SlideShare uma empresa Scribd logo

Encontro dos integradores 2012 v01

1 de 117
Baixar para ler offline
PALESTRANTES: ANDRÉ VIEIRA / OTÁVIO VIEIRA
Encontro dos integradores 2012   v01
Desafios Tradicionais de Manufatura

• Dados de chão de fábrica tipicamente usados somente para controle e
  visualização
   – Tipicamente não são utilizados para analizar/melhorar os processos de manufatura


• Utilizar os sistemas de controle para habilitar os sistemas de visualização,
  análises e melhorar a disponibilidade dos dados
   – Um relatórios simples e um dashboard para identificar as origens de motivos de paradas


• As áreas funcionais dentro da planta operam de forma autônoma
   – Visibilidade limitada dentros de uma área funcional (ex: processo, empacotamento, etc.)
   – Para melhorar realmente a produção, visibilidade/relatório/dashboards “através da planta” é necessário dar contexto


                    A produção pode saber que eles produziram 100 unid,
 EXEMPLO            mas sem os dados de qualidade, ninguém terá a
                    informação que houve uma taxa de 20% de rejeitos
Ilhas de Informação:
            Encontradas em múltiplos banco de dados

Autalmente em quantos sistemas será necessário buscar uma informação para se fazer um
      simples cálculo como a possibilidade de se produzir 900 unidades neste turno?

                                                                       Qual a
    900
  Qual é a          Qual é a
                      150                10 mins
                                         Qual é o                        132                 5 rejeitos                 95%
                                                                       média                  Qual é o                Qual é a
  unidades        capacidade?
                   unid/hora             paradas                                                                      aprovado
   meta?                                 Plano?                       unid/hora
                                                                      padrão /                  /hora
                                                                                             indice de               qualidade?
                                                                       turno?                 rejeitos?




     Gerencia       Manutenção           Planejamento                  Operação                  Operador               Qualidade



                            Nós                    Produção do Turno Atual = 800 unidades
                          vamos                           Tempo restante = 1 hora
                          SIM!
                         atingir as
                                                          Capacid.       150 * 50/60
                                              Meta =900                                132 * 50/60       110 – 5    105 * 95% =
                          metas?                unid      =150 unid      = 125 unid    = 110 unid      = 105 unid    100 unid


                                                           Asset                          Ctrl              Ctrl
                                               ERP                          Schld                                     LIMS
                                                           Mgmt                           Sys               Sys



                                 Gerente da
                                   Planta
Manufatura 2.0


     Revolução Industrial      Revolução da Informação

Velocidade                     Valor
  Escala
   Silos M1.0                Inovação
                            Colaboração   M2.0
Tecnologia é a Barreira

                               GESTÃO         ERP




                             EXECUÇÃO DA      MES
                              PRODUÇÃO
           2.0
Manufatura 1.0




                             OPERAÇÃO      AUTOMAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Administração da produção slack 3ªed parte 1
Administração da produção   slack 3ªed parte 1Administração da produção   slack 3ªed parte 1
Administração da produção slack 3ªed parte 1Stéphani Ferreira
 
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesApresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesPaulo H Bueno
 
Gestão estratégica manutenção
Gestão estratégica manutençãoGestão estratégica manutenção
Gestão estratégica manutençãoQualquer_mga
 
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...Ronaldo Alves Oliveira
 
Manutencao Centrada na Confiabilidade
Manutencao Centrada na ConfiabilidadeManutencao Centrada na Confiabilidade
Manutencao Centrada na ConfiabilidadeAnderson Silvestre
 
Planejamento estratégico da manutenção
Planejamento estratégico da manutençãoPlanejamento estratégico da manutenção
Planejamento estratégico da manutençãoEdinhoguerra
 
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)Sistech Sistemas
 
ManutençãO Preventiva
ManutençãO PreventivaManutençãO Preventiva
ManutençãO Preventivallobocm
 
Apresentação de Falhas em Componentes
Apresentação de Falhas em ComponentesApresentação de Falhas em Componentes
Apresentação de Falhas em ComponentesLaís Camargo
 
SIC 2008 - Simpósio Internacional de Confiabilidade
SIC 2008 - Simpósio Internacional de ConfiabilidadeSIC 2008 - Simpósio Internacional de Confiabilidade
SIC 2008 - Simpósio Internacional de ConfiabilidadeAngelo Urias dos Santos
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layoutDaniel Moura
 
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de ImplementaçãoGerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de ImplementaçãoSidney Santana
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1Diego José
 
A produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabricaA produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabricaFabrício Páris
 

Mais procurados (20)

Apostila clp
Apostila clpApostila clp
Apostila clp
 
Administração da produção slack 3ªed parte 1
Administração da produção   slack 3ªed parte 1Administração da produção   slack 3ªed parte 1
Administração da produção slack 3ªed parte 1
 
Poster 2009 09 24
Poster 2009 09 24Poster 2009 09 24
Poster 2009 09 24
 
Projeto implantação Manutenção Centrada em Confiabilidade (RCM)
Projeto implantação Manutenção Centrada em Confiabilidade (RCM)Projeto implantação Manutenção Centrada em Confiabilidade (RCM)
Projeto implantação Manutenção Centrada em Confiabilidade (RCM)
 
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesApresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
 
Gestão estratégica manutenção
Gestão estratégica manutençãoGestão estratégica manutenção
Gestão estratégica manutenção
 
Manutenção industrial
Manutenção industrialManutenção industrial
Manutenção industrial
 
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...
Pcm, planejamento e controle da manutenção by viana, herbert ricardo garcia (...
 
