SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Discentes: Anderson Formiga
Erik dos Anjos
Disciplina: Higiene na Industria de Alimentos
Doscente: Estefânia Fernandes Garcia
Sanitizantes Comerciais
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR
UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
CAMPUS DE POMBAL – PB
MONOTAN - D 685
Desinfetante a base de Ácido Peracético 23%
 Características
 Possui ação biocida de amplo
espectro para vários tipos de
bactérias patogênicas como
Staphylococcus aureus e
Salmonela choleraesuis.
 É indicado como desinfetante
para uso em instalações OPC e
sistemas CIP, equipamentos e
utensílios em Laticínios,
Frigoríficos e Indústrias de
alimentos e Bebidas em geral.
 Contém componentes que não
são irritantes nas concentrações
de uso.
 Não causa corrosão em aço
inox, alumínio, plástico, vidro,
teflon, borracha nitrílica, nas
 Especificações
 Química
 Ácido Peracético
 Ácido Acético
 Peróxido de Hidrogênio
 Sequestrante
 Física
 pH (2,5-3,5)
 Densidade (1,11 - 1,12
g/ml)
MONOTAN - D 685
Desinfetante a base de Ácido Peracético 23%
 Ácido Peracético
 O ácido peracético é
considerado um oxidante forte
com elevado poder sanitizante.
O ácido peracético promove a
oxidação dos componentes
celulares, agindo sobre a
membrana citoplasmástica,
desativando as funções
fisiológicas;
 Destaca-se perante os demais
sanitizantes devido a sua
reatividade até mesmo em
mínimas concentrações
aplicadas;
 É altamente eficiente no
combate a um amplo espectro
de microrganismos;
 Apresenta como vantagem a
 Sequestrantes
● Os agentes sequestrantes
têm a função de agir no
sistema conservante e
interferir nos íons
responsáveis pela dureza da
água.
 Peróxido de hidrogênio
● Peróxido de hidrogênio é
um líquido incolor à
temperatura ambiente. É um
oxidante poderoso e eficaz,
que causa desnaturação
proteica e ruptura da
permeabilidade da
membrana celular, com a
vantagem de ser
MONOTAN – D 715
 Características
 É um desinfetante com ativo
de hipoclorito de sódio,
eficiente na ação biocida
contra Staphylococus
aureus e Echerichia coli,
testado em laboratório
credenciado pela Anvisa;
 É indicado para uso manual,
por imersão ou por
circulação, é indicado para
cloração de água e
desinfecção em geral de
equipamentos, tanques de
estocagem, válvulas,
tubulações, pisos e
paredes.
 Especificações
 Química
 Hipoclorito de Sódio e
Hidróxido de Sódio
 Física
 pH (9-11)
 Densidade (1,18 - 1,22
g/ml)
MONOTAN – D 715
Hipoclorito de Sódio
 O hipoclorito de sódio
apresenta baixo custo,
toxidade mínima, rápida
ação sanitizante e efeito
sobre determinados tipos de
vírus e bactérias
esporuladas;
 É um desinfetante muito
usado, porém é bastante
instável e inativado por
matéria orgânica.
 Hidróxido de Sódio
 O hidróxido de sódio (soda
caustica) e o mais
importante representante
dos agentes alcalinizantes.
 Promove o deslocamento
de resíduos por
emulsificação, sanificação
e peptização;
 Removem os resíduos
proteicos e gordurosos das
superfícies, além de ter

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

6.1 geracao de residuos principais aspectos
6.1 geracao de residuos principais aspectos6.1 geracao de residuos principais aspectos
6.1 geracao de residuos principais aspectosAndrea Mariano
 
Residuos Industriais
Residuos IndustriaisResiduos Industriais
Residuos IndustriaisOdair Medrado
 
História da lata aplicações vantagens
História da lata aplicações vantagensHistória da lata aplicações vantagens
História da lata aplicações vantagensVera Laporta
 
