SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
96
CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA
CAPÍTULO 9
COORDENADAS POLARES
O plano, também chamado de ℜ2
, onde { }ℜ∈=ℜℜ=ℜ y,x/)y,x(x2
, ou seja, o
produto cartesiano de ℜ por ℜ, é o conjunto de todos os pares ordenados
ℜ∈∀ yex),y,x( . Ele é representado pelo Sistema de Coordenadas Cartesianas
Ortogonal, o qual é constituído por dois eixos perpendiculares entre si, cuja
interseção é o par ordenado O(0,0) , chamado de origem do sistema. Esses eixos são
denotados por Ox e Oy e chamados de eixos coordenados, orientados como mostra a
figura abaixo.
Todo ponto P(x,y) do plano é representado como na figura acima, onde x e y
são as suas coordenadas, respectivamente em relação aos eixos Ox e Oy. Existe uma
correspondência biunívoca entre pares ordenados de números reais e pontos do
sistema de coordenadas cartesianas ortogonais.
No entanto, existe outro sistema de coordenadas capaz de representar o plano.
É o Sistema de Coordenadas Polares, o qual é constituído por apenas um semi-
eixo e, chamado de semi-eixo polar e um ponto de origem p, chamado pólo.
Todo ponto P do plano é representado por um par ordenado (ρρρρ,θθθθ), onde ρρρρ é à
distância do ponto P ao pólo p e θθθθ é o ângulo formado entre o segmento Pp e o semi-
eixo polar. O ângulo θ é medido em radianos a partir do eixo polar e no sentido anti-
horário. Assim, 0≥ρ e π≤θ≤ 20 .
y
x
P(x,y)
(0,0)
(–)
(–)
Oy (+)
(+)
Ox
I
II
IVIII
θ
ep
P(ρ,θ)
ρ
97
Exemplo (1): Representar no Sistema de Coordenadas Polares os seguintes pontos
do plano: a) ),3(P
3
π b) ),5(Q
3
2π c) ),3(R 2
3π
Podemos relacionar o Sistema de Coordenadas Cartesianas Ortogonais com o
Sistema de Coordenadas Polares. Coincidindo a origem O(0,0) do sistema cartesiano
com o pólo p do sistema polar e o semi-eixo polar com o semi-eixo positivo do eixo
Ox.
No triângulo retângulo temos: 222
yx +=ρ e






θρ=⇒
ρ
=θ
θρ=⇒
ρ
=θ
seny
y
sen
cosx
x
cos
. Pode-se
determinar o ângulo θ pelas relações anteriores ou por 





=θ
x
y
arctg , observando os
sinais das coordenadas x e y para definir a qual quadrante pertence o ângulo θ.
Portanto, as relações 222
yx +=ρ e



θρ=
θρ=
seny
cosx
, são consideradas as equações de
transformação de coordenadas entre o sistema cartesiano e o sistema polar.
Exemplo (2): Transformar de coordenadas cartesianas para coordenadas polares os
seguintes pontos do plano: a)








2
5
,
2
35
P b) )1,1(Q − .
Solução: Usando as equações de transformação temos:
),()y,x(P θρ≡
θ
ρ
y
x
Oy
pO ≡
e
Ox
R
2
3π
3
5
3
2π 3
Q
3
π
ep
P
p
98
a) 5
2
5
2
35
yx
22
222
=ρ⇒





+








=+=ρ e









=θ⇒=θ⇒
ρ
=θ
=θ⇒=θ⇒
ρ
=θ
2
1
sen
5
2
5
sen
y
sen
2
3
cos
5
2
35
cos
x
cos
⇒
6
π
=θ . Portanto, ),5(P 6
π .
b) 2)1(1 222
=ρ⇒−+=ρ e







−=θ⇒
−
=θ⇒
ρ
=θ
=θ⇒=θ⇒
ρ
=θ
2
2
sen
2
1
sen
y
sen
2
2
cos
2
1
cos
x
cos
⇒
4
7π
=θ .
Portanto, ),2(Q 4
7π .
Exemplo (3): Transformar de coordenadas polares para coordenadas cartesianas os
seguintes pontos do plano: a) ( )3
4,2P π b) ),7(Q 6
5π .
Solução:
a) Usando as equações de transformação temos:




−=⇒=⇒θρ=
−=⇒=⇒θρ=
π
π
3ysen2yseny
1xcos2xcosx
3
4
3
4
. Portanto, )3,1(P −− .
b) Analogamente para o ponto Q:






=⇒=
−=⇒=
π
π
2
7
ysen7y
2
37
xcos7x
6
5
6
5
. Portanto,








−
2
7
,
2
37
Q .
1 Equação Polar das Cônicas
1.1 Circunferência
Seja uma circunferência, representada no sistema polar, de centro ),(C αδ e raio
r. Seja ),(P θρ um ponto qualquer da circunferência.
Aplicando a Lei dos co-senos no triângulo pCP, temos:
)cos(2r 222
α−θρδ−δ+ρ= , que é a equação polar da circunferência.
p e
ρ
θ-α
α θ
),(P θρ
C
δ
r
99
Alguns casos interessantes são:
a) circunferência que contém o pólo. Neste caso r=δ .
)cos(r2rr 222
α−θρ−+ρ= ⇒ )cos(r2( α−θ−ρ⋅ρ ⇒