Manutencao Centrada na Confiabilidade
Manutencao Centrada na ConfiabilidadeManutencao Centrada na Confiabilidade
Manutencao Centrada na Confiabilidade
 
Planejamento estratégico da manutenção
Planejamento estratégico da manutençãoPlanejamento estratégico da manutenção
Planejamento estratégico da manutenção
 
TPM Lean Maintenance 2015
TPM Lean Maintenance 2015TPM Lean Maintenance 2015
TPM Lean Maintenance 2015
 
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)
Apresentação GDM - Sistema de Gerenciamento de Manutenção (Sistech Sistemas)
 
ManutençãO Preventiva
ManutençãO PreventivaManutençãO Preventiva
ManutençãO Preventiva
 
Apresentação de Falhas em Componentes
Apresentação de Falhas em ComponentesApresentação de Falhas em Componentes
Apresentação de Falhas em Componentes
 
SIC 2008 - Simpósio Internacional de Confiabilidade
SIC 2008 - Simpósio Internacional de ConfiabilidadeSIC 2008 - Simpósio Internacional de Confiabilidade
SIC 2008 - Simpósio Internacional de Confiabilidade
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
 
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de ImplementaçãoGerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
Gerenciamento da Rotina - Manual de Implementação
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1
 
A produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabricaA produtividade-no-chao-de-fabrica
A produtividade-no-chao-de-fabrica
 
Iberdata4Portfolio
Iberdata4PortfolioIberdata4Portfolio
Iberdata4Portfolio
 

Semelhante a Encontro dos integradores 2012 v01

Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.
Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.
Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.senaimais
 
Datasul 11.5.2 - 2012
Datasul 11.5.2 - 2012Datasul 11.5.2 - 2012
Datasul 11.5.2 - 2012Fabio Pimenta
 
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentas
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentasDatasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentas
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentasfabiomelle
 
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...Labsoft - myLIMS
 
Soluções de Negócios ITPM
Soluções de Negócios ITPMSoluções de Negócios ITPM
Soluções de Negócios ITPM.
 
Software overview portuguese
Software overview portugueseSoftware overview portuguese
Software overview portugueseLilian Schaffer
 
Gestao de Serviços de TI - 2009
Gestao de Serviços  de TI - 2009Gestao de Serviços  de TI - 2009
Gestao de Serviços de TI - 2009Márcio Amaro
 
Fabricas digitais techday
Fabricas digitais   techdayFabricas digitais   techday
Fabricas digitais techdayEmanuel Campos
 
Operador Administrativo
Operador AdministrativoOperador Administrativo
Operador Administrativoguest00ee60c
 
Gerenciamento da rotina manual de implementação
Gerenciamento da rotina   manual de implementaçãoGerenciamento da rotina   manual de implementação
Gerenciamento da rotina manual de implementaçãoSidney Santana
 
I Forum GSTI - Marcos Andre
I Forum GSTI - Marcos AndreI Forum GSTI - Marcos Andre
I Forum GSTI - Marcos AndreMarcos Andre
 
Lessons learned(6) cactus extractus 50
Lessons learned(6) cactus extractus 50Lessons learned(6) cactus extractus 50
Lessons learned(6) cactus extractus 50cactusextractus
 
Pax Managed Applications [PMA]
Pax Managed Applications [PMA]Pax Managed Applications [PMA]
Pax Managed Applications [PMA]paxtecnologia
 
Apresentação Minerva
Apresentação MinervaApresentação Minerva
Apresentação MinervaPWD AIDC
 
NEC Brasil, T&T Solutions
NEC Brasil, T&T SolutionsNEC Brasil, T&T Solutions
NEC Brasil, T&T Solutionsdavisao
 
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel PimentelScrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel PimentelManoel Pimentel Medeiros
 

Semelhante a Encontro dos integradores 2012 v01 (20)

Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.
Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.
Palestra 8- Manufatura Digital: Tecnologia na melhoria do processo produtivo.
 
Datasul 11.5.2 - 2012
Datasul 11.5.2 - 2012Datasul 11.5.2 - 2012
Datasul 11.5.2 - 2012
 
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentas
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentasDatasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentas
Datasul11.5.2 - Evolução de Solução e outras ferramentas
 
Infor EAM ASE
Infor EAM ASEInfor EAM ASE
Infor EAM ASE
 
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...
Palestra ENATEC - Sistemas de controle e gerenciamento de produção para o aum...
 
UniSoma Institucional
UniSoma InstitucionalUniSoma Institucional
UniSoma Institucional
 
Soluções de Negócios ITPM
Soluções de Negócios ITPMSoluções de Negócios ITPM
Soluções de Negócios ITPM
 
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIGLean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
 
Software overview portuguese
Software overview portugueseSoftware overview portuguese
Software overview portuguese
 
Gestao de Serviços de TI - 2009
Gestao de Serviços  de TI - 2009Gestao de Serviços  de TI - 2009
Gestao de Serviços de TI - 2009
 
Fabricas digitais techday
Fabricas digitais   techdayFabricas digitais   techday
Fabricas digitais techday
 
Operador Administrativo
Operador AdministrativoOperador Administrativo
Operador Administrativo
 
Gerenciamento da rotina manual de implementação
Gerenciamento da rotina   manual de implementaçãoGerenciamento da rotina   manual de implementação
Gerenciamento da rotina manual de implementação
 
Conceitos Ae
Conceitos AeConceitos Ae
Conceitos Ae
 
I Forum GSTI - Marcos Andre
I Forum GSTI - Marcos AndreI Forum GSTI - Marcos Andre
I Forum GSTI - Marcos Andre
 
Lessons learned(6) cactus extractus 50
Lessons learned(6) cactus extractus 50Lessons learned(6) cactus extractus 50
Lessons learned(6) cactus extractus 50
 
