Os Sete Povos das Missões

1.033 visualizações

Publicada em

Uma abordagem da história dos Sete Povos das Missões

Publicada em: Turismo
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.033
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Sete Povos das Missões

  1. 1. Missões Anderson R., Fernanda, Jonatas, Sidinei e Tatiane
  2. 2. Os índios Guaranis vieram para o sul pois queriam garantir a caça e a pesca, terra fértil nos vales dos rios Paraguai, Paraná e Jacuí para plantar e colher. Eram os próprios índios que faziam as suas armas e criavam objetos de cerâmica usados nos rituais e nas refeições, e com as mesmas armas defendiam a tribo. Moravam em aldeias formadas por ocas, onde o índio mais forte de cada uma delas era escolhido como cacique, era ele quem tomava as decisões daquela oca.
  3. 3. No final do século XIV, os portugueses e espanhóis descobriram o continente americano e para reduzir disputas por terras fizeram um acordo conhecido como Tratado de Tordesilhas que dividia a América em duas. Na América espanhola os jesuítas percorreram áreas habitadas pelos índios e consolidaram a presença da Igreja contribuindo para a implantação do império colonial. As primeiras visitas para converter os índios foram chamadas de missões, na qual os padres catequizavam os índios.
  4. 4. Os espanhóis deveriam proteger seu território, por isso começaram a cobrar impostos e aumentaram a proteção dos locais definidos para controle. Devido a cobrança de impostos, os padres jesuítas conseguiam mais recursos para proteger os índios de bandeirantes e comerciantes de escravos.
  5. 5. Durante 30 anos os jesuítas adquiriram experiência com os índios e em troca os catequizava. Em 1607 foi criada a província do Paraguai, se tornou a maior ação social e cultural e de catequização dos índios. O jesuíta Antônio Ruiz de Montoya seguindo o curso do rio Paraná, fundou os primeiros povoados missioneiros nas terras férteis de Guairá, hoje oeste do Paraná, tempo depois bandeirantes e comerciantes de escravos começaram a subir o rio o que fez jesuítas e índios irem em direção ao Tape no Rio Grande do Sul. Padre Antônio Ruiz de Montoya (1585 – 1652)
  6. 6. Em 1626, o padre Roque Gonzalez fundou a redução de São Nicolau e nos dez anos seguintes criou mais dezoito e entre elas a antiga São Miguel. Padre Roque González
  7. 7. Na batalha Mbororé os guaranis foram derrotados, então padres e índios se mudaram para a margem direita do Rio Uruguai. Deixaram o gado que trouxeram de lá se reproduzir livremente, dando origem a Vacaria del Mar, hoje é a área de pecuária do Rio Grande do Sul e da República do Uruguai.
  8. 8. Depois de 40 anos os jesuítas e os índios começaram a retornar para suas antigas terras. Retomaram a posse do território espanhol e fundaram o chamado 7 povos das missões. São eles: São Francisco de Borja, São Nicolau, São Luiz Gonzaga, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista, Santo Ângelo Custódio.
  9. 9. Muitos dos costumes dos Guaranis foram submetidos a orientação religiosa, que desestruturou a vida das “famílias grandes”. As casas acomodavam os parentes mas com divisões para evitar a poligamia. Os guaranis das reduções deveriam servir para o rei espanhol, construir fortificações e defender seus territórios. Cada índio tinha sua própria função, inclusive velhos e crianças, além de trabalhos na terra fabricavam instrumentos, utensílios e roupas.
  10. 10. Uma arquitetura aperfeiçoada nas reduções produziu desde prédios com estruturas em madeira até complexas construções barrocas, da primeira metade do século XVIII, com arcos em pedra e abóbodas e ladrilhos. A cerâmica dos pisos formava desenhos variados e as Igrejas eram decoradas com pinturas e esculturas em pedra e madeira.
  11. 11. Como apoio à catequese os padres usaram recursos como música, canto, dança, teatro, desenho e pintura. Os guaranis tinham capacidade de criar. Eram escultores, cantores, músicos, pedreiros, ferreiros, entre outros. Tiveram como mestres muitos jesuítas, entre esses se destacaram os padres Antônio Sepp, que incentivou a música, a botânica e iniciou a fundição de ferro. O padre José Basanelli, arquiteto e escultor e por último o padre José Batista Primolli, responsável por grandes obras.
  12. 12. No século XVIII, a região estava sob disputa entre Espanha e Portugal. O Tratado de Madri de 1750 havia posto a área à disposição de Portugal em troca da Colônia do Sacramento, e a saída dos Jesuítas espanhóis ali ficou decretada. Mas este Tratado gerou conflitos: nem padres nem índios queriam abandonar suas reduções, nem os portugueses queriam abandonar Sacramento. Houve uma série de confrontos armados que culminaram na Guerra Guaranítica, que deixou um rastro de destruição e sangue que abalou as estruturas do sistema missioneiro.
  13. 13. A partir de meados do século XVIII, a Companhia de Jesus foi expulsa de terras portuguesas em 1759, e em 1767 a Espanha fez o mesmo. No ano seguinte todas as reduções foram esvaziadas, com a retirada final dos Jesuítas. Então suas terras foram apossadas pelos espanhóis e os índios foram subjugados ou dispersos.

×