α−θ=ρ⇒α−θ−ρ
=ρ
)cos(r2)cos(r2
0
Das relações anteriores vem que: 0=ρ é chamada de equação do pólo e
)cos(r2 α−θ=ρ é a equação da circunferência que contém o pólo.
b) circunferência com centro sobre o pólo. Neste caso 0=δ .
)cos(020r 222
α−θ⋅⋅ρ−+ρ= ⇒ 22
r ρ= ⇒ ρ=r . Portanto, a expressão ρ=r é
a equação da circunferência com centro sobre o pólo.
1.2 Elipse
Considere uma elipse de eixo maior horizontal a2AA 21 = , eixo menor
b2BB 21 = , distância focal c2FF 21 = e centro C(m,n) como na figura abaixo.
Seja ),(P θρ um ponto qualquer da elipse, na qual fazemos coincidir o pólo p
com o foco F1 e o eixo polar com o eixo maior da elipse.
p e
ρ
θ-α
α θ
),(P θρ
C
δ=r
p≡C
e
θ
),(P θρ
ρ=r
A2
),(P θρ
B2
eA1
B1
F1≡p F2
ρ
δ
θ 2c
100
Aplicando a Lei dos cossenos no triângulo F1F2P vem que:
θρ−+ρ=δ cosc4c4 222
. Da definição da elipse temos que a2|PF||PF| 21 =+ ⇒
a2=ρ+δ ⇒ ρ−=δ a2 . Substituindo na expressão da lei dos cossenos vem que:
θρ−+ρ=ρ− cosc4c4)a2( 222
⇒ θρ−+ρ=ρ+ρ− cosc4c4a4a4 2222
. Da relação
notável da elipse 222
cba += ⇒ 222
bca =− . Então: )cosca(ca
2
b
22
θ−ρ=− ⇒
)cosca(b2
θ−ρ= ⇒
θ−
=ρ
cosca
b2
. Portanto,
θθθθ−−−−
====ρρρρ
cosca
b2
, que é a equação polar
da elipse.
Da equação polar
θ−
=ρ
cosca
b2
, dividindo todos os termos do segundo membro
da expressão pela constante a, vem que
θ−
=ρ
cos
a
c
a
a
a
b2
. Fazendo
a
b
p
2
= , chamado de
parâmetro da elipse e
a
c
e = é a excentricidade. Assim, equação polar da elipse é
mais comumente dada por
θ−
=ρ
cose1
p
.
1.3 Hipérbole
Considere uma hipérbole de eixo real horizontal a2AA 21 = , eixo menor
b2BB 21 = , distância focal c2FF 21 = e centro C(m,n) como na figura abaixo. Façamos
coincidir o pólo p com o foco F2 e o eixo polar com o eixo real da hipérbole. Seja
),(P θρ um ponto qualquer da hipérbole.
Aplicando a Lei dos cossenos no triângulo F1F2P vem que:
)180cos(c4c4 o222
θ−ρ−+ρ=δ . Da definição da hipérbole temos que
a2|PF||PF| 21 =− ⇒ a2=ρ−δ ⇒ ρ+=δ a2 . Substituindo na expressão da lei dos
δ
180o
-θ θ
ρ
e
),(P θρ
F1 F2≡pC
2c
101
cossenos: θρ++ρ=ρ+ cosc4c4)a2( 222
⇒ θρ++ρ=ρ+ρ+ cosc4c4a4a4 2222
⇒
)cosca(ca 22
θ⋅+−⋅ρ=− . Da relação notável da hipérbole 222
bac += ⇒
222
bca −=− ⇒ )cosca(ca
2
b
22
θ⋅+−⋅ρ=−
−
. Portanto:
θθθθ−−−−
====ρρρρ
cosca
b2
, que é a
equação polar da hipérbole.
Da equação polar
θ−
=ρ
cosca
b2
, dividindo todos os termos do segundo membro
da expressão pela constante a, vem que
θ−
=ρ
cos
a
c
a
a
a
b2
. Fazendo
a
b
p
2
= , chamado de
parâmetro da hipérbole e
a
c
e = é a excentricidade. Assim, equação polar da hipérbole
é mais comumente dada por
θθθθ−−−−
====ρρρρ
cose1
p
.
1.4 Parábola
Considere uma parábola de eixo de simetria horizontal com vértice V, foco F e
pRF = . Seja P(ρ,θ) um ponto qualquer da parábola. Façamos coincidir o pólo p com o
foco F e o eixo polar com o eixo de simetria da parábola.
No triângulo PQF vem que:
ρ
ρ−
=θ−=θ−
p
cos)180cos( o
⇒
θ−
=ρ
cos1
p
, onde
p é o parâmetro da parábola. Portanto, a equação polar da parábola é
θθθθ−−−−
====ρρρρ
cos1
p
.
OBS: Note que, a elipse, a hipérbole e a parábola têm as equações polares
semelhantes a menos da excentricidade
a
c
e = que para a elipse ( 1e0 << ) e para a
hipérbole ( 1e > ). Outro fato importante é que, apesar de adotarmos os mesmos
símbolos a2AA 21 = , b2BB 21 = e c2FF 21 = para a elipse e para a hipérbole, eles
tem significados geométricos diferentes na definição de cada cônica, mesmo porque a
p-ρ
180o
-θ
(d)
Q
θ
ρ
e
),(P θρ
V
p
ρ
F
≡
R
102
relação notável da elipse é 222
cba += e da hipérbole é 222
bac += . Assim, o
parâmetro
a
b
p
2
= , adotado na equação polar da elipse e da hipérbole é diferente e
não tem nada em comum com o parâmetro p da definição da parábola.
Exemplo (4): Determine a equação geral da circunferência de equação polar
θ−=ρ sen6 .
Solução: Das definições de coordenadas polares vem que 22
yx +=ρ e
θ⋅ρ= seny ⇒
ρ
=θ
y
sen . Substituindo na equação θ−=ρ sen6 vem que:
22
22
yx
y
6yx
+
⋅−=+ ⇒ y6yx
2
22
−=