Pax Managed Applications [PMA]
Pax Managed Applications [PMA]Pax Managed Applications [PMA]
Pax Managed Applications [PMA]
 
Apresentação Minerva
Apresentação MinervaApresentação Minerva
Apresentação Minerva
 
NEC Brasil, T&T Solutions
NEC Brasil, T&T SolutionsNEC Brasil, T&T Solutions
NEC Brasil, T&T Solutions
 
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel PimentelScrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
 

Encontro dos integradores 2012 v01

  • 1. PALESTRANTES: ANDRÉ VIEIRA / OTÁVIO VIEIRA
  • 3. Desafios Tradicionais de Manufatura • Dados de chão de fábrica tipicamente usados somente para controle e visualização – Tipicamente não são utilizados para analizar/melhorar os processos de manufatura • Utilizar os sistemas de controle para habilitar os sistemas de visualização, análises e melhorar a disponibilidade dos dados – Um relatórios simples e um dashboard para identificar as origens de motivos de paradas • As áreas funcionais dentro da planta operam de forma autônoma – Visibilidade limitada dentros de uma área funcional (ex: processo, empacotamento, etc.) – Para melhorar realmente a produção, visibilidade/relatório/dashboards “através da planta” é necessário dar contexto A produção pode saber que eles produziram 100 unid, EXEMPLO mas sem os dados de qualidade, ninguém terá a informação que houve uma taxa de 20% de rejeitos
  • 4. Ilhas de Informação: Encontradas em múltiplos banco de dados Autalmente em quantos sistemas será necessário buscar uma informação para se fazer um simples cálculo como a possibilidade de se produzir 900 unidades neste turno? Qual a 900 Qual é a Qual é a 150 10 mins Qual é o 132 5 rejeitos 95% média Qual é o Qual é a unidades capacidade? unid/hora paradas aprovado meta? Plano? unid/hora padrão / /hora indice de qualidade? turno? rejeitos? Gerencia Manutenção Planejamento Operação Operador Qualidade Nós Produção do Turno Atual = 800 unidades vamos Tempo restante = 1 hora SIM! atingir as Capacid. 150 * 50/60 Meta =900 132 * 50/60 110 – 5 105 * 95% = metas? unid =150 unid = 125 unid = 110 unid = 105 unid 100 unid Asset Ctrl Ctrl ERP Schld LIMS Mgmt Sys Sys Gerente da Planta
  • 5. Manufatura 2.0 Revolução Industrial Revolução da Informação Velocidade Valor Escala Silos M1.0 Inovação Colaboração M2.0
  • 6. Tecnologia é a Barreira GESTÃO ERP EXECUÇÃO DA MES PRODUÇÃO 2.0 Manufatura 1.0 OPERAÇÃO AUTOMAÇÃO
  • 7. Manufatura 2.0 Porque as companhias estão adotando a Tecnologia da Manufatura 2.0? • Melhoria da eficiência dos negócios: 74% • Ser mais competitivo frente a concorrência: 64% • Solução para problemas específicos: 53% • Recomendação de um parceiro: 53% • Solicitação de um funcionário: 45% • Busca de serviços agregados: 25% Fonte: Forrester Research
  • 8. Top Priorities para os Fabricantes Operations Excellence Programs 22% Managing Supplier Quality, Compliance & Performance 17% Providing Mfg with Accurate, Timely Demand Forecasts 13% Asset Performance Mgmt and Reliability Centered Maint Programs 10% Providing Real Information on Mfg Costs, Capabilities and Capacity 8% Providing Visibility on Up-to-date Inventory, Capacity and Constraints 7% Defining Relevant and Interdependent Metrics 7% AMR Research 2009 Cada uma destas prioridades requer informação do chão de fábrica
  • 9. ISA S95 – Modelo para MES Nível 4 Planejamento, Programação, ERP, MRP, CRM Finanças, Marketing, Vendas, Planejamento de Gerenciamento de Material, Negócio e Logística Recursos Humanos Nível 3 Gerenciamento da Definição e MES, PIMS Recurso, Programação Detalhada, Gerenciamento da Execução, Acompanhamento, Operação de Fabricação Coleção de Dados, Análise de Processo e Produto Nível 2 Supervisório, Aquisição de SCADA Dados, Visualização Controle Controle Controle Contínuo Discreto Batch Sistemas de Controle, Nível 1 Redes, Coleta Manual Nível 0 Equipamentos industriais Sensores, Atuadores 9 Copyright © 2010 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 10. Ilhas de Informação Cada área funcional da planta gera dados… …Estes dados isolados tipicamente criam “Ilhas de Informação” Gerente da Planta • Lucratividade • Utilização / Capacidade • Alocação de Ativos • Energia Planejamento Produção •Planejamento de Produção •Utilização / Capacidade •Capacidade de Entrega Operador • Máquina rodando • Performance / Tempo Ciclo • Qualidade Planejamento Logístico Manutenção • Facility Systems • Monitoramento Máquina • Embarque • Preditiva / Preventiva • Controle de estoque •Planejado e não planejado
  • 11. O que é Inteligência de Manufatura ? • Manufacturing Intelligence – Software usado para trazer a uma corporação dados da manufatura vindo de várias fontes de dados com o propósito de gerar relatórios, fazer análises e visualização. – Dados combinados de múltiplas fontes podem ser colocados num contexto que irá ajudar ao usuário a encontrar o que ele precisam, indepdendente de onde os dados são originados. – O primeiro desafio é transformar o dados em conhecimento real (informação), e direcionar os resultados para tomadas de decisões. knowledge. Source: Wikipedia http://en.wikipedia.org/wiki/Enterprise_manufacturing_intelligence + = MELHORAR Tomada de Decisão
  • 12. Inteligência da Manufatura: Feche o loop de tomada de decisões Informação é produzida em cada área da planta, mas às vezes inacessíveis a outras áreas da planta. Vamos focar em três papéis mais comuns…. Plant Management Scheduling Finance Operator Planning & Logistics Maintenance
  • 13. O que os dados lhes dizem? A informação alcança cada nível da companhia? Como você esta usando os dados para otimizar a produção … e incrementar a lucratividade? Plant Management Planta típica Máquina Linha 1 em Falha Scheduling Quality Finance Operator Operator Planning & Logistics Maintenance Produtos Acabados Clientes
