INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática                 Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática   Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654               ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática              Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654    ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática        Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654          ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática        Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654          ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática        Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654          ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática            Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654      ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática        Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654          ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática             Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654     ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática             Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654     ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática            Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654      ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática     Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654             ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática   Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654               ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática             Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654     ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática      Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654            ...
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática            Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

12630 77371-1-pb[1]

563 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
563
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12630 77371-1-pb[1]

  1. 1. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X A informática no processo de ensino aprendizagem do Instituto Federal Baiano – Campus Guanambi Computer in teaching learning process of Instituto Federal Baiano, Campus GuanambiResumo:O trabalho tem por objetivo geral descrever o uso da in-formática na prática pedagógica dos docentes do Instituto Naidson Clayr Santos FerreiraFederal Baiano – Campus Guanambi. Analisamos o nível defamiliaridade dos docentes com a informática; identifica- Instituto Federal Baianomos os elementos objetivos e subjetivos que condicionamo uso do Laboratório de Informática; identificamos as pos-sibilidades e potencialidades do uso da informática comoferramenta de ensino na IF Baiano – Campus Guanambi.Este estudo foi realizado com 33 professores que compõemo quadro docente do IF Baiano – Campus Guanambi e para 1 Introduçãoisso foi utilizada uma abordagem descritiva, de caráterquantitativo, fundamentada em um quadro conceitual com- Vposto a partir da revisão da literatura e em dados coletadosa partir da aplicação de questionários. Com essa descrição ivemos numa sociedade onde o conhe-do uso da informática no IF Baiano – Campus Guanam-bi, podemos oferecer instrumentos para a elaboração de cimento, a informação e o domínio dapropostas de melhoria de uso das tecnologias existentes informática, são pontos importantes ena instituição, onde os docentes possam desenvolver suasatividades. decisivos para que uma pessoa sobreviva numPalavras-Chave: Informática. Prática Pedagógica. Ensino/Aprendizagem. mundo marcado pelos avanços tecnológicos. Os educadores, como integrantes dessa so-Abstract:The aim of this paper was to describe the general use of ciedade, vivenciam estas transformações.computing in the pedagogical practice at Instituto FederalBaiano, Campus Guanambi. There was analyzed the level Nesta etapa de mudanças, o professor temof teachers’ familiarity with computing. There was identi- também como principal objetivo ensinar osfied the objective and subjective elements that conditionedthe use of the Computer Laboratory, the possibilities and educandos onde e como buscar a informação,potential use of computer technology as a teaching tool como tratá-la e como utilizá-la, bem comoat IFBaiano, Guanambi Campus. The study was conductedwith 33 teachers of the institution. There were used a des- de promover a aprendizagem, fazendo comcriptive approach, quantitative, grounded in a conceptualframework made up from the literature review and on data que os mesmos construam o conhecimen-collected from the questionnaires. With this description of to de forma individual e em grupo, reunidosthe use of computing at IFBaiano, Guanambi Campus, to-ols were offered for drawing up proposals for improved the por área de interesse. Para isso o professorteachers’ use of the existing technologies in their activitiesin the Campus. deve saber manusear e usar com segurançaKeywords: Computing. Pedagogical Practice. Teaching and a informática, de forma adequada, manter-seLearning. sempre informado, estar sempre procurando experiências bem sucedidas na área, de modo que possa aprimorar sua prática pedagógica, criando assim uma interação professor-aluno- informática. Verifica-se também a necessidade da ado- ção de propostas educativas no processo de formação de profissionais que sejam capazes de dominar e utilizar a informática (computa-FERREIRA, Naidson Clayr Santos. A Informática no Processo dor, softwares educacionais, datashow) comode Ensino Aprendizagem do Instituto Federal Baiano – Cam- ferramenta no mercado de trabalho e, também,pus Guanambi. Informática na Educação: teoria & prática,Porto Alegre, v. 13, n. 1, p. 140-155, jan./jun. 2010. como estratégia para o desenvolvimento. 140
  2. 2. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X Diante do exposto partimos da hipótese departamentos; 60 computadores divididosque a utilização da informática (computador; em dois laboratórios de informática; 10 com-internet; softwares educacionais) por parte putadores que estão na sala de internet parados professores do Instituto Federal de Edu- acesso dos discentes e o restante dos com-cação, Ciência e Tecnologia Baiano – Campus putadores está distribuído nos departamentosGuanambi antiga Escola Agrotécnica Federal do IF Baiano – Campus Guanambi. Todos es-Antônio José Teixeira contribui significativa- ses equipamentos têm acesso à internet. O IFmente para o estímulo de práticas inovadoras Baiano – Campus Guanambi possui uma mé-no IF Baiano – Campus Guanambi, o que cons- dia de 40 alunos por turma que usam o Labo-titui fator de qualidade do ensino. ratório de informática. Além desses computadores, o IF Baiano – Campus Guanambi possui outras tecnologias2 O uso da informática na prática da área de informática que auxiliam no fun-educativa no IF Baiano – Campus cionamento administrativo e pedagógico daGuanambi instituição. São essas as tecnologias: um software que atende a Coordenação de Registros Escola- O avanço rápido da informática tem trazido res (CRE), Almoxarifado, Coordenação Geralsignificativas contribuições para o progresso de Assistência ao Educando (CGAE), um linkcultural e científico, principalmente quando de 2MB da Rede Nacional de Pesquisa (RNP),possibilita o suporte tecnológico para congre- na qual permite que o IF Baiano – Campusgar e difundir conhecimento. Por essa razão, o Guanambi tenha acesso à internet 24 horas,meio produtivo em que a IF Baiano – Campus 30 datashows, softwares educacionais e umGuanambi se encontra exige cada vez mais sistemas de antenas