+ ⇒ 0y6yx 22
=++ .
Exemplo (5): Dada a elipse de eixo maior horizontal e equação polar
θ−
=ρ
cos35
32
,
escrever suas equações paramétricas e a equação reduzida.
Solução: Das definições de coordenadas polares vem que 22
yx +=ρ e
θ⋅ρ= cosx ⇒
ρ
=θ
x
cos . Substituindo na equação
θ−
=ρ
cos35
32
vem que:
ρ
⋅−
=ρ
x
35
32
⇒
ρ
−ρ
=ρ
x35
32
⇒ ρ⋅=−ρ⋅ρ 32)x35( ⇒ 32x35 =−ρ ⇒ 32x35 +=ρ ⇒
22
)32x3()5( +=ρ ⇒ 1024x192x925 22
++=ρ ⇒ 1024x192x9)yx(25 222
++=+
⇒ 1024x192x9y25x25 222
=−−+ ⇒ 1024y25x192x16 22
=+− . Escrevendo na
forma reduzida vem que: 1024y25)3636x12x(16 22
=+−+−⋅ ⇒
1600y25)6x(16 22
=+−⋅ ⇒ 1
64
y
100
)6x( 22
=+
−
(equação reduzida). Como a elipse é
de eixo maior horizontal então:




=⇒=
=⇒=
8b64b
10a100a
2
2
e centro )n,m()0,6(C = . Assim,
suas equações paramétricas são:



θ+=
θ+=
senany
cosbmx
⇒



θ⋅=
θ⋅+=
sen8y
cos106x
.
103
Exercícios Propostos
1) Determine a equação geral da circunferência de centro ),2(C 2
π , sabendo-se que
ela passa pelo ponto ),6(P 6
11π . Resp: 048y4yx 22
=−−+
2) Qual é a equação polar da elipse de equação geral 024y4x24yx4 22
=++−+ ?
Resp:
θ−
=ρ
cos1
1
2
3
3) Seja a hipérbole de equação 0144y16x9 22
=−− . Determine sua equação polar e
as coordenadas polares dos focos. Resp:
θ−
=ρ
cos54
9
, ),5(Fe)0,5(F 21 π
4) Determine a equação polar e as coordenadas polares do vértice da parábola
6x4xy 2
2
1 −+−= .
Resp:
θ−
=ρ
cos1
4
1
e ),52(V θ , onde 




=θ
5
5
arcsen , do 1º quadrante.
5) Seja a hipérbole de eixo vertical e centro na origem, cuja equação polar é
θ−
=ρ
cos75
24
. Determine sua equação reduzida e as equações paramétricas.
Resp:




θ=
θ=
=+
− sec5y
tg62x
e1
25
y
24
x 22
6) Determine a equação polar da elipse



θ+=
θ+=
sen162y
cos203x
. Resp:
θ−
=ρ
cos35
64
7) O foco de uma parábola é o ponto (4,3) e sua diretriz é a reta x = 2. Determine
sua equação polar. Resp:
θ−
=ρ
cos1
2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula transformações de coordenadas
Aula  transformações de coordenadasAula  transformações de coordenadas
Aula transformações de coordenadasellensouza74
 
Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planocon_seguir
 
Exercícios sobre distância entre pontos
Exercícios sobre distância entre pontosExercícios sobre distância entre pontos
Exercícios sobre distância entre pontosMatemática de Graça
 
Interseção planos
Interseção planosInterseção planos
Interseção planosanacdalves
 
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)Danielle Siqueira
 
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo IluminadosTarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo IluminadosRFBH2910
 
Geometria analítica equação da reta
Geometria  analítica equação da retaGeometria  analítica equação da reta
Geometria analítica equação da retaastorfariasbarbosa
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retacon_seguir
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retacon_seguir
 