  • 14. Operador no chão de fábrica: “Como minha máquina está funcionando?” O operador poderia se beneficiar em ver as informações de performance da máquina além de ver os gráficos sinóticos na IHM Plant Management Scheduling Quality Finance Quality Work Order Execution Operators Cycle Time Planning & Logistics Maintenance
  • 15. Operador no chão de fábrica: “Como minha máquina está funcionando?” Como minha máquina esta afetando a performance da planta? A falha da Máquima causou 127 min de paradas Avalie as paradas das máquinas para determinar a causa raiz Status da Máquina: enchedora 1 esta offline … resolva o problema imediatamente
  • 16. Manutenção: “Como eu posso melhorar o tempo de máquina rodando?” O departamento de manutenção seria beneficiado se pudesse ver os cliclos de máquina e os tempos de serviços de manutenção Plant Management Scheduling Quality Finance Quality Work Order Accounts Receivable Execution Operators Cycle Time Planning & Logistics Maintenance Increased Uptime
  • 17. Gerente de Manutenção Identificando causas raiz das paradas não programadas Veja aquela Confirme que o 2nd válvula que tem turno está tendo sido um constante problemas problema. Decisões feitas online de parar a máquima e transferir a produção para enchedora em resolver o falha porque a problema. válvula travou.
  • 18. Gerente da Planta “Qual é minha utilização dos Ativos, performance financeira, e OEE em geral?” Asset Utilization Plant Management Scheduling Quality Finance Quality Work Order Execution Operators Cycle Time Increased Uptime Maintenance
  • 19. Gerente da Planta “Qual é minha utilização dos Ativos, performance financeira, e OEE em geral?” Compare a performance… direcione os négócios baseado nestas informações. Transforme os dados em informações importantes
  • 20. Tomada de Decisão baseada na Operação Collect. Confirm. Observe. Validate. Assemble. Act. Detect. Contextualize. Evaluate. Control. Think.
  • 21. A realidade da vida dos Gestores 60% Diretores: “Necessito melhorar minha performance, obtendo e compreendendo as informações, para uma rápida tomada de decisão…. • 42% de transações: baseadas em papel 40% do tempo do IT é gasto • 85% de informação: Não estruturada com • 30% do tempo das pessoas: buscando informação relevante integração Source: Gartner Source: IBM & Industry Studies; Customer Interviews 2004
  • 24. Plataforma de Serviços FT View SE FT Historian FT Metrics FT Batch . . . FactoryTalk Services Oriented Architecture Alarms and Events Diagnostics Activation Live Data Directory Security Audit Lista deCentral de configuração de dados e recursos Servidor Armazenamento de todas Servidor de alarmes e As definições são realizadaslongo as alterações realizadase compartilhadas para Gerenciador de Licenças deque são apenas uma vez os avisos e erros real comumns segurança para todos para toda a linha de Localização central de informações de compartilhados ao todo o sistema de eventos em tempo todos as dos aplicações habilitadas manufatura emsistema os em no FactoryTalk as aplicações componentes dogerados pelo produtos produtos FactoryTalk para todas habilitados manufatura tempo-real sistema
  • 25. FactoryTalk View Studio FactoryTalk View Site Edition Single development environment • Server-based, site-level HMI supports machine level (ME) and site level (SE) applications FactoryTalk View Machine Edition • Built into PanelView Plus Industrial Computers • Can be run on PC for machine-level operator and Monitors interface PanelView Plus 6 PanelView Plus PanelView Plus Compact PanelView Component
  • 26. Analise , Controle e Visualização Como integrar o controle a visualização? Estações de Operação IHMs de campo Ethernet/IP como Backbone ÚNICA ferramenta para criação de telas para as Estações de Operação e IHMs de Campo
  • 27. FactoryTalk View SE Arquitetura Cliente- FactoryTalk View SE Station Servidor, com ou Supervisório Stand Alone sem redundância – FTViewSE Server e Clients FactoryTalk View ME Solução para IHMs – PANELVIEW PLUS Para todas as arquiteturas há uma única ferramenta de desenvolvimento: FTView Studio
  • 28. Programação Lógica Desenvolvimento das telas de operação Tags são criados Al le n -Br ad l ey P an e lV ie w QUA L T Y I uma única vez e compartilhados por toda a arquitetura Base de dados ÚNICA
  • 29. Como os tags são encontrados e utilizados? Areas encontradas no FT Directory • Via FactoryTalk tag browser: • Localiza e seleciona tags através do RSLinx, Servidor OPC, ou em outros FTView Servers localizados na rede (Usando o FT Directory) • O mesmo browser é utilizado em vários produtos da Itens selecionados plataforma FT • Faz referencia aos tags do: – ControlLogix – Outros OPC servers Nome completo que será – CLP5 ou SLC500 utilizado pelas estações clientes – Tags do FTView localizado em outros servers
  • 30. Arquitetura Cliente-Servidor Como modificar as telas em online? Modificações nas telas de operação são feitas na Estação de Engenharia, armazenadas no Servidor e mostradas nos clientes. TUDO SEM PARAR NADA!
  • 31. Arquitetura Modular O usuário deseja copiar uma linha ou máquina e gostaria de aproveitar aquilo que já foi desenvolvido. A hierarquia dos diretórios faz com que os nomes de tags, alarmes e telas sejam únicos. Client Client HMI server HMI Server Display: Display: Overview Overview Data Server Data Server Area 1 Area 2
  • 32. Logs de Diagnósticos na plataforma FactoryTalk • O FactoryTalk Diagnostics permite coletar, guardar e examinar os logs de diversos produtos da plataforma FactoryTalk em uma única base de dados. Tratamento tradicional de diagnósticos Diagnósticos no FactoryTalk