para redes wireless quepessoal com competências e habilidades de- cobre todo o instituto.senvolvidas em informática. Os softwares educacionais utilizados pelo O IF Baiano – Campus Guanambi possui IF Baiano – Campus Guanambi foram adquiri-uma Unidade de Processamento de Dados dos por meio de um projeto junto a Fundação(UPD) que conta com cinco funcionários. Des- Vitae. Esses softwares foram escolhidos pelases cinco funcionários, três têm nível superior Unidade de Processamento de Dados – UPDe exercem o cargo de Analista de sistemas do de acordo as disciplinas que são ministradasInstituto e os outros dois possuem nível téc- no Instituto. Os softwares educacionais se en-nico e exercem o cargo de Técnico em infor- contram instalados nos computadores de ummática. No organograma, a UPD está direta- dos Laboratórios de informática.mente ligada à Direção Geral. A Coordenaçãoda UPD está sob a responsabilidade de um 2.1 Apresentação do problemadesses funcionários e os outros o auxiliam na Com várias justificativas, as tecnologias in-coordenação. O Instituto não possui alunos vadem as instituições escolares, demandandomonitores de informática. dos professores um posicionamento quanto ao Na UPD, os seguintes serviços são realiza- quê e como fazer para otimizar os recursos dados: 1) manutenção e montagem de compu- informática para o benefício do trabalho peda-tadores; 2) administração da rede de compu- gógico.tadores e servidores; 3) especificação técnica O problema começa com o processo de in-dos equipamentos de informática que serão formatização das escolas, onde não se tem umadquiridos pelo IF Baiano – Campus Guanam- planejamento da área de informática, simples-bi; 4) desenvolvimento e administração do mente criam-se os laboratórios de informáticasite do IF Baiano – Campus Guanambi onde e não tem uma pessoa responsável por aque-são colocadas informações da instituição; 5) le setor. Devemos também levar em conside-suporte técnico de trabalhos realizados pelos ração, apesar da própria política do governodepartamentos do instituto. federal de investir nessa área de tecnologia, O IF Baiano – Campus Guanambi tem uma que ocorre um investimento muito alto em la-média de 200 máquinas assim distribuídas: 51 boratórios de informática para as escolas e osnotebooks, que foram adquiridos no ano de mesmos são subutilizados, ou seja, às vezes2008, para uso dos docentes e dos chefes de encontramos escolas bem equipadas com to- 141
  3. 3. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084Xdos os equipamentos de informática possíveis, nos façam pesquisas das determinadas disci-mas os mesmos não são utilizados em sua to- plinas, com o objetivo de buscar na internettal potencialidade. material para se montar seminários e outros A escola, hoje em dia, vive em uma socie- trabalhos. Os professores reconhecem que odade cheia de informações instantâneas, su- IF Baiano – Campus Guanambi tem um Labo-perficiais e fragmentadas, marcada por um ratório de Informática, com acesso a internetperíodo efêmero. Os computadores entram no e alguns softwares educacionais, disponibiliza-ambiente escolar dentro de um campo mais dos para suas atividades de ensino e pesquisa,amplo, que é a informática. mas mesmo assim não os utilizam. Baseado nessas mudanças, Moran, Masse- Isto posto, surgem as seguintes questões:to e Behrens (2000, p. 139) afirmam que “[…] porque os docentes do IF Baiano – Campusnão é a tecnologia que vai resolver ou solucio- Guanambi não utilizam o laboratório de infor-nar o problema educacional do Brasil. Poderá mática? Será que os professores do IF Baianocolaborar, no entanto, se for usada adequada- – Campus Guanambi estão preparados paramente, para o desenvolvimento educacional utilizar a informática na sua prática pedagógi-de nossos estudantes […]”. ca? Os docentes do IF Baiano – Campus Gua- Ainda nesse contexto, Souza (2002, p. 02) nambi têm conhecimento dessas tecnologiasafirma que “[…] ignorar a existência do compu- na utilização de suas atividades de ensino etador como elemento potencialmente rico para pesquisa? Porque alguns docentes utilizam aso ensino é tão grave quanto crer que ele re- tecnologias existentes na instituição e outrossolverá todos os problemas de nosso sistema não? Os docentes sabem das potencialidadeseducacional. É preciso avaliar e planejar.” que as tecnologias podem trazer para a sua A simples utilização da informática não am- prática pedagógica?para a eficiência do processo de ensino-apren- Diante de todas estas questões, poderíamosdizagem, ainda mais se essa utilização tiver apontar como o problema a ser investigado écomo finalidade o ingresso das tecnologias na se a utilização da informática (computador; in-escola, isto é, se a preocupação não for o pro- ternet; softwares educacionais) pode influen-fessor e o aluno que quer aprender. ciar positivamente a prática pedagógica dos Neste contexto, é imprescindível que os docentes do IF Baiano – Campus Guanambi.cursos oferecidos pela instituição disponham Neste sentido, nossa investigação se de-de laboratórios que instrumentalizem este senvolve a partir da prática docente dos pro-processo didático-pedagógico. fessores do IF Baiano – Campus Guanambi. Diante desse panorama, o funcionamento Partimos da hipótese de que a utilização dado Laboratório de Informática ocorre da se- informática (computador; internet; softwaresguinte maneira: Tanto os professores da Área educacionais) por parte desses professoresDiversificada1 como da Base Comum2 utilizam contribui significativamente para o estímuloo Laboratório de Informática para ministrar as de práticas inovadoras no IF Baiano – Campusaulas. As disciplinas usam o Laboratório de In- Guanambi, o que constitui fator de qualidadeformática em situações esporádicas e de acor- do ensino.do com o horário disponível do Laboratório deInformática. Os professores que têm interesse 2.2 Metodologiaem ministrar alguma aula no Laboratório de Para a elaboração deste estudo foi usadaInformática, verificam junto aos professores uma abordagem descritiva, de caráter quan-de informática os horários de aula e nos pe- titativo, fundamentada em um quadro concei-ríodos em que não há aula marcada deixam tual composto a partir da revisão da literaturareservado o laboratório para que possam mi- e em dados coletados a partir da aplicação denistrar suas aulas. questionários e da observação participante do Essas aulas são utilizadas para que os alu- cotidiano da escola. Relacionada à pesquisa descritiva e do ponto de vista de seus objetivos Silva e Me-1 Professores na qual ministram as disciplinas da área agr- nezes diz que,opecuária, tais como: Mecanização Agrícola, Informática,Topografia, Zootecnia, Bovinocultura de corte, etc.2 Professores na qual ministram aulas do Ensino Médio, tais […] uma pesquisa descritiva tem como objetivocomo: Geografia, História, Matemática, Química, etc. primordial a descrição das características de de- 142
