PSICOGÊNESE  DA LÍNGUA ESCRITAPALESTRANTES: ADENITA E CLEIDE
A Casa do Zé                    Bia Bedran            Pra entrar na casa do Zé               Tem que bater o pé           ...
Mas você tem que dá um pulinho também    Mas você tem que dá um pulinho também                 Dá um pulinho...Bater palma...
Mas você tem que dá uma rebolada              tambémMas você tem que dá uma rebolada              tambémDá uma rebolada......
Mas você tem que abraçar o colega também Mas você tem que abraçar o colega tambémAbraçar o colega... dá uma rebolada... dá...
ALGUNS TÓPICOS INTERESSANTESQUE FORAM DITOS NA ABERTURA DO CURSO PELA PROFª FÁTIMARESENDE – SECRETÁRIA ADJUNTA  DE POLÍTIC...
“... QUEM NÃO VÊ BEM UMA PALAVRA, NÃOVÊ BEM UMA ALMA.”(FERNANDO PESSOA) Apresentação e Significado da Capa do  Material ...
QUANDO FLORA O IPÊ…PUBLICADO EM 16 AGOSTO, 2007 POR JENÁRIO DE FÁTIMA
COMO É BONITO VER O IPÊ QUE FLORA,PELO CERRADO NO MÊS DE AGOSTO.COM TANTA SECA, TANTO CINZA EXPOSTOE TANTA ARIDEZ PELO CAM...
OLHANDO O CERRADO, PENSO AGORA EMMIM!ANDO DISTORCIDO, ANDO TÃO DESCRENTECOMO HÁ MUITO TEMPO, NÃO ME VIA ASSIM.MAS MINHA CA...
PALESTRA: NEUROCIÊNCIA (ESTUDO DOCÉREBRO – COMO LÊ – COMO APRENDE) PROFESSORA DRª ELVIRA DE SOUZA LIMA(USP) – PESQUISADORA...
 Ela diz: “O Ensino não pode ir além da  Memória do Professor. O Professor  ensina com aquilo que ele tem na  Memória.” ...
O  Cérebro tem uma parte  Genética e outra Cultural.  Temos milhões de Neurônios;  os homens um pouco a mais,  não sabe p...
   Desde criança somos aparelhados para copiar    do outro;   Somos espelhos - As crianças imitam desde    o nascimento;...
 Precisamos dar oportunidades para as  Crianças Desenharem – o traçado  sempre será o mesmo, mas a ideia é  outra (contra...
ENCERRA DIZENDO QUE : Precisamos trabalhar com o Verbo de Ação –  precisamos explorar bem esse verbo – só  assim ele vai ...
Apresentado por : Adenita e Cleide       Escola “São José”        Outubro de 2012
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA       ESCRITA
“Quando uma criança escreve tal como  acredita que poderia ou deveria  escrever certo conjunto de palavras,  está nos ofer...
“(…)  a minha contribuição foi encontrar uma explicação segundo a qual, por trás da mão que pega o lápis, dos olhos que o...
ATENÇÃO Garatujas – a primeira escrita da criança não é  considerada pela escola como tentativa de  escrita. A escrita é...
 Antes de entrar no ensino sistemático  das letras a criança já detém uma  grande competência linguística que  não é cons...
DESAFIOS
O QUE A CRIANÇA PRECISA SABER? 1-  O que representa os risquinhos  pretos em uma página branca? –  ideia de símbolo; 2- ...
diferenças linguisticamente relevantes entre  esses sons - discriminação do som da  fala;   4 - Captar o    conceito da p...
FERREIRO E TEBEROSKY AFIRMAMQUE ANTES DE LER A CRIANÇAESTABELECE CRITÉRIOS DELEGIBILIDADE Hipótese da Quantidade  mínima ...
O QUE SÃO FASES DA ESCRITA??
 Representam     e são frutos das  observações das estratégias  utilizadas pelas crianças para  fazer       diferenciação...
PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ESCRITAA  - Fase Pictórica - a criança          registra garatujas,     rabiscos, desenhos ou sin...
EXEMPLO DE ESCRITA PICTOGRÁFICA   flor               carr        lua               o    mesa           cas                ...
B– Fase Gráfica Primitiva- a criança registrasímbolos, números ,pseudoletras, letrasmisturando tudo aoescrever.
EXEMPLO DE ESCRITA GRÁFICAPRIMITIVA No∆21     B- carro Pirv2n3    – árvore Nolis   – carro 1ØΩ     A54 - bicicleta
Hipótesesda Escrita SegundoFerreir0 eTeberosky
Pré-silábicaSilábicaSilábica -AlfabéticaAlfabética
PRÉ-SILÁBICACaracterísticas gerais:   Escrita e desenho têm o mesmo significado;   Não registram traços no papel com a i...
   Procuram registrar alguns atributos do    objeto de que se fala o tamanho é um    deles (realismo nominal).
PRÉ-SILÁBICA - NÍVEL 1 A criança começa diferenciar números /  letras / símbolos, Baixa diferenciação entre a grafia de ...
 Usa o desenho como representação; Dificuldade de compreender a função da  escrita ( registro de significado ou de  pala...
PRÉ-SILÁBICA - NÍVEL 2    Tentativa sistemática de criar     diferenciações entre os grafismo de     palavras;    A orde...
EXEMPLOS DE ESCRITA PRÉ-SILÁBICANÍVEL 2
AVANÇOS A SEREM BUSCADOS:• Diferenciar o desenho da escrita;• Perceber as letras e seus sons;• Identificar e escrever o pr...
SILÁBICA – NÍVEL 3 Compreende que a escrita representa a  fala; Começa       na maioria das vezes a  relacionar     letr...
 Em frases, pode escrever uma letra  para cada palavra; Acrescenta letras no início – meio e no  final das palavras; Ex...
ESCRITA SILÁBICA SEM VALOR SONORO
ESCRITA SILÁBICA COM VALOR SONORO
AVANÇOS A SEREM BUSCADOS:   Atribuir valor sonoro às letras;   Aceitar definitivamente que não é    preciso muitas letra...
SILÁBICA ALFABÉTICA - NÍVEL 4   Compreende que escrita representa o som da    fala;   Percebe que para escrever não é su...
 Ora utilizam as letras com  representação da sílaba ora como  fonema; Prioriza na escrita ora as vogais, ora as  consoa...
   Usar mais de uma letra para    representar o fonema quando    necessário;    • perceber que nem sempre há    correspo...
ALFABÉTICA - NÍVEL 5 Compreende que a escrita tem uma  função social; Compreende como se dá o processo  da escrita; Per...
 Compreende que cada um dos  caracteres da escrita corresponde  valores menores que a sílaba ; Pode ainda não separar to...
AVANÇOS A SEREM BUSCADOSPreocupação   com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação);
IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS:POR QUE É IMPORTANTE   IDENTIFICAR O NÍVEL DE ESCRITA DA CRIANÇA?   Sintonia entre o que a crianç...
   Não ter como ponto de partida o fixar o    ensino nas associações entre letra e som,    pois perceber que a escrita re...
“ O tipo de mudança que fará diferença        nas escolas não virá com   melhores teorias ou com melhores  materiais, ou m...
VIVÊNCIA:*CADA GRUPO IRÁ ANALISAR OS TEXTOS E CLASSIFICÁ-  LOS DE ACORDO COM CADA NÍVEL. *ESCOLHA UM       REPRESENTANTE P...
SUGESTÕES DE ATIVIDADESNÍVEL DA ESCRITA SILÁBICO – ALFABÉTICO e ALFABÉTICO- Desenhar e escrever o que desenhou;- Usar o no...
- Produção oral de histórias;- Escrita espontânea;- Textos coletivos tendo o professor como escriba;- Aumentar o repertóri...
- Escrita de listas em que isto tenha significado: listar o queusamos na hora do lanche, o que tem numa festa de aniversár...
