Retrospectiva 2011

739 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
739
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Retrospectiva 2011

  1. 1. Retrospectiva de Mídia 2011
  2. 2. Investimento Publicitário no Brasil (em R$ bilhões) 31,2 29,1 24,7 23,8 21,1 19,3 17,7 15,4 12,210,9 10,4 10,72000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Fonte: Projeto Intermeios. Dez/2011 com previsão de fechamento. Participação dos Meios em 2011 Internet; 4% Cinema; 1% TV Paga; 4% OOH; 5% Rádio; 4% Revista; 8% TV Aberta; 62% Jornal; 12%
  3. 3. Inflação de Mídia Por Meio - Acumulado 201124,0%18,0% 17,2%12,0% 10,8% 9,1% 9,0% 9,3% 9,1% 7,7% 5,1% 5,0% 6,6% 6,0% Fontes: TGI Ibope 2011 / Mídia Dados 2011 / Indicadores Oficiais 0,0% 0,0% Rádio Mídia Exterior Internet Dólar Revista TV Aberta Cinema Inflação (IPC) Total dos Meios Tv a Cabo Jornal Horário Médio de Consumo de Cada Meio 30,00% 20,00% 10,00% 0,00% 06-09h 09-12h 12-15h 15-18h 18-20h 20-22h 22-00h 00-02h 02-06h 06-09h 09-12h 12-15h 15-18h 18-20h 20-22h 22-00h 00-02h 02-06h JORNAL 25,83% 26,31% 13,95% 12,61% 7,35% 6,47% 4,72% 2,09% 0,67% RÁDIO 18,00% 24,17% 17,77% 14,02% 9,48% 6,63% 5,23% 2,82% 1,88% REVISTA 9,69% 16,47% 16,44% 18,32% 10,92% 11,19% 9,98% 6,47% 0,51% INTERNET 3,81% 9,42% 13,02% 16,58% 16,28% 16,63% 15,67% 6,45% 2,15% TELEVISÃO 2,65% 5,52% 11,24% 13,20% 17,51% 23,27% 19,86% 5,85% 0,90%
  4. 4. TV AbertaSupremacia que inspira atençãoAinda que a TV Aberta detenha o maior pedaço do bolo publicitário, omodelo atual deverá sofrer grandes transformações.Um dos principais movimentos é a comunhão com o meio Internet. Éa chamada TV Social, onde o telespectador navega na web e interagecom os canais à medida em que assiste. Esse recurso já existe nosnovos aparelhos e se mostra uma tendência. A Samsung criou, emmarço de 2011, a Smart TV e quebrou recordes de vendas no mundo.A TV Social mostra-se também uma excelente ferramenta de branding.É possível por exemplo criar um “canal” totalmente customizado emparceria com o fabricante, que disponibiliza o aplicativo no aparelho.Uma mídia que independe da veiculação nos canais comerciais.Numa de suas últimas apresentações, Steve Jobs abordourapidamente um projeto, em andamento, que seria levar a experiênciados tablets e iphones, para a TV. O uso de aplicativos para acessargames, canais e entretenimento, modificaria completamente oconsumo atual do meio. Segundo especialistas, esse seria o futuro daTV. Participação da TV no Investimento Publicitário 80% 62% 52% 53% 60% 49% 50% 50% 40% Fonte: Projeto Intermeios 20% 0% 2006 2007 2008 2009 2010 2011
  5. 5. TV Por AssinaturaMomento de Consolidação10.000 Número de Domicílios Assinantes (000) 8.000 9,7 Milhões de Domicílios 6.000 33 Milhões de Telespectadores Fonte: Ibope MW 4.000 2.000 - 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Região TT Domicílios Crescimento 2010 Anual (%) Apesar da maior concentração de assinantes Norte 343.215 62,2 no Sudeste (65%), os Nordeste 957.971 51,7 mercados do Norte e do Nordeste merecem Centro-Oeste 581.556 32,7 atenção, pelo crescimento Sudeste 6.394.944 27,8 que tem apresentado nos últimos anos. Sul 1.491.307 25,4 BRASIL 9.768.993 30,7Beneficiada pelo crescimento da economia, a TV por Assinatura vive umexcelente momento no Brasil, especialmente com o aumento da Classe C.O investimento publicitário, entretanto, manteve-se estável nos últimos 5anos (em torno de 4%).Com a nova regulamentação, na qual ficam definidas cotas paraprogramação com conteúdo local, a tendência é que aumente aproximidade com os canais internacionais. Esse cenário também facilitaráas ações locais de merchandising e projetos especiais.
