SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Baixar para ler offline
Ensino de História:
Conteúdos e conceitos
básicos
(APRESENTAÇÃO BASEADA EM CELSO VASCONCELLOS, HOLIEN
GONÇALVES BEZERRA E NOS PARÂMETROS CURRICULARES
NACIONAIS. ANDRÉ AUGUSTO DA FONSECA, 2015.
Conteúdos são meios ou fins?
A escola ensina TODO o conhecimento socialmente
construído pela humanidade?
Exposição cronológica dos eventos históricos consagrados
leva os alunos a compreenderem criticamente o mundo
onde vivem, a compreender como se produz o
conhecimento histórico, a “exercer a cidadania, progredir no
trabalho e prosseguir nos estudos posteriores”?
23/02/2015 19:37:13 2CONCEITOS FUNDAMENTAIS
AUTONOMIA INTELECTUAL x EDUCAÇÃO
BANCÁRIA
Alguns livros didáticos mantém a exposição linear e cronológica, mas intercalada por atividades
chamadas de “estratégias”, que ajudam o aluno a compreender como se constrói o
conhecimento histórico, problemáticas comuns ao presente e ao passado estudado e a assumir
atitudes cidadãs.
ENSINO ALIENADO (EDUCAÇÃO BANCÁRIA) CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA (criticidade)
 “fixação de conteúdos”
 Memorização de informações – privilegia a
quantidade de conteúdos expostos a alunos
passivos
 Incapacidade de selecionar informações (falsos
“seminários” sem pesquisa nem aprendizagem)
 Descontextualização
 Conteúdos sem conexão entre si ou com os
problemas vividos pelos alunos
 Avaliação punitiva, classificatória
 Desenvolvimento de competências e
habilidades (comparação, seleção das
informações, crítica externa e interna das
fontes, compreensão do contexto de sua
produção) e atitudes – ver PCNs
 Privilegia a atividade do aluno, orientado pelo
professor
 Problematização permanente da realidade e do
conhecimento
 Avaliação processual, tanto do ensino quanto da
aprendizagem
23/02/2015 19:37:13 3CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1. Conceito de HISTÓRIA
Refletir sobre si, sobre seu grupo social e sobre a sociedade.
Problematizar a realidade, criar questões/perguntas de pesquisa
Delimitar objeto da pesquisa
Examinar o estado da questão
Formular hipóteses (proposta de explicação)
Selecionar as informações, organizar e criticar diferentes tipos de fontes (documentos, imagens,
músicas, relatos de viajantes, diários etc.)
Perceber os SUJEITOS HISTÓRICOS envolvidos
Verificar as hipóteses
Organizar a exposição e redigir o texto com as conclusões
23/02/2015 19:37:13 4CONCEITOS FUNDAMENTAIS
2. Conceito de PROCESSO HISTÓRICO
“Para além da descrição factual e linear, a História busca explicar tanto as uniformidades e as
regularidades das formações sociais quanto as rupturas e diferenças que se constituem no
embate das ações humanas” (BEZERRA, p. 43).
“O processo histórico constitui-se dessas práticas [humanas], ordenadas e estruturadas de
maneiras racionais. São os problemas colocados constantemente na indeterminação do social
que fazem com que os homens se definam pelos caminhos possíveis e desenhem os
acontecimentos que passam a ser registrados” (p. 43).
A enunciação de um processo histórico, porém, “resulta de uma construção cognitiva dos
estudiosos.”
Acontecimentos “tem sua importância como ponto referencial das relações sociais [...]; no
entanto, o sentido pleno dos acontecimentos” só pode ser compreendido quando inseridos em
processos históricos mais amplos.
NÃO ADIANTA FAZER LISTAS DE ACONTECIMENTOS DESCONEXOS.
23/02/2015 19:37:13 5CONCEITOS FUNDAMENTAIS
3. Conceito de TEMPO
“O tempo representa um conjunto complexo de vivências humanas” (BEZERRA, p. 44).
Por isso temos de relativizar as periodizações propostas (diferentes periodizações são frutos de
distintas metodologias e/ou ideologias ou visões de mundo).
Por isso temos que mostrar as relações entre CONTINUIDADE e RUPTURA, entre
PERMANÊNCIAS e TRANSFORMAÇÕES, entre SUCESSÃO E SIMULTANEIDADE etc.
Por isso temos de estar atentos aos diferentes ritmos do tempo histórico.
Isso ajudará a evitar o pecado capital do ANACRONISMO (“atribuir a determinadas sociedades
do passado nossos próprios sentimentos ou razões, e assim interpretar suas ações; ou aplicar
critérios e conceitos que foram elaborados para uma determinada época, em circunstâncias
específicas, para outras épocas com características diferentes” – p. 45).
23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 6
4 . Conceito de SUJEITO HISTÓRICO
H. G. BEZERRA: qual é o lugar do indivíduo na trama da História?
PCN: “os sujeitos históricos são indivíduos, grupos ou classes sociais participantes de
acontecimentos de repercussão coletiva e/ou imersos em situações cotidianas na luta por
transformações ou permanências.”
H. G. BEZERRA: “a trama da história não é o resultado apenas da ação de figuras de destaque,
consagradas pelos interesses explicativos de grupos, mas sim a construção
consciente/inconsciente, paulatina e imperceptível de todos os agentes sociais, individuais ou
coletivos” (p. 45).
Assim, a História é resultado das ações, interações, contradições, êxitos e fracassos parciais de
sujeitos históricos e seus projetos, E NÃO da pura vontade de instituições como o Estado, os
países, a Escola etc., NEM do jogo de conceitos como sistemas, capitalismo, socialismo etc.
“a trama histórica não se localiza nas ações individuais, mas no embate das relações sociais no
tempo” (p. 46).
23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 7
5. Conceito de CULTURA
A ideia de sujeito histórico exige pensar tanto as possibilidades de escolha
individual quanto as determinações que ele sofre (econômicas, culturais etc.).
“Cultura não é apenas o conjunto de manifestações artísticas [vejam as
“Secretarias de Cultura” ou “Projetos/ Atividades Culturais”]. Envolve as formas
de organização do trabalho, da casa, da família, do cotidiano das pessoas, dos
ritos, das religiões, das festas etc.”
Culturas também são históricas, ou seja, não estão paradas no tempo mas
transformam-se o tempo todo.
Culturas estão em permanente interação umas com as outras.
23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 8
6. Historicidade dos conceitos
Que é historicidade? O que seria uma ideia a-histórica de família, escola, democracia, trabalho,
capitalismo?
Não compreender a historicidade das coisas leva ao ANACRONISMO.
“Conceitos criados para explicar certas realidades históricas tem seu significado voltado para essas
realidades, não sendo possível emprega-los indistintamente para toda e qualquer situação
semelhante”. Exemplos: feudalismo, ditadura, fascismo.
No entanto, quando o conceito é um super-conceito, oferecendo uma compreensão geral, aplicável a
realidades histórico-sociais semelhantes, pode ser chamado de CATEGORIA. P. ex.:
◦ Categoria TRABALHO
◦ Categoria HOMEM
◦ Categoria REVOLUÇÃO
◦ Categoria CONTINENTE
CONCEITOS não podem ser utilizados como MODELOS [sujeitando a si os dados empíricos], mas
facilitam o processo de conhecer como INDICADORES de expectativas analíticas.
23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 9
Conclusão: quais são os fins e quais são os
meios do ensino-aprendizagem em História?
Estes são os objetivos dos PCNs para os 4 anos finais do ensino fundamental:
23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 10