-Cruzadinhas.- Caça-palavras.- Completar lacunas em textos e palavras.- Construir um dicionário ilustrado, desde que o tem...
associar o "GA do nome da"GABRlELA para escrever"GAROTA, "GA VETA ... ;- Ditado de palavras conhecidas;- Produzir pequenos...
SUGESTÕES DE SITES PARA TODOS OSNÍVEIS DA ESCRITAAtividadesescolaresonline.blogspot.com.brGOOGLE: DIGITE*ATIVIDADES PARA O...
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita

733 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Adenita e Cleide Psicogênese da Lingua Escrita

  1. 1. PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITAPALESTRANTES: ADENITA E CLEIDE
  2. 2. A Casa do Zé Bia Bedran Pra entrar na casa do Zé Tem que bater o pé Pra entrar na casa do Zé Tem que bater o pé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar Mas você tem que bater palmas também Mas você tem que bater palmas tambémBater palma, bater o pé, para entrar na casa do ZéBater palma, bater o pé, para entrar na casa do Zé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar
  3. 3. Mas você tem que dá um pulinho também Mas você tem que dá um pulinho também Dá um pulinho...Bater palma, bater o pé, para entrar na casa do ZéBater palma, bater o pé, para entrar na casa do Zé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar Mas você tem que dá uma rodada também Mas você tem que dá uma rodada também Dá uma rodada... dá um pulinho...Bater palma, bater o pé, para entrar na casa do ZéBater palma, bater o pé, para entrar na casa do Zé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar
  4. 4. Mas você tem que dá uma rebolada tambémMas você tem que dá uma rebolada tambémDá uma rebolada... dá uma rodada... dá um pulinho...Bater palma, bater o pé, para entrar na casa do ZéBater palma, bater o pé, para entrar na casa do Zé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar
  5. 5. Mas você tem que abraçar o colega também Mas você tem que abraçar o colega tambémAbraçar o colega... dá uma rebolada... dá uma rodada... dá um pulinho...Bater palma, bater o pé, para entrar na casa do ZéBater palma, bater o pé, para entrar na casa do Zé Lê lê a, agora já posso entrar Lê lê a, agora já posso entrar Oh! Seu Zé, primeiro vou me organizar.
  6. 6. ALGUNS TÓPICOS INTERESSANTESQUE FORAM DITOS NA ABERTURA DO CURSO PELA PROFª FÁTIMARESENDE – SECRETÁRIA ADJUNTA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS:
  7. 7. “... QUEM NÃO VÊ BEM UMA PALAVRA, NÃOVÊ BEM UMA ALMA.”(FERNANDO PESSOA) Apresentação e Significado da Capa do Material “ALFABELETRAR JORNADA DE MATO GROSSO” ALFABELETRAR = Leitura e Escrita = Caminhando Junto JORNADA = Caminhada – Percurso – Trajeto SENTIDO DA JORNADA = Nossa – Não da SEDUC OBJETIVO = Sinônimo da Jornada = Inquietude – Movimento
  8. 8. QUANDO FLORA O IPÊ…PUBLICADO EM 16 AGOSTO, 2007 POR JENÁRIO DE FÁTIMA
  9. 9. COMO É BONITO VER O IPÊ QUE FLORA,PELO CERRADO NO MÊS DE AGOSTO.COM TANTA SECA, TANTO CINZA EXPOSTOE TANTA ARIDEZ PELO CAMPO AFORA,O AMARELO-ROXO, ABRE, REVIGORAFEITO UM DOCE ALENTO A BATER NO ROSTOCOMO SE DEUS ALI TIVESSE POSTOUM SOPRO DE VIDA, NUM MUNDO QUECHORA.