Trabalho de geometria analítica - SUPERIOR
Trabalho de geometria analítica - SUPERIORTrabalho de geometria analítica - SUPERIOR
Trabalho de geometria analítica - SUPERIORPamella Rayely
 
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabaritoJosé Willians
 
Lista de exercícios produto vetorial produto misto
Lista de exercícios produto vetorial produto mistoLista de exercícios produto vetorial produto misto
Lista de exercícios produto vetorial produto mistoProf Paulo Roberto Batista
 
Exercícios de revisão.geometria analítica do ponto
Exercícios de revisão.geometria analítica do pontoExercícios de revisão.geometria analítica do ponto
Exercícios de revisão.geometria analítica do pontoiran rodrigues
 
Ap geometria analitica resolvidos
Ap geometria analitica resolvidosAp geometria analitica resolvidos
Ap geometria analitica resolvidostrigono_metrico
 

Mais procurados (20)

Aula transformações de coordenadas
Aula  transformações de coordenadasAula  transformações de coordenadas
Aula transformações de coordenadas
 
Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
 
Lista1vetores
Lista1vetoresLista1vetores
Lista1vetores
 
Estudo da reta
Estudo da retaEstudo da reta
Estudo da reta
 
Exercícios sobre distância entre pontos
Exercícios sobre distância entre pontosExercícios sobre distância entre pontos
Exercícios sobre distância entre pontos
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
 
Interseção planos
Interseção planosInterseção planos
Interseção planos
 
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)
Matemática - Exercícios Resolvidos (Coeficiente Angular)
 
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo IluminadosTarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
 
Geometria analítica equação da reta
Geometria  analítica equação da retaGeometria  analítica equação da reta
Geometria analítica equação da reta
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
 
Geometria analitica
Geometria analiticaGeometria analitica
Geometria analitica
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
 
Trabalho de geometria analítica - SUPERIOR
Trabalho de geometria analítica - SUPERIORTrabalho de geometria analítica - SUPERIOR
Trabalho de geometria analítica - SUPERIOR
 
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito
554 exercicios geometria_analitica_conicas_gabarito
 
Lista de exercícios produto vetorial produto misto
Lista de exercícios produto vetorial produto mistoLista de exercícios produto vetorial produto misto
Lista de exercícios produto vetorial produto misto
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
 
Exercícios de revisão.geometria analítica do ponto
Exercícios de revisão.geometria analítica do pontoExercícios de revisão.geometria analítica do ponto
Exercícios de revisão.geometria analítica do ponto
 
Ap geometria analitica resolvidos
Ap geometria analitica resolvidosAp geometria analitica resolvidos
Ap geometria analitica resolvidos
 

Semelhante a GEOMETRIA ANALÍTICA cap 09

Ap2 gai-2014-2-gabarito
Ap2 gai-2014-2-gabaritoAp2 gai-2014-2-gabarito
Ap2 gai-2014-2-gabaritoMarcia Costa
 
Matemática - Estudo da reta
Matemática - Estudo da retaMatemática - Estudo da reta
Matemática - Estudo da retaDanielle Siqueira
 
7 coordenadas polares e curvas paramétricas
7   coordenadas polares e curvas paramétricas7   coordenadas polares e curvas paramétricas
7 coordenadas polares e curvas paramétricasDuilio Matias Gonçalves
 
Identificacao de conicas
Identificacao de conicasIdentificacao de conicas
Identificacao de conicasMario Santana
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosAndrei Bastos
 
secao26_2011_2.pdf
secao26_2011_2.pdfsecao26_2011_2.pdf
secao26_2011_2.pdfmikaelg3
 
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...Izabela Marques
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10Andrei Bastos
 
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADAProva do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADAthieresaulas
 
Caderno de atividades terceirão ftd 04
Caderno de atividades terceirão ftd   04Caderno de atividades terceirão ftd   04
Caderno de atividades terceirão ftd 04Oswaldo Stanziola
 
Slide de matemática Geometria analítica
Slide de matemática Geometria analítica Slide de matemática Geometria analítica
Slide de matemática Geometria analítica DAIANEMARQUESDASILVA1
 
Ficha formativa 11 ã‚⺠maio 2-2
Ficha formativa 11 ã‚⺠  maio 2-2Ficha formativa 11 ã‚⺠  maio 2-2
Ficha formativa 11 ã‚⺠maio 2-2David_Costa_30
 
Base trigonometria 001
Base trigonometria  001Base trigonometria  001
Base trigonometria 001trigono_metria
 
Mat angulos retas exerc resolvidos
Mat angulos   retas exerc resolvidosMat angulos   retas exerc resolvidos
Mat angulos retas exerc resolvidostrigono_metria
 

Semelhante a GEOMETRIA ANALÍTICA cap 09 (20)

Ap2 gai-2014-2-gabarito
Ap2 gai-2014-2-gabaritoAp2 gai-2014-2-gabarito
Ap2 gai-2014-2-gabarito
 
EquaçãO+G[1] (Erlan)
EquaçãO+G[1] (Erlan)EquaçãO+G[1] (Erlan)
EquaçãO+G[1] (Erlan)
 
