SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Disciplina:

Direito Penal
Prof. Anderson Passos

Juiz de Direito
Ex- Procurador Federal
Ex- Analista Judiciário do TRE-PE

Ex- Assistente Judiciário do TJ-PE
Especialista em Direito Constitucional pela UCAM
Especialista em Direito Público pela PUC-MINAS

Bacharel em Direito pela UFPE
Disciplina:

Direito Penal
Professor: Anderson Passos

ERRO DE TIPO
Erro de Tipo
Art. 20 - O erro sobre elemento constitutivo do
tipo legal de crime exclui o dolo, mas permite a punição
por crime culposo, se previsto em lei.
Descriminantes putativas
§ 1º - É isento de pena quem, por erro plenamente
justificado pelas circunstâncias, supõe situação de fato
que, se existisse, tornaria a ação legítima. Não há isenção
de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é punível
como crime culposo.
Erro de Tipo
Incriminador

Art. 20 do CP
Erro de Tipo
Erro de Tipo Permissivo

Art. 20 § 1º do CP
ERRO DE TIPO INCRIMINADOR
(essencial)- CONCEITO
Nas palavras de Johannes Wessels há “erro de tipo
quando alguém não conhece, ao cometer o fato, uma
circunstância que pertence ao tipo legal. ”
O Agente representa falsamente a realidade, faltando-lhe a
consciência de que está praticando uma infração penal,
ficando afastado o dolo (vontade livre e consciente).
O Erro ocorre sobre uma elementar ou circunstância do
tipo penal.
Ex. Caçador que atira no mato supondo que lá
estava uma onça, sendo que, na verdade, atrás
do mato se encontrava um amigo que imitara os
sons do animal.
Consequências:
Erro de tipo invencível (escusável, inevitável) – é
aquele que, nas circunstâncias em que se encontra,
não tinha o agente como evitá-lo. Afasta-se o dolo e
a culpa, sendo o fato atípico.
Erro de tipo vencível (inescusável, evitável) – é
aquele que se o agente tivesse atuado com a
diligência exigida, poderia ter evitado o resultado
(Greco). Afasta-se o dolo, mas o agente poderá
ser punido pelo tipo culposo, se houver previsão
legal.
Essencial
Erro de Tipo
Incriminador
Acidental
Erro de Tipo
Erro de Tipo
Permissivo
Erro de tipo acidental
Não afasta o dolo e a culpa do agente, tendo
em vista que recai apenas sobre um elemento não
essencial do fato.
Aníbal Bruno leciona que “ele (o agente) age com a
consciência
da
antijuridicidade
do
seu
comportamento, apenas se engana quanto a um
elemento não essencial do fato ou erra no seu
movimento de sua execução”.
Espécies de erro acidental
1- Erro sobre o objeto
2- Erro sobre a pessoa
3- Erro na execução
4- Resultado diverso do pretendido
5-Aberratio causae
Erro sobre o objeto (error in objecto) – o agente,
agindo com vontade livre e consciente de praticar uma
infração penal, comete erro quanto à qualidade do objeto.
Ex.: o sujeito queria furtar um Iphone quando, por engano,
furta um Galaxy. O erro é, portanto, irrelevante.
erro sobre a pessoa (error in persona) – o
erro não recai sobre qualquer elementar,
circunstâ ncia ou outro elemento do tipo, mas sim
à identificação da vítima, o que não acarreta
modificação na classificação do crime cometido
pelo agente. Consideram-se as condições pessoais
da pessoa visada pelo agente.
Art. 20, § 3o. O erro quanto à pessoa contra a qual o crime é
praticado não isenta de pena. Não se consideram, neste caso,
as condições ou qualidades da vítima, senão as da pessoa
contra quem o agente queria praticar o crime.