  10. 10. OLHANDO O CERRADO, PENSO AGORA EMMIM!ANDO DISTORCIDO, ANDO TÃO DESCRENTECOMO HÁ MUITO TEMPO, NÃO ME VIA ASSIM.MAS MINHA CABEÇA, ESPERANÇOSA VÊ,QUE NO MEIO DE TUDO IN-SIS-TEN-TE-MEN-TE…FLORA LÁ BEM LONGE…UM PEQUENINOIPÊ…
  11. 11. PALESTRA: NEUROCIÊNCIA (ESTUDO DOCÉREBRO – COMO LÊ – COMO APRENDE) PROFESSORA DRª ELVIRA DE SOUZA LIMA(USP) – PESQUISADORA EMDESENVOLVIMENTO HUMANO: Toda criança pode Aprender; Está comprovado; até mesmo as crianças inclusas aprendem; (Citou exemplos de Hebert Viana e Pedro Leonardo – filho do Leonardo)
  12. 12.  Ela diz: “O Ensino não pode ir além da Memória do Professor. O Professor ensina com aquilo que ele tem na Memória.” O que falta é conhecimento: Formação Continuada; O Cérebro do Professor tem que estar em Movimento = Livro = Pesquisas Vídeos = Músicas ... O movimento faz com que o Cérebro trabalha e se mantenha vivo... O Professor tem o papel Central – portanto, precisa estudar e pesquisar sempre.
  13. 13. O Cérebro tem uma parte Genética e outra Cultural. Temos milhões de Neurônios; os homens um pouco a mais, não sabe porque... rs rs rs Segundo Vallon: uma pessoa é como o seu Cérebro funciona. Temos uma memória de longa duração; Sem longa duração não há aprendizagem;
  14. 14.  Desde criança somos aparelhados para copiar do outro; Somos espelhos - As crianças imitam desde o nascimento; A Criança aprende mais com que fazemos do que com o que faz; A grande função da escola é a de Desenvolver a Escrita, pois temos genética para falar, mas não temos para ler e escrever; Ler e Escrever todos os dias: Cópia / Ditado, ajuda a criança a desenvolver a escrita; Decorar não é do mal - É uma Capacidade do Ser Humano;
  15. 15.  Precisamos dar oportunidades para as Crianças Desenharem – o traçado sempre será o mesmo, mas a ideia é outra (contra folhas xerocadas) - precisamos oferecer: músicas - poemas – cantigas de roda – palavras – cruzadas - vídeos – dança - capoeira... Nos USA a Música Tico-Tico no Fubá faz parte do Currículo – estão usando nossa Cultura para Ensinar as Crianças; Está comprovado que a Criança que canta aos 6 anos aprende a Ler e a Escrever; Ensinar com Caixa Alta facilita a aprendizagem – mas também se aprende com a Cursiva.
  16. 16. ENCERRA DIZENDO QUE : Precisamos trabalhar com o Verbo de Ação – precisamos explorar bem esse verbo – só assim ele vai Agir nas nossas Crianças. Bem como, o Verbo Brincar. *Não tem regras para iniciar a Alfabetização – A grande questão é que não devemos inventar teorias. *Devemos desenvolver atividades de estudos para que o nosso Cérebro desenvolva. SER um SER em MOVIMENTO : Professor X Aluno;
  17. 17. Apresentado por : Adenita e Cleide Escola “São José” Outubro de 2012
  18. 18. PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
  19. 19. “Quando uma criança escreve tal como acredita que poderia ou deveria escrever certo conjunto de palavras, está nos oferecendo um valiosíssimo documento que necessita ser interpretado para poder ser avaliado... Aprender a lê-las – isto é a interpretá- las – é um longo aprendizado que requer atitude teórica definida”. ( Ferreiro, 1985, p.16-70).
  20. 20. “(…) a minha contribuição foi encontrar uma explicação segundo a qual, por trás da mão que pega o lápis, dos olhos que olham, dos ouvidos que escutam há uma criança que pensa” Emilia Ferreiro
  21. 21. ATENÇÃO Garatujas – a primeira escrita da criança não é considerada pela escola como tentativa de escrita. A escrita é mais ritualizada do que a leitura. Desenho é escrita. A escrita da criança é errada quando não corresponde à forma socialmente válida.