  6. 6. RádioBem mais que o Spot de 30”Contrariando as previsões pessimistas, o rádio vem dando a volta porcima, com criatividade e versatilidade.Pioneiro na interatividade com o público, o meio assume uma posturamais madura e ensaia uma convivência amigável com a web e o MP3,apostando sempre na regionalização – seu principal diferencial.Além das ações que transcendem o dial (como eventos, blitzes, boletinscustomizados, etc.), um novo modelo de negócios garantiu arentabilidade de algumas emissoras: o “naming right”. Atualmente,existem diversos exemplos de sucesso, como a Rádio OI FM, a SulAmérica Paradiso, Rádio Mitsubishi, Rádio Estadão ESPN, etc., onde aduração das parcerias reafirma o sucesso do negócio.Há também um forte movimento dos ouvintes com as rádios da web quepermitem a criação de um playlist totalmente customizado e gratuito,além dos aplicativos que possibilitam ouvir sua rádio preferida em Fonte: Estudos Marplan - Consolidado 2010 – 9 Mercados – Duplo Períodoqualquer lugar do mundo.Essas são iniciativas importantes que tem provado que o Rádio aindatem muito o que oferecer aos seus ouvintes e anunciantes. Evolução da Penetração do Meio 60% 60% 60% 59% 57% 55% 55% 52% 46% 43% 43% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  7. 7. Revista Sempre uma solução inovadora Mesmo com o aumento do número de títulos disponíveis, aprimoramento da segmentação e incursão dos títulos na área digital, o share do meio ainda não sofreu o reflexo dessas ações e não apresentou mudanças na divisão de verba. Para garantir maior fidelidade dos leitores, a Revista tem evitado restringir-se às páginas impressas. Eventos, concursos, fóruns e diversos tipos de interatividade com leitor fazem parte da rotina de comercialização do meio e tem mantido os resultados financeiros. Essa soma Revista + Web + Evento + Editoria tem sido uma fórmula de sucesso para anunciantes e tem reafirmado a identidade do meio. Crescimento de 5,1% no total de exemplares em circulação no Brasil Total de TOP 10 Brasil Leitores (000) Maior alta junto aos títulos populares e venda em bancas (7,6%) Veja 2.984 Caras 1.822 Evolução da Penetração do Meio Época 1.321 Fontes: Mídia Dados 2011 / TGI Ibope 2011 / IVC60% Isto É 1.080 Contigo 80850% Claudia 692 45% 42% 41% Ti ti ti 668 39% 38%40% Ana Maria 486 Boa Forma 45230% Capricho 435 2006 2007 2008 2009 2010
  8. 8. Mídia Out of Home Uma Nova Etapa A lei “cidade limpa” modificou bastante a concepção da Mídia Exterior, mesmo nos mercados onde ela não foi aplicada. Hoje, é nítido um cuidado maior com a elegância e manutenção das peças, além da preocupação com o meio ambiente. Destacam-se, nessa fase de evolução, os investimentos feitos no país pelos grandes players internacionais com tecnologia de ponta. No Brasil, ainda há muito o que evoluir nesse segmento. As telas digitais e interativas existentes na Times Square, por exemplo, ainda demandam grandes investimentos, mas há quem acredite que a Copa do Mundo no país seja um marco para mudanças importantes nesta área. Recall Mídia Exterior (%) – 7 dias Crescimento de 13,26% de Investimento na relação Localização – TOP 3 72 2011 x 2010 Outdoor / Painéis front light 43 Anúncios em Shopping Center 25 Painéis em Edifícios/ Empenas 24 Evolução da Penetração do Meio Transporte 81 No Exterior de Coletivos 72 80% 73% 69% No Exterior de Táxis 28 61% 64% 59% No Interior de Coletivos 21 60% Mobiliário Urbano 83 40% Abrigo para ponto de ônibus 49 Relógios (nas ruas) 42 20% Lixeiras 42 0% Outros meios alternativos 84 2006 2007 2008 2009 2010 Voltantes/ Panfletos 55 Caminhões/ Veículos Plotados 43Fontes: Estudos Marplan – Consolidado 2010 – 9 Mercadose Projeto Intermeios Demonstração em Supermercados 36
  9. 9. Jornal Quebrando Paradigmas É interessante a discussão sobre o meio Jornal. Os mais tradicionais não abrem mão do exemplar impresso todos os dias. Provavelmente, ainda iremos demorar um pouco para “perder esse hábito”, especialmente no RJ, onde o índice de leitura é um dos maiores do Brasil. A cultura do jornal faz parte da vida do carioca. O público jovem, entretanto, prefere os meios digitais, o que pressupõe que, no futuro, o jornal não será de papel. Esse cenário porém nada tem de pessimista. Os custos gráficos são altíssimos, o papel é terceirizado e a logística de distribuição demanda constantes investimentos. Sem isso, o Jornal ganha a oportunidade de concentrar esforços no seu único negócio: produzir informação. Independente da plataforma, a busca por informações será sempre imprescindível a qualquer público. Circulação Evolução da Penetração do Meio Títulos Região Média Super Notícia MG 300.677100% Folha de S. Paulo SP 299.29680% O Globo RJ 264.710 O Estado de SP SP 252.62260% 47% 47% 49% 47% 45% Extra RJ 232.21540% Zero Hora RS 188.087 Diário Gaúcho RS 169.12620% Correio do Povo RS 151.848 0% Meia Hora RJ 151.316 2006 2007 2008 2009 2010 Daqui GO 150.486 Rio de Janeiro e Brasília são os únicos mercados brasileiros em que a leitura de DOMINGO é superior à média semanal. Fonte: Estudos Marplan – Consolidado 2010 – 9 Mercados / IVC