Ex. Agente atira em A pensando ser seu pai, mas,
na verdade, era outra pessoa.
Erro na execução (aberratio ictus) – ocorre quando,
por ACIDENTE ou ERRO NO USO DOS MEIOS, o agente, ao
invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, ATINGE
PESSOA DIVERSA. Aplica-se o §3o do artigo 20, acima
descrito, ou seja, responderá o agente como se tivesse
atingido a vítima que pretendia ofender (art. 73, do CP):
Art. 73. Quando, por acidente ou erro no uso dos meios de
execução, o agente, ao invés de atingir a pessoa que
pretendia ofender, atinge pessoa diversa, responde como se
tivesse praticado o crime contra aquela, atendendo-se ao
disposto no § 3o do artigo 20 deste Código. No caso de ser
também atingida a pessoa que o agente pretendia ofender,
aplica- se a regra do artigo 70 deste Código.
Ex. Agente quer matar A, mas erra a pontaria e mata B.
Resultado diverso do pretendido (aberratio
criminis) – ocorre quando, fora dos casos de acidente ou
erro na execução do crime, sobrevier resultado diverso do
pretendido. De acordo com o art. 74, do CP, o agente
responderá por culpa, se houver previsão legal:
Art. 74. Fora dos casos do artigo anterior, quando, por acidente ou erro
na execução do crime, sobrevém resultado diverso do pretendido, o
agente responde por culpa, se o fato é previsto como crime culposo; se
ocorre também o resultado pretendido, aplica-se a regra do artigo 70
deste Código.

Ex.: o agente joga pedra para quebrar vidraça, mas erra o
alvo e atinge uma pessoa, que vem a falecer. Responderá por
homicídio culposo. Se ele também quebrar a vidraça além de
matar, responderá por crime de dano e homicídio culposo,
em concurso formal.
Aberratio causae
É o erro que reside na causa do resultado pretendido.
Ex.: o sujeito, almejando matar a vítima por afogamento, a
arremessa do alto de uma ponte, vindo esta, contudo, após
chocar-se com o pilar central, a falecer por traumatismo
craniano. (Greco).
Aplica-se às hipóteses de dolo geral.
O Erro é irrelevante, respondendo o criminoso pelo resultado
produzido.
Aberratio causae
É o erro que reside na causa do resultado pretendido.
Ex.: o sujeito, almejando matar a vítima por afogamento, a
arremessa do alto de uma ponte, vindo esta, contudo, após
chocar-se com o pilar central, a falecer por traumatismo
craniano. (Greco).
Aplica-se às hipóteses de dolo geral.
O Erro é irrelevante, respondendo o criminoso pelo resultado
produzido.
Essencial
Erro de Tipo
Incriminador
Acidental
Erro de Tipo
Erro de Tipo Permissivo
(Descriminantes putativas)

C.P. Art. 20, § 1º - É isento de pena quem, por erro plenamente justificado
pelas circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse, tornaria a ação
legítima. Não há isenção de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é
punível como crime culposo.
Descriminantes putativas
O agente, por erro plenamente justificado pelas
circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse,
tornaria a ação legítima.
Putativo é aquilo que só existe na mente do agente. Trata-se
de uma situação imaginária.
Na descriminante putativa o agente atuou supondo
encontrar-se numa situação de legítima defesa, de estado de
necessidade, de estrito cumprimento de dever legal ou de
exercício regular de direito.
Exemplos:
1. Caso do Cabo Albarello do BOPE;
2. Policial que prende o irmão gêmeo do verdadeiro
procurado da justiça, imaginando prender a pessoa correta.
Consequências do erro de tipo permissivo:
Invencível (escusável) – Isenta o agente de pena
Vencível (inescusável) – Embora tenha agido com dolo,
responde como se tivesse praticado um delito culposo (é o
que a doutrina chama de culpa imprópria).
CESPE / Analista Judiciário - TRE – MA) Ocorrendo erro de
tipo essencial escusável que recaia sobre elementar do crime,
exclui- se o dolo do agente, que responde, no entanto, pelo
delito na modalidade culposa, se previsto em lei.

