AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE         PROJECTO EDUCATIVO               2009/2013
1
INTRODUÇÃO     O Decreto-Lei n.º 115-A/98 de Maio, alterado pela Lei n.º 24/99 de 22 de Abril, conferiu às Escolas arespon...
CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO                                             Inserção na Comunidade Local   O concelho de Alm...
O Agrupamento                                                                                          1.   ES Anselmo And...
Em cada Escola do 1º ciclo, desenvolvem-se Actividades de Enriquecimento Curricular (AECs)dinamizadas pelas Associações de...
Fig. 4 – Visitas de estudo realizadas no Agrupamento em 08/09.     Fig. 5 - Áreas de desenvolvimento de Projectos.        ...
VALORES E PRINCÍPIOS DO PROJECTO EDUCATIVO     Um Projecto Educativo, para que os seus objectivos sejam verdadeiramente ap...
OBJECTIVOSObjectivo 1: Promover o sucesso, reduzindo retenções e abandono escolar, valorizando o mérito e              a e...
Fig. 7 – Explicitação do item “Outros” do gráfico da figura 6.Nota: Para melhor leitura optou-se pela colocação dos valore...
Considerando tanto os indicadores anteriores como as metas propostas, apontam-se as seguintesmedidas organizativas:       ...
OBJECTIVO 2: Promover um clima de ensino e de aprendizagem que previna situações de             indisciplina, articulando ...
II – Número de alunos sujeitos a medidas correctivas                                       Fig. 10 – Medidas correctivas. ...
Medidas Organizativas                         Actores Educativos Envolvidos     Planificação de actividades a desenvolver ...
OBJECTIVO 4: Incentivar e apoiar o desenvolvimento de projectos nomeadamente na área deEducação para a Saúde.Fundamentação...
Medidas Organizativas                  Actores Educativos Envolvidos   Dinamização de actividades de divulgação de trabalh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projecto Educativo - Escola Secundária Anselmo de Andrade

877 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
877
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projecto Educativo - Escola Secundária Anselmo de Andrade

  1. 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE PROJECTO EDUCATIVO 2009/2013
  2. 2. 1
  3. 3. INTRODUÇÃO O Decreto-Lei n.º 115-A/98 de Maio, alterado pela Lei n.º 24/99 de 22 de Abril, conferiu às Escolas aresponsabilidade, mas também o direito de elaborar o seu próprio Projecto Educativo. Este é o documento«no qual se explicitam os princípios, os valores, as metas e as estratégias segundo os quais a escola sepropõe cumprir a sua função educativa». Dando cumprimento a esta responsabilidade, no ano lectivo 1998/99, a Escola Secundária Anselmode Andrade teve, pela primeira vez, um projecto Educativo de Escola. A sua construção foi, então, umaoportunidade para pensar a instituição nas suas múltiplas dimensões. Esse Projecto inicial foi sendo actualizado, não apenas por imperativos de natureza legal, mastambém porque ao longo do tempo emergiram novas perspectivas sobre o modo de o conceber,operacionalizar e implementar. Por outro lado, as mudanças ao nível social, cultural e organizacionalderam substância a essas actualizações. De entre as mudanças mais relevantes há a destacar aadaptação do PE aos processos de avaliação das Escolas e dos seus recursos humanos e, em 2007, apassagem da ESAA a sede de Agrupamento. A presente versão do Projecto Educativo de Agrupamento (PEA) obedece ao novo modelo de gestãode Escolas e Agrupamentos de Escolas, pelo que vigorará durante quatro anos lectivos. No entanto, a suaestrutura é suficientemente flexível para permitir ajustamentos anuais, tanto no que diz respeito àactualização da base estatística que suporta os objectivos e metas formalizados, como, porventura, àafinação desses mesmos objectivos e metas. Do ponto de vista dos seus conteúdos, eles exprimem