Matemática - Estudo da reta
Matemática - Estudo da retaMatemática - Estudo da reta
Matemática - Estudo da reta
 
7 coordenadas polares e curvas paramétricas
7   coordenadas polares e curvas paramétricas7   coordenadas polares e curvas paramétricas
7 coordenadas polares e curvas paramétricas
 
Identificacao de conicas
Identificacao de conicasIdentificacao de conicas
Identificacao de conicas
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
 
Conicas
ConicasConicas
Conicas
 
secao26_2011_2.pdf
secao26_2011_2.pdfsecao26_2011_2.pdf
secao26_2011_2.pdf
 
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...
Slides da aula sobre Coordenadas Polares e Integrais Duplas em Coordenadas Po...
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 10
 
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADAProva do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
Prova do Colégio Militar do Rio de Janeiro, COMENTADA
 
Coordenadas esféricas
Coordenadas esféricasCoordenadas esféricas
Coordenadas esféricas
 
Matemática aula 35 - circunferência
Matemática   aula 35 - circunferênciaMatemática   aula 35 - circunferência
Matemática aula 35 - circunferência
 
Caderno de atividades terceirão ftd 04
Caderno de atividades terceirão ftd   04Caderno de atividades terceirão ftd   04
Caderno de atividades terceirão ftd 04
 
Ita02m
Ita02mIta02m
Ita02m
 
Slide de matemática Geometria analítica
Slide de matemática Geometria analítica Slide de matemática Geometria analítica
Slide de matemática Geometria analítica
 
Exerc cur sup
Exerc cur supExerc cur sup
Exerc cur sup
 
Ficha formativa 11 ã‚⺠maio 2-2
Ficha formativa 11 ã‚⺠  maio 2-2Ficha formativa 11 ã‚⺠  maio 2-2
Ficha formativa 11 ã‚⺠maio 2-2
 
Base trigonometria 001
Base trigonometria  001Base trigonometria  001
Base trigonometria 001
 
Mat angulos retas exerc resolvidos
Mat angulos   retas exerc resolvidosMat angulos   retas exerc resolvidos
Mat angulos retas exerc resolvidos
 

Mais de Andrei Bastos

Lógica de programação em ppt
Lógica de programação em pptLógica de programação em ppt
Lógica de programação em pptAndrei Bastos
 
Apostila vetores e geometria analitica
Apostila vetores e geometria analiticaApostila vetores e geometria analitica
Apostila vetores e geometria analiticaAndrei Bastos
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 03
GEOMETRIA ANALÍTICA cap  03GEOMETRIA ANALÍTICA cap  03
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 03Andrei Bastos
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02Andrei Bastos
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 01
GEOMETRIA ANALÍTICA cap  01GEOMETRIA ANALÍTICA cap  01
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 01Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 07
Algebra Linear cap 07Algebra Linear cap 07
Algebra Linear cap 07Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 06
Algebra Linear cap  06Algebra Linear cap  06
Algebra Linear cap 06Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 08
Algebra Linear cap  08Algebra Linear cap  08
Algebra Linear cap 08Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 05
Algebra Linear cap  05Algebra Linear cap  05
Algebra Linear cap 05Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 04
Algebra Linear cap 04Algebra Linear cap 04
Algebra Linear cap 04Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 03
Algebra Linear cap 03Algebra Linear cap 03
Algebra Linear cap 03Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 02
Algebra Linear cap 02Algebra Linear cap 02
Algebra Linear cap 02Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 01
Algebra Linear cap 01Algebra Linear cap 01
Algebra Linear cap 01Andrei Bastos
 
Algebra Linear cap 09
Algebra Linear cap 09Algebra Linear cap 09
Algebra Linear cap 09Andrei Bastos
 
Java Comunicação Serial
Java Comunicação SerialJava Comunicação Serial
Java Comunicação SerialAndrei Bastos
 
Provas Discursivas UFES 2010
Provas Discursivas UFES 2010Provas Discursivas UFES 2010
Provas Discursivas UFES 2010Andrei Bastos
 
C a linguagem de programação
C   a linguagem de programaçãoC   a linguagem de programação
C a linguagem de programaçãoAndrei Bastos
 

Mais de Andrei Bastos (20)

Lógica de programação em ppt
Lógica de programação em pptLógica de programação em ppt
Lógica de programação em ppt
 
Apostila vetores e geometria analitica
Apostila vetores e geometria analiticaApostila vetores e geometria analitica
Apostila vetores e geometria analitica
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 03
GEOMETRIA ANALÍTICA cap  03GEOMETRIA ANALÍTICA cap  03
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 03
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 02
 
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 01
GEOMETRIA ANALÍTICA cap  01GEOMETRIA ANALÍTICA cap  01
GEOMETRIA ANALÍTICA cap 01
 
Algebra Linear cap 07
Algebra Linear cap 07Algebra Linear cap 07
Algebra Linear cap 07
 
Algebra Linear cap 06
Algebra Linear cap  06Algebra Linear cap  06
Algebra Linear cap 06
 