  4. 4. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X terminadas população ou fenômeno, ou estabe- mesmas, identificar possibilidades e potencia- lecimento de relações entre variáveis – algumas lidades para o ensino com a utilização da in- pesquisas descritivas vão além da simples iden- tificação da existência de relações entre variá- formática no IF Baiano – Campus Guanambi. veis, pretendendo determinar a natureza dessa relação. (SILVA; MENEZES, 2002a, p. 21) 3 Revisão bibliográfica Os sujeitos investigados na pesquisa foram33 docentes que compõem o quadro de pro-fessores do IF Baiano – Campus Guanambi e O trabalho enriquecido pelo acesso à infor-para se fazer a coleta de dados e informações mática pode oportunizar a construção de co-foi utilizada a pesquisa de campo, na qual tem nhecimento e aprendizagem contínua. Kenskicomo objetivo alcançar informações ou conhe- (2007, p. 45) afirma que a informática “[…]cimentos referentes a um determinado pro- quando bem utilizada, provoca a alteraçãoblema na qual se busca uma resposta, ou caso do comportamento de professores e alunos,se queira comprovar uma hipótese, ou ainda, levando-os ao conhecimento e maior aprofun-explorar novos fenômenos tal como ocorrem damento do conteúdo estudado […]”.espontaneamente, na coleta de dados a eles De acordo com Cox (2003, p. 55), “[…] areferentes e no registro de variáveis que se adoção da informática na prática de sala depresumem relevantes, para analisá-los. Para aula pode provocar importantes mudanças noa realização da pesquisa de campo foram apli- processo de educação nas escolas, ao estimu-cados questionários como ferramenta de cole- lar a revisão das ações dos agentes escolaresta de dados. […]”. Como parte integrante do uso da infor- Com relação aos questionários Pádua mática nos temos os softwares aplicativos.(2004, p. 72) define-os “[…] como instrumen- Para esse tipo de software temos os proces-tos de coleta de dados que são preenchidos sadores de textos. Com exemplo desses sof-pelos informantes, sem a presença do pesqui- twares temos o Word e sua importância den-sador”. tro da educação, pode ser vista por Gasperetti Ele também diz: (2001, p. 90) onde ele afirma que: Na elaboração do questionário é importante de- […] ultrapassada a era das máquinas de escrever terminar quais são as questões mais relevantes a e do papel carbono, os programas de processa- serem propostas, relacionando cada item à pes- mento de texto tornaram-se indispensáveis em quisa que esta sendo feita e a hipótese que se escritórios e, principalmente, na escola. Não quer demonstrar/provar/verificar. Isto quer dizer somente porque permitem preparar trabalhos, que o pesquisador deve elaborar o questionário pesquisas e documentos diversos, mas porque somente a partir do momento em que tem um os estudantes devem conviver com esse instru- conhecimento razoável do tema proposto para mento desde o início. pesquisa. (PÁDUA, 2004, p. 72) Quanto à Planilha Eletrônica, Excel, que é Essa pesquisa teve como objetivo geral a um outro tipo de sofware aplicativo, Aguiar &descrição do uso da informática no processo Sette (2000, p. 26) diz que “[…] por sua vez,ensino-aprendizagem no IF Baiano – Campus as planilhas auxiliam na compreensão dosGuanambi, para podermos, por meio do mes- conceitos de matriz e de expressões aritméti-mo, oferecer instrumentos analíticos para a cas, bem como na aplicação de problemas doelaboração de propostas de melhoria de uso cotidiano.”das tecnologias existentes na instituição, onde O uso de softwares educacionais constituios docentes possam desenvolver suas ativida- um outro importante aspecto que deve serdes pedagógicas com um instrumento a mais, considerado. Os que mais estimulam e pro-visando o processo ensino-aprendizagem. vocam serão selecionados para o progresso Por meio dos questionários aplicados a pes- de um bom trabalho. A função do professor équisa permitiu alcançar os seguintes objetivos essencial nesse processo e com relação a issoespecíficos: Analisar informações referentes à Almeida diz que:familiaridade dos docentes com a informática,identificar os elementos condicionantes obje- O professor-aprendiz explora e analisa diferen- tes softwares educacionais, identifica as teoriastivos e subjetivos para o uso adequado das 143
  5. 5. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X subjacentes aos mesmos, analisa suas poten- docentes tenha que fazer investimentos finan- cialidades, limitações e possíveis implicações na ceiros próprio. prática e na investigação pedagógica, aplicando o ciclo descrição-execução-reflexão-depuração. Neste cenário, Bettega afirma que: (ALMEIDA, 2000a, p. 30) […] investimentos estruturais e financeiros tor- nam-se imprescindíveis para a elevação da qua- Ainda sobre a utilização e aplicação dos lidade do ensino no país. A criação de planos desoftwares educacionais, Aguiar e Sette afir- carreira baseados no mérito, no nível de forma-mam que: ção e na aplicação do saber apreendido ao am- biente da escola pode ser uma política promisso- ra para estimular o educador a dedicar-se a sua […] a escolha de um software é um processo. atualização para a prática pedagógica. (BETTE- Não existe receita pronta. Exige conhecimento GA, 2004, p. 42) a respeito, o que pressupõe a análise e a aplica- ção associada à proposta pedagógica da escola e à preparação de material metodológico para o uso e a avaliação do processo. (AGUIAR; SETTE, Existem diferentes métodos para serem 2000, p. 30) utilizados em cursos de capacitação de profes- sor para que possam exercer suas atividades Segundo Moraes (1997, p. 6) “[…] a literatu- com a informática. Para que seja bem sucedi-ra [...] vem demonstrando que o computador da, essa capacitação em informática educa-deve ser utilizado como catalisador de mu- cional deve ter seus conteúdos organizadosdanças do modelo educacional vigente […]”. A de acordo com as necessidades técnicas e pe-esse respeito, Valente afirma que: dagógicas de cada docente e a programação dos cursos de capacitação é antecipadamente […] os computadores estão propiciando uma determinada e passada para os professores. verdadeira revolução no processo ensino apren- De acordo Valente, dizagem. Uma razão mais óbvia advém dos di- ferentes tipos de abordagens de ensino que podem ser realizados através do computador, […] a formação profissional capaz de implantar devido aos inúmeros programas desenvolvidos mudanças na sua prática demanda outras espe- para auxiliar o processo ensino-aprendizagem. cificidades. No entanto, elas só se tornam evi- Entretanto, a maior contribuição do computador dentes quando o professor, após o término de como meio educacional advém do fato do seu um curso de capacitação , retorna à sua escola uso ter provocado o questionamento dos méto- para recontextualizar na sua prática pedagógica dos e processos de ensino utilizados. (VALENTE, aquilo que aprendeu. (VALENTE, 2003, p. 22) 2003, p. 14) Neste cenário, Almeida afirma que Todo esse aparato tecnológico que as es-colas possuem precisa ter utilizado de forma […] a formação não se encerra com a conclusão de cursos, oficinas ou outros eventos, pois devea auxiliar no processo ensino aprendizagem. ter o caráter e continuidade, que se concretizaPara isso é preciso que os professores estejam por meio de reuniões periódicas, seminários epreparados. É ai que entra em cena os cursos debates através de redes telemáticas (Internet),de capacitação para o uso da informática em encontros presenciais e oficinas. (ALMEIDA, 2000b, p. 178)sala de aula pelos docentes. Neste contextoCox afirma que: Tudo isso faz com que a informática de- […] para intervir, os professores, assim como sempenhe uma função importante na prática os outros agentes educacionais, precisam dis- de ensino. Neste panorama, Silva (2002b, p. por de conhecimentos e habilidades específi- cas. Precisam, dentre outras coisas, conhecer 26) afirma que “[…] a informática disponibili- as ferramentas computacionais que podem ter za, hoje, diversos recursos que podem agilizar serventia à sua prática educacional escolar e sa- o aprendizado em qualquer conteúdo e tornar ber explorar os instrumentos da informática de forma que atendam aos objetivos educacionais. as aulas mais interessantes […]”. (COX, 2003, p. 109) Bettega (2004, p. 80), afirma que “[…] de- vemos reconhecer a informática como uma ferramenta para novas estratégias de apren- Muitos desses cursos de capacitação para dizagem capaz de contribuir de forma signifi-o uso da tecnologia não são oferecidos pelas cativa para o processo de construção do co-instituições de ensino. Fazendo com que os nhecimento nas diversas áreas[…]”. 144