não apenas eixos de intervenção que visammelhorar a qualidade das práticas pedagógicas e os resultados dos alunos, mas apontam também parauma melhoria em termos organizacionais e relacionais. O avanço em termos da qualidade do serviçoprestado é assim concebido como o resultado de boas práticas, assentes numa visão colaborativa dosseus intérpretes. Por fim, o lema do presente PEA, Acolher, Acompanhar e Integrar para Criar Futuro, visa dar corpo aoconjunto de tarefas necessárias para a construção de uma instituição que permita gerar condições decrescimento integral a todos os jovens que a frequentam bem como oportunidades de desenvolvimentoprofissional para todos, independentemente da função desempenhada. 2
  4. 4. CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO Inserção na Comunidade Local O concelho de Almada ocupa uma área de 72Km2. Usufrui de 35 Km de costa, dos quais 13 Kmsão de praias. Localiza-se na Península de Setúbal, nocruzamento da foz do Rio Tejo com o OceanoAtlântico em frente à Grande Lisboa, afirmando-secada vez mais como pólo individualizado esimultaneamente ponto de charneira no contactocom outros espaços. A posição central que detém na ÁreaMetropolitana de Lisboa e privilegiada no País temvindo a ser potenciada com sucessivos ganhos decentralidade que se reflectem a nível do território,das pessoas e das actividades: Fig. 1 - Localização do concelho de Almada.  Diversificação das acessibilidades a nível regional/inter-regional e densificação da rede viária interna, constituindo corredores de circulação de fluxos intensos de pessoas e bens, de serviços e de informação.  Alastramento das manchas de edifícios de habitação.  Crescimento da população.  Grande diversidade de gente e de estilos de vida.  Alguma dinâmica económica, predominando as actividades do sector terciário.  Capacidade atractiva a nível das actividades turísticas, as quais têm vindo a ganhar maior visibilidade devido a diversas intervenções a nível do património histórico, ambiental e paisagístico. Fig. 2 – Área urbana de Almada.  Uma rede de equipamentos sociais diversificada e de qualidade (saúde, cultura, lazer). Os responsáveis pela intervenção municipal têm dado incentivos a projectos de cooperação eintercâmbio no domínio da educação, solidariedade e cultura, incluindo os de âmbito internacional.Quadro 1Alguns Indicadores de Contextualização do Concelho de Almada Indicadores Ano Pragal Almada Almada AML Continente freguesia freguesia concelho População 2001 7 721 19 513 160 826 2 661 850 9 869 343 14 243 Densidade da população (hab/Km2) 2001 3 432 70 899 111 Variação da população (%) 1991/2001 10,5 -13,5 6 5,3 5,3 Taxa de natalidade (por mil) - - - 13,8 12,0 10,8 Taxa de mortalidade (por mil) - - - 10,6 9,6 10,2 Taxa de Crescimento Natural 2001 - - 3,2 2,4 0,6 (por mil) Índice de envelhecimento (%) 2001 62,9 274,9 118,9 104,2 105,5 Dimensão média das famílias 2001 2,9 2,4 2,6 2,6 - Taxa de analfabetismo 2001 - - 6 6 9 Taxa de actividade (%) 2001 53 45 51 48 48 Taxa de desemprego (%) 2001 7,8 9,2 8,4 7,6 6,9 Fonte: Câmara Municipal de Almada 3
  5. 5. O Agrupamento 1. ES Anselmo Andrade 2. EB1/JI Nº 1 Pragal 3. EB1/JI Nº 2 Almada 4. EB1/JI Nº 1 Almada Fig. 3 - Localização das escolas do Agrupamento. As Escolas do Agrupamento Anselmo de Andrade:  Situam-se no concelho de Almada, nas freguesias de Pragal e Almada.  Localizam-se no núcleo mais densamente urbanizado da cidade e do concelho, próximo dos principais centros de decisão económica e política a nível local.  Abrangem, na sua área de influência, espaços construídos diversificados e heterogéneos no que se refere à malha urbana, à época de construção, à morfologia dos edifícios e também a nível social e na ocupação funcional. Englobam áreas que se enquadram nos núcleos mais antigos da cidade de Almada e do Pragal e, simultaneamente, urbanizações recentes, passando por manchas construídas nas décadas intermédias. Trabalham no Agrupamento, para além do pessoal docente e não docente, uma equipa de Docentesde Ensino Especial e uma Psicóloga para Orientação Vocacional. Existe ainda uma Unidade deMultideficiências na EB1/JI n.