Neurofisiologia cefaleia

3.655 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.655
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
102
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neurofisiologia cefaleia

  1. 1. ITPAC – Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Faculdade de Medicina Andressa Miranda Magalhães Paula Martins Rodrigues Raiane Braga Milhomem Ricardo Henrique de Barros Lima Filho Wilson Xavier Sampaio Neto
  2. 2.  Reconhecer os tipos de cefaléia e suas áreas de atuação na calota craniana. Identificar as causas que levam a ocorrência de determinados tipos de cefaléia. Compreender a neurofisiologia desta específica sensação somática.
  3. 3. • Existem vários tipos de cefaléia e várias causas para sua ocorrência.• Definição: São um tipo de dor referida para a superfície da cabeça a partir de superfícies profundas da mesma.• Cefaléias resultam de estímulos dolorosos dentro do crânio. Outras se originam fora do crânio, por exemplo, nos seios nasais.
  4. 4. Podemos classificar as cefaléias de várias maneiras (SPECIALI, 1997)
  5. 5.  Cefaléia São as que ocorrem sem etiologia demonstrável pelos exames clínicos ou Primária laboratoriais usuais. São as provocadas por doenças Cefaléia demonstráveis pelos exames clínicos ou laboratoriais. Nestes casos, a dor seria Secundária conseqüência de uma agressão ao organismo, de ordem geral ou neurológica.
  6. 6.  Cefaléias explosivas Cefaléia aguda Cefaléia subaguda Cefaléia crônica
  7. 7.  Os tecidos encefálicos propriamente ditos são quase insensíveis à dor. Corte ou estimulação elétrica de áreas sensoriais apenas ocasionalmente, causam dor. Provável que, a principal causa da cefaléia não seja a lesão de uma região encefálica.
  8. 8.  Todos os tipos de estímulos traumatizantes, esmagamento ou distensão dos vasos sanguíneos das meninges podem causar cefaléia. Estrutura sensível: Artéria meníngea média. Artéria com grande riscos nas anestesias.
  9. 9.  A estimulação de receptores acima do tentório desencadeia impulsos dolorosos na porção cerebral do quinto nervo e causa dor referida na metade frontal da cabeça. Os impulsos dolorosos da região abaixo do tentório, entram no SNC através dos nervos glossofaríngeo, vago e segundo nervo cervical. O estímulo subtentorial causa cefaléia occipital referida na parte posterior da cabeça.
  10. 10. Figura 1 – Áreas de cefaléias resultantes de diferentes causas
  11. 11.  Cefaléia de Meningite• É uma das mais graves, causada pela inflamação das meninges.• O dano causado pela inflamação causa dor extrema referida sobre toda a cabeça.
  12. 12.  Cefaléia Causada por Baixa Pressão do Líquido Cefalorraquidiano• A remoção de 20ml do LCR, principalmente se a pessoa permanecer em pé, causa intensa cefaléia intracraniana. A retirada remove parte da flotação do encéfalo e, seu peso distorce as superfícies durais, desencadeando a dor.
  13. 13. É um tipo especial de cefaléia por consequências de fenômenos vasculares anormais. Os sintomas prodrômicos: náusea, perda da visão de uma parte do campo visual, aura visual e outras alucinações sensoriais. Os sintomais prodrômicos começam entre 30 minutos a uma hora antes da enxaqueca.
  14. 14.  Emoções ou tensões prolongadas causam um vasoespasmo reflexo de algumas artérias da cabeça. O vasoespasmo produz isquemia de porções do encéfalo, e são responsáveis pelos sintomas prodrômicos.
  15. 15.  Uma intensa isquemia, leva a exaustão da contração da musculatura lisa, tornando os vasos sanguíneos flácidos e incapazes de manter o tônus vascular por 24 a 48 horas. A pressão arterial nos vasos dilatam e pulsam intensamente, ocorrendo uma distensão excessiva das paredes das artérias, causando a dor da enxaqueca.