  10. 10. InternetMídia de Massa e Investimento de NichoNenhum outro meio registrou tanto crescimento como a Internet nosúltimos anos. É um poderoso meio de massa , porém com tímidosinvestimentos publicitários.Com a popularização da banda larga, a entrada das classes emergentese a disponibilidade de acesso por diversas plataformas (PC, Mobile,Tablet, TV), o meio ainda tem muito a crescer.A penetração da banda larga, por exemplo, ainda é muito baixa noBrasil. Um terreno muito fértil a ser explorado.Somos líderes mundiais em tempo de permanência na rede e nossocrescimento exponencial tem chamado a atenção de muitos gruposinternacionais que prometem fincar bandeira aqui e revolucionar aindamais a experiência de uso da internet nos próximos anos. 91 Milhões de Internautas no Brasil 87% acessa frequentemente (pelo menos 1x por semana) 38% acessa todos os dias Fontes: Estudo POP Internet 2011 (Ibope) / Midia Dados 2011 77% do tempo de navegação é usado para diversão Evolução da Penetração de Internet 45% 48% 42% 33% 30% 27% 15% 2000 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  11. 11. Top 10 – Internet no Brasil Page Views Audiência (mil) (mil pessoas) 14.667.630 41.564 7.750.557 32.534 5.792.484 32.390 3.534.895 31.534 20.775.402 30.944 11.878.743 29.039 3.700.034 28.451 2.269.901 27.043 3.106.277 27.041 1.225.189 26.42840.000 TOP 10 – Redes Sociais (audiência única) 31.534 30.944 29.03930.000 Fonte: Pesquisa POP Internet 2011 - Ibope20.000 14.23410.000 5.316 1.822 1.621 739 -
  12. 12. Top 10 - Likes Facebook BrasilNovembro 2011 Fonte: Facebook
  13. 13. Tablets e SmartphonesSuperando expectativas Samsung + Apple = 80% 1 Milhão de Tablets em 2012 do mercado brasileiro (não considera aparelhos comprados no exterior) Interatividade 47% Por que comprou Fontes: Teleco / Anatel / Pesquisa Ed. Abril 2011 Praticidade 65% um Tablet? Mobilidade 72% Perfil do Usuário de Tablets 81% Homens 19% Mulheres 53% Tem entre 30 e 40 anos 88% Tem Superior Completo 44% Tem renda familiar acima de R$ 15 mil 61% Moram no Sudeste (44% em SP)233 Milhões de Aparelhos Celulares14 Milhões são Smartphones (5,9%)(Participação ainda é pequena, mas com curva acelerada de crescimento) OUTROS; Curva de Crescimento (%)Sistema Operacional 4,6% RIM; 11,0% 600 Smartphone IPHONE; 400 15,0% ANDROID; 52,5% Celular 200 Comum SYMBIAN; 16,9% - 2010 2011 2012
  14. 14. Algumas Tendências de MídiaAplicativos para TVO consumo do meio TV caminha para uma experiência mais lúdica epersonalizada. Vídeos sob demanda, pacotes customizados decanais, horários alternativos e aplicativos prometem revolucionar omercado. Nesse cenário, a interseção marca-canal é determinante,pois os breaks comerciais perdem relevância de forma acelerada.GameficaçãoUm mercado em constante evolução, que atrai públicos de diversasidades e camadas sociais. Segundo o Instituto Superdata, até 2014,o Brasil deve alcançar o patamar de 54 milhões de usuários. Osgames promovem a integração com a rede de amigos dos usuários,onde a participação colaborativa é essencial para o sucesso detodos, gerando “viralização”. As marcas presentes no conteúdo dosgames apresentam altíssimos índices de recall, além de interagiremde forma não convencional, quando os clientes estão maisrelaxados, em seus momentos de lazer.Leitura em altaAo contrário do que se pensa, o consumo de informação não parade aumentar. Parte desse crescimento pode ser explicado pelaleitura de jornais populares pelas classes emergentes e tambémpelo sucesso dos jornais gratuitos. Foram novos leitores quepassaram a fazer parte das estatísticas. Existe também a geraçãodigital que consome informação todo o tempo. Entre eles, porém, apreferência é pelos canais eletrônicos e pelas mensagens curtas.
  15. 15. A era da relevânciaCada vez mais, as pessoas estão buscando envolvimento com asmarcas. Campanhas que mexam com o emocional, que façam opúblico rir ou mesmo que prestem um serviço de valor estãoganhando mais credibilidade e atenção. Entender o cliente e falar asua língua é determinante.Mobile MarketingSabe-se que já existem mais celulares que pessoas. A novidade éque os smartphones serão maioria num futuro breve. Empolgadospelos resultados de venda acima da média, os fabricantes deaparelhos inteligentes têm metas agressivas para 2012. A promessaé de uma navegação ainda mais rápida e mais amigável. A indústriapublicitária, entretanto, ainda cresce a passos muito lentos nautilização de mídia mobile.

×