º 2 de Almada (Quadro 2).Quadro 2Caracterização geral do Agrupamento Número de Número de Número de Número de Níveis de Ensino Educadores/ Assistentes Assistentes Turmas Professores Operacionais Técnicos Pré-escolar 5 5 5 (CMA) 1.º ciclo 22 32 6 2.º ciclo 11 11 2.º ciclo – PCA 1 3.º ciclo 14 3.º ciclo – CEF 2 2.º/3.º ciclo – Curso EFA 2 11 Ens. Sec. – Cursos 35 13 Científico-Humanísticos 141 Ensino Secundário – 3 Cursos Profissionais Cursos EFA Nível 4 Secundário 4
  6. 6. Em cada Escola do 1º ciclo, desenvolvem-se Actividades de Enriquecimento Curricular (AECs)dinamizadas pelas Associações de Pais e Encarregados de Educação, nas áreas de Inglês, ActividadeFísica e Desportiva, Ensino da Música, Apoio ao Estudo e Desenvolvimento Pessoal e Criatividade. Noensino pré-escolar existe também a Componente de Apoio à Família (CAF). Acrescida a esta oferta, a Ocupação dos Tempos Livres (ATL) é assegurada pelas Associações dePais e Encarregados de Educação e funciona igualmente em cada um dos estabelecimentos de ensino do1º ciclo. Na dependência da escola sede está o Centro Novas Oportunidades (CNO) Anselmo de Andrade que,ao longo do primeiro ano de actividade, encaminhou mais de oitocentos formandos e começou já areconhecer e certificar competências, de acordo com os referenciais de competências definidos pelaAgência Nacional para a Qualificação. A equipa deste Centro, é formada por 1 Técnica deEncaminhamento, 4 Técnicos de Validação de Competências e 5 Docentes do quadro em horáriocompleto, para além de outros docentes, que, sendo Formadores, não o são em exclusivo.Quadro 3CNO – Situação Escolar dos Formandos no Ensino Básico e no Ensino Secundário Ensino Básico Ensino Secundário Total Total Total Total Total Estado Escolar Profissional Estado Escolar Profissional Total Estado Inscrito 81 0 81 86 0 86 Em Acolhimento 5 0 5 4 0 4 Em Diagnóstico 42 0 42 77 0 77 Encaminhado Processo 42 0 42 70 0 70 RVCC Encaminhado 36 0 36 79 0 79 Em Reconhecimento 62 0 62 183 0 183 Certificado 26 0 26 32 0 32 Desistente 1 0 1 2 0 2 Transferido 3 0 3 4 0 4 Suspenso 8 0 8 7 0 7 Total 306 544 Nascido por decisão da tutela há cerca de dois anos, o Agrupamento vive ainda um processo deconstrução e consolidação de pontes de ligação entre estruturas físicas, ciclos de ensino, projectoscurriculares, percursos de formação, corpos docentes diferenciados. Vive, em simultâneo, as dificuldadesde ajustamento quer às necessidades educativas de uma sociedade em processo de mutação profunda eacelerada, quer às alterações estruturais emanadas da tutela ao longo dos dois últimos anos e queabrangem regimes contratuais de pessoal docente e não docente, estatutos de professores e alunos,regimes de avaliação de pessoal docente e não docente, sistema de gestão escolar, sistema de “escola atempo inteiro”, sistema de avaliação externa entre outros. O Agrupamento valoriza os protocolos que estabelece com dezenas de instituições, de natureza eintervenção diferentes. É um agrupamento dinâmico, activo e participativo, onde se desenvolvem projectosinovadores em permanente interacção com o meio como o ilustram os gráficos das figuras 4 e 5, relativosàs visitas de estudo e aos projectos desenvolvidos no Agrupamento de Escolas. 5
  7. 7. Fig. 4 – Visitas de estudo realizadas no Agrupamento em 08/09. Fig. 5 - Áreas de desenvolvimento de Projectos. 6