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Para que estudar História
Para que estudar HistóriaPara que estudar História
Para que estudar HistóriaLiz Prates
 
metodologia de historia
metodologia de historiametodologia de historia
metodologia de historiaIus 95
 
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4GernciadeProduodeMat
 
Multiculturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaMulticulturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaLeonardo de Barros
 
Descritores Ciências Humanas
Descritores Ciências HumanasDescritores Ciências Humanas
Descritores Ciências Humanaslucavao2010
 
O Trabalho do Historiador - 6o Ano
O Trabalho do Historiador - 6o AnoO Trabalho do Historiador - 6o Ano
O Trabalho do Historiador - 6o AnoLucas Degiovani
 
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4GernciadeProduodeMat
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeViegas Fernandes da Costa
 
Aula história e o tempo
Aula história e o tempoAula história e o tempo
Aula história e o tempoRosely Monteiro
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaSeverina Maria Vieira
 
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino MédioMarilia Pimentel
 
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)GernciadeProduodeMat
 

Mais procurados (20)

Para que estudar História
Para que estudar HistóriaPara que estudar História
Para que estudar História
 
metodologia de historia
metodologia de historiametodologia de historia
metodologia de historia
 
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
 
Multiculturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaMulticulturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologia
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
Aula 1 o que é história
Aula 1   o que é históriaAula 1   o que é história
Aula 1 o que é história
 
Metodologia do Ensino de Historia
Metodologia do Ensino de HistoriaMetodologia do Ensino de Historia
Metodologia do Ensino de Historia
 
Descritores Ciências Humanas
Descritores Ciências HumanasDescritores Ciências Humanas
Descritores Ciências Humanas
 
