Sociologia Censura no Brasil

645 visualizações

Publicada em

Trabalho de Sociologia sobre a Censura no Brasil, na música, na televisão, nos livros etc. 2o ano.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
645
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sociologia Censura no Brasil

  1. 1. É PROIBIDO PROIBIR Ana Carolina, Ana Clara, Ana Sanches e Isabela Dias – 2 A
  2. 2. LIVROS CENSURADOS     Erico Verissimo e Jorge Amado lideraram o movimento de resistência e orientavam os autores a não submeterem seus livros. Falecida em 2002, Cassandra Rios é a escritora mais censurada do Brasil. Em 1976, ela teve 33 de seus 36 livros proibidos pela ditadura. Os censores alegavam “temas atentatórios à moralidade pública” para vetar livros apimentados, como O Prazer de Pecar. Homossexual, Cassandra chegou a ser condenada à prisão. Quadrinhistas famosos também foram censurados. Eram tantos os vetos que, em muitos casos, as HQs ficavam incompreensíveis. Dentre elas estava Feliz Ano Novo, do brasileiro Rubem Fonseca.
  3. 3. LIVROS CENSURADOS
  4. 4. 1. Apesar de voce – Chico Buarque 2. Calice – Chico Buarque e Milton Nascimento 3. Mosca na sopa – Raul Seixas 4. É proibido proibir – Caetano Veloso 5. Presente Cotidiano – Luiz Melodia
  5. 5. MOSCA NA SOPA – RAUL SEIXAS  Sabe-se que no período da ditadura militar, tanto músicos quanto escritores (poetas) utilizavam suas obras artísticas e literárias para, de alguma forma, denunciarem as mazelas sociais daquele período e, incomodaram sendo a mosca (questionadores) na sopa (militares e governantes). Desta forma, o povo é apresentado como aquele que incomoda, que não pode ser eliminado, pois sempre vão existir aqueles que se levantam contra regimes opressores. "Eu sou a mosca que pousou em sua sopa Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar... Eu sou a mosca que perturba o seu sono Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar... E não adianta vir me detetizar Pois nem o DDT pode assim me exterminar Porque você mata uma e vem outra em meu lugar...”
  6. 6. CENSURA NAS NOVELAS: O BEM AMADO     A novela “O bem amado” teve sua sinopse modificada no meio da exibição, para que não fosse cancelada ou sofresse mudança na grade horária, o que acarretaria em perda de audiência e patrocínio. A música da abertura da novela é O Bem-Amado. A música original era Paiol de Pólvora de Toquinho e Vinicius, mas foi proibida pela censura devido ao verso “Estamos sentados em um paiol de pólvora”. Em 1973, a Censura Federal proibiu que a palavra “coronel” fosse pronunciada em O Bem-Amado. “Coronel” era a forma como alguns personagens, especialmente Zeca Diabo, tratavam o prefeito Odorico Paraguaçu. Os militares achavam que Dias Gomes se referia a um coronel de patente militar, quando, na verdade, ele fazia alusão aos “coronéis” do sertão da Bahia. A censura também implicou com as palavras “capitão”(forma como Odorico se referia a Zeca Diabo) “ódio” e “vingança”, obrigando a equipe de produção a apagar o áudio de vários capítulos já gravados.
  7. 7. O BEM AMADO

×