  22. 22.  Antes de entrar no ensino sistemático das letras a criança já detém uma grande competência linguística que não é considerada. Nenhuma escrita examinada nas relações que tem com o código oral, realiza a transcrição fonética da língua oral. No contexto linguístico as relações entre fala e escrita não são homogêneas – a escrita não é o espelho da fala. Relações entre letras e sons são
  23. 23. DESAFIOS
  24. 24. O QUE A CRIANÇA PRECISA SABER? 1- O que representa os risquinhos pretos em uma página branca? – ideia de símbolo; 2- Entender que cada risco vale um símbolo- discriminação das letras; 3- Conscientização da percepção auditiva se as letras simbolizam os sons da fala é peciso saber ouvir
  25. 25. diferenças linguisticamente relevantes entre esses sons - discriminação do som da fala; 4 - Captar o conceito da palavra - discriminação das palavras; 5 – Reconhecer as sentenças - organização da página escrita;Fonte: Guia Teórico do Alfabetizador - Miriam Lemle
  26. 26. FERREIRO E TEBEROSKY AFIRMAMQUE ANTES DE LER A CRIANÇAESTABELECE CRITÉRIOS DELEGIBILIDADE Hipótese da Quantidade mínima de caracteres; Hipótese da Variedade de caracteres.
  27. 27. O QUE SÃO FASES DA ESCRITA??
  28. 28.  Representam e são frutos das observações das estratégias utilizadas pelas crianças para fazer diferenciação e representações escritas próprias; São aspectos construtivos da escrita que sofrem uma evolução regular.
  29. 29. PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ESCRITAA - Fase Pictórica - a criança registra garatujas, rabiscos, desenhos ou sinais que não lembram letras.
  30. 30. EXEMPLO DE ESCRITA PICTOGRÁFICA flor carr lua o mesa cas a
  31. 31. B– Fase Gráfica Primitiva- a criança registrasímbolos, números ,pseudoletras, letrasmisturando tudo aoescrever.
  32. 32. EXEMPLO DE ESCRITA GRÁFICAPRIMITIVA No∆21 B- carro Pirv2n3 – árvore Nolis – carro 1ØΩ A54 - bicicleta
  33. 33. Hipótesesda Escrita SegundoFerreir0 eTeberosky
  34. 34. Pré-silábicaSilábicaSilábica -AlfabéticaAlfabética
  35. 35. PRÉ-SILÁBICACaracterísticas gerais: Escrita e desenho têm o mesmo significado; Não registram traços no papel com a intenção de realizar o registro sonoro- Não sabe que escrever é representar o som da fala; Não faz correspondência entre a letra( grafema) e o som ( fonemas); Não admitem a fragmentação da palavra em unidades menores; Acreditam que para escrever precisa um mínimo de três caracteres; É preciso variar os caracteres;
  36. 36.  Procuram registrar alguns atributos do objeto de que se fala o tamanho é um deles (realismo nominal).