  6. 6. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X Segundo Moran (2009a, p. 11), “[…] a inter- Licenciatura com 9,09% e Superior – Outrosnet pode ajudar o professor a preparar melhor com 3,03%. Dos docentes pós-graduados, te-a sua aula, a ampliar as formas de lecionar, a mos 9 Especialistas, 17 Mestres e 3 Doutores.modificar o processo de avaliação e de comu- É necessário levarmos em consideração quenicação com o aluno e com os seus colegas.” mais da metade dos pesquisados têm Pós- O autor ainda afirma que: graduação nas suas áreas específicas, mos- trando um perfil sem ligação com a área de O professor vai ampliar a forma de preparar a informática, ou seja, os professores da parte sua aula. Pode ter acesso aos últimos artigos diversificada possui pós-graduação nas áreas publicados, as notícias mais recentes sobre o tema que vai tratar, pode pedir ajuda a outros de Agronomia, Zootecnia, Veterinária e os do- colegas – conhecidos e desconhecidos – sobre centes da base comum possui pós-graduação a melhor maneira de trabalhar aquele assunto nas áreas de Metodologia do Ensino superior, com os seus estudantes. Educação, etc. Os resultados encontrados são […] apresentados na Tabela 1. O grande avanço neste campo da preparação de aula está na possibilidade de consulta a colegas TABELA 1 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi por conhecidos e desconhecidos, a especialistas, de Nível de Escolaridade – 2008 perguntar e obter respostas sobre dúvidas, mé- todos, materiais, estratégias de ensino-aprendi- Escolaridade Nº % zagem. O papel do professor não é de somen- Total 33 100,00 te coletar a informação, mas de trabalhá-la, de Superior - Licenciatura 3 9,09 escolhê-la, confrontando visões, metodologias e resultados. (MORAN, 2009a, p. 11) Superior – Outros 1 3,03 Pós-graduado 29 87,88 Outro ponto que se destaca no processo Nessa parte do questionário buscou-se in-ensino-aprendizagem e que se for usada de vestigar, sobre o conhecimento e a utilizaçãoforma correta poderá ajudar bastante a edu- da informática pelo pesquisado e como elecação é a utilização da internet. Quanto a essa avalia o uso da informática na prática peda-tecnologia Moran (2009a, p. 5) afirma que gógica. Para 27,27% dos docentes pesquisa-“[…] a internet é uma tecnologia que facilita a dos, o primeiro contato com o computadormotivação dos alunos, pela novidade e pelas ocorreu na escola onde cursou o ensino regu-possibilidades inesgotáveis de pesquisa que lar ou faculdade; enquanto que para 24,24%oferece.” quando frequentou uma escola de informática Com tantas tecnologias, entre elas inter- e 18,18% foi em casa; 15,15% foi no seu lo-net, softwares educacionais, softwares apli- cal de trabalho, 12,12% foi na casa de paren-cativos (Word, Excel, Powerpoint, etc) temos tes e amigos. Em menor intensidade, 3,03%ainda o datashow. Ele é um recurso que com tiveram a sua oportunidade em outro local.certeza poderá dinamizar, motivar e melho- Esses dados nos mostram que o computadorrar a qualidade das aulas, mas deve ser usado começou a se tornar aliado dos docentes docom cuidado para não se tornar um problema IF Baiano – Campus Guanambi desde o Ensinona relação professor-aluno. Médio. Segundo Feitosa Neto, As mudanças sociais que se originam da vulgarização do uso e acesso à informática […] esse equipamento é fantástico. Ele dá qua- chegam a todas as instituições e ambientes lidade à aula quando projeta no telão a síntese sociais. Na era em que a informática se desta- dos pontos do conteúdo a ser ministrado; quan- do projeta filmes; exibe a internet; usa figuras, ca, métodos, conduta, conhecimento, saberes sons, imagens etc. É um grande instrumento a e informações se modificam com extraordiná- serviço das práticas pedagógicas, sem dúvida. ria velocidade. Essas mudanças repercutem- (FEITOSA NETO, 2008, p. 1) se sobre as clássicas maneiras de pensar e fazer educação. Abrir-se para novas meto-4 Resultados e discussão dologias de ensino, resultantes de mudanças estruturais nas formas de ensinar e aprender A pesquisa revela que os seguintes níveis possibilitadas pela atualidade tecnológica é ode escolaridade: a maioria dos docentes pos- grande desafio a ser assumido por toda a so-sui Pós-graduação com 87,88%, Superior – ciedade. 145
  7. 7. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X No cenário de mudanças que as tecnolo- res, tais como: Coreldraw, Moodle, etc.gias causam, Libâneo afirma que os avanços TABELA 3 – Indicação da Familiaridade dos Docentes do IFda comunicação, da informática, as transfor- Baiano – Campus Guanambi com Alguma Tecnologia – 2008mações tecnológicas e científicas que marcam Familiaridadeo mundo moderno, “[…] intervêm nas várias com a Sim % Não %esferas da vida social, provocando mudanças Tecnologiaeconômicas, sociais, políticas, culturais, afe- Total 33 100,00 33 100,00tando também, as escolas e o exercício pro-fissional da docência […]” (LIBÂNEO, 2006, p. Programas Básicos (Windows15). Os resultados obtidos podem ser vistos 29 87,88 4 12,12 98, Windows XP,na Tabela 2. etc) TABELA 2 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi Word 33 100,00 0 0,00 Segundo Local Onde Tiveram o Primeiro Contato com o Computador – 2008 Excel 29 87,88 4 12,12Primeiro Contato com o Nº %Computador Powerpoint 31 93,94 2 6,06Total 33 100,00No seu local de trabalho 5 15,15Na casa de parentes ou amigos 4 12,12 Access 5 15,15 28 84,85Em escolas de informática 8 24,24 ProgramasNa escola onde cursou o ensino 13 39,39 20 60,61 9 27,27 Educativosregular ou faculdadeEm casa 6 18,18 Internet 30 90,91 3 9,09Outro 1 3,03 Outros 11 33,33 22 66,67 Na educação, quando possível, é precisoque a ajuda, tanto pessoal, material e didá-tico, seja garantida e organizada, proporcio- Esse resultado nos mostra que a maiorianando novas orientações para uma educação dos docentes do IF Baiano – Campus Gua-melhor qualificada. nambi sabe operar um computador por ter Sendo assim, perguntou-se aos docentes conhecimento nos programas básicos (Win-do IF Baiano – Campus Guanambi sobre sua dows 98, Windows XP), que são programasfamiliaridade com alguma das tecnologias utilizados para trabalhar com o computador.existentes no IF Baiano – Campus Guanambi. Os docentes também têm familiaridade sufi- Verificando a Tabela 3, observamos as ciente no programa mais comum para ediçãoseguintes respostas: 87,88% dos docentes de texto, o Word, utilizando-o para desenvol-responderam ter familiaridade com progra- vimento e preparação de suas atividades, taismas básicos (Windows 98, Windows XP, etc) como: confecção de memorandos, provas e nae 12,12% afirmaram que não têm familiari- elaboração de projetos, etc. O Excel – 88%,dade com esses programas básicos (Windo- PowerPoint – 94%, Internet Explorer – 90% ews 98, Windows XP, etc). 100% dos docentes os programas educativos – 39% são bastantetêm familiaridade com o Word; 87,88% têm usados. O Excel, por exemplo, é utilizado parafamiliaridade com o Excel e 12,12% não têm se realizar as chamadas dos alunos e fazer ofamiliaridade com o Excel. 93,94% têm fami- controle de notas. O Powerpoint é usado paraliaridade com o Powerpoint e 6,06% não têm ajudar nas aulas expositivas, permitindo quefamiliaridade com o Powerpoint. 15,15% têm os docentes possam deixá-las mais dinâmicas.familiaridade com o banco de dados Access e A Internet é usada para a busca de informa-84,85% não têm familiaridade com o Banco ções, sejam elas atuais ou não, para a elabo-de Dados Access. 39,39% têm familiarida- ração de suas atividades pedagógicas e porde com programas educativos e 60,61% não último os programas educativos que têm pou-têm familiaridade com programas educativos. ca procura fazendo com que os mesmos não90,91% têm familiaridade com a internet e sejam tão utilizados como deveriam ser.9,09% não têm familiaridade com a internet. Com relação aos recursos tecnológicos33,33% têm familiaridade com outros softwa- existentes na IF Baiano – Campus Guanambi e 146
