • Quem sonha não despreza os sonhos alheios. José, porém, atribuía este poder não a si, mas ao Senhor: "Não são de Deus as interpretações?" (Gn 40.8). Quando atribuímos a glória a Deus, não nos tornamos arrogantes e jamais seremos esquecidos. 1. O intérprete de sonhos. 26 III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL
  • 27. • Passados dois anos completos, Faraó teve dois sonhos bem agropecuários. No primeiro, viu que sete vacas gordas eram devoradas por outras sete magras e feias. E, no segundo, observou que sete espigas boas e graúdas eram igualmente devoradas por outras sete mirradas e queimadas pelo vento oriental (Gn 41.2-7). • Ao interpretar o sonho ao rei, entregou-lhe também um plano econômico que, embora simples, se mostraria eficaz para salvar não somente o Egito, mas os povos vizinhos, entre os quais, os hebreus (Gn 41.32-36). O plano era bastante prático: a fartura dos primeiros sete anos deveria ser armazenada para socorrer a penúria dos sete anos seguintes. Ao ouvi-lo, Faraó constitui imediatamente José como governador do Egito: "Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus?" (Gn 41.38). Seria muito bom se nossos ministros tomassem algum conselho com José. 2. Um economista de excelência. 27 III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL
  • 28. • Foi como primeiro-ministro do Egito que José acolheu a família. Não somente perdoou as ofensas aos seus irmãos, como proveu-lhes toda a subsistência. Ele soube como interpretar as adversidades pelas quais passara. Diante da perplexidade de seus irmãos, declarou-lhes: "Deus me enviou diante da vossa face, para conservar vossa sucessão na terra e para guardar-vos em vida por um grande livramento" (Gn 45.7). • Após encontrar-se com o velho pai, Jacó, instala seus familiares na terra de Gósen, onde os sustenta. E, ali, distante da influência dos cananeus e dos egípcios, os hebreus puderam desenvolver-se até se tornarem uma grande e poderosa nação (Êx 1.6,7). Aquele isolamento seria benéfico a Israel. 3. O salvador de seu povo. 28 III - UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL
  • 29. SÍNTESE DO TÓPICO (3) José foi usado pelo Senhor para providenciar livramento para sua família e para o povo de Deus. 29
  • 30. "As Escrituras deixam claro que a separação entre José e o seu povo estava sob o controle de Deus. O Senhor estava operando através de José e das circunstâncias deste, a fim de preservar a família de Israel e reuni-la segundo as suas promessas. Quatro vezes no capítulo 39 está escrito que 'o Senhor estava com José' (vv. 2,3,21,23). Porque José honrava a Deus, Deus honrava a ele. Aqueles que temem a Deus e o reconhecem em todos os seus caminhos têm a promessa de que Deus dirigirá todos os seus passos (Pv 3.5,6) "(Bíblia de Estudo Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 39). José acolheu a família. Não somente perdoou as ofensas aos seus irmãos, como proveu-lhes toda a subsistência. 30 SUBSÍDIO TEOLÓGICO
  • 31. Conclusão • Se fizermos a vontade de Deus, até as adversidades redundarão em bênçãos e livramentos aos que nos cercam. Todavia, não nos impacientemos se os sonhos que nos dá o Senhor demoram a se cumprir. Para tudo há um tempo determinado. Há tempo para sonhar e também para que cada sonho se realize. Que tudo ocorra, pois, de acordo com a vontade de Deus. 31
  • 32. 32 Quem foi José? José era bisneto de Abraão, amigo de Deus. À semelhança de seu pai, Jacó, e do avô, Isaque, era um homem de profundas experiências com o Senhor. José era filho de Raquel, a esposa amada de Jacó (Gn 29.18-20,30). Qual o significado dos sonhos de José? Que ele dominaria sobre seu pai e seus irmãos. Como você descreveria o caráter de José? Como um caráter ilibado. Que lição traz-nos as tribulações de José? Quem serve a Deus prospera em qualquer circunstância (Sl 1.3). Se fizermos a vontade de Deus, até as adversidades redundarão em bênçãos e livramentos aos que nos cercam. O que representou a região de Gósen para Israel? Distante da influência dos cananeus e dos egípcios