  8. 8. VALORES E PRINCÍPIOS DO PROJECTO EDUCATIVO Um Projecto Educativo, para que os seus objectivos sejam verdadeiramente apropriados edesenvolvidos colectivamente, deve assentar em valores fundamentais que sejam objecto de consenso noseio da comunidade educativa. Os valores e princípios que a comunidade educativa do Agrupamento Anselmo de Andrade tem vindoa eleger como prioritários são os da responsabilidade, da cooperação, da autonomia e doempreendedorismo. Responsabilidade, porque se parte da convicção que o aluno deve assumirprogressivamente as suas responsabilidades, assumindo os seus actos, mas também procurandorecursos e meios para se desenvolver enquanto pessoa; cooperação, pois todos os actores educativosdevem procurar interagir entre si, na procura da concretização de projectos pessoais e do agrupamento;autonomia, porque o aluno tem que fazer escolhas, tem que tomar iniciativas, tem que aprender a gerir oseu próprio tempo e trabalho eficazmente; empreendedorismo, porque o aluno deve aprender a integrar asaprendizagens que faz e assim desenvolver e adquirir competências que o preparem para “criar o futuro”. Esta formação sólida e integral que o Agrupamento quer desenvolver nos seus alunos obriga todos osactores educativos a empenharem-se numa constante melhoria da qualidade educativa e pedagógica. É,por isso, importante que se crie nos estabelecimentos de ensino do Agrupamento um clima favorável aoensino e à aprendizagem; é importante que se trabalhe em equipa, para que se estabeleça coerência nasvárias disciplinas do currículo do aluno e coerência no seu percurso escolar, desde o jardim-de-infânciaaté à conclusão do ensino secundário; é importante trabalhar com as famílias e discutir conjuntamenteprincípios e objectivos pedagógicos, princípios e regras de convivência escolar. Os objectivos que a seguir se enunciam assentam, pois, nestes valores e princípios e implicam aresponsabilidade de cada um e de todos para os implementar, desenvolver e avaliar. Naturalmente que,para isso, o Agrupamento terá que desenvolver acções para identificar as necessidades de formação dassuas equipas pedagógicas, nomeadamente na área das novas tecnologias, e encontrar meios paraassegurar essa formação, para que, assim, o presente projecto educativo possa ser levado a bom termo. 7
  9. 9. OBJECTIVOSObjectivo 1: Promover o sucesso, reduzindo retenções e abandono escolar, valorizando o mérito e a excelência.FundamentaçãoOs alunos não têm todos o mesmo perfil. Há, em todas as turmas, alunos com dificuldades de ordemvariada e alunos mais dotados que nem sempre são suficientemente acompanhados. Uma escola dequalidade tem que contribuir para o desenvolvimento de cada um dos seus alunos e encontrar respostaspedagógicas adequadas ao seu perfil.IndicadoresI – Situação escolar dos alunos Fig. 6 - Situação escolar dos alunos nos dois últimos anos lectivos. 8
  10. 10. Fig. 7 – Explicitação do item “Outros” do gráfico da figura 6.Nota: Para melhor leitura optou-se pela colocação dos valores absolutos nas séries. Fig. 8 – Níveis inferiores a três nos 2.º e 3.º ciclos.Metas A. Não diminuir os níveis de sucesso em cada ciclo. B. Melhorar a qualidade dos níveis de sucesso em cada turma. C. Aumentar a pontualidade e a assiduidade dos alunos da educação pré-escolar. 9
  11. 11. Considerando tanto os indicadores anteriores como as metas propostas, apontam-se as seguintesmedidas organizativas: Medidas Organizativas Actores Educativos EnvolvidosUtilização da avaliação como instrumento Todos os professores.pedagógico ao serviço do sucesso dos alunos.Utilização de recursos educativos adequados àscaracterísticas dos alunos, designadamente as Todos os professoresTIC. Todos os professoresIntrodução de provas comuns a cada ano de Departamentosescolaridade. Directora do Agrupamento AlunosMostra e partilha de experiências educativas Professorespelos docentes e alunos. Directora do Agrupamento Conselho de Directores de TurmaIniciativas de sensibilização junto dos E.E. parauma co-responsabilização no processo de Directores de Turmaaprendizagem. Associação de Pais e Encarregados de EducaçãoDivulgação das regras de frequência e clarificaçãodas rotinas nos jardins-de-infância (guia do aluno Educadores de