  8. 8. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084Xcom que freqüência os docentes utilizam esses se preocupado em romper com a defasagemrecursos, a pesquisa nos mostrou que 100% tecnológica do cotidiano escolar. A informáti-utilizam o computador, sendo que a freqüên- ca, inclusive, pode ser utilizada como ferra-cia para esse recurso é a seguinte: 90,91% menta que torna este processo mais atrativo,utilizam semanalmente e 9,09% usam de for- instigante e variado.ma esporádica; 100% utilizam a internet, com Hoje, por meio da informática que estáa mesma freqüência do computador, ou seja, cada vez mais se destacando no dia-a-dia da90,91% usam semanalmente e 9,09% usam escola e no processo ensino-aprendizagem,de maneira esporádica (Tabela 4). esta ocorrendo uma revolução na maneira de Quanto ao Datashow, 72,73% o usam aprender. Computadores, internet, softwarescom a seguinte freqüência: 15,15% Semanal; educacionais, datashow e outras tecnologias15,15% Quinzenal; 6,06% Mensal; 36,36% es- são os protagonistas de uma nova revolução.porádico; e 27,27% não utilizam o Datashow. Hoje, com a internet e os avanços da tec-33,33% utilizam Softwares educacionais com nologia, podemos aprender de várias manei-a seguinte freqüência: 6,06% Semanal; 3,03% ras, em diversos lugares, de meios diferentes.Mensal; 24,24% esporádico; e 66,67% não Podemos ter uma parte das aulas de formautilizam Softwares Educacionais (Tabela 4). virtual ou freqüentar cursos a distância. Não basta a escola ter o datashow. É neces- Estes novos espaços do processo de en-sário saber fazer a utilização dele, para que se sino-aprendizagem promovidos pela internetpossa aproveitar melhor, quando a questão é são capazes de diversificar o que desenvol-educação. vemos na sala de aula. Precisamos integrar a Neste panorama, Feitosa Neto faz as se- sala de aula com algumas atividades de con-guintes considerações: sulta ou de exploração do mundo virtual, de caráter pedagógico, que possam ser desen- • O data-show não substitui o docente; volvidas no laboratório de informática. De acordo como o avanço das tecnologias • Ele deve ser utilizado como um instrumento virtuais – como internet, telecomunicações, auxiliar de interação entre o professor e o aluno na sala de aula; videoconferência, redes de alta velocidade – avança também a definição de presencialida- • As aulas somente com data-show cansam os de. Com isso podemos ter algumas aulas com alunos, diminuindo o rendimento do conteú- professores externos, de outras instituições, do ministrado; com sua imagem e voz. Haverá, assim, uma troca maior de informações, tornando possível • O data-show não deve ser utilizado como um projetor de textos. Para isso temos os que cada professor colabore com seus conhe- retroprojetores tradicionais, a um custo cimentos específicos no processo de constru- bem menor; ção de conhecimento do aluno. A informática possibilita novas maneiras • É um crime acadêmico utilizar o data-show de trabalho, permitindo a criação de espaços para exibir textos pesados, e o pior são os casos em que o professor ainda fica sentado de aprendizagem em que os discentes pes- ao lado da máquina lendo o que está escri- quisam, realizem antecipações e simulações, to; comprovam idéias prévias, executam, criam soluções e constroem novas formas de repre- • Deixar a máquina ligada por mais de duas ho- sentação mental. ras seguidas; ou ficar ligando e desligando o equipamento. Esse material é sensível e sua lâmpada tem um custo muito alto. (FEITOSA NETO, 2008, p. 1) A informática cresce e varia sem parar. Paraaprimorar essas práticas, os professores têm 147
  9. 9. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X TABELA 4 – Freqüência de Utilização dos Recursos Tecnológicos Disponíveis no IF Baiano – Campus Guanambi – 2008Recursos Sema- Quin- Men- Espo-Tecnológicos Sim % Não % % % % % nal zenal sal rádicoDisponíveisTotal 33 100,00 33 100,00 33 100,00 33 100,00 33 100,00 33 100,00Computador 33 100,00 0 0 30 90,91 0 0 0 0 3 9,09Internet 33 100,00 0 0 30 90,91 0 0 0 0 3 9,09Datashow 24 72,73 9 27,27 5 15,15 5 15,15 2 6,06 12 36,36Softwares 11 33,33 22 66,67 2 6,06 0 0 1 3,03 8 24,24EducacionaisNão utiliza nenhum 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0recurso tecnológicoNão Responderam 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TABELA 5 – Freqüência de Utilização de Softwares Educa- Pode-se verificar que os docentes do IF cionais Pelos Docentes da IF Baiano – Campus GuanambiBaiano – Campus Guanambi sempre utilizam – 2008algum dos recursos tecnológicos existentes Utilizaçãono instituto com alguma freqüência. de Software Nº % Interpretando os dados das Tabelas 3 e 4 Educacional Total 39 100,00quanto à utilização dos softwares educacionais. Gera Boi 0 0,00Vimos por meio desses dados que os softwa- Procreare 0 0,00res não são muito utilizados pelos docentes do Imagine 1 2,56IF Baiano – Campus Guanambi e que também Tabs+ 0 0,00não são todos os docentes que possuem fami- Crocodile Physics 1 2,56liaridade com os programas educativos. Isso Crocodile Technology 0 0,00se dá pela falta de capacitação e muitas vezes Multibovinos 0 0,00os docentes não têm nem conhecimento de Crocodille Chemistry 1 2,56que no IF Baiano – Campus Guanambi possui Crocodille Mathematics 1 2,56esses softwares educacionais. Illuminatus 1 2,56 Em relação aos softwares educacionais uti- Edison 0 0,00lizados pelos docentes, os dados foram ana- Nexus 0 0,00lisados por incidência, porque têm software Biblos Plus 0 0,00que são usados por mais de um docente. Tal Língua – Espanhol 1 2,56resultado vem confirmar os dados informados Cabri II Plus 1 2,56na Tabela 05, onde a pesquisa nos revelou que Ebeam 1 2,5625 docentes não responderam essa pergunta; Winfit 2 5,134 docentes utilizam o Saeg que é um software Saeg 4 10,26de Estatística; 2 docentes usam o Winfit; 1 Gerente de 0 0,00docente utiliza o Imagine, Crocodille Physics, Agronegócio Sherlock 0 0,00Crocodille Chemistry, Crocodille Mathematics, English Millenium 0 0,00Illuminatus, Língua – Espanhol, Cabri II Plus Não Responderam 25 64,10e Ebeam. A interpretação dos dados da Tabela 5 vemconfirmar os dados da Tabela 3 e 4 onde os A utilização da informática na educação,professores não têm familiaridade com a tec- mesmo apelando para programas criados es-nologia de softwares educacionais, o recurso pecificamente para área educacional, sempretecnológico existe dentro do IF Baiano – Cam- exige dos agentes escolares atitude crítica epus Guanambi, mas não é totalmente utilizado capacitação contínua. Para que isso ocorra, oe quando é usado, como mostra a Tabela 5, professor poderá contextualizá-lo no processosão apenas alguns softwares. de construção do conhecimento. Sobre quais os softwares educacionais que eles utilizam, há uma aceitação entre os docentes sobre a eficácia desses softwares como suporte à metodologia aplicada em sala 148