  • 33. FactoryTalk Security • Políticas que definem como a segurança será implementada no sistema. • Computer accounts: definem quais computadores podem acessar os recursos de automação. • User accounts: definem quais usuários podem acessar os recursos de automação. • Networks and Devices: permite fazer o controle de acesso ao hardware de controle.
  • 34. Método tradicional - Alarmes Operação Cada Máquina de operação pergunta individualmente os alarmes OPC Server Timestamps estão nos Computadores
  • 35. FactoryTalk View Alarmes e Eventos no Controlador Máquinas de Operação tem o Sumário de alarmes sem configuração adicional A&E Server O A&E Server RSView HMI Server verifica os controladores Estado do Alarme está sendo controlado pelo ControlLogix Alarm Alarm Detection Detection
  • 36. Ladder Diagram Function Block Diagram Structured Text Digital Alarm Analog Alarm
  • 37. Configuraçao do RSLinx Enterprise para Alarmes e Eventos Clique para habilitar o • O Set up do RSLinx Enterprise é Linx Enterprise para coletar os alarmes muito simples. Selecione o nível de prioridade para os alarmes. Selecione uma base de dados para guardar o histórico de alarmes.
  • 38. Alarmes Via RSLogix V16 configure os limites de alarme, Mensagem do alarme, criticidade, etc... Comando para o Factory Talk View via RSLogix ( bloco de Alarme )
  • 39. Acknowledge Ack page Suppress Status w/comment Explorer Run View acknowledge Command Print Select Filter In Alarm / In Alarm / Normal / UnAck Ack UnAck Number of Faults / Events Display List
  • 40. Redundância • É possível replicar as modificações feitas no Servidor Primário para o Servidor Secundário através do FactoryTalk View Studio. • A opção ‘Switchover’ permite determinar o servidor ativo após o reestabelecimento de uma falha. – Manter Servidor Atual: o sistema continuará usando o Servidor secundário quando o Servidor primário se tornar disponível. – Chavear para Primário: o sistema automaticamente faz o chaveamento de um Servidor secundário ativo para o Servidor primário, quando este se tornar disponível.
  • 41. Redundância • O Chaveamento manual (Controlled Switchover) permite ao usuário mudar o status de um servidor de ativo para Standby – Útil para manutenção, como instalação de novos softwares, patches, sistema operacional ou mesmo manutenção de hardware.
  • 42. FacePlates Control Logix I/O Devices Networks Application Faceplates permitem integração com a Arquitetura Rockwell Automation e Dispositivos
  • 43. Objetos Globais • Facilidades para trabalhar com múltiplos objetos globais utilizados em um única tela ou aplicação. – Você pode customizar cada referência ao objeto com tags especificas sem necessariamente quebrar o link entre o objeto global e o de referência. – Isto significa que cada objeto referência pode ter seus próprios tags e entretanto manterá o seu vínculo com o o objeto global.
  • 44. Biblioteca de Objetos (Symbol Factory) Mais de 4000 objetos
  • 45. Suporte Gráfico Melhorado Implementação Antiga Implementação Atual • Animação de preenchimento • Animação de preenchimento “Sólido” – Com opção de “Sombreamento” • Animação “Blink” – Com opção de “Sombreamento” – Com “Original” sem estado de “blink”
  • 48. FactoryTalk ViewPoint Overview • Agora também Solucão de Cliente para FTView e PanelView Plus • Adicionados capacidade para projetos de FTView para ser utilizado no web browser. Totalmente Animados Permite adaptar a qualquer tamanho de telas Fácil de Usar
  • 49. FactoryTalk ViewPoint Benefits • Lowers Total Cost of Ownership – Client is an Internet Browser with small plug-in – No client software to install & maintain • Extends visualization & real-time decision capabilities to browser-based remote users – Plant managers & supervisors – Mobile personnel – OEM’s & System Integrators • Provides convenient access from anywhere – In the office – At Home – On the road • Supports multiple browsers / devices – Internet Explorer, Firefox, Safari
  • 50. FactoryTalk ViewPoint Server – SE Network FactoryTalk View SE FactoryTalk ViewPoint Web Clients with Browser Thick Clients Information Network FactoryT alkViewPoint Server FactoryTalk View SE Server FactoryTalk View SE Server Control Network Maximum of 50 combined FactortTalk View SE and FactoryTalk ViewPoint Client Connections
  • 51. FactoryTalk ViewPoint Server – SE Local FactoryTalk ViewPoint Web Clients with Browser FactoryTalk ViewPoint Server FactoryTalk View SE Local Station Maximum of 10 FactoryTalk ViewPoint Client Connections on Windows XP
  • 52. FactoryTalk ViewPoint Server – PanelView Plus FactoryTalk ViewPoint Web Clients with Browser FactoryTalk ViewPoint Server PanelView Plus, Plus CE & PanelView Plus 6 1 FactoryTalk ViewPoint Client Connection on PanelView Plus
  • 53. Experiencia Interativa através de Browser • Grafico de Alta Qualidade • Animação completa • Atualização em Tempo-Real • Telas “redimensionadas” • Navegação original preservada • Navegação através das funcionalidades do browser • Suporte a Parametros e Objetos Globais • Suporte a telas “ancoradas”(docked) • “Trends” em tempo-real http://[ComputerName]/FTVP • Alarmes em tempo-real
  • 55. O FactoryTalk Transaction Manager (RSSQL) é um software utilizado para executar e gerenciar transações (troca de informações) entre o chão de fábrica (Sistemas de Tempo Real - Controladores Lógicos Programáveis) e bases de dados relacionais (utilizadas nos softwares corporativos - ERP/SAP).