Algebra Linear cap 08
Algebra Linear cap  08Algebra Linear cap  08
Algebra Linear cap 08
 
Algebra Linear cap 05
Algebra Linear cap  05Algebra Linear cap  05
Algebra Linear cap 05
 
Algebra Linear cap 04
Algebra Linear cap 04Algebra Linear cap 04
Algebra Linear cap 04
 
Algebra Linear cap 03
Algebra Linear cap 03Algebra Linear cap 03
Algebra Linear cap 03
 
Algebra Linear cap 02
Algebra Linear cap 02Algebra Linear cap 02
Algebra Linear cap 02
 
Algebra Linear cap 01
Algebra Linear cap 01Algebra Linear cap 01
Algebra Linear cap 01
 
Algebra Linear cap 09
Algebra Linear cap 09Algebra Linear cap 09
Algebra Linear cap 09
 
Java Comunicação Serial
Java Comunicação SerialJava Comunicação Serial
Java Comunicação Serial
 
Provas Discursivas UFES 2010
Provas Discursivas UFES 2010Provas Discursivas UFES 2010
Provas Discursivas UFES 2010
 
C a linguagem de programação
C   a linguagem de programaçãoC   a linguagem de programação
C a linguagem de programação
 
ArrayList Java
ArrayList JavaArrayList Java
ArrayList Java
 
Ex algebra (16)
Ex algebra  (16)Ex algebra  (16)
Ex algebra (16)
 
Ex algebra (15)
Ex algebra  (15)Ex algebra  (15)
Ex algebra (15)
 