Aula 1 o que é história
Aula 1   o que é históriaAula 1   o que é história
Aula 1 o que é história
 
O Trabalho do Historiador - 6o Ano
O Trabalho do Historiador - 6o AnoO Trabalho do Historiador - 6o Ano
O Trabalho do Historiador - 6o Ano
 
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
HISTÓRIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS104) D1/D4
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidade
 
Sociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula IntrodutóriaSociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula Introdutória
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Aula história e o tempo
Aula história e o tempoAula história e o tempo
Aula história e o tempo
 
Política e poder
Política e poderPolítica e poder
Política e poder
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
 
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
 
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)
HISTÓRIA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13CHS603)
 

Semelhante a Conceitos básicos do ensino de história

Pcn história e sociologia
Pcn   história e sociologiaPcn   história e sociologia
Pcn história e sociologiapibidsociais
 
Pcn história e sociologia
Pcn   história e sociologiaPcn   história e sociologia
Pcn história e sociologiapibidsociais
 
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluido
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluidoA pós modernidade e a forma-sujeito-fluido
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluidoEwerton Gindri
 
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docx
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docxPlanejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docx
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docxLUARAABREU1
 
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOS
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOSPRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOS
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOSJorge Marcos Oliveira
 
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...Historia Line
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxFlviaCristina51
 
Psicologia, subjetividade e políticas públicas
Psicologia, subjetividade e políticas públicasPsicologia, subjetividade e políticas públicas
Psicologia, subjetividade e políticas públicasLOCIMAR MASSALAI
 
Olhares Que Fazem A Diferença O índio
Olhares Que Fazem A Diferença O índioOlhares Que Fazem A Diferença O índio
Olhares Que Fazem A Diferença O índioculturaafro
 
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimônios
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimôniosAntropologia dos objetos : coleções, museus e patrimônios
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimôniosKelly Freitas
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...Diulia Soares
 

Semelhante a Conceitos básicos do ensino de história (20)

Pcn história e sociologia
Pcn   história e sociologiaPcn   história e sociologia
Pcn história e sociologia
 
Pcn história e sociologia
Pcn   história e sociologiaPcn   história e sociologia
Pcn história e sociologia
 
Met rp, minayo
Met rp, minayoMet rp, minayo
Met rp, minayo
 
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluido
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluidoA pós modernidade e a forma-sujeito-fluido
A pós modernidade e a forma-sujeito-fluido
 
Formacao humanas bncc
Formacao humanas   bnccFormacao humanas   bncc
Formacao humanas bncc
 
O QUE É HISTÓRIA
O QUE É HISTÓRIAO QUE É HISTÓRIA
O QUE É HISTÓRIA
 
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docx
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docxPlanejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docx
Planejamento anual 2023 - História _ 6° ano.docx
 
Faces da história
Faces da históriaFaces da história
Faces da história
 
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOS
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOSPRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOS
PRE SEED - 2014 - CONCEITOS BÁSICOS
 
História Versus Cidadania
História Versus CidadaniaHistória Versus Cidadania
História Versus Cidadania
 
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...
Memórias da diversidade populacional como patrimônio cultural da cidade de fo...
 
Fredrik Barth
Fredrik BarthFredrik Barth
Fredrik Barth
 
Módulo 0
Módulo 0Módulo 0
Módulo 0
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptx
 
Psicologia, subjetividade e políticas públicas
Psicologia, subjetividade e políticas públicasPsicologia, subjetividade e políticas públicas
Psicologia, subjetividade e políticas públicas
 
HABITAÇÃO RURAL
HABITAÇÃO RURALHABITAÇÃO RURAL
HABITAÇÃO RURAL
 
Olhares Que Fazem A Diferença O índio
Olhares Que Fazem A Diferença O índioOlhares Que Fazem A Diferença O índio
Olhares Que Fazem A Diferença O índio
 
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimônios
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimôniosAntropologia dos objetos : coleções, museus e patrimônios
Antropologia dos objetos : coleções, museus e patrimônios
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
 
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...
A coxilha nativista como espaço de reforço e legitimação da identidade cruz a...
 

Mais de André Augusto da Fonseca

Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...
Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...
Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...André Augusto da Fonseca
 
Como estudar um texto científico ou filosófico
Como estudar um texto científico ou filosóficoComo estudar um texto científico ou filosófico
Como estudar um texto científico ou filosóficoAndré Augusto da Fonseca
 

Mais de André Augusto da Fonseca (20)

Debate corrupção
Debate   corrupçãoDebate   corrupção
Debate corrupção
 
Qual é a função dos historiadores
Qual é a função dos historiadoresQual é a função dos historiadores
Qual é a função dos historiadores
 
Etnia
EtniaEtnia
Etnia
 
Ensino aprendizagem de história
Ensino aprendizagem de históriaEnsino aprendizagem de história
Ensino aprendizagem de história
 
Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...
Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...
Um tutorial sobre como planejar suas aulas de História (Ens. Fundamental e Mé...
 
