Slide do seminário de filosofia

1.475 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.475
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slide do seminário de filosofia

  1. 1. Seminário Filosofia PoliticaLivro base: A Filosofia Politica Hoje – Ideias, debates e questões De Christian Delacampagne
  2. 2. EQUIPE:Matheus Cândido Daniela Amaral Anderson Diêgo Mirela FeitosaJoão Carlos Tavares Antônio WallasAlexandre Roberto Eliomar Oliveira Vanessa Camilo
  3. 3. A Paisagem depois da Batalha
  4. 4. • O Fim da Historia;• O que quer dizer “Liberdade”;• Em que consiste a Justiça;• Uma Nova Ordem Internacional: para Quê?;
  5. 5. O Muro de Berlim
  6. 6. Muamar Kadafi
  7. 7. Uma nova Ordem Internacional
  8. 8. A Liberdade em Questão
  9. 9. Apesar de Você Chico Buarque
  10. 10. Hoje você e quem mandaFalou, tá faladoNão tem discussão nãoA minha gente hoje andaFalando de lado e olhando pro chão.Viu ?Você que inventou esse EstadoInventou de inventarToda escuridãoVocê que inventou o pecadoEsqueceu-se de inventar o perdão
  11. 11. Apesar de vocêamanha ha de ser outro diaEu pergunto a você onde vai se esconderDa enorme euforia ?Como vai proibirQuando o galo insistir de canta ?Agua nova brotandoE a gente se amando sem parar
  12. 12. Quando chegar o momentoEsse meu sofrimentoVou cobrar com juros. Juros!Todo esse amor reprimido,Esse grito contido,Esse samba no escuro
  13. 13. Você que inventou a tristezaOra tenha a finezade ‘’desinventar”Você vai pagar, e é dobradoCada lagrima rolada,Nesse meu penar
  14. 14. Apesar de vocêAmanha há de ser outro diaAinda pago pra verO jardim florescerQual você não queria
  15. 15. Você vai se amargarVendo o dia raiarSem lhe pedir licença
  16. 16. E eu vou morre de rirE esse dia há de virantes do que você pensa.Apesar de você
  17. 17. Como vai se explicarVendo o céu clarear, de repente,impunemente?Como vai abafarNosso coro a cantar ,Na sua frenteApesar de você
  18. 18. Apesar de vocêAmanha há de ser outro dia.Você vai se dar mal, etc e tal,La, laiá, la laiá, la laiá .......
  19. 19. A teoria do Contrato Social Liberdade Justiça Igualdade
  20. 20. LIBERDADE JUSTIÇAIGUALDADE
  21. 21. Será que encontramos os pilares:liberdade, justiça e igualdade dentro da democracia moderna?
  22. 22. • Nomos (Lei, criação do homem)• Physis (natureza, homem seria apenas uma parte)
  23. 23. Pensando o Contrato Social na Antiguidade
  24. 24. SofistasA sociedade política esta longe de ser uma realidade natural, éapenas um artefato; toda lei é convenção.
  25. 25. Protágoras de Abdera“cabe ao homem, mediadorde todas as coisas, afirmar a sua soberania sobra a ‘natureza’, inventando leis capazes de fazer reinar a justiça na cidade.”
  26. 26. Antifonte “Não há nada moralmente condenável emtransgredir as convenções sociais, desde que isso não seja feito as claras.”
  27. 27. cálicles “Existem indivíduos que nasceram paragovernar a sociedade, estes são por natureza os melhores”
  28. 28. Platão e Aristóteles“Se o indivíduo for separado de sua cidade, não será mais um homem (cidadão):pois para sermos cidadãos precisamos de uma cidade.”
  29. 29. Por que todas estas questões politicas só giram em torno do ser humano?
  30. 30. Os Pensadores Da Idade Moderna
  31. 31. Hugo Grotius (Do direito da guerra e da paz 1625) “ o Estado nada mais é do que ‘um corpo perfeito de pessoas livres, que se reuniram para gozarpacificamente de seus diretos e para sua utilidade em comum’.”
  32. 32. “a sociedade política só poderia basear-se noconsentimento de cada individuo, no sacrifício voluntário de sua própria independência.”
  33. 33. • Pacto de associação – pactum sicietatis• Pacto de submissão – pactum subjectionis
  34. 34. Thomas Hobbes (Leviatã 1651)• Primeira grande exposição filosófica da teoria do contrato social.• Materialista.• uma força que movia os corpos humanos.• Um estado de guerra interminável e permanente. (estado de natureza) “homo homini lupos”
  35. 35. O contrato social de Hobbes “O homem escolhe abrir mão de seu desejo,renunciar a sua liberdade para entregá-la a uma autoridade central, de um soberano ou de um corpo político, que, terá todo o poder de fazer reinar a paz.”