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)BIONOV BIOPRODUTOS
 
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...Teresa Oliveira
 
Água para uso farmacêutico
Água para uso farmacêuticoÁgua para uso farmacêutico
Água para uso farmacêuticoRodrigo Caixeta
 
Resíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasResíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasDenise Marinho
 
Resíduos Perigoso Apresentação Senac
Resíduos Perigoso Apresentação SenacResíduos Perigoso Apresentação Senac
Resíduos Perigoso Apresentação SenacJefferson F. Oliveira
 
Tecnologia de alimentos
Tecnologia de alimentosTecnologia de alimentos
Tecnologia de alimentosresitcha
 
Conservação de alimentos pelo uso de calor
Conservação de alimentos pelo uso de calorConservação de alimentos pelo uso de calor
Conservação de alimentos pelo uso de calorKeyla Sousa
 
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2) massa fria
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2)   massa fria07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2)   massa fria
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2) massa friaNRFACIL www.nrfacil.com.br
 
Cm aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)
Cm   aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)Cm   aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)
Cm aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)Camila Moresco
 

Mais procurados (20)

6.1 geracao de residuos principais aspectos
6.1 geracao de residuos principais aspectos6.1 geracao de residuos principais aspectos
6.1 geracao de residuos principais aspectos
 
Residuos Industriais
Residuos IndustriaisResiduos Industriais
Residuos Industriais
 
Resíduos Industriais
Resíduos IndustriaisResíduos Industriais
Resíduos Industriais
 
História da lata aplicações vantagens
História da lata aplicações vantagensHistória da lata aplicações vantagens
História da lata aplicações vantagens
 
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)
Necessidades em p&d na agroindústria do processamento do pescado (publicação)
 
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
Limpeza e preparo de materiais para esterilização - Central de Material Ester...
 
Água para uso farmacêutico
Água para uso farmacêuticoÁgua para uso farmacêutico
Água para uso farmacêutico
 
Resíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasResíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industrias
 
Embalagens a vácuo
Embalagens a vácuoEmbalagens a vácuo
Embalagens a vácuo
 
Apresentação secagem
Apresentação   secagemApresentação   secagem
Apresentação secagem
 
H processamento mínimo
H  processamento mínimoH  processamento mínimo
H processamento mínimo
 
Resíduos Perigoso Apresentação Senac
Resíduos Perigoso Apresentação SenacResíduos Perigoso Apresentação Senac
Resíduos Perigoso Apresentação Senac
 
Tecnologia de alimentos
Tecnologia de alimentosTecnologia de alimentos
Tecnologia de alimentos
 
Tecnologia para Licenciamento
Tecnologia para LicenciamentoTecnologia para Licenciamento
Tecnologia para Licenciamento
 
Conservação de alimentos pelo uso de calor
Conservação de alimentos pelo uso de calorConservação de alimentos pelo uso de calor
Conservação de alimentos pelo uso de calor
 
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2) massa fria
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2)   massa fria07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2)   massa fria
07 fispq emulsão asfáltica catiônica (2) massa fria
 
risco
riscorisco
risco
 
plantas
plantasplantas
plantas
 
Cm aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)
Cm   aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)Cm   aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)
Cm aula 2 - processamento de frutas e hortalização (processo minimo)
 
Fispq prodasf-emas-rr-2c
Fispq prodasf-emas-rr-2cFispq prodasf-emas-rr-2c
Fispq prodasf-emas-rr-2c
 

Destaque

Manual higienizacao
Manual higienizacaoManual higienizacao
Manual higienizacaoAllan Ramon
 
Higiene na industria_de_alimentos
Higiene na industria_de_alimentosHigiene na industria_de_alimentos
Higiene na industria_de_alimentosDANIELLE BORGES
 
Sabões e detergentes
Sabões e detergentesSabões e detergentes
Sabões e detergentesarceariane87
 
Procedimento De Limpeza
Procedimento De LimpezaProcedimento De Limpeza
Procedimento De Limpezapaimvv
 
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca ColaFabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca ColaMaria Carolina
 