  10. 10. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084Xde aula. A análise nos revelou, através da Ta- cacional, uma tecnologia que complementa,bela 6, que: 57,58% responderam que sim; aperfeiçoa e que possivelmente provoca mu-15,15% responderam que não; e 27,27% não danças na qualidade do ensino.responderam essa pergunta. Com a questão da implantação do Labora- tório de Informática, foi perguntado se ocor- TABELA 6 – Indicação de Suporte que Essas TecnologiasConstituem na Metodologia Aplicada na Sala de Aula Pelos reu o curso de capacitação para a utilização Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi – 2008 desse ambiente. Pode-se verificar que 75,76% responderam que ocorreu curso de capacita-Tecnologia Eficaz na Nº % ção; 15,15% responderam que não teve ca-MetodologiaTotal 33 100,00 pacitação; e 9,09% não responderam essaSim 19 57,58 questão. Isso fica evidenciado pelo percentualNão 5 15,15 significativo de respostas sim visto na Tabe-Não Responderam 9 27,27 la 8, mostrando que houve uma capacitação para os docentes. Quanto à resposta não, as Com relação às justificativas para a res- justificativas dos professores foram que elesposta sim dessa pergunta ocorreram muitas, não ficaram sabendo desse curso, ou seja,entre elas temos: melhora o aprendizado do não foram comunicados.aluno; oferece outras opções de metodologias TABELA 7 – Indicação da Ocorrência do Curso de Capacita-de ensino; desperta a curiosidade dos alunos; ção, Promovido Pelo IF Baiano – Campus Guanambi Para oprende a atenção; complemento em sala de Uso do Laboratório de informática – 2008aula. Curso Para Uso do Nº % A decisão de usar os softwares educacio- Laboratórionais como suporte ao processo de ensino- Total 33 100,00aprendizagem deve ser fundamentado em Sim 25 75,76pontos que levem em consideração os mais Não 5 15,15diferenciados aspectos. Muitos docentes su- Não Responderam 3 9,09põem que a utilização de softwares comosuporte à metodologia aplicada em sala de Atualmente existe um indicador expres-aula é lucrativo, capaz de suprir ou diminuir sivo de docentes executando projetos e ati-o tempo do professor junto ao aluno. Alguns vidades intercedidos pela informática. Mas asoftwares têm como objetivo proporcionar a maior parte das escolas e docentes ainda estáfunção de treinamento, a realização de traba- investigando sobre como usá-las de maneiralhos que complementem as práticas usuais, a adequada.pesquisa etc, substituindo consequentemen- Para que os laboratórios de informáticate aquele professor tradicional. Portanto, ao que são implantados nas escolas possam serse ponderar o importante e fundamental pa- utilizados, primeiro deve ocorrer à capacita-pel do educador de instigar a curiosidade, de ção dos docentes, ou seja, a formação dosdespertar o interesse do aluno, de estimulá-lo professores para trabalhar com a informáticapara a resolução de problemas, constata-se na educação. Essa formação deve ser inicialque os softwares educacionais representa um e continuada em informática educacional, ouapoio importante nesse sentido. seja, deve se preparar os docentes desde os No que se refere ao computador como re- conhecimentos básicos em informática até acurso disponível na instituição e porque os utilização na sua prática pedagógica e sempredocentes não utilizam, não houve respostas mantê-los atualizados.dos docentes para essa pergunta. Pelos re- Perguntados se fizeram esse curso de ca-sultados obtidos vimos que o computador é pacitação, 48,48% responderam que sim;um recurso utilizado no IF Baiano – Campus 27,27% responderam que não; e 24,24% nãoGuanambi, seja ele para desenvolvimento de responderam essa questão. Os resultados datrabalhos pedagógicos ou pessoais. pesquisa, em relação ao conteúdo do curso de A utilização do computador na educação capacitação e se o mesmo foi adequado às ne-indica para um novo sentido. O uso desta tec- cessidades pedagógicas, foram os seguintes:nologia passa a não ser como uma máquina de 45,45% disseram que sim; 9,09% disseramensinar, mas como uma inovação educacional. que não; e 45,45% não responderam essaO computador torna-se uma ferramenta edu- questão. Esses resultados podem ser vistos 149
  11. 11. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084Xna Tabela 8 e Tabela 9. da prática pedagógica. Toda a mudança que se espera com esses cursos de Informática TABELA 8 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi, Segundo Freqüência ao Curso de Capacitação – 2008 Educacional, deve estar constantemente em reflexão.Realização do Curso de Do ponto de vista da grande parte dos pes- Nº %CapacitaçãoTotal 33 100,00 quisados, o curso de capacitação é digno dosSim 16 48,48 conceitos Ótimo, Bom, Regular e Ruim, re-Não 9 27,27 presentados pelos índices de 39,39%, 6,06%,Não Responderam 8 24,24 3,03% e 3,03%, conforme Tabela 10. TABELA 10 – Freqüência de Indicação dos Docentes do IFTABELA 9 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi, Baiano – Campus Guanambi Sobre Avaliação do Curso deSegundo Opinião Sobre Adequação do Conteúdo do Curso Capacitação – 2008de Capacitação às Suas Necessidades Pedagógicas – 2008 Avaliação do Curso de Nº %Opinião Sobre Adequação Capacitação Nº %do Curso de Capacitação Total 33 100,00Total 33 100,00 Ótimo 1 3,03Sim 15 45,45 Bom 13 39,39Não 3 9,09 Regular 2 6,06Não Responderam 15 45,45 Ruim 1 3,03 Não Responderam 16 48,48 Apesar de grande parte dos docentes nãoter respondido essa questão, analisando osresultados, parece ser imprescindível que a Dentre os motivos para esta avaliação nosajuda aos docentes abarcados no processo conceitos acima citados, os docentes destaca-ocorra na forma de capacitação, de maneira a ram que o curso permite o acesso ao uso daoportunizar a construção de conhecimento, ao informática e possibilita mais opções de meto-mesmo tempo em que desperta possibilida- dologias de ensino.des e potencialidades com o acesso e uso da Na Tabela 10, que se refere a avaliação doinformática como ferramenta de ensino. Além curso de capacitação, podemos observar quedisso, a escola deve oferecer espaços físicos, 48,48% dos docentes não responderam essaestrutura tecnológica e pedagógica suficiente questão, ou seja, o curso para eles não tevee uma boa política salarial para se obter uma como ser avaliado por falta de absorção deboa qualidade. conteúdos para os docentes. Todas essas mudanças prescindem da Conforme pode ser verificado na Tabela 11,conscientização de que as tecnologias podem quando os docentes do IF Baiano – Campusauxiliar os docentes no processo de ensino- Guanambi foram questionados se o Institutoaprendizagem. Para o uso dessas tecnologias desenvolve ou já desenvolveu algum projetoos docentes devem estar preparados. Isto po- pedagógico envolvendo a informática os re-derá ser realizado por meio de uma capacita- sultados são os seguintes: 33,33% responde-ção em nível inicial seguindo até a parte avan- ram que sim; 15,15% responderam que não;çada em informática aplicada à educação. 42,42% não sabiam; e 9,09% não responde- Devemos também levar em consideração ram essa questão, por achar que não precisa-as pessoas que estão envolvidas nesse pro- ria respondê-la.cesso deverão ser profissionais pedagogica- TABELA 11 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi,mente habilitados, mas com conhecimentos Segundo Indicação de Ciência de Ocorrência de Desenvol-profundos em informática. vimento de Projeto Pedagógico na Instituição Envolvendo a Informática – 2008 Independente de quaisquer que sejam osmétodos de capacitação ou formação escolhi- Projetos Pedagógicos Nº %da, sua consolidação deve ser coesa com as Total 33 100,00exigências da equipe em formação. Os espa- Sim 11 33,33ços para essa capacitação devem estabelecer Não 5 15,15uma ligação entre teoria, prática e domínio Não, sei 14 42,42de recursos computacionais para que possa Não Responderam 3 9,09ocorrer um aprimoramento e uma mudança 150