GEOMETRIA ANALÍTICA cap 09

  • 1. 96 CÁLCULO VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O plano, também chamado de ℜ2 , onde { }ℜ∈=ℜℜ=ℜ y,x/)y,x(x2 , ou seja, o produto cartesiano de ℜ por ℜ, é o conjunto de todos os pares ordenados ℜ∈∀ yex),y,x( . Ele é representado pelo Sistema de Coordenadas Cartesianas Ortogonal, o qual é constituído por dois eixos perpendiculares entre si, cuja interseção é o par ordenado O(0,0) , chamado de origem do sistema. Esses eixos são denotados por Ox e Oy e chamados de eixos coordenados, orientados como mostra a figura abaixo. Todo ponto P(x,y) do plano é representado como na figura acima, onde x e y são as suas coordenadas, respectivamente em relação aos eixos Ox e Oy. Existe uma correspondência biunívoca entre pares ordenados de números reais e pontos do sistema de coordenadas cartesianas ortogonais. No entanto, existe outro sistema de coordenadas capaz de representar o plano. É o Sistema de Coordenadas Polares, o qual é constituído por apenas um semi- eixo e, chamado de semi-eixo polar e um ponto de origem p, chamado pólo. Todo ponto P do plano é representado por um par ordenado (ρρρρ,θθθθ), onde ρρρρ é à distância do ponto P ao pólo p e θθθθ é o ângulo formado entre o segmento Pp e o semi- eixo polar. O ângulo θ é medido em radianos a partir do eixo polar e no sentido anti- horário. Assim, 0≥ρ e π≤θ≤ 20 . y x P(x,y) (0,0) (–) (–) Oy (+) (+) Ox I II IVIII θ ep P(ρ,θ) ρ
  • 2. 97 Exemplo (1): Representar no Sistema de Coordenadas Polares os seguintes pontos do plano: a) ),3(P 3 π b) ),5(Q 3 2π c) ),3(R 2 3π Podemos relacionar o Sistema de Coordenadas Cartesianas Ortogonais com o Sistema de Coordenadas Polares. Coincidindo a origem O(0,0) do sistema cartesiano com o pólo p do sistema polar e o semi-eixo polar com o semi-eixo positivo do eixo Ox. No triângulo retângulo temos: 222 yx +=ρ e       θρ=⇒ ρ =θ θρ=⇒ ρ =θ seny y sen cosx x cos . Pode-se determinar o ângulo θ pelas relações anteriores ou por       =θ x y arctg , observando os sinais das coordenadas x e y para definir a qual quadrante pertence o ângulo θ. Portanto, as relações 222 yx +=ρ e    θρ= θρ= seny cosx , são consideradas as equações de transformação de coordenadas entre o sistema cartesiano e o sistema polar. Exemplo (2): Transformar de coordenadas cartesianas para coordenadas polares os seguintes pontos do plano: a)         2 5 , 2 35 P b) )1,1(Q − . Solução: Usando as equações de transformação temos: ),()y,x(P θρ≡ θ ρ y x Oy pO ≡ e Ox R 2 3π 3 5 3 2π 3 Q 3 π ep P p
  • 3. 98 a) 5 2 5 2 35 yx 22 222 =ρ⇒      +         =+=ρ e          =θ⇒=θ⇒ ρ =θ =θ⇒=θ⇒ ρ =θ 2 1 sen 5 2 5 sen y sen 2 3 cos 5 2 35 cos x cos ⇒ 6 π =θ . Portanto, ),5(P 6 π . b) 2)1(1 222 =ρ⇒−+=ρ e        −=θ⇒ − =θ⇒ ρ =θ =θ⇒=θ⇒ ρ =θ 2 2 sen 2 1 sen y sen 2 2 cos 2 1 cos x cos ⇒ 4 7π =θ . Portanto, ),2(Q 4 7π . Exemplo (3): Transformar de coordenadas polares para coordenadas cartesianas os seguintes pontos do plano: a) ( )3 4,2P π b) ),7(Q 6 5π . Solução: a) Usando as equações de transformação temos:     −=⇒=⇒θρ= −=⇒=⇒θρ= π π 3ysen2yseny 1xcos2xcosx 3 4 3 4 . Portanto, )3,1(P −− . b) Analogamente para o ponto Q:       =⇒= −=⇒= π π 2 7 ysen7y 2 37 xcos7x 6 5 6 5 . Portanto,         − 2 7 , 2 37 Q . 1 Equação Polar das Cônicas 1.1 Circunferência Seja uma circunferência, representada no sistema polar, de centro ),(C αδ e raio r. Seja ),(P θρ um ponto qualquer da circunferência. Aplicando a Lei dos co-senos no triângulo pCP, temos: )cos(2r 222 α−θρδ−δ+ρ= , que é a equação polar da circunferência. p e ρ θ-α α θ ),(P θρ C δ r
  • 4. 99 Alguns casos interessantes são: a) circunferência que contém o pólo. Neste caso r=δ . )cos(r2rr 222 α−θρ−+ρ= ⇒ )cos(r2( α−θ−ρ⋅ρ ⇒    α−θ=ρ⇒α−θ−ρ =ρ )cos(r2)cos(r2 0 Das relações anteriores vem que: 0=ρ é chamada de equação do pólo e )cos(r2 α−θ=ρ é a equação da circunferência que contém o pólo. b) circunferência com centro sobre o pólo. Neste caso 0=δ . )cos(020r 222 α−θ⋅⋅ρ−+ρ= ⇒ 22 r ρ= ⇒ ρ=r . Portanto, a expressão ρ=r é a equação da circunferência com centro sobre o pólo. 1.2 Elipse Considere uma elipse de eixo maior horizontal a2AA 21 = , eixo menor b2BB 21 = , distância focal c2FF 21 = e centro C(m,n) como na figura abaixo. Seja ),(P θρ um ponto qualquer da elipse, na qual fazemos coincidir o pólo p com o foco F1 e o eixo polar com o eixo maior da elipse. p e ρ θ-α α θ ),(P θρ C δ=r p≡C e θ ),(P θρ ρ=r A2 ),(P θρ B2 eA1 B1 F1≡p F2 ρ δ θ 2c