  • 56. FactoryTalk Transaction OLE-DB RSLinx User Control FactoryTalk RSView32 Interface Manager Compression FactoryTalk OPC ODBC Oracle User Interface COM+ Files Configuration Server
  • 57. P: O que é uma Transação (uma Configuração no FTTM é composta de transações)? R: Dados e regras para sua manipulação, controlados por um gatilho e gerenciadas em conjunto. SQL Server Oracle Sybase • Um bit no sistema de controle dispara a Outros transação. • Dados do sistema de controle são coletados e inseridos no banco de dados. • Exemplo: – “Temperatura” “Peso” e “Quantidade Consumida” são logados no banco de dados, com time stamp, a cada fim de lote. • Isto é um registro de dados ou uma transação unidirecional.
  • 59. Historiadores – Conceitos Historiadores – Tipos de bancos Armazenam informações baseadas em estratégias de gravação previamente definidas em bancos de dados: Existem dois modelos de bancos:  Relacionais: Constituído de tabelas as quais são definidas relações entre as mesmas. EX: O empregado Pedro é uma instância (registro) da tabela funcionário, e a função Analista Comercial é a instância (registro) da tabela cargo. Uma associação entre estas duas tabelas criaria a seguinte instância de relacionamento: Pedro é Analista Comercial, onde o verbo ser representa uma ligação entre os registros distintos. Montagem de relatórios e acesso não é imediato dependendo destas relações entre variáveis.
  • 60. Historiadores – Conceitos Historiadores – Tipos de bancos  Temporais: Armazenam informações baseadas em estratégias de coleta e compressão. Os dados são armazenados para representar a tendência, com significativa redução de espaço: Métodos Utilizados: A compressão de dados é um processo de duas etapas para reportar mudanças por exceção e armazenar somente o que é necessário para reproduzir ao máximo a tendência dos dados originais.
  • 61. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Métodos de armazenagem dos dados Quando um valor passa por este teste, ele e o valor anterior são reportados. – Por quê? Para ter uma melhor representação do comportamento do Tag.
  • 62. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Métodos de armazenagem dos dados No teste de Compressão O algoritmo “swinging door” é utilizado para determinar quais valores serão necessários para reproduzir a tendência, Atua nos ajuste entre os dois pontos.
  • 63. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Métodos de armazenagem dos dados
  • 64. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Configurando o FT Historian • Passo 1: Selecione o novo Historiador e sua propriedades bem como os tags. • Passo 2: Selecione a fonte dos dados e onde a aplicação ira procurar os tags. • Passo 3: Selecione os pontos de interesse.
  • 65. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Configurando o FT Historian – Def. estratégias de coleta pelo PI MangTools Definir as estrategias de coleta
  • 66. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Configurando o FT Historian – Relatórios Temporais no Excel - pelo PI Visualizando no FTView SE
  • 67. Historiadores – Conceitos Historiadores – Temporal - PI Configurando o FT Historian – Relatórios Temporais Via FT View
  • 68. • Um sistema completo, de prateleira, para coleta de dados, armazenamento e análises sofisticadas • Configurável e Modular • Coleta de dados confiável, 24/7, de dispositivos de diversos fornecedores • Armazenamento dados temporais em base otimizada • Geração de relatórios via Excell, FactoryTalk View SE ou ProcessBook, • Produto já consolidado no mercado PI – OSI
  • 69. Quais podem ser os clientes: FactoryTalk Historian SQC ProcessBook Add-in – Single User N/A E2 9518-HSAENE FactoryTalk Historian ProcessBook Authoring Client – Single User N/A E2 9518-HPBENE FactoryTalk Historian DataLink Excel Reporting Tool – Single User N/A E2 9518-HDLENE
  • 70. Historiador - Backplane Logix FactoryTalk Historian ME FactoryTalk Historian Site •Edição de maquina ( rack CLP ) Edition •Armazenagem temporaria: a memoria •Edição de planta (PC SERVER) Flash •Armazenagem permanente •Coleta dos dados depende do Controlador: – Depende da capacidade do HD; •Coleta de dados pelo Backplane – Possibilidade de definir estrategias de backup; – Scan rates menor que 10 msec •Possibilidade de redundancia; – Se houver a necessidade de manter a coleta •Historian e sistema OP incluso no Modulo independente do sistema; – Não é necessario OS para mautenção •Coleta dos dados depende da rede; •Capacidade completa do Historiador – Tempos de coleta da ordem de 100-250 msec – Inclusos calculos basicos de engenharia max como totalizadores de performance e – Conectividade com terceiros “3rd-party connectivity” calculos estatísitcos; – “DA component” (OPC, OLE DB) •Baixo custo de desenvolvimento •Windows server-based historian – Configuração facil via explorer; – Necessidades de manutenção do windows; Capacidades de armazenamento • Caracteristicas de Historiadores # of Scan 1 GB 2 GB – Calculos avançados Tags Rate Storage Storage • Via VB.Net; 2500 1/seg 1 dia 3 dias • Ferramentas de analises; 500 1/seg 1 mes 3 mes 100 1/seg 1 mes 3 mes 100 1/min +1 ano +3 anos