  16. 16.  Outras teorias das causas são: Depressão cortical disseminada Anormalidades psicológicas e vasoespasmo. Pode haver uma predisposição genética. Ocorre duas vezes mais em mulheres que em homens.
  17. 17.  Cefaléia Alcoólica• Abuso de álcool• Oxidação do etanol  Acetaldeído• Efeito tóxico sobre os tecidos• Irritação das meninges• Dor intracraniana• “Ressaca”
  18. 18.  Cefaléia Causada por Constipação• A constipação causa cefaléia em muitas pessoas.• Ocorrem em pessoas cujos tratos sensoriais para dor na medula espinhal foram seccionados.• Resulta da absorção de produtos tóxicos ou alterações no sistema circulatório resultante na perda de líquido no intestino.
  19. 19.  Tensão emocional faz com que muitos músculos da cabeça, especialmente os ligados ao couro cabeludo e outros músculos ligados ao osso occipital, tornem-se espásticos. A dor da espasticidade dos músculos da cabeça é referida nas áreas subjacentes da cabeça gera o mesmo tipo de cefaléia que as lesões intra-cranianas.
  20. 20.  As membranas mucosas do nariz e dos seios nasais são sensíveis à dor, mas não tão intensamente. Porém, a infecção ou outros processos irritativos em áreas disseminadas das estruturas nasais geralmente se somam e causam cefaléias que são referidas atrás dos olhos ou, no caso de uma infecção no seio frontal, nas superfícies frontais da testa e do couro cabeludo. Além disso, a dor oriunda dos seios inferiores, como os seios maxilares, pode ser sentida na face.
  21. 21.   1ª Causa: Contração excessiva dos músculos ciliares dos olhos com o intuito de conseguir uma visão nítida. Cefaléia retro-orbital. Tentativas excessivas de focalização podem  resultar em um espasmo reflexo de vários  músculos faciais e extra-oculares, o que pode ser  uma possível causa da cefaléia.
  22. 22.  2ª Causa: Irradiação excessiva. Olhar para o sol mesmo durante alguns segundos  pode resultar em uma cefaléia que dura de 24 a  48 horas. Algumas vezes resulta da irritação "actínica" da  conjuntiva e a dor é referida para a superfície da  cabeça ou na região retroorbital.
  23. 23.  A  cefaléia  é  um  sintoma  que acompanha  muitas  doenças  graves  como  infecções  do  sistema  nervoso,  tumores,  hemorragias  intracranianas,  isquemias,  vasculites,  trombose  venosa,  entre  outras.  No  entanto,  as  dores  de  cabeça decorrentes de problemas graves como esses são a  minoria. A maioria dos pacientes que apresentam dor de cabeça há  muito  tempo  e  cujas  crises  se  repetem  sempre  com  as  mesmas características possuem alguma forma de cefaléia  primária  (enxaqueca,  cefaléia  do  tipo  tensional,  cefaléia  em  salvas,  etc).  Isso  não  quer  dizer  que  as  cefaléias  primárias  não  tragam  problemas  para  o  indivíduo.  No  entanto, não ocasionam seqüelas.
  24. 24.  Cefaléia e dor de cabeça são sinônimos. A diferença é que  dor de cabeça é uma expressão popular, enquanto cefaléia  é um termo técnico. Cefaléia, como já foi dito, é o mesmo  que dor de cabeça. Existem vários tipos de dor de cabeça. A  enxaqueca é um desses tipos. Por ser uma queixa muito freqüente na humanidade,  médicos de várias especialidades são procurados para essa  finalidade. Os neurologistas são os médicos que mais  freqüentemente se interessam por estudar esse tema,  sendo que alguns se especializam no tratamento das dores  de cabeça (cefaliatras). No entanto, os pediatras, os clínicos  gerais, os ginecologistas e outros especialistas vêm se  interessando em trata pacientes com dor de cabeça.
  25. 25. Figura 2 – Esquema resumido dos sintomas da cefaléia
  26. 26.  Arthur  C.  Guyton,  Jhon  E.  Hall;  tradução  de  Barbara  de  Alencar  Martins  [et.  al.].  Tratado de Fisiologia Médica.  11  edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.  PORTO, Celmo C. Semiologia Médica. 5. Ed. Rio de Janeiro:  Guanabara Koogan, 2005.
  27. 27. Obrigad o!

×