Correto

Errado

(CESPE / Exame de Ordem - OAB) Caracteriza-se a culpa
própria quando o agente, por erro de tipo inescusável, supõe
estar diante de uma causa de justificação que lhe permite
praticar, licitamente, o fato típico.
Correto

Errado
(CESPE / Soldado - PM – DF) Considere que Fábio, antes de
passar pela porta giratória de segurança, tenha deixado seu
aparelho celular na caixa de vidro ao lado dessa porta, para
entrar em uma agê ncia bancária. Quando foi recolher o seu
pertence, por engano, apoderou-se de um aparelho idê ntico
ao seu, mas que pertencia a outro. Nessa situação, trata-se de
erro de tipo essencial inescusável, devendo Fábio responder
pelo delito de furto culposo.
Correto

Errado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delitoUrbano Felix Pugliese
 
Foca no resumo pressupostos processuais - ncpc
Foca no resumo   pressupostos processuais - ncpcFoca no resumo   pressupostos processuais - ncpc
Foca no resumo pressupostos processuais - ncpcEsdrasArthurPessoa
 
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedade
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedadeQuadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedade
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedadeBruno Videira
 
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeDireito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeUrbano Felix Pugliese
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - cadernoedgardrey
 
Direito Civil - modalidade das obrigações
Direito Civil - modalidade das obrigaçõesDireito Civil - modalidade das obrigações
Direito Civil - modalidade das obrigaçõesJoyce Sarquiz
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power pointedgardrey
 
Crimes.contra.a.vida
Crimes.contra.a.vidaCrimes.contra.a.vida
Crimes.contra.a.vidaIgor Porto
 
Classificação Doutrinária dos Crimes
Classificação Doutrinária dos CrimesClassificação Doutrinária dos Crimes
Classificação Doutrinária dos CrimesPortal Vitrine
 
Código penal comentado slides - parte especial
Código penal comentado   slides - parte especialCódigo penal comentado   slides - parte especial
Código penal comentado slides - parte especialedgardrey
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geralPortal Vitrine
 
Crimes contra administração pública (1)
Crimes contra administração pública (1)Crimes contra administração pública (1)
Crimes contra administração pública (1)Thiago Camara
 
Direito penal do crime
Direito penal  do crimeDireito penal  do crime
Direito penal do crimeNilberte
 

Mais procurados (20)

Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
 
Foca no resumo pressupostos processuais - ncpc
Foca no resumo   pressupostos processuais - ncpcFoca no resumo   pressupostos processuais - ncpc
Foca no resumo pressupostos processuais - ncpc
 
Ilicitude
IlicitudeIlicitude
Ilicitude
 
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedade
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedadeQuadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedade
Quadro comparativo intervenção restritiva do estado na propriedade
 
Estado de necessidade
Estado de necessidadeEstado de necessidade
Estado de necessidade
 
Poder de polícia
Poder de políciaPoder de polícia
Poder de polícia
 
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeDireito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - caderno
 
Direito Civil - modalidade das obrigações
Direito Civil - modalidade das obrigaçõesDireito Civil - modalidade das obrigações
Direito Civil - modalidade das obrigações
 
Homicídio
HomicídioHomicídio
Homicídio
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
 
Direito penal iii dano
Direito penal iii   danoDireito penal iii   dano
Direito penal iii dano
 
Crimes.contra.a.vida
Crimes.contra.a.vidaCrimes.contra.a.vida
Crimes.contra.a.vida
 
Classificação Doutrinária dos Crimes
Classificação Doutrinária dos CrimesClassificação Doutrinária dos Crimes
Classificação Doutrinária dos Crimes
 
Mapa mental erro
Mapa mental erroMapa mental erro
Mapa mental erro
 
Processo penal 01 avisos processuais
Processo penal 01   avisos processuaisProcesso penal 01   avisos processuais
Processo penal 01 avisos processuais
 
Código penal comentado slides - parte especial
Código penal comentado   slides - parte especialCódigo penal comentado   slides - parte especial
Código penal comentado slides - parte especial
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geral
 
Crimes contra administração pública (1)
Crimes contra administração pública (1)Crimes contra administração pública (1)
Crimes contra administração pública (1)
 
Direito penal do crime
Direito penal  do crimeDireito penal  do crime
Direito penal do crime
 

Destaque

Aplicação da lei penal
Aplicação da lei penalAplicação da lei penal
Aplicação da lei penalBruno Alegria
 
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...Nilberte
 
Repensando a aplicação da pena
Repensando a aplicação da penaRepensando a aplicação da pena
Repensando a aplicação da penaEuler Jansen
 