Infânciado pré-escolar...).Articulação das diferentes valências no apoio a Directores de Turmaprofessores com alunos NEE de carácterpermanente. SPO, Educação Especial, ASE, Equipa de SaúdeDisponibilização de, no mínimo, um bloco horário,comum a todo o pessoal docente, para discussão Directora do Agrupamentode medidas e estratégias educativas.Implementação do regime de tutorias para alunoscom dificuldades de aprendizagem, de integração, Directora do Agrupamentoem risco de abandono, com famílias disfuncionaisou outros.Criação do cargo de coordenador de ACND de Directora do AgrupamentoEstudo Acompanhado e Área de Projecto.Ocupação Plena dos Tempos Lectivos: esgotadaa possibilidade de “permuta” ou “docente comformação adequada”, encaminhar os alunos para Directora do Agrupamentooutras actividades educativas (of. pedagógica,salas de estudo, clubes ou outros recursos).Alargamento dos quadros de mérito e de Todos os professores do 1º cicloexcelência ao 1º ciclo.Promoção de acções internas de formação de Directora do Agrupamentodocentes sobre os programas (áreas curriculares Conselho Pedagógicodisciplinares e não disciplinares. 10
  12. 12. OBJECTIVO 2: Promover um clima de ensino e de aprendizagem que previna situações de indisciplina, articulando a acção de todos os agentes educativosFundamentação A falta de civismo, a violência e a desobediência aos regulamentos da escola são prejudiciais àaprendizagem, ao bom ambiente e ao trabalho da comunidade escolar. Combater e prevenir a indisciplinacontribuirá para a promoção da igualdade de oportunidades para todos os alunos e proporcionará ascondições para um ensino e aprendizagem mais eficaz.IndicadoresI - Número de alunos com participações disciplinares Fig. 9 – Participações disciplinares. A - Comportamentos ofensivos da dignidade pessoal ou profissional do pessoal docente e não docente B - Comportamentos ofensivos da dignidade pessoal dos alunos C - Agressão física a docentes D – Agressão física a outros alunos E – Agressão física a funcionários F - Danos materiais e outros comportamentos que põem em causa a segurança 11
  13. 13. II – Número de alunos sujeitos a medidas correctivas Fig. 10 – Medidas correctivas. A- Ordem de saída da sala de aula B- Advertência C- Realização de actividades e tarefas de integração D- Condicionamento no acesso a espaços escolares E- Mudança de turmaIII – Número de alunos sujeitos a medidas sancionatórias Fig. 10 – Medidas sancionatórias. A consecução desta meta pressupõe a adopção das seguintes medidas: Meta  Reduzir em 5% as ocorrências de indisciplina. 12
  14. 14. Medidas Organizativas Actores Educativos Envolvidos Planificação de actividades a desenvolver nas aulas de Conselho de Turma Formação Cívica. Conselho de Directores de Turma Iniciativas de sensibilização junto dos E.E. para uma Conselho de Directores de Turma co-responsabilização no cumprimento do Regulamento Associação de Pais e Encarregados Interno. de Educação Formação específica para docentes e não-docentes. Docentes e não-Docentes Directora do Agrupamento Criação de um gabinete de acompanhamento dos Directora do Agrupamento casos de indisciplina, integrando o SPO, que se articule com os CTs. Manutenção adequada e melhoria das condições de Directora do Agrupamento utilização dos espaços da escola. Implementar a utilização de espaços diferenciados de Directora do Agrupamento acordo com os ciclos de ensino frequentados.OBJECTIVO 3: Articular currículos e ciclos de estudo.Fundamentação Para responder com eficácia, equidade e adaptabilidade às exigências do currículo nacional, a escolatem que fomentar o trabalho de equipa. Este trabalho permitirá encontrar coerência entre as disciplinas,dar continuidade ao percurso do aluno e compreender o seu desenvolvimento e progresso desde o jardim-de-infância até ao ensino secundário.Indicadores Referencial: Gráficos relativos à situação escolar dos alunos (Figuras 