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015General Clean
 
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISA
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISAManual de Limpeza e Desinfecção – ANVISA
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISAredeamb
 

Destaque (11)

Folder cip ozoniuum
Folder cip ozoniuumFolder cip ozoniuum
Folder cip ozoniuum
 
CIP
CIPCIP
CIP
 
Manual higienizacao
Manual higienizacaoManual higienizacao
Manual higienizacao
 
Higiene na industria_de_alimentos
Higiene na industria_de_alimentosHigiene na industria_de_alimentos
Higiene na industria_de_alimentos
 
Sabões e detergentes
Sabões e detergentesSabões e detergentes
Sabões e detergentes
 
Procedimento De Limpeza
Procedimento De LimpezaProcedimento De Limpeza
Procedimento De Limpeza
 
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca ColaFabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015
Manual de Higienização Hospitalar Versão 2015
 
Sistemas cip
Sistemas cipSistemas cip
Sistemas cip
 
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISA
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISAManual de Limpeza e Desinfecção – ANVISA
Manual de Limpeza e Desinfecção – ANVISA
 

Semelhante a Sanitizantes indústria alimentos

Exemplos de detergentes comerciais e suas especificações
Exemplos de detergentes comerciais e suas especificaçõesExemplos de detergentes comerciais e suas especificações
Exemplos de detergentes comerciais e suas especificaçõesAnderson Formiga
 
Limpeza de artigos médico
Limpeza de artigos médicoLimpeza de artigos médico
Limpeza de artigos médicoJPaulo23
 
A 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecçãoA 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecçãoRômulo S. Dias
 
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptx
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptxAula 24 - CC e CME II (Slide).pptx
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptxFelipe Ribeiro
 
Anuário de patentes USP 2010-2011
Anuário de patentes USP 2010-2011Anuário de patentes USP 2010-2011
Anuário de patentes USP 2010-2011USP
 
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptx
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptxAula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptx
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptxJaquelineRumo
 
frigorificos higienização
frigorificos higienizaçãofrigorificos higienização
frigorificos higienizaçãoCarlos Maciel
 
Anuário de Patentes USP - 2012
Anuário de Patentes USP - 2012 Anuário de Patentes USP - 2012
Anuário de Patentes USP - 2012 USP
 
Apresentação padrão
Apresentação padrãoApresentação padrão
Apresentação padrãoMarceloOrth
 
Aula 05 Microbiologia
Aula 05 Microbiologia Aula 05 Microbiologia
Aula 05 Microbiologia Tiago da Silva
 
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento Supermercado
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento SupermercadoCápsulas INFLA-TECH - Segmento Supermercado
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento SupermercadoInflatech Capsulas
 
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdf
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdfECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdf
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdfECOCLÃ BIOTECNOLOGIA
 
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfsaulo montenegro
 
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfsaulo montenegro
 
Apresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP NanoprotetoresApresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP NanoprotetoresNP Nanoprotetores
 
Versão final livro processamento
Versão final livro processamentoVersão final livro processamento
Versão final livro processamentoLuiz Fernando
 
Controle microbiano - Renato Varges
Controle microbiano - Renato VargesControle microbiano - Renato Varges
Controle microbiano - Renato VargesRenato Varges - UFF
 

Semelhante a Sanitizantes indústria alimentos (20)

Exemplos de detergentes comerciais e suas especificações
Exemplos de detergentes comerciais e suas especificaçõesExemplos de detergentes comerciais e suas especificações
Exemplos de detergentes comerciais e suas especificações
 
Limpeza de artigos médico
Limpeza de artigos médicoLimpeza de artigos médico
Limpeza de artigos médico
 
A 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecçãoA 5 esterilização e desinfecção
A 5 esterilização e desinfecção
 
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptx
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptxAula 24 - CC e CME II (Slide).pptx
Aula 24 - CC e CME II (Slide).pptx
 