Direito penal i consumação e tentativa
Direito penal i   consumação e tentativaDireito penal i   consumação e tentativa
Direito penal i consumação e tentativaUrbano Felix Pugliese
 
Direito penal i teoria geral do delito
Direito penal i   teoria geral do delitoDireito penal i   teoria geral do delito
Direito penal i teoria geral do delitoUrbano Felix Pugliese
 
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CP
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CPConcurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CP
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CPcrisdupret
 
5 - Responsabilidade Tributária
5 - Responsabilidade Tributária5 - Responsabilidade Tributária
5 - Responsabilidade TributáriaJessica Namba
 
Lei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaçoLei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaçocrisdupret
 
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...andersonfdr1
 
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B 2014
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B  2014INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B  2014
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B 2014Manoel Dantas Dantas
 
Noções De Direito Penal
Noções De Direito PenalNoções De Direito Penal
Noções De Direito PenalAPMBA
 
Classificação das necessidades
Classificação das necessidadesClassificação das necessidades
Classificação das necessidadesEconomicSintese
 
Direito penal parte geral
Direito penal parte geralDireito penal parte geral
Direito penal parte geralmariocanel
 

Destaque (19)

Culpabilidade
CulpabilidadeCulpabilidade
Culpabilidade
 
Aplicação da lei penal
Aplicação da lei penalAplicação da lei penal
Aplicação da lei penal
 
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
Direito penal,contravenção,imputabilidade penal , dos crimes contra a vida e ...
 
Consumacao e tentativa
Consumacao e tentativaConsumacao e tentativa
Consumacao e tentativa
 
Slides penal
Slides penalSlides penal
Slides penal
 
Repensando a aplicação da pena
Repensando a aplicação da penaRepensando a aplicação da pena
Repensando a aplicação da pena
 
Direito penal i concurso de pessoas
Direito penal i   concurso de pessoasDireito penal i   concurso de pessoas
Direito penal i concurso de pessoas
 
Direito penal i consumação e tentativa
Direito penal i   consumação e tentativaDireito penal i   consumação e tentativa
Direito penal i consumação e tentativa
 
Direito penal i teoria geral do delito
Direito penal i   teoria geral do delitoDireito penal i   teoria geral do delito
Direito penal i teoria geral do delito
 
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CP
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CPConcurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CP
Concurso de pessoas - Artigo 29, par. 1o e 2o, 30 e 31, CP
 
5 - Responsabilidade Tributária
5 - Responsabilidade Tributária5 - Responsabilidade Tributária
5 - Responsabilidade Tributária
 
Concurso de pessoas
Concurso de pessoasConcurso de pessoas
Concurso de pessoas
 
Lei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaçoLei penal no tempo e no espaço
Lei penal no tempo e no espaço
 
Facemp 2017 - estudar e escrever
Facemp   2017 - estudar e escreverFacemp   2017 - estudar e escrever
Facemp 2017 - estudar e escrever
 
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
Direito Penal- Tipicidade. Sujeito ativo e Sujeito Passivo. Alagoas cursos on...
 
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B 2014
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B  2014INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B  2014
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO ESTACIO TURMA B 2014
 
Noções De Direito Penal
Noções De Direito PenalNoções De Direito Penal
Noções De Direito Penal
 
Classificação das necessidades
Classificação das necessidadesClassificação das necessidades
Classificação das necessidades
 
Direito penal parte geral
Direito penal parte geralDireito penal parte geral
Direito penal parte geral
 

Semelhante a Erro de Tipo: Conceito, Espécies e Consequências

3ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - erro de tipo
3ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - erro de tipo3ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - erro de tipo
3ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - erro de tipoDireito2012sl08
 
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.doc
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.docApontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.doc
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.docEduardoNeto70
 
penal_2osemestre-_sistematizado.doc
penal_2osemestre-_sistematizado.docpenal_2osemestre-_sistematizado.doc
penal_2osemestre-_sistematizado.docEduardoNeto70
 
Descriminantes putativas artigo
Descriminantes putativas artigoDescriminantes putativas artigo
Descriminantes putativas artigoandrebarbo165
 