Nova história cultural
Nova história culturalNova história cultural
Nova história cultural
 
Karl polany
Karl polanyKarl polany
Karl polany
 
O estado moderno
O estado modernoO estado moderno
O estado moderno
 
Prosopografia
ProsopografiaProsopografia
Prosopografia
 
Estilos artísticos contextualizados
Estilos artísticos contextualizadosEstilos artísticos contextualizados
Estilos artísticos contextualizados
 
A acumulação primitiva de capital
A acumulação primitiva de capitalA acumulação primitiva de capital
A acumulação primitiva de capital
 
Nova história cultural
Nova história culturalNova história cultural
Nova história cultural
 
Lógica formal e lógica dialética
Lógica formal e lógica dialéticaLógica formal e lógica dialética
Lógica formal e lógica dialética
 
Como estudar um texto científico ou filosófico
Como estudar um texto científico ou filosóficoComo estudar um texto científico ou filosófico
Como estudar um texto científico ou filosófico
 
Vigotski
VigotskiVigotski
Vigotski
 
Métodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de históriaMétodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de história
 
História de roraima 2
História de roraima 2História de roraima 2
História de roraima 2
 
Projeto de pesquisa história
Projeto de pesquisa históriaProjeto de pesquisa história
Projeto de pesquisa história
 
Projeto de pesquisa história
Projeto de pesquisa históriaProjeto de pesquisa história
Projeto de pesquisa história
 
Salas ambiente
Salas ambienteSalas ambiente
Salas ambiente
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 