  12. 12. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X Quanto aos projetos pedagógicos desenvol- TABELA 12 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi,vidos para a capacitação dos docentes foram Segundo Opinião Sobre a Utilização da Informática Comocitados: Treinamento de Word, Excel, Internet, Facilitadora na Aprendizagem do Aluno – 2008Interdisciplinaridade, Internet e Educação, Aprendizagem doAperfeiçoamento com vídeo conferência. Ao Nº % Alunopedir aos docentes que falassem dos projetos Total 33 100,00pedagógicos para capacitação dos docentes, Sim 31 93,94comprovamos que a informática está no meio Não 0 0,00de quase todos os conteúdos das diversas áre- Não Responderam 2 6,06as de ensino, mas não há clareza na definiçãode objetivos dos projetos, o que comprova afalta de clareza quanto às atuações da escola Esse resultado deixa claro que os docen-em relação à utilização da informática no pro- tes do IF Baiano – Campus Guanambi, na suacesso ensino-aprendizagem. maioria, são receptivos ao uso da informática Os projetos de capacitação dos docentes para melhorar a aprendizagem dos alunos. Ado IF Baiano – Campus Guanambi foram de- prática pedagógica que é feita de maneira li-senvolvidos de forma que a informática fosse near já vem sendo discutida como superada,abordada de maneira ampla, ou seja, poderia sem eficiência. A informática aparece comoser usada por todas as disciplinas. Não teve uma alternativa para auxiliar a aprendizagem,nenhum projeto que direcionasse o conteú- um recurso a mais para a diminuição das ca-do do curso para a capacitação específica de rências pedagógicas.uma determinada disciplina. E esse é o grande Neste sentido, torna-se essencial introduzirproblema dos cursos de capacitação docente. a informática na prática de ensino como umaHoje, a capacitação de professores esta além maneira de atrair benefícios para o desempe-da simples utilização da informática é preciso nho pedagógico, garantindo sua eficácia.que os cursos de capacitação sejam direciona- Questionados sobre as vantagens notadasdos para atingir os conteúdos de suas respec- a partir do uso da informática, paralelo astivas disciplinas. práticas educativas, onde a questão foi ana- Deve existir dentro do Instituto uma política lisada por incidência, é possível observar naou até mesmo um departamento de informá- Tabela 13 que 20 docentes responderam quetica educacional, onde os professores possam proporcionam maior interesse pela disciplina;estar sendo acompanhados e assessorados no 20 docentes responderam que contribui parauso da informática em sua prática pedagógi- acrescentar o desenvolvimento do conheci-ca. Com isso o professor vai ter sempre uma mento; 13 docentes responderam que ocorreestrutura de apoio que ofereça condições de modernização da instituição; 10 docentes res-construção de novos conhecimentos. ponderam que ocorre maior rapidez na apren- Desta forma, atuações direcionadas para dizagem do aluno; e 1 docente não respondeua formação de professores baseadas numa essa questão.proposta institucionalizada, com uma contri- TABELA 13 – Indicações dos Docentes do IF Baiano – Cam-buição multidisciplinar, que forneçam diretri- pus Guanambi das Vantagens Notadas a Partir do Uso dazes e estratégias direcionadas para o contexto Informática nas Práticas Educativas – 2008social atual, com uma avaliação sistemática, Vantagens do Uso daproporciona um caminho promissor no que se Nº % Informáticarefere ao resgate na construção e reconstru- Total 64 100,00 Maior rapidez nação de soluções pedagógicas, sociais e políti- 10 15,63 aprendizagem do alunocas e realizado em conjunto por professores, Proporcionar maior 20 31,25 interesse pela disciplinaorientadores pedagógicos, diretores, técnicos Não apresenta vantagens 0 0,00e demais profissionais no próprio espaço da Contribuir para acrescentarescola ou diretoria de ensino. o desenvolvimento do 20 31,25 conhecimento De acordo a Tabela 12, a pesquisa nos re- Modernização da 13 20,31velou que 93,94% dos docentes do IF Baiano – instituiçãoCampus Guanambi acreditam que a informá- Não Responderam 1 1,56tica facilita a aprendizagem do aluno e 6,06%não responderam essa questão. 151
  13. 13. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084X Deduz-se que a informática tem o papel TABELA 14 – Docentes do IF Baiano – Campus Guanambi,significativo e algumas vezes pode definir o Segundo Indicação das Dificuldades Enfrentadas Para asucesso ou fracasso de um profissional na Manipulação dos Softwares Educacionais – 2008chamada sociedade do conhecimento. Esses Dificuldades no uso de sof- Nº %avanços significam uma modificação respeitá- twaresvel no papel do professor, visto que o profes- Total 33 100,00sor pode agir como coordenador do processo Falta de conhecimento 15 45,45de ensinar e aprender. Por outro lado, tudo in- Falta de disponibilidade de 5 15,15dica que o preparo profissional dos responsá- tempoveis pelas experiências que estão dando certo Falta de disponibilidade de horá- 8 24,24atualmente provém mais de suas experiências rio no laboratório de informáticapessoais do que de uma formação esquemati- Não Responderam 4 12,12zada e organizada pela escola. Cogita-se que ainformática, deve ser levada em consideraçãopara tornar mais fácil as tarefas dos alunos e Essa questão mostra que os docentes do IFaproveitar melhor seu tempo e seus esforços. Baiano – Campus Guanambi não sabem traba- Questionados se o IF Baiano – Campus lhar com os softwares educacionais, ou seja,Guanambi têm contribuído para a aquisição falta conhecimento para se manipular essesde equipamentos de informática, os docen- softwares que a escola possui instalados notes apontaram o seguinte: 90,91% responde- Laboratório de Informática. Os docentes queram que sim e 9,09% não responderam essa sabem manipular esses softwares alegam quequestão. ocorre falta de horário no laboratório de infor- A Direção do IF Baiano – Campus Guanam- mática. Isso realmente é comprovado, pois abi sempre buscou estar atualizada com rela- escola só possui um laboratório e o mesmo éção à informática, mesmo porque, hoje não utilizado para se ministrar aulas da disciplinasão todas, mas algumas escolas possuem al- de informática.gum tipo de equipamento que possa melhorar Questionados sobre como um curso de ca-não só o trabalho pedagógico como também pacitação deveria ser elaborado para ser ade-o administrativo. O próprio incentivo do Go- quado para os professores, os docentes deramverno Federal proporciona essa aquisição de várias sugestões, onde foram classificadas deequipamentos de informática. Cabe aos ges- acordo a Tabela 15.tores da escola fazer um planejamento para Para definir as respostas dessa perguntaque os equipamentos adquiridos sejam bem foi utilizada a seguinte classificação: a) a in-aplicados, tanto na parte pedagógica como formática com a prática pedagógica dos do-também no administrativo e os equipamentos centes e seus conteúdos; b) os programas quenão fiquem sem utilização. são utilizados pelos docentes; c) carga horária Quando questionados sobre o suporte do e período que os cursos devem ser ofereci-datashow para melhorar o desempenho nas dos; d) níveis de conhecimento dos docentes;aulas, os docentes responderam o seguinte: e, por último, e) forma como os cursos devem84,85% responderam que sim, que dá su- ser trabalhados, onde as respostas apontamporte; e 15,15% responderam que não dá para mais prática, parte presencial e a outrasuporte. a distância, etc. Observando-se a Tabela 14, quando ques- As respostas dos docentes à pergunta dotionados sobre as dificuldades enfrentadas questionário sobre a maneira pela qual umquanto à manipulação dos softwares educa- curso de capacitação em informática devecionais, 45,45% dos docentes responderam ser elaborado causaram surpresa pela opu-ter falta de conhecimento; 24,24% respon- lência de informações e sugestões. Suasderam haver falta de disponibilidade de ho- idéias colaboraram para o desenvolvimen-rário no Laboratório de Informática; 15,15% to deste trabalho e melhor compreensão doresponderam haver falta de tempo; e 12,12% ponto de vista do docente em relação à hi-não responderam essa questão. pótese da pesquisa. 152