57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geralPereira Queiroz
 
Aula02 penal
Aula02 penalAula02 penal
Aula02 penalJ M
 
Pc exercicios penal 04 e 05
Pc exercicios penal 04 e 05Pc exercicios penal 04 e 05
Pc exercicios penal 04 e 05Neon Online
 
Direito penal parte geral
Direito penal   parte geralDireito penal   parte geral
Direito penal parte geralPrismaTocantins
 
Noções de direito aula 07
Noções de direito   aula 07Noções de direito   aula 07
Noções de direito aula 07Nadsonea Azevedo
 
Noções de direito aula 06
Noções de direito   aula 06Noções de direito   aula 06
Noções de direito aula 06Nadsonea Azevedo
 
1ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - dolo
1ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - dolo1ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - dolo
1ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - doloDireito2012sl08
 
Direito penal parte geral
Direito penal   parte geralDireito penal   parte geral
Direito penal parte geralPrismaTocantins
 
Resumo penal fred
Resumo penal fredResumo penal fred
Resumo penal fredvanessio
 
Direito penal 6ª apostila
Direito penal 6ª apostilaDireito penal 6ª apostila
Direito penal 6ª apostilaDireito2012sl08
 
Pc exercicios (penal) aula 15
Pc exercicios (penal)   aula 15Pc exercicios (penal)   aula 15
Pc exercicios (penal) aula 15Neon Online
 
Crimes contra a pessoa 15 - 07 - 2017
Crimes contra a pessoa   15 - 07 - 2017Crimes contra a pessoa   15 - 07 - 2017
Crimes contra a pessoa 15 - 07 - 2017Neon Online
 

Semelhante a Erro de Tipo: Conceito, Espécies e Consequências (20)

3ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - erro de tipo
3ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - erro de tipo3ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - erro de tipo
3ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - erro de tipo
 
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.doc
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.docApontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.doc
Apontamentos_sobre_dolo_e_negligencia.doc
 
penal_2osemestre-_sistematizado.doc
penal_2osemestre-_sistematizado.docpenal_2osemestre-_sistematizado.doc
penal_2osemestre-_sistematizado.doc
 
Descriminantes putativas artigo
Descriminantes putativas artigoDescriminantes putativas artigo
Descriminantes putativas artigo
 
Dolo e cupa
Dolo e cupaDolo e cupa
Dolo e cupa
 
57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral57 questoes de_direito_penal - parte geral
57 questoes de_direito_penal - parte geral
 
Aula02 penal
Aula02 penalAula02 penal
Aula02 penal
 
Pc exercicios penal 04 e 05
Pc exercicios penal 04 e 05Pc exercicios penal 04 e 05
Pc exercicios penal 04 e 05
 
Direito penal parte geral
Direito penal   parte geralDireito penal   parte geral
Direito penal parte geral
 
Noções de direito aula 07
Noções de direito   aula 07Noções de direito   aula 07
Noções de direito aula 07
 
Noções de direito aula 06
Noções de direito   aula 06Noções de direito   aula 06
Noções de direito aula 06
 
1ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - dolo
1ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - dolo1ªapostila penal 3º semestre   teoria do crime - dolo
1ªapostila penal 3º semestre teoria do crime - dolo
 
Classificacao
ClassificacaoClassificacao
Classificacao
 
Classific..
Classific..Classific..
Classific..
 
Direito penal parte geral
Direito penal   parte geralDireito penal   parte geral
Direito penal parte geral
 
Resumo penal fred
Resumo penal fredResumo penal fred
Resumo penal fred
 
Direito penal 6ª apostila
Direito penal 6ª apostilaDireito penal 6ª apostila
Direito penal 6ª apostila
 
Pc exercicios (penal) aula 15
Pc exercicios (penal)   aula 15Pc exercicios (penal)   aula 15
Pc exercicios (penal) aula 15
 
Crimes contra a pessoa 15 - 07 - 2017
Crimes contra a pessoa   15 - 07 - 2017Crimes contra a pessoa   15 - 07 - 2017
Crimes contra a pessoa 15 - 07 - 2017
 
Material de apoio (14).pptx
Material de apoio (14).pptxMaterial de apoio (14).pptx
Material de apoio (14).pptx
 