  36. 36. Jonh Lock (Tratado Sobre o Governo Civil 1690)• Liberdade de trocas• Direito a propriedade privada.• Individualismo possessivo.“ o direito a propriedadeprivada é um direito natural...”
  37. 37. Hobbes vs Lock• O contrato não produz um soberano exterior aos seus mandatários isento de toda a obrigação.• Governo parlamentar.
  38. 38. Rousseau (o contrato social 1762)• O homem só se realiza plenamente no estado social.• A criação de um corpo único: o estado.• Regime republicano.
  39. 39. • Só governa o interesse público. Res Pública Democracia (direta)
  40. 40. “Se existisse um povo de deuses, ele se governaria democraticamente”
  41. 41. A Invenção do Nacionalismo
  42. 42. Como surgiu as ideias de Estados e sua soberania• Luta entre o Império e o Papado;• Jean Bodin – Primeiro teórico sobre a soberania do Estado. Para ele, “O Estado não é outra coisa senão um reto governo de várias famílias, e daquilo que lhes é comum, com poder soberano.”• Thomas Hobbes – Justificar a obrigação de obedecer;• Carl Schmitt - em seu texto Teologia Politica podemos encontrar a definição do que o próprio autor chama de “Situação Excepcional”;
  43. 43. Estado nação: retorno a um passado comum• Não existe, na antiguidade, palavra com o termo equivalente a palavra nação;• Arnold Van Gennep em seu livro Tratado Comparativo das Nacionalidades (1922), utiliza termos como nacionalidade (para designar período da pré historia do Estado) e nação (para designar o estado a partir do renascimento europeu)• Exemplos de Nacionalidade: Suméria e Egito;• Estado Nação surge com os gregos entre os séculos VIII e VI a.C• Séculos XVII e XVIII – Guerras com um único motivo – Redefinição das Fronteiras Nacionais;• Revolução Francesa, Independência Americana, Guerras Napoleônicas e Expansão Colonial na África e Ásia
  44. 44. Nação, Nacional, Nacionalism o• O autor nos traz 3 observações1.O Caráter Artificial do Conceito deNação2.Ambiguidade do “direito dos povosde disporem a si mesmo3.Subprodutos ideológicos dosNacionalismos modernos
  45. 45. Alguns exemplos dos “Subprodutos” Ideológicos dos nacionalismos modernos
  46. 46. Genocídio ArmênioComo é chamada a matança e deportação forçada decentenas de milhares ou até mais de um milhão depessoas de origem armênia que viviam no ImpérioOtomano, com a intenção de exterminar sua presençacultural, sua vida econômica e seu ambiente familiar,durante o governo dos chamados Jovens Turcos, de 1915a 1917.
  47. 47. Holocausto Judaico (1939 – 1945)Além da quantidade, o maisassustador foi a forma quaseindustrial como os judeus forammassacrados. No auge doscampos de concentração, asroupas, dentes, cabelos e até oscadáveres eram reaproveitadospelos nazistas. Homens maisfortes trabalhavam até a morte,os ‘improdutivos’ iam direto paraas câmaras de gás e outros eramsimplesmente executados(calcula-se em 1,4 milhão) emoperações de ‘limpeza’
  48. 48. Genocídio UcranianoDecidido a transformar a Ucrânia e suaprodução de trigo numa fortaleza docomunismo, Stálin resolveu ‘limpar’ aregião do que mais o incomodava: osucranianos. Eles não podiam falar seuidioma, foram perseguidos pelo serviçosecreto e deixados sem comida.Bandidos cobravam preços abusivos nomercado negro, crianças eramabandonadas e até canibalismo rolou noque ficou conhecido como Holomodor.
  49. 49. RuandaDurante cem dias, milícias hútuspromoveram um banho de sangue nessepequeno país africano, na tentativa deexterminar os tútsis, outro grupo étnico.Além da barbárie, o que mais chocou omundo foi a posição passiva da ONU e dasgrandes potências, que assistiram àcarnificina sem intervir. Ao final,guerrilheiros tútsis tomaram o país. Aí, foia vez de 2 milhões de hútus, com medode vingança, deixarem a região.
  50. 50. "O homem, quando perfeito, é o melhor dos animais, mas étambém o pior de todos quando afastado da lei e da justiça, pois a injustiça é mais perniciosa quando armada, e o homem nasce dotado de armas para serem bem usadas pela inteligência e pelo talento, mas podem sê-lo em sentido inteiramente oposto. Logo, quando destituído de qualidades morais, o homem é o maisimpiedoso e selvagem dos animais, e o pior em relação ao sexo e à gula" Aristóteles - "Política", 1252 b.

×