  • 5. 100 Aplicando a Lei dos cossenos no triângulo F1F2P vem que: θρ−+ρ=δ cosc4c4 222 . Da definição da elipse temos que a2|PF||PF| 21 =+ ⇒ a2=ρ+δ ⇒ ρ−=δ a2 . Substituindo na expressão da lei dos cossenos vem que: θρ−+ρ=ρ− cosc4c4)a2( 222 ⇒ θρ−+ρ=ρ+ρ− cosc4c4a4a4 2222 . Da relação notável da elipse 222 cba += ⇒ 222 bca =− . Então: )cosca(ca 2 b 22 θ−ρ=− ⇒ )cosca(b2 θ−ρ= ⇒ θ− =ρ cosca b2 . Portanto, θθθθ−−−− ====ρρρρ cosca b2 , que é a equação polar da elipse. Da equação polar θ− =ρ cosca b2 , dividindo todos os termos do segundo membro da expressão pela constante a, vem que θ− =ρ cos a c a a a b2 . Fazendo a b p 2 = , chamado de parâmetro da elipse e a c e = é a excentricidade. Assim, equação polar da elipse é mais comumente dada por θ− =ρ cose1 p . 1.3 Hipérbole Considere uma hipérbole de eixo real horizontal a2AA 21 = , eixo menor b2BB 21 = , distância focal c2FF 21 = e centro C(m,n) como na figura abaixo. Façamos coincidir o pólo p com o foco F2 e o eixo polar com o eixo real da hipérbole. Seja ),(P θρ um ponto qualquer da hipérbole. Aplicando a Lei dos cossenos no triângulo F1F2P vem que: )180cos(c4c4 o222 θ−ρ−+ρ=δ . Da definição da hipérbole temos que a2|PF||PF| 21 =− ⇒ a2=ρ−δ ⇒ ρ+=δ a2 . Substituindo na expressão da lei dos δ 180o -θ θ ρ e ),(P θρ F1 F2≡pC 2c
  • 6. 101 cossenos: θρ++ρ=ρ+ cosc4c4)a2( 222 ⇒ θρ++ρ=ρ+ρ+ cosc4c4a4a4 2222 ⇒ )cosca(ca 22 θ⋅+−⋅ρ=− . Da relação notável da hipérbole 222 bac += ⇒ 222 bca −=− ⇒ )cosca(ca 2 b 22 θ⋅+−⋅ρ=− − . Portanto: θθθθ−−−− ====ρρρρ cosca b2 , que é a equação polar da hipérbole. Da equação polar θ− =ρ cosca b2 , dividindo todos os termos do segundo membro da expressão pela constante a, vem que θ− =ρ cos a c a a a b2 . Fazendo a b p 2 = , chamado de parâmetro da hipérbole e a c e = é a excentricidade. Assim, equação polar da hipérbole é mais comumente dada por θθθθ−−−− ====ρρρρ cose1 p . 1.4 Parábola Considere uma parábola de eixo de simetria horizontal com vértice V, foco F e pRF = . Seja P(ρ,θ) um ponto qualquer da parábola. Façamos coincidir o pólo p com o foco F e o eixo polar com o eixo de simetria da parábola. No triângulo PQF vem que: ρ ρ− =θ−=θ− p cos)180cos( o ⇒ θ− =ρ cos1 p , onde p é o parâmetro da parábola. Portanto, a equação polar da parábola é θθθθ−−−− ====ρρρρ cos1 p . OBS: Note que, a elipse, a hipérbole e a parábola têm as equações polares semelhantes a menos da excentricidade a c e = que para a elipse ( 1e0 << ) e para a hipérbole ( 1e > ). Outro fato importante é que, apesar de adotarmos os mesmos símbolos a2AA 21 = , b2BB 21 = e c2FF 21 = para a elipse e para a hipérbole, eles tem significados geométricos diferentes na definição de cada cônica, mesmo porque a p-ρ 180o -θ (d) Q θ ρ e ),(P θρ V p ρ F ≡ R
  • 7. 102 relação notável da elipse é 222 cba += e da hipérbole é 222 bac += . Assim, o parâmetro a b p 2 = , adotado na equação polar da elipse e da hipérbole é diferente e não tem nada em comum com o parâmetro p da definição da parábola. Exemplo (4): Determine a equação geral da circunferência de equação polar θ−=ρ sen6 . Solução: Das definições de coordenadas polares vem que 22 yx +=ρ e θ⋅ρ= seny ⇒ ρ =θ y sen . Substituindo na equação θ−=ρ sen6 vem que: 22 22 yx y 6yx + ⋅−=+ ⇒ y6yx 2 22 −=      + ⇒ 0y6yx 22 =++ . Exemplo (5): Dada a elipse de eixo maior horizontal e equação polar θ− =ρ cos35 32 , escrever suas equações paramétricas e a equação reduzida. Solução: Das definições de coordenadas polares vem que 22 yx +=ρ e θ⋅ρ= cosx ⇒ ρ =θ x cos . Substituindo na equação θ− =ρ cos35 32 vem que: ρ ⋅− =ρ x 35 32 ⇒ ρ −ρ =ρ x35 32 ⇒ ρ⋅=−ρ⋅ρ 32)x35( ⇒ 32x35 =−ρ ⇒ 32x35 +=ρ ⇒ 22 )32x3()5( +=ρ ⇒ 1024x192x925 22 ++=ρ ⇒ 1024x192x9)yx(25 222 ++=+ ⇒ 1024x192x9y25x25 222 =−−+ ⇒ 1024y25x192x16 22 =+− . Escrevendo na forma reduzida vem que: 1024y25)3636x12x(16 22 =+−+−⋅ ⇒ 1600y25)6x(16 22 =+−⋅ ⇒ 1 64 y 100 )6x( 22 =+ − (equação reduzida). Como a elipse é de eixo maior horizontal então:     =⇒= =⇒= 8b64b 10a100a 2 2 e centro )n,m()0,6(C = . Assim, suas equações paramétricas são:    θ+= θ+= senany cosbmx ⇒    θ⋅= θ⋅+= sen8y cos106x .
  • 8. 103 Exercícios Propostos 1) Determine a equação geral da circunferência de centro ),2(C 2 π , sabendo-se que ela passa pelo ponto ),6(P 6 11π . Resp: 048y4yx 22 =−−+ 2) Qual é a equação polar da elipse de equação geral 024y4x24yx4 22 =++−+ ? Resp: θ− =ρ cos1 1 2 3 3) Seja a hipérbole de equação 0144y16x9 22 =−− . Determine sua equação polar e as coordenadas polares dos focos. Resp: θ− =ρ cos54 9 , ),5(Fe)0,5(F 21 π 4) Determine a equação polar e as coordenadas polares do vértice da parábola 6x4xy 2 2 1 −+−= . Resp: θ− =ρ cos1 4 1 e ),52(V θ , onde      =θ 5 5 arcsen , do 1º quadrante. 5) Seja a hipérbole de eixo vertical e centro na origem, cuja equação polar é θ− =ρ cos75 24 . Determine sua equação reduzida e as equações paramétricas. Resp:     θ= θ= =+ − sec5y tg62x e1 25 y 24 x 22 6) Determine a equação polar da elipse    θ+= θ+= sen162y cos203x . Resp: θ− =ρ cos35 64 7) O foco de uma parábola é o ponto (4,3) e sua diretriz é a reta x = 2. Determine sua equação polar. Resp: θ− =ρ cos1 2