  37. 37. PRÉ-SILÁBICA - NÍVEL 1 A criança começa diferenciar números / letras / símbolos, Baixa diferenciação entre a grafia de uma palavra e outra; Traços descontínuos – mistura tipos de letra; Realismo nominal – associa a escrita ao tamanho do objeto; Só a criança entende a sua escrita podendo mudar de idéia quando
  38. 38.  Usa o desenho como representação; Dificuldade de compreender a função da escrita ( registro de significado ou de palavras). Geralmente usa o mesmo repertório de letras – letras do próprio nome dos pais etcExemplos : Gato – LaurpaPomba - Larapa
  39. 39. PRÉ-SILÁBICA - NÍVEL 2  Tentativa sistemática de criar diferenciações entre os grafismo de palavras;  A ordem da letra deve variar de uma escrita para outra - conjunto diferente do outro;  Começa a desvincular a escrita das imagens e números ;  Intenção de objetivar as diferenças do significado das palavras;  Cria um conjunto que se diferencia de
  40. 40. EXEMPLOS DE ESCRITA PRÉ-SILÁBICANÍVEL 2
  41. 41. AVANÇOS A SEREM BUSCADOS:• Diferenciar o desenho da escrita;• Perceber as letras e seus sons;• Identificar e escrever o próprio nome;• Identificar o nome dos colegas;•Perceber que usamos letras emdiferentes posições
  42. 42. SILÁBICA – NÍVEL 3 Compreende que a escrita representa a fala; Começa na maioria das vezes a relacionar letra ao som ( fonema/grafema); Cada letra representa uma unidade sonora( sílaba); Usa letras com e sem precisão; Algumas crianças ainda usam letra aleatória, porém uma letra para cada sílaba;
  43. 43.  Em frases, pode escrever uma letra para cada palavra; Acrescenta letras no início – meio e no final das palavras; Exemplos: valorSilábico sem Silábico com valorsonoro sonoroEINM - BORBOLETA BOLT - BORBOLETAEIM - CAVALO CVL - CAVALOIAO - SAPO SO - SAPOPAIE - CÃO GS - GIZEIA – CIDADE CDE - CIDADE
  44. 44. ESCRITA SILÁBICA SEM VALOR SONORO
  45. 45. ESCRITA SILÁBICA COM VALOR SONORO
  46. 46. AVANÇOS A SEREM BUSCADOS: Atribuir valor sonoro às letras; Aceitar definitivamente que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala;
  47. 47. SILÁBICA ALFABÉTICA - NÍVEL 4 Compreende que escrita representa o som da fala; Percebe que para escrever não é suficiente uma letra para cada sílaba; Constrói o conceito da sílaba, compreende que o agrupamento de duas ou mais letras formam sílabas; Percebe que cada letra corresponde a um fonema – relaciona fonema/grafema; Acrescenta letras principalmente na sílaba inicial; Alterna escrita silábica com alfabética;
  48. 48.  Ora utilizam as letras com representação da sílaba ora como fonema; Prioriza na escrita ora as vogais, ora as consoantes para escrever as palavras; Exemplos: boi - bi; casa – cz / cza / gato – ao /gto; cavalo - kvl / aao / avl / kal / cvl cavl / cval; cavalo
  49. 49.  Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário; • perceber que nem sempre há correspondência biunívoca entre fonema e grafema . /s/
  50. 50. ALFABÉTICA - NÍVEL 5 Compreende que a escrita tem uma função social; Compreende como se dá o processo da escrita; Percebe que a escrita é a representação da fala; Vê as letras como representação de fonemas; - relação grafema/fonema ; Utiliza as letras segundo o seu valor sonoro convencional, sem falhas e com precisão;
  51. 51.  Compreende que cada um dos caracteres da escrita corresponde valores menores que a sílaba ; Pode ainda não separar todas as palavras nas frases. Exemplos: Caza ( casa), teia (telha), sauxixha (salsicha), aumosso (almoço), cazamento (casamento) , camizeta (camiseta) feis – (fez );
  52. 52. AVANÇOS A SEREM BUSCADOSPreocupação com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação);
  53. 53. IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS:POR QUE É IMPORTANTE IDENTIFICAR O NÍVEL DE ESCRITA DA CRIANÇA? Sintonia entre o que a criança aprende e o que lhe é ensinado; Elencar quais conteúdos são necessários para promover avanços no conhecimento e na construção de capacidades; Compreender a construção do pensamento da criança para intervir no processo de aprendizagem; Perceber que o desenvolvimento da leitura e escrita tem caráter evolutivo;
  54. 54.  Não ter como ponto de partida o fixar o ensino nas associações entre letra e som, pois perceber que a escrita representa o som da fala é uma conquista evolutiva – ponto de chegada; Não perder tempo e espaço com as capacidades para desenvolver a prontidão ou maturidade;
  55. 55. “ O tipo de mudança que fará diferença nas escolas não virá com melhores teorias ou com melhores materiais, ou mesmo com professores mais beminformados, mas somente com cada um assumindo uma atitude em direção à mudança”. Frank Smith Fonte: Profa
  56. 56. VIVÊNCIA:*CADA GRUPO IRÁ ANALISAR OS TEXTOS E CLASSIFICÁ- LOS DE ACORDO COM CADA NÍVEL. *ESCOLHA UM REPRESENTANTE PARA A SOCIALIZAR. TEMPO: 10 MINUTOS NÍVEIS: -PRÉ-SILÁBICO; -SILÁBICO: .SEM VALOR SONORO .COM VALOR SONORO; -SILÁBICO ALFABÉTICO; -ALFABÉTICO.