  • 73. MAIS SIMPLES  Data Source  Controller Tags  HMI Tags  Collection  On Historian Historian Server through HMI Server Interface on the same node  Storage  On Historian Server  Display Controller  HMI Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 74. SIMPLES Interface Node  Data Source • Offloads collection  Controller Tags • store-n-forward • Deadbanding done  HMI Tags here • Can consolidate Data  Collection Collection for HMI too  On Interface Node HMI Interface Historian HMI Server node Server  Storage  On Historian Server  Display  HMIs  Now with HMI Server Controllers Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 75. OPÇÃO DE REDUNDÂNCIA  Data Source Redundancy  Controller Tags • All the capabilities of an  HMI Tags Interface Node • Now with failover to protect data collection  Collection  On Redundant Interface Nodes HMI HMI Server Interface nodes Historian Server  Storage  On Historian Server  Display  HMIs  Now with HMI Controller Server Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 76. OPÇÃO DE ALTA DISPONIBILIDADE  Data Source High Availability  Controller Tags • Multiple Historian servers available for  HMI Tags clients - collective • Now with failover protection for reporting  Collection  On Redundant Interface Nodes HMI Servers Interface Historian Servers HMI nodes  Storage  On Historian Server  Display  HMIs  Now with HMI Redundant Servers Controllers Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 77. Analysis CAMADA DE ANÁLISE DOS DADOS • Add EMI to review data for long periods of time • Trends, Dashboards,  Data Source Excel Reports VantagePoint Server  Controller Tags  HMI Tags  Collection  On Redundant Interface Nodes HMI HMI Server Interface nodes Historian Servers  Storage  On Historian Server  Display  On HMIs  VantagePoint EMI Controllers Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 78. CAMADA DE ANÁLISE DOS DADOS – VÁRIOS HISTORIADORES  Data Source VantagePoint Server  Controller Tags  HMI Tags  Collection  On Redundant Interface Nodes  Storage  On Historian Server  Display  HMIs  VantagePoint EMI Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 79. CAMADA DE ANÁLISE DOS DADOS Historian Enterprise Edition VÁRIOS SITES • Enterprise Historian with multi site  Data Source aggregation capability and enterprise visibility  Controller Tags VantagePoint Historian EE Server  HMI Tags Server  Collection  On Redundant Interface Nodes  Storage  On Historian Server  Display  HMIs  VantagePoint EMI Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 80. Historian ME HISTORIADOR NO RACK DO • Store & Forward to a CONTROLADOR Plant Historian • Trends, Dashboards,  Data Source Excel Reports connect VantagePoint Historian EE directly to the module  Controller Tags Server Server  Collection  On a ControlLogix module over a backplane  Storage  On Historian ME & forward to Historian SE for persistent storage  Display  VantagePoint EMI HistME Copyright © 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.
  • 82. • Uma ferramenta gerencial para auxiliar a otimizar a eficiência dos processos produtivos • Gerencia seus KPIs, tais como: – OEE = Overall Equipment Efficiency – OEE = Disponibilidade * Performance * Qualidade • Identifica: – Problemas de Eficiência – Causas de Paradas – Eventos de Produção
  • 83. FactoryTalk MSSQL Servidor Tipos de Clientes Data Model 2005 FactoryTalk FT Production Metrics Server Server FT View / Active X FactoryTalk Transaction Manager MS Report Services FactoryTalk Windows Client Live Data Server MS Visual Studio MSRS Report Builder Quick Web / Report Expert
  • 84. Indicador de Performance OEE – Overall Equipment Effectiveness (Eficiência Geral de Equipamento) OEE = A * P * Q A – Availability (Disponibilidade) P – Performance (Desempenho) Q – Quality (Qualidade)
  • 85. Intervalo de Tempo Exempo de Perdas Indicadores de Performance Almoço / Jantar Parada Tempo Disp.= Intervalo de Tempo Tempo Disponível Tempo Indisponível Reuniões / Manutenc. Falha do Equip. Máquina Parada Tempo Disponibil.= Tempo Maq. Rodando Máquina Rodando Tempo Disponível Setup & Ajustes Velocidade Tempo Produção Perdas de Redução Velocidade Performance = Total x Ciclo Ideal Velocidade Máquina Rodando Efetiva Var. Tempo Ciclo Rejeições Rejeições Qualidade Qualidade = Produzido - Rejeitado Produção Produzido Problema Mat .Prima Capacidade OEE = Disponibilidade x OEE Perdida Performance x Qualidade
  • 86. Coleta de eventos, análise e monitoração da eficiência Suporta iniciativas de melhoria de processos Relatórios flexíveis e customizáveis Informação disponível via web
  • 88. Visualização via Web: muito mais que um portal
  • 89. …pode ser aplicado a qualquer sistema ou equipamento que se queira conectar para gerar relatório ou tabelas de visualização de processo ou informação relacionada às atividades da empresa…
  • 90. Dados da Manufatura Plant Floor Systems Production Systems ERP PLC Historian DCS HMI Laboratory SPC MES EAM Scheduling ERP SoCAl Suppliers Area 1 Area 2 Area 3 Customers Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 90 90
  • 91. Silos de Informação Business Context Process History Execution Plan Statistics View Operator View Maintenance Quality View Quality View Plant Area 1 Plant Area 2 Scheduling PLC Historian DCS HMI Laboratory SPC MES EAM Scheduling ERP SoCAl Suppliers Area 1 Area 2 Area 3 Customers Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 91 91
  • 92. Unified Production Model (UPM) ISA 88/95 Model Reflects Unified Production The Business Model Open O&M B2MML ProdML PLC Historian DCS HMI Laboratory SPC MES EAM Scheduling ERP SoCAl Suppliers Area 1 Area 2 Area 3 Customers Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 92
  • 93. Serviços de Análises de Dados Schedule React Analysis Calculate Aggregate Unified Production Model ERP Maintenance Lab PLC Historian HMI DCS MES Scheduling SPC SoCAl Suppliers Area 1 Area 2 Area 3 Customers Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 93
  • 94. Serviços de Visualização Trend Portal Visualization Reports Excel KPIs Dashboards Analysis Unified Production Model ERP Maintenance Lab PLC Historian HMI DCS MES Scheduling SPC SoCAl Suppliers Area 1 Area 2 Area 3 Customers Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 94