Anuário de patentes USP 2010-2011
Anuário de patentes USP 2010-2011Anuário de patentes USP 2010-2011
Anuário de patentes USP 2010-2011
 
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptx
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptxAula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptx
Aula 2 Higiene e segurança dos alimentos.pptx
 
frigorificos higienização
frigorificos higienizaçãofrigorificos higienização
frigorificos higienização
 
Anuário de Patentes USP - 2012
Anuário de Patentes USP - 2012 Anuário de Patentes USP - 2012
Anuário de Patentes USP - 2012
 
Apresentação padrão
Apresentação padrãoApresentação padrão
Apresentação padrão
 
Aula 05 Microbiologia
Aula 05 Microbiologia Aula 05 Microbiologia
Aula 05 Microbiologia
 
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento Supermercado
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento SupermercadoCápsulas INFLA-TECH - Segmento Supermercado
Cápsulas INFLA-TECH - Segmento Supermercado
 
Tecnologia para Licenciamento - CÓDIGO: 689 aquicultura
Tecnologia para Licenciamento - CÓDIGO: 689 aquiculturaTecnologia para Licenciamento - CÓDIGO: 689 aquicultura
Tecnologia para Licenciamento - CÓDIGO: 689 aquicultura
 
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdf
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdfECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdf
ECOMIX G - LINHA AQUA E INDUSTRIAL 2022.pdf
 
ECOMIX G - LINHA AQUA e INDUSTRIAL
ECOMIX G - LINHA AQUA e INDUSTRIALECOMIX G - LINHA AQUA e INDUSTRIAL
ECOMIX G - LINHA AQUA e INDUSTRIAL
 
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
 
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdfALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
ALXI 2000- FICHA TÉCNICA- 2017.pdf
 
Apresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP NanoprotetoresApresentação NP Nanoprotetores
Apresentação NP Nanoprotetores
 
Versão final livro processamento
Versão final livro processamentoVersão final livro processamento
Versão final livro processamento
 
aula_2_2022.2.pptx
aula_2_2022.2.pptxaula_2_2022.2.pptx
aula_2_2022.2.pptx
 
Controle microbiano - Renato Varges
Controle microbiano - Renato VargesControle microbiano - Renato Varges
Controle microbiano - Renato Varges
 

Mais de Anderson Formiga

Mais de Anderson Formiga (20)

Descongelamento
Descongelamento   Descongelamento
Descongelamento
 
Blend de abacaxi, acerola e limão
Blend de abacaxi, acerola e limãoBlend de abacaxi, acerola e limão
Blend de abacaxi, acerola e limão
 
Alimentos termogenicos
Alimentos termogenicosAlimentos termogenicos
Alimentos termogenicos
 
Apresentação industria processamento
Apresentação industria processamentoApresentação industria processamento
Apresentação industria processamento
 
Uísque
UísqueUísque
Uísque
 
Rum
RumRum
Rum
 
Microbiologia do pescado
Microbiologia do pescadoMicrobiologia do pescado
Microbiologia do pescado
 
Trigo
TrigoTrigo
Trigo
 
Inibidores de proteases e amilase, glicosideos cianogenicos, alcaloides e sap...
Inibidores de proteases e amilase, glicosideos cianogenicos, alcaloides e sap...Inibidores de proteases e amilase, glicosideos cianogenicos, alcaloides e sap...
Inibidores de proteases e amilase, glicosideos cianogenicos, alcaloides e sap...
 
Tecnologia de sorvetes
Tecnologia de sorvetesTecnologia de sorvetes
Tecnologia de sorvetes
 
Poliamida e Celofane
Poliamida e CelofanePoliamida e Celofane
Poliamida e Celofane
 
Congelamento
CongelamentoCongelamento
Congelamento
 
Branqueamento
BranqueamentoBranqueamento
Branqueamento
 
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - MonitoriaLista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
Lista do 1° Físico-Química (UFCG) - Monitoria
 
Difusão
Difusão Difusão
Difusão
 
Substitutos de Gorgura
Substitutos de GorguraSubstitutos de Gorgura
Substitutos de Gorgura
 