  57. 57. SUGESTÕES DE ATIVIDADESNÍVEL DA ESCRITA SILÁBICO – ALFABÉTICO e ALFABÉTICO- Desenhar e escrever o que desenhou;- Usar o nome em situações significativas: marcar atividades,objetos,utilizá-Io em jogos, bilhetes, etc;- Ouvir leitura feita diária pela professora e poder recontá-Ia;- Ter contato com diferentes portadores de textos;- Freqüentar a biblioteca, banca de jornais, etc;- Reconhecer e ler o próprio nome em situações significativas:chamadas, jogos, etc;- Conversar sobre a função da escrita;- Utilizar letras móveis para pesquisar nomes, reproduzir o próprionome ou dos amigos;- Bingo de letras;
  58. 58. - Produção oral de histórias;- Escrita espontânea;- Textos coletivos tendo o professor como escriba;- Aumentar o repertório de letras;- Leitura dos nomes das crianças da classe, quando isto forsignificativo.- Comparar e relacionar palavras;- Produzir textos de forma não convencional;- Identificar personagens conhecidos a partir de seus nomes, ouescrever seus nomes de acordo com sua possibilidade;- Recitar textos memorizados: parlendas, poemas, músicas, etc;- Atividades em que seja preciso reconhecer a letra inicial e a letrafinal;- Atividades que apontem para a variação da quantidade de letras;- Completar palavras usando a letra inicial e final;
  59. 59. - Escrita de listas em que isto tenha significado: listar o queusamos na hora do lanche, o que tem numa festa de aniversário,etc. - Comparar e relacionar escritas de palavras diversas. - Escrever pequenos textos memorizados (parlendas, poemas,músicas, trava-línguas...). -Completar palavras com letras para evidenciar seu som: camelo= c m l ou a e o. -Relacionar personagens a partir do nome escrito. - Relacionar figura às palavras, através do reconhecimento daletra inicial. -Ter contato com a escrita convencional em atividadessignificativas: Reconhecer letras em um pequeno texto conhecido.- Leitura de textos conhecidos. - Relacionar textos memorizados com sua grafia.
  60. 60. -Cruzadinhas.- Caça-palavras.- Completar lacunas em textos e palavras.- Construir um dicionário ilustrado, desde que o tema sejasignificativo.- Evidenciar rimas entre as palavras;- Usar o alfabeto móvel para escritas significativas;-Jogos variados para associar o desenho e seu nome;- Colocar letras em ordem alfabética;- Contar a quantidade de palavras de uma frase.- Separar as palavras de um texto memorizado;- Generalizar os conhecimentos para escreverpalavras que não conhece:
  61. 61. associar o "GA do nome da"GABRlELA para escrever"GAROTA, "GA VETA ... ;- Ditado de palavras conhecidas;- Produzir pequenos textos;- Reescrever histórias.
  62. 62. SUGESTÕES DE SITES PARA TODOS OSNÍVEIS DA ESCRITAAtividadesescolaresonline.blogspot.com.brGOOGLE: DIGITE*ATIVIDADES PARA O NÍVEL PRÉ-SILÁBICO;*ATIVIDADES PARA O NÍVEL SILÁBICO;*ATIVIDADES PARA O NÍVEL SILABICO ALFABETICO;*ATIVIDADES PARA O NÍVELALFABETICO;Alfabetização e psicogênese – youtube.

×