  • 95. Modelo de Negócio & Fontes de Dados Modelo de Dados com Fonte de Dados FT VantagePoint Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 95
  • 96. Dashboard - Gerencial KPI de Equipamentos Drill Down para analisar Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 96
  • 97. Melhorar Eficiência dos Equipamentos: OEE Ver Metrics Data de VantagePoint Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 97
  • 98. Melhorar Eficiência dos Equipamentos: Disponibilidade Foco em Disponibilidade Por Area Por Turno Data de PLC, Source: PLC 104, OSI Line 102 Aggregation VantagePoint OSI & VantagePoint Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 98
  • 99. Melhorar Eficiência dos Equipamentos: Causas Foco em Problema Parada Identificar Causas Por Turno Data de PLC, Source: PLC 104, OSI Line 102 Aggregation VantagePoint OSI & VantagePoint Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 99
  • 100. Melhorar Eficiência dos Equipamentos: Diagnóstico Analisar o Problema Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 100
  • 101. Melhorar Qualidade de Produtos: Integrado a LIMS Drill Down data Data de LIMS Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 101
  • 102. Melhorar Qualidade de Produtos: Integrado a LIMS Teste de Resultados Individuais Data de LIMS Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 102
  • 103. Análise de Produção: Tendências Zoom Synchronize Pan Batches / Turnos PLC102 Well1 Publicar na WEB e Compartilhar OSI PI Well2 Shift 1 Shift 1 - Selecionar Produtos e Equipamentos Shift 2 Shift 2 - Qualquer fonte de dados - Fazer o Diagnóstico e análises Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 103
  • 104. Tendências – múltiplos períodos de tempo • Suporte de tendências, multiplo s periodos de tempo (x-axis) • Permite que variáveis sejam comparadas em diferentes períodos de tempo Período Tempo 1 Período Tempo 2 Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 104
  • 105. Tendência – golden batch • VantagePoint pode referenciar um „set‟ de dados como „golden‟. • Esta figura mostra uma tendência em tempo real a qual e escrita sobre o “golden batch” O dado “golden batch” é escrito como traço de fundo. Copyright © 2008 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. 105
  • 107. GERENCIAMENTO DE ATIVOS Cada ativo, não importa o tamanho, está sempre ligado a outros ativos. Mesmo o menor problema pode afetar toda a operação!
  • 108. Disaster Recovery for Generic FTP Devices Disaster Recovery for Siemens S7 Disaster Recovery for Siemens S5 Disaster Recovery for Remote Computers Process Device Configuration (PDC) w/Field Edition Calibration Management Disaster Recovery for ABB Robots Disaster Recovery for Motoman Robots Disaster Recovery for Fanuc Robots Number of Assets Disaster Recovery for Rockwell Automation Includes 10 Assets FactoryTalk® AssetCentre Server System Core Capability Assets
  • 109. Gerenciando as Mudanças Controle de Acesso Prevenção Autenticação Controle Arquivo/Versões Responsabilidade Auditoria Detecção Verificação/Recuperação Reconciliação Relatórios
  • 110. “Gerenciando as Condições de vibração” Plug-In Monitoramento de Motores
  • 114.  Novos suportes – Versão - 4.1:  Processadores Siemens ( Ethernet Industrial):  Disponibiliza todos os recursos de Archieve ;  “Disaster Recovery backup e compare” , nao „e necessario instalar o Step 7 no servidor; Compare é por tamnho e estrutura, voce pode selecionar quais od FB‟s e DB ele ira comparar,.
  • 115.  Outros recursos:  Backup FTView SE Server;  Backup Remote Computer ( outros sistemas de supervisao ) ;  Ferramenta de Backup e restore do banco;  Pvplus : Archieve e Backup e acesso ao Audit ( 21CFR Part 11)
  • 116. Segurança e Controle de Acesso Auditoria Gerenciamento de Mudanças e Controle de Versões Backup e Recuperação de Desastres Configuração de Instrumentação Gerenciamento de Calibração

Notas do Editor

  1. The ISA S95 Standard for Enterprise-Control System Integration defines interfaces between applications at the Industrial Control Level and applications at the MES (Manufacturing Execution Systems) Level. As such, it bridges the gap between control-level communications which are typically implemented using OPC, and business-level applications using EDI and various B2B standards.Neste slide, podemos ter claramente identificado GAP entre o Chão de Fábrica e ERP –O ERP traz a visao financeira/contábil e camada MES (leve 3) é que faz a TRADUCÄO para uma visão de Fabrica(Chao de fabrica)
  2. In some cases, we simply lack the information we need. It’s hard to obtain, difficult to extract from people and systems where it lies in enumerable different forms and formats. In other cases, we are flush with information – far too much to absorb and in a form that is difficult to boil-down to the essential needed to address a specific problem.Sometimes we can get the information and in sufficiently focused form – but not in time. How often do executives and management feel that they could have made a better decision, “If they had only known …?”
  3. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  4. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  5. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  6. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  7. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  8. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity
  9. JUST A NOTE, THERE ARE MORE COMPONENTS, ActiveDirectory Servers, FT Directory Servers, etc. that are not drawn on the architecture slides for simplicity