Último

Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 

Último (20)

Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 

Erro de Tipo: Conceito, Espécies e Consequências

  • 1. Disciplina: Direito Penal Prof. Anderson Passos Juiz de Direito Ex- Procurador Federal Ex- Analista Judiciário do TRE-PE Ex- Assistente Judiciário do TJ-PE Especialista em Direito Constitucional pela UCAM Especialista em Direito Público pela PUC-MINAS Bacharel em Direito pela UFPE
  • 3. Erro de Tipo Art. 20 - O erro sobre elemento constitutivo do tipo legal de crime exclui o dolo, mas permite a punição por crime culposo, se previsto em lei. Descriminantes putativas § 1º - É isento de pena quem, por erro plenamente justificado pelas circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse, tornaria a ação legítima. Não há isenção de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é punível como crime culposo.
  • 4. Erro de Tipo Incriminador Art. 20 do CP Erro de Tipo Erro de Tipo Permissivo Art. 20 § 1º do CP
  • 5. ERRO DE TIPO INCRIMINADOR (essencial)- CONCEITO Nas palavras de Johannes Wessels há “erro de tipo quando alguém não conhece, ao cometer o fato, uma circunstância que pertence ao tipo legal. ” O Agente representa falsamente a realidade, faltando-lhe a consciência de que está praticando uma infração penal, ficando afastado o dolo (vontade livre e consciente). O Erro ocorre sobre uma elementar ou circunstância do tipo penal.
  • 6. Ex. Caçador que atira no mato supondo que lá estava uma onça, sendo que, na verdade, atrás do mato se encontrava um amigo que imitara os sons do animal.
  • 7. Consequências: Erro de tipo invencível (escusável, inevitável) – é aquele que, nas circunstâncias em que se encontra, não tinha o agente como evitá-lo. Afasta-se o dolo e a culpa, sendo o fato atípico. Erro de tipo vencível (inescusável, evitável) – é aquele que se o agente tivesse atuado com a diligência exigida, poderia ter evitado o resultado (Greco). Afasta-se o dolo, mas o agente poderá ser punido pelo tipo culposo, se houver previsão legal.
  • 8. Essencial Erro de Tipo Incriminador Acidental Erro de Tipo Erro de Tipo Permissivo
  • 9. Erro de tipo acidental Não afasta o dolo e a culpa do agente, tendo em vista que recai apenas sobre um elemento não essencial do fato. Aníbal Bruno leciona que “ele (o agente) age com a consciência da antijuridicidade do seu comportamento, apenas se engana quanto a um elemento não essencial do fato ou erra no seu movimento de sua execução”.
  • 10. Espécies de erro acidental 1- Erro sobre o objeto 2- Erro sobre a pessoa 3- Erro na execução 4- Resultado diverso do pretendido 5-Aberratio causae Erro sobre o objeto (error in objecto) – o agente, agindo com vontade livre e consciente de praticar uma infração penal, comete erro quanto à qualidade do objeto. Ex.: o sujeito queria furtar um Iphone quando, por engano, furta um Galaxy. O erro é, portanto, irrelevante.
  • 11. erro sobre a pessoa (error in persona) – o erro não recai sobre qualquer elementar, circunstâ ncia ou outro elemento do tipo, mas sim à identificação da vítima, o que não acarreta modificação na classificação do crime cometido pelo agente. Consideram-se as condições pessoais da pessoa visada pelo agente. Art. 20, § 3o. O erro quanto à pessoa contra a qual o crime é praticado não isenta de pena. Não se consideram, neste caso, as condições ou qualidades da vítima, senão as da pessoa contra quem o agente queria praticar o crime. Ex. Agente atira em A pensando ser seu pai, mas, na verdade, era outra pessoa.
  • 12. Erro na execução (aberratio ictus) – ocorre quando, por ACIDENTE ou ERRO NO USO DOS MEIOS, o agente, ao invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, ATINGE PESSOA DIVERSA. Aplica-se o §3o do artigo 20, acima descrito, ou seja, responderá o agente como se tivesse atingido a vítima que pretendia ofender (art. 73, do CP): Art. 73. Quando, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, o agente, ao invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa, responde como se tivesse praticado o crime contra aquela, atendendo-se ao disposto no § 3o do artigo 20 deste Código. No caso de ser também atingida a pessoa que o agente pretendia ofender, aplica- se a regra do artigo 70 deste Código. Ex. Agente quer matar A, mas erra a pontaria e mata B.