  14. 14. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084XTABELA 15 – Docentes Do IF Baiano – Campus Guanambi, se das mudanças importantes que ocorre naSegundo Sugestão Para que um Curso de Capacitação Seja Adequado Para os Professores – 2008 sociedade. A idéia que fica e de que a escola está caminhando devagar com relação à rapi-Sugestões Para Capacitação Nº % dez em que ocorrem as mudanças sociocultu- rais. Não podemos, introduzir a modernizaçãoTotal 33 100,00 no processo ensino aprendizagem com baseInformática com a prática na informática de qualquer maneira. Qualquerpedagógica dos docentes e seus 9 27,27 mudança deve ser consciente, refletida; de-conteúdos vem aparecer aos poucos, deve ser amadure-Programas que são utilizados 4 12,12 cida a cada dia, com discernimento, tomandopelos docentes como referência as ações.Carga horária e o período 2 6,06 Notamos que, ao usar a informática, exer-Nível de conhecimento dos do- 7 21,21 cemos interação com o aluno de maneira maiscentes com a informática instantânea, com mais criatividade e estímu-Forma como os cursos devem lo. No entanto, temos conhecimento de queser trabalhados / ter caráter de 11 33,33 para implantar mudanças demanda preparo.continuidade Professor algum irá entrar em um Laboratório de Informática com seus discentes se não ti- Nas sugestões dadas pelos docentes do IF ver absoluta confiança no que fará neste am-Baiano – Campus Guanambi percebemos que biente.há uma concordância sobre a necessidade de O papel do docente nesse cenário é es-se organizar um curso de capacitação que ins- sencial e importante, pois é ele quem cria ostitua ligação entre a informática e a prática pe- ambientes de aprendizagem fazendo com quedagógica. Os docentes enxergam que não há ocorra uma valorização dos discentes.ligação entre o que é abordado no curso e o que Isto posto, observamos que a hipóteseeles necessitam para realizar com qualidade os desta pesquisa de que a utilização da infor-projetos pedagógicos com a ajuda da informáti- mática (computador; internet; softwares edu-ca. Além do mais, os docentes esperam que um cacionais) por parte dos professores contribuicurso de capacitação dessa qualidade permita a significativamente para o estímulo de práticasampliação de suas competências e habilidades inovadoras no IF Baiano – Campus Guanambipara usarem a informática como componente está confirmada pelos resultados obtidos. Masfacilitador do processo de ensino-aprendizagem os professores enfrentam algumas dificulda-e, assim, possa motivar o aluno. des na inserção da informática na sua práti- Para eles, seria interessante formar as tur- ca pedagógica, tendo como um dos principaismas de capacitação de acordo com o nível de agravantes a deficiência do curso de capaci-conhecimento sobre informática, visto que vá- tação para o uso do Laboratório de Informáti-rios docentes já possuem noções sobre o uso ca, bem como para a utilização dos softwaresda informática, ao passo que outros necessi- educacionais existente no IF Baiano – Campustam de orientações básicas, ou seja, precisam Guanambi. Outro problema da instituição con-de mais tempo de aprendizado. siste no fato de possuir apenas um laborató- Além disso, os docentes sugerem que os rio de informática, limitando por demais o usocursos sejam organizados de acordo com as adequado pelos que necessitam dele.necessidades do dia-a-dia do professor, sua Os resultados desta pesquisa apontam paraárea de atuação e seus conteúdos, etc. Além pontos positivos como, por exemplo, vimosdisso, o processo de capacitação não deve se que a necessidade de iniciativas no sentido deencerrar quando os cursos de capacitação se atender as demandas desses profissionais emacabam. sala de aula, tendo como objetivo a melhor utilização do Laboratório de Informática, com seus softwares educacionais, resultando em5 Conclusões um processo de ensino-aprendizagem de me- lhor qualidade. Devemos ter cuidado para que a informá- Por causa do volume excessivo de informa- tica não seja aplicada dentro do ambiente es-ções nem sempre a escola consegue apropriar- colar apenas como mais um modismo, mas 153
  15. 15. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084Xcom a importância e a capacidade educacional teja consciente e preparado e que consideretransformadora que têm. É necessário que se as mudanças que estão ocorrendo na esco-pense e reflita sobre o processo de ensino- la, tirando proveito das vastas possibilidadesaprendizagem de modo mais abrangente. comunicativas e informativas da informática Para que isso ocorra, é necessário, an- para a materialização de um ensino que sejates de qualquer coisa, que todo mundo es- crítico e de qualidade.ReferênciasAGUIAR, Márcia Angela; SETTE, Sônia Schechtman; SETTE, José Sérgio Antunes. Formação de Professoresem Informática na Educação: um caminho para mudanças. Brasília: MEC/SEED, 2000. (Col. Informática paraa mudança na educação).ALMEIDA, Maria Elizabeth Biancocini. O Aprender e a Informática: a arte do possível na formação do profes-sor. Brasília: MEC/SEED, 2000a. (Col. Informática para a mudança na educação).ALMEIDA, Maria Elizabeth. Biancocini. Informática e Formação de Professores. Brasília: MEC/SEED, 2000b.(Estudos educação à distância, v. 2)BETTEGA, Maria Helena Silva. A Educação Continuada na Era Digital. São Paulo: Cortez, 2004. (Questões danossa época, v. 116)COX, Kenia Kodel. Informática na Educação Escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2003 (Polêmicas donosso tempo, 87)ELHAJJI, Mohammed. Novas Estratégias Organizacionais no Cenário Global. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v28n2/28n2a02.pdf> Acesso em: 15 dez. 2007.FEITOSA NETO, Inácio. O Professor Data-Show. Disponível em: <http://www.mauriciodenassau.edu.br/arti-go/listar/rec/264> Acesso em: 10 out. 2008.GASPERETTI, Marco. Computador na Educação: guia para o ensino com as novas tecnologias. São Paulo: Ed.Esfera, 2001.KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas, SP: Papirus, 2007.(Col. Papirus educação)LIBÂNEO, José Carlos. Adeus Professor, Adeus Professora?: novas exigências educacionais e profissão do-cente. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2006.MORAES. Maria Cândida. Subsídios Para Fundamentação do Programa Nacional de Informática na Educação.Brasília: MEC/SEED, 1997.MORAN, José Manuel. Desafios da Internet Para o Professor. Disponível em: <http://www.eca.usp.br/prof/moran> Acesso em: 11 abr. 2009a.MORAN, José Manuel; MASSETO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas Tecnologias e MediaçõesPedagógica. Campinas, SP: Papirus, 2000. 154
  16. 16. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática Porto Alegre, v.13, n.1, jan./jun. 2010. ISSN digital 1982-1654 ISSN impresso 1516-084XSILVA, Marilza Oliveira Seixas da. O Uso do Computador no Ensino Para Formar, Processar, Gerenciar Infor-mações e Construir Conhecimento: visão diagnóstica. 2002b. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Pro-dução) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina,2002, Florianópolis, BR-SC.SILVA, Edna Lúcia.; MENEZES, Estera. Muszkat. Apostila de Pesquisa e Elaboração de Dissertação. Florianó-polis: UFSC/Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, 2002a.SOUZA, Sérgio Augusto Freire de. Educação e Informática: temas transversais e uma proposta de imple-mentação. Revista Conect@: revista on-line de educação a distância, Rio de Janeiro, n. 4, fev. 2002. Disponí-vel em: < http://www.revistaconecta.com/> Acesso em: 15 dez. 2007.VALENTE, José Armando. Formação de Educadores Para o Uso da Informática na Escola. Campinas, SP: Uni-camp/Nied, 2003.Recebido em março de 2010.Aprovado para publicação em junho de 2010.Naidson Clayr Santos FerreiraProfessor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, Departamento: Coordenação Geral de Ensino/Área: Informática/ InstitutoFederal Baiano-Guanambi – Guanambi – BA/Brasil.Email: naidson@yahoo.com.br. 155

×