A audição

2.657 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre a audição e algumas doenças relacionadas ao órgão do sentido.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.657
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
126
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A audição

  1. 1. Audição Equipe: Ana Freitas, Eric Marialva, Jadson Viana e Valdecy Junior.
  2. 2. Introdução A audição é um dos cinco sentidos. É a capacidade de percepcionar o som. O órgão responsável pela audição é o ouvido, capaz de captar sons até uma determinada distância, dependendo da sua intensidade ou nível de pressão sonora. ♫ O ouvido é o primeiro órgão sensorial a se desenvolver. Com 24 semanas de gestação, o bebê começa a perceber e a distinguir os sons. ♫ O ouvido humano detecta sons de 20 a 20.000 Hertz. ♫ Atualmente o Brasil é um dos maiores campeões mundiais na frequência de perda auditiva por conta de ruído ♫
  3. 3. Morfologia
  4. 4. Estrutura da Orelha •Orelha Externa •Orelha Médio •Orelha Interna
  5. 5. Orelha Externa •Ondas sonoras •Cerume
  6. 6. Orelha Média •Cavidade de ar •Tuba auditiva
  7. 7. Orelha Interna •Labirito ósseo •Labirinto membranáceo
  8. 8. Fisiologia da audição e equilíbrio
  9. 9. Introdução A captação do som até sua percepção e interpretação é uma seqüência de transformações de energia, iniciando pela sonora, passando pela mecânica, hidráulica e finalizando com a energia elétrica dos impulsos nervosos que chegam ao cérebro.
  10. 10. Fisiologia coclear (audição) 1. 2. 3. Pavilhão da orelha meato acústico externo; Quando as ondas atingem a membrana timpânica provocam sua vibração; A área central da membrana timpânica conecta-se ao martelo, que também começa a vibrar
  11. 11. Fisiologia da audição
  12. 12. Fisiologia da audição
  13. 13. Fisiologia Vestibular (equilíbrio) Introdução Ela reflete uma atividade pela qual podemos manter a postura corporal adequada no que diz respeito à gravidade e meio de inércia em repouso e em movimento.
  14. 14. Tipos de Equilíbrio ♫ Estático – refere-se a manutenção da posição do corpo em relação a força da gravidade;
  15. 15. Tipos de Equilíbrio ♫ Dinâmico – éa manutenção da posição do corpo em resposta a movimentos como (rotação, aceleração e desaceleração.
  16. 16. Órgãos receptores ♫ Sáculo ♫ Utrículos e os ♫ Ductos semicirculares
  17. 17. Equilíbrio estático ♫ Órgãos receptores ♪ Mácula do sáculo Mácula do utrículo ♪
  18. 18. Equilíbrio estático
  19. 19. Equilíbrio dinâmico ♫ Orgão – ductos semicirculares (anterior, posterior e lateral)
  20. 20. Equilíbrio dinâmico Crista ampular
  21. 21. Equilíbrio dinâmico
  22. 22. Patologias
  23. 23. Otites  As infecções que ocorrem no ouvido, tanto no médio quando no externo, são chamadas de otites. As otites podem ser agudas ou crônicas.
  24. 24. Otite Externa Causas ♫ Sintomas ♫ Diagnóstico ♫ ♫ Tratamento ♫ Prevenção
  25. 25. Vídeo de otite externa
  26. 26. Otite média aguda Causas ♫ Sintomas ♫ Diagnostico ♫ Tratamento ♫ Prevenção ♫
  27. 27. Video de otite media aguda
  28. 28. Hipoacusia ♫ Perda auditiva ou Surdez. ♪ Parcial ou Total; Passageiro ou Definitivo; Estacionária ou Progressiva; Unilateral ou Bilateral; Desde o nascimento ou após doenças. ♪ ♪ ♪ ♪
  29. 29. Prevenção ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ Mulheres devem ser vacinadas contra a rubéola antes de engravidar; Na gestação, é essencial a realização dos exames prénatais; Crianças devem ser vacinadas contra sarampo, meningite e caxumba; Recém-nascidos devem ser submetidos ao teste da orelhinha; Deve-se evitar exposição ao barulho e usar protetores de ouvido em situações de exposição; Trabalhador exposto ao barulho deve se proteger com tampões e realizar exames auditivos com frequência.
  30. 30. Causas ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ Idade; Ruído; Herança; Infecções; Otosclerose; Fármacos, álcool e tabaco.
  31. 31. Sintomas ♫ ♪ ♪ No bebê: não acorda com barulhos fortes, como porta batendo; não vira a cabeça quando é chamado.
  32. 32. ♫ Na criança: ♪ não forma frases simples por volta dos dois anos; aumenta volume do aparelho de som e da TV; não consegue localizar de onde vem o som; busca contato visual para se comunicar; tem dificuldades no aprendizado; tem desatenção ou falta de concentração; escreve ou fala trocando fonemas. ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪
  33. 33. ♫ Nos adultos e idosos: dificuldade de entender o que é dito; ♪ escuta TV e rádio em volume muito alto; ♪ apresenta secreção no ouvido; ♪ relata barulho ou zumbido no ouvido; ♪ isolamento; ♪ fala muito alto. ♪
  34. 34. Diagnóstico Teste de ouvido ou orelha ♪ Teste de audição ♪ Teste de diapasão ♪ Teste de audiometria ♪ Ressonância magnética ♪
  35. 35. Tipos e tratamentos ♪ Transmissiva ♪ Neurossensorial ♪ Mista ♪ Central ♪ Presbiacusia
  36. 36. Referências Bibliográficas ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ ♪ I. Fattini, Carlo Américo. Anatomia humana. Dângelo, José Geraldo. Anatomia humana básica. São Paulo: Editora Atheneu, 2008 KNÖLLER, Patrícia de Vasconcellos. Otites Médias. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Audiologia Clinica). CEFAC, Rio de Janeiro, 1999. Disponível em: <http://www.cefac.br/library/teses/ee93b56314ace092dc10c095957a3698.p df> Acesso em: 15 mai. 2010. OTITES: As infecções do ouvido. Boa Saúde. Disponível em: <http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4779&ReturnCatI D=1787> Acesso em 16 mai. 2010. <http://www.amplifon.nl/wps/wcm/connect/SiteCompanyPt/SiteCompanyPt/ pt/Senior/A+Audicao/Causas/ > acessado 28 de outubro de 2013 Anatomia e Fisiologia BRANCO, M.ª do Carmo; NÁPOLES, Anabela Metelo – Técnicas Laboratoriais deBiologia, Bloco III. 3ª ed. Lisboa: Didáctica Editora, 1999. SEELEY, Rod R.; STEPHENS, Trent D.; TATE, Philip – Anatomia & Fisiologia . 1ª ed.Lisboa: Lusodidacta, 1997. WHITFIELD, Philip; STODDART, Mike – Os Sentidos Alfragide Ediclube Edição e promoção do livro, lda, 1989.

×