6, 7 e 8). Meta  Implementar práticas de trabalho colaborativo em projectos interdisciplinares e inter-ciclos. A meta apresentada implica as seguintes medidas organizativas: Medidas Organizativas Actores Educativos Envolvidos Realização de diagnóstico de competências dos alunos, no Todos os professores início de cada ciclo de escolaridade. Definição da arquitectura adequada para um trabalho de Departamentos equipa: equipas disciplinares e interdisciplinares. Conselhos de Directores de Turma Conselhos de Escola Conselhos de Ano C. Pedagógico Informação aos EE no início de cada ciclo, do perfil Directores de Turma expectável para o aluno desse ciclo de ensino. Professores do 1.º ciclo Formação inter-ciclos para consolidar a continuidade Directora do Agrupamento pedagógica. 13
  15. 15. OBJECTIVO 4: Incentivar e apoiar o desenvolvimento de projectos nomeadamente na área deEducação para a Saúde.Fundamentação A afirmação e qualidade de um estabelecimento de ensino também se avaliam pela qualidade dosprojectos que desenvolve. O A.E.A.A. é uma escola de projectos entendidos e assumidos como espaço dedesenvolvimento das aprendizagens e promoção da autonomia, criatividade e cidadania. A ligação e oenvolvimento com a comunidade ganham sentido neste contexto.Indicadores Referencial: Gráficos relativos aos Projectos (Figura 5). Meta  Aumentar o número de alunos e de turmas envolvido em projectos. Considerando o indicador e a meta proposta, apontam-se as seguintes medidas organizativas: Medidas Organizativas Actores Educativos Envolvidos Formação: elaboração e mobilização de projectos. Directora do Agrupamento Equipas de professores Desenvolvimento de projectos articulados com as Equipas de professores aprendizagens da sala de aula. Nomeação do coordenador responsável do projecto Educação Equipas de professores para s Saúde. Directora do Agrupamento Articulação do desenvolvimento de acções conducentes à Equipas de professores protecção e promoção da saúde global, com Centros de Directora do Agrupamento Saúde e outras instituições. Parceiros educativosOBJECTIVO 5: Promover a aproximação formativa dos Pais e Encarregados e Educação à vidaescolar dos seus educandos, de modo a potenciar o sucesso e reduzir a indisciplina.Fundamentação Os pais e encarregados de educação são os primeiros educadores do aluno e os principais actores detransmissão de valores às crianças e aos jovens. Eles são também os parceiros educativos privilegiadospara, em colaboração com a escola, contribuírem para promover a igualdade de oportunidades dessascrianças e jovens, em todos os ciclos de escolaridade.Indicadores Referencial: Gráficos relativos à situação escolar dos alunos e de indisciplina (Figuras 6, 7, 8, 9, 10,11). Meta  Aumentar o número de actividades com a participação dos Pais e Encarregados de Educação 14
  16. 16. Medidas Organizativas Actores Educativos Envolvidos Dinamização de actividades de divulgação de trabalhos Todos os professores escolares. Directores de Turma Fomento da participação activa dos encarregados de educação Todos os professores em actividades do agrupamento. Incentivo à actividade das associações de pais. Directora do Agrupamento Organização de sessões temáticas formativas para pais e Directora do Agrupamento encarregados de educação dos alunos dos vários níveis de Todos os professores ensino. Associação de Pais e Encarregados de Educação Promoção de encontros de reflexão conjunta temática entre Directora do Agrupamento pais, professores e funcionários. Associação de Pais e Encarregados de Educação Todos os professoresNota: Os dados relativos a este documento foram trabalhados a partir das pautas definitivas; os dados relativos aoPEA de 2008/09 não incluíam as decisões de Conselho Pedagógico relativos à avaliação e os resultados de exames.Grupo de Trabalho:Lourdes CostaAna MoraisAntónio LopesDeolinda ReisDulce PintoHelena CruzRosário Marques 15

×