  • 13. Resultado diverso do pretendido (aberratio criminis) – ocorre quando, fora dos casos de acidente ou erro na execução do crime, sobrevier resultado diverso do pretendido. De acordo com o art. 74, do CP, o agente responderá por culpa, se houver previsão legal: Art. 74. Fora dos casos do artigo anterior, quando, por acidente ou erro na execução do crime, sobrevém resultado diverso do pretendido, o agente responde por culpa, se o fato é previsto como crime culposo; se ocorre também o resultado pretendido, aplica-se a regra do artigo 70 deste Código. Ex.: o agente joga pedra para quebrar vidraça, mas erra o alvo e atinge uma pessoa, que vem a falecer. Responderá por homicídio culposo. Se ele também quebrar a vidraça além de matar, responderá por crime de dano e homicídio culposo, em concurso formal.
  • 14. Aberratio causae É o erro que reside na causa do resultado pretendido. Ex.: o sujeito, almejando matar a vítima por afogamento, a arremessa do alto de uma ponte, vindo esta, contudo, após chocar-se com o pilar central, a falecer por traumatismo craniano. (Greco). Aplica-se às hipóteses de dolo geral. O Erro é irrelevante, respondendo o criminoso pelo resultado produzido.
  • 15. Aberratio causae É o erro que reside na causa do resultado pretendido. Ex.: o sujeito, almejando matar a vítima por afogamento, a arremessa do alto de uma ponte, vindo esta, contudo, após chocar-se com o pilar central, a falecer por traumatismo craniano. (Greco). Aplica-se às hipóteses de dolo geral. O Erro é irrelevante, respondendo o criminoso pelo resultado produzido.
  • 16. Essencial Erro de Tipo Incriminador Acidental Erro de Tipo Erro de Tipo Permissivo (Descriminantes putativas) C.P. Art. 20, § 1º - É isento de pena quem, por erro plenamente justificado pelas circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse, tornaria a ação legítima. Não há isenção de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é punível como crime culposo.
  • 17. Descriminantes putativas O agente, por erro plenamente justificado pelas circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse, tornaria a ação legítima. Putativo é aquilo que só existe na mente do agente. Trata-se de uma situação imaginária. Na descriminante putativa o agente atuou supondo encontrar-se numa situação de legítima defesa, de estado de necessidade, de estrito cumprimento de dever legal ou de exercício regular de direito.
  • 18. Exemplos: 1. Caso do Cabo Albarello do BOPE; 2. Policial que prende o irmão gêmeo do verdadeiro procurado da justiça, imaginando prender a pessoa correta. Consequências do erro de tipo permissivo: Invencível (escusável) – Isenta o agente de pena Vencível (inescusável) – Embora tenha agido com dolo, responde como se tivesse praticado um delito culposo (é o que a doutrina chama de culpa imprópria).
  • 19. CESPE / Analista Judiciário - TRE – MA) Ocorrendo erro de tipo essencial escusável que recaia sobre elementar do crime, exclui- se o dolo do agente, que responde, no entanto, pelo delito na modalidade culposa, se previsto em lei. Correto Errado (CESPE / Exame de Ordem - OAB) Caracteriza-se a culpa própria quando o agente, por erro de tipo inescusável, supõe estar diante de uma causa de justificação que lhe permite praticar, licitamente, o fato típico. Correto Errado
  • 20. (CESPE / Soldado - PM – DF) Considere que Fábio, antes de passar pela porta giratória de segurança, tenha deixado seu aparelho celular na caixa de vidro ao lado dessa porta, para entrar em uma agê ncia bancária. Quando foi recolher o seu pertence, por engano, apoderou-se de um aparelho idê ntico ao seu, mas que pertencia a outro. Nessa situação, trata-se de erro de tipo essencial inescusável, devendo Fábio responder pelo delito de furto culposo. Correto Errado