Automação e a Indústria Petroquímica
Automação e a Indústria PetroquímicaAutomação e a Indústria Petroquímica
Automação e a Indústria Petroquímica
 
Gasolina automotiva
Gasolina automotiva  Gasolina automotiva
Gasolina automotiva
 
Produção de energia a partir de resíduos sólidos
Produção de energia a partir de resíduos sólidos  Produção de energia a partir de resíduos sólidos
Produção de energia a partir de resíduos sólidos
 
SEDIMENTAÇÃO
SEDIMENTAÇÃOSEDIMENTAÇÃO
SEDIMENTAÇÃO
 

Último

Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxBanco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxTherionAkkad2
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 

Último (7)

Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxBanco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 

Sanitizantes indústria alimentos

  • 1. Discentes: Anderson Formiga Erik dos Anjos Disciplina: Higiene na Industria de Alimentos Doscente: Estefânia Fernandes Garcia Sanitizantes Comerciais UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CAMPUS DE POMBAL – PB
  • 2. MONOTAN - D 685 Desinfetante a base de Ácido Peracético 23%  Características  Possui ação biocida de amplo espectro para vários tipos de bactérias patogênicas como Staphylococcus aureus e Salmonela choleraesuis.  É indicado como desinfetante para uso em instalações OPC e sistemas CIP, equipamentos e utensílios em Laticínios, Frigoríficos e Indústrias de alimentos e Bebidas em geral.  Contém componentes que não são irritantes nas concentrações de uso.  Não causa corrosão em aço inox, alumínio, plástico, vidro, teflon, borracha nitrílica, nas  Especificações  Química  Ácido Peracético  Ácido Acético  Peróxido de Hidrogênio  Sequestrante  Física  pH (2,5-3,5)  Densidade (1,11 - 1,12 g/ml)
  • 3. MONOTAN - D 685 Desinfetante a base de Ácido Peracético 23%  Ácido Peracético  O ácido peracético é considerado um oxidante forte com elevado poder sanitizante. O ácido peracético promove a oxidação dos componentes celulares, agindo sobre a membrana citoplasmástica, desativando as funções fisiológicas;  Destaca-se perante os demais sanitizantes devido a sua reatividade até mesmo em mínimas concentrações aplicadas;  É altamente eficiente no combate a um amplo espectro de microrganismos;  Apresenta como vantagem a  Sequestrantes ● Os agentes sequestrantes têm a função de agir no sistema conservante e interferir nos íons responsáveis pela dureza da água.  Peróxido de hidrogênio ● Peróxido de hidrogênio é um líquido incolor à temperatura ambiente. É um oxidante poderoso e eficaz, que causa desnaturação proteica e ruptura da permeabilidade da membrana celular, com a vantagem de ser
  • 4. MONOTAN – D 715  Características  É um desinfetante com ativo de hipoclorito de sódio, eficiente na ação biocida contra Staphylococus aureus e Echerichia coli, testado em laboratório credenciado pela Anvisa;  É indicado para uso manual, por imersão ou por circulação, é indicado para cloração de água e desinfecção em geral de equipamentos, tanques de estocagem, válvulas, tubulações, pisos e paredes.  Especificações  Química  Hipoclorito de Sódio e Hidróxido de Sódio  Física  pH (9-11)  Densidade (1,18 - 1,22 g/ml)
  • 5. MONOTAN – D 715 Hipoclorito de Sódio  O hipoclorito de sódio apresenta baixo custo, toxidade mínima, rápida ação sanitizante e efeito sobre determinados tipos de vírus e bactérias esporuladas;  É um desinfetante muito usado, porém é bastante instável e inativado por matéria orgânica.  Hidróxido de Sódio  O hidróxido de sódio (soda caustica) e o mais importante representante dos agentes alcalinizantes.  Promove o deslocamento de resíduos por emulsificação, sanificação e peptização;  Removem os resíduos proteicos e gordurosos das superfícies, além de ter