Conceitos básicos do ensino de história

  • 1. Ensino de História: Conteúdos e conceitos básicos (APRESENTAÇÃO BASEADA EM CELSO VASCONCELLOS, HOLIEN GONÇALVES BEZERRA E NOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. ANDRÉ AUGUSTO DA FONSECA, 2015.
  • 2. Conteúdos são meios ou fins? A escola ensina TODO o conhecimento socialmente construído pela humanidade? Exposição cronológica dos eventos históricos consagrados leva os alunos a compreenderem criticamente o mundo onde vivem, a compreender como se produz o conhecimento histórico, a “exercer a cidadania, progredir no trabalho e prosseguir nos estudos posteriores”? 23/02/2015 19:37:13 2CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 3. AUTONOMIA INTELECTUAL x EDUCAÇÃO BANCÁRIA Alguns livros didáticos mantém a exposição linear e cronológica, mas intercalada por atividades chamadas de “estratégias”, que ajudam o aluno a compreender como se constrói o conhecimento histórico, problemáticas comuns ao presente e ao passado estudado e a assumir atitudes cidadãs. ENSINO ALIENADO (EDUCAÇÃO BANCÁRIA) CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA (criticidade)  “fixação de conteúdos”  Memorização de informações – privilegia a quantidade de conteúdos expostos a alunos passivos  Incapacidade de selecionar informações (falsos “seminários” sem pesquisa nem aprendizagem)  Descontextualização  Conteúdos sem conexão entre si ou com os problemas vividos pelos alunos  Avaliação punitiva, classificatória  Desenvolvimento de competências e habilidades (comparação, seleção das informações, crítica externa e interna das fontes, compreensão do contexto de sua produção) e atitudes – ver PCNs  Privilegia a atividade do aluno, orientado pelo professor  Problematização permanente da realidade e do conhecimento  Avaliação processual, tanto do ensino quanto da aprendizagem 23/02/2015 19:37:13 3CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 4. 1. Conceito de HISTÓRIA Refletir sobre si, sobre seu grupo social e sobre a sociedade. Problematizar a realidade, criar questões/perguntas de pesquisa Delimitar objeto da pesquisa Examinar o estado da questão Formular hipóteses (proposta de explicação) Selecionar as informações, organizar e criticar diferentes tipos de fontes (documentos, imagens, músicas, relatos de viajantes, diários etc.) Perceber os SUJEITOS HISTÓRICOS envolvidos Verificar as hipóteses Organizar a exposição e redigir o texto com as conclusões 23/02/2015 19:37:13 4CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 5. 2. Conceito de PROCESSO HISTÓRICO “Para além da descrição factual e linear, a História busca explicar tanto as uniformidades e as regularidades das formações sociais quanto as rupturas e diferenças que se constituem no embate das ações humanas” (BEZERRA, p. 43). “O processo histórico constitui-se dessas práticas [humanas], ordenadas e estruturadas de maneiras racionais. São os problemas colocados constantemente na indeterminação do social que fazem com que os homens se definam pelos caminhos possíveis e desenhem os acontecimentos que passam a ser registrados” (p. 43). A enunciação de um processo histórico, porém, “resulta de uma construção cognitiva dos estudiosos.” Acontecimentos “tem sua importância como ponto referencial das relações sociais [...]; no entanto, o sentido pleno dos acontecimentos” só pode ser compreendido quando inseridos em processos históricos mais amplos. NÃO ADIANTA FAZER LISTAS DE ACONTECIMENTOS DESCONEXOS. 23/02/2015 19:37:13 5CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 6. 3. Conceito de TEMPO “O tempo representa um conjunto complexo de vivências humanas” (BEZERRA, p. 44). Por isso temos de relativizar as periodizações propostas (diferentes periodizações são frutos de distintas metodologias e/ou ideologias ou visões de mundo). Por isso temos que mostrar as relações entre CONTINUIDADE e RUPTURA, entre PERMANÊNCIAS e TRANSFORMAÇÕES, entre SUCESSÃO E SIMULTANEIDADE etc. Por isso temos de estar atentos aos diferentes ritmos do tempo histórico. Isso ajudará a evitar o pecado capital do ANACRONISMO (“atribuir a determinadas sociedades do passado nossos próprios sentimentos ou razões, e assim interpretar suas ações; ou aplicar critérios e conceitos que foram elaborados para uma determinada época, em circunstâncias específicas, para outras épocas com características diferentes” – p. 45). 23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 6
  • 7. 4 . Conceito de SUJEITO HISTÓRICO H. G. BEZERRA: qual é o lugar do indivíduo na trama da História? PCN: “os sujeitos históricos são indivíduos, grupos ou classes sociais participantes de acontecimentos de repercussão coletiva e/ou imersos em situações cotidianas na luta por transformações ou permanências.” H. G. BEZERRA: “a trama da história não é o resultado apenas da ação de figuras de destaque, consagradas pelos interesses explicativos de grupos, mas sim a construção consciente/inconsciente, paulatina e imperceptível de todos os agentes sociais, individuais ou coletivos” (p. 45). Assim, a História é resultado das ações, interações, contradições, êxitos e fracassos parciais de sujeitos históricos e seus projetos, E NÃO da pura vontade de instituições como o Estado, os países, a Escola etc., NEM do jogo de conceitos como sistemas, capitalismo, socialismo etc. “a trama histórica não se localiza nas ações individuais, mas no embate das relações sociais no tempo” (p. 46). 23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 7
  • 8. 5. Conceito de CULTURA A ideia de sujeito histórico exige pensar tanto as possibilidades de escolha individual quanto as determinações que ele sofre (econômicas, culturais etc.). “Cultura não é apenas o conjunto de manifestações artísticas [vejam as “Secretarias de Cultura” ou “Projetos/ Atividades Culturais”]. Envolve as formas de organização do trabalho, da casa, da família, do cotidiano das pessoas, dos ritos, das religiões, das festas etc.” Culturas também são históricas, ou seja, não estão paradas no tempo mas transformam-se o tempo todo. Culturas estão em permanente interação umas com as outras. 23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 8
  • 9. 6. Historicidade dos conceitos Que é historicidade? O que seria uma ideia a-histórica de família, escola, democracia, trabalho, capitalismo? Não compreender a historicidade das coisas leva ao ANACRONISMO. “Conceitos criados para explicar certas realidades históricas tem seu significado voltado para essas realidades, não sendo possível emprega-los indistintamente para toda e qualquer situação semelhante”. Exemplos: feudalismo, ditadura, fascismo. No entanto, quando o conceito é um super-conceito, oferecendo uma compreensão geral, aplicável a realidades histórico-sociais semelhantes, pode ser chamado de CATEGORIA. P. ex.: ◦ Categoria TRABALHO ◦ Categoria HOMEM ◦ Categoria REVOLUÇÃO ◦ Categoria CONTINENTE CONCEITOS não podem ser utilizados como MODELOS [sujeitando a si os dados empíricos], mas facilitam o processo de conhecer como INDICADORES de expectativas analíticas. 23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 9
  • 10. Conclusão: quais são os fins e quais são os meios do ensino-aprendizagem em História? Estes são os objetivos dos PCNs para os 4 anos finais do ensino fundamental: 23/02/2015 19:37:13 CONCEITOS FUNDAMENTAIS 10