Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita I

160 visualizações

Publicada em

Cadeira presente no primeiro ano do curso de Comunicação e Jornalismo.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
160
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita I

  1. 1. Técnicas de Expressão Escrita APONTAMENTOS DE AULAS ADVERSATIVA O MUNDO ESTÁ À ESPERA: UMA RELAÇÃO ENTRE DUAS COI SAS QUE VÃO CONTRA O MUNDO. EX: ELA GOSTA DE FUTEBOL MAS NUNCA VAI AOS ES TÁDI OS. COORDENAÇÃO SUBORDI NAÇÃO E PORQUE MAS (ADVERSATIVA) PARA OU (DI SJUNÇÃO) QUANDO LOGO SE (CONDI CI ONAL) PORQUE (EXPLI CATI VO) TÃO … QUE (CONSECUTI VA) TÃO COMO OBS: NÃO EXI STE QUALQUER COORDENADA QUE POSSA RECEBER UM “NÃO”; CASO A FRASE SEJA AMB Í GUA, NENHUMA COORDENADA É ACEI TE. TÃO MAI S QUE EMBORA (CONSECUTI VA NÃO PORQUE (CAUSAL) PARA QUANDO
  2. 2. DIA 23/10 INFINITO FLEXIONADO “UM LAVRADOR COMPROU DOI S BOIS PARA LAVRAR A TERRA.” REGRA GERAL: NO CASO DE UMA FRASE EM QUE HAJA DUAS ACÇÕES,SE O SUJEITO FORDIFERENTE, DEVERÁ USAR-SE O INFINITIVOPESSOALOUFLEXIONADO,PARAINDICARPRECISAMENTEQUEMÉO AUTOR DA ACÇÃO ENUNCIADA PELO VERBO NO INFINITIVO. EMPREGA-SEO INFINITIVOPESSOALFLEXIONADO,QUANDO ELETEMSUJEITO PRÓPRIO.ÉO CASO DESTA FRASE APRESENTADA, QUEDEVE SER DITA ASSIM: (a) «Aconselho os jovens a lerem mais.» O SUJEI TO DA 1.ª ORAÇÃO É EU. O SUJEI TO DA 2.ª ORAÇÃO É OS JOVENS. O VERBO LER TEM SUJEI TO PRÓPRI O, OS JOVENS. SUJEITO NO PLURAL, VERBO NO PLURAL. (b) «Pai e filho tiveram a experiência de estudar juntos». AQUI , EMPREGAMOS O I NFI NITIVO NÃO FLEXIONADO, PORQUE ELE NÃO TEM S UJEI TO PRÓPRIO: O SUJEITO DE ESTUDAR É TAMBÉM O SUJEI TO D E TI VERAM. (c) «Os alunos precisam de estar aptos a comunicarem-se em inglês.» O VERBO DEVE I R PARA O PLURAL PARA RESSALTAR A NECESSI DADE DE COMUNI CAREM UNS COM OS OUTROS. DE RESTO, SENTI MOS QUE ASSIM F ICA MELHOR LI NGUAGEM: MAI S EXPRESSIVA. Nota. – O CORRECTO É DI ZERMOS «... PRECI SAM DE ESTAR APTOS...», PORQUE QUEM PRECI SA «PRECI SA DE» – «DE ALGUMA COI SA» E NÃO «PRECI SA ALGUMA COI SA», SEM A PREPOSI ÇÃO DE. NOTA 2: REVER A QUESTÃO DO “POR QUE” E “PORQUÊ”. RELATI VAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS  MODIFICADOR DO GRUPO VERBAL:ORAÇÕESSUBORDINADAS ADVERBIAIS/ADVÉRBIOS  MODIFICADOR DE GRUPO NOMINAL:ADJECTIVO/S.P E POLISSÍNTESE QUE EXPLICATIVA/RESTRITIVA QUEM ONDE EXPL./REST CUJO,A,OS, AS EM QUE
  3. 3. AULA 30/10 PROBLEMA DO CUJO VALORES DE “POSSE”:ÉUMVALOR DETERMINADO. a) OPARTIDO X,CUJA REUNIÃO DE DIRECÇÃO SE REALIZOU ONTEM, VAI CONCORRER COMTODOS OS CÍRCULOS ELEITORAIS. b) AQUELA ALUNA,CUJA NOTA DO COLEGA FOI NEGATIVA,VAI AJUDÁ-LO NO ESTUDO. c) ESTE MUSEU,CUJA SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO TARDA,DEVERÁ FECHAR AO PÚBLICO. RESOLUÇÕES A) A CUJO B -> OPARTIDO X,CUJA DIRECÇÃO SE REUNIU ONTEMVAI CONCORRERCOMTODOS OS CÍRCULOS ELEITORAIS. B) AQUELA ALUNA,CUJO COLEGA TEVE UMA NOTA NEGATIVA, VAI AJUDÁ-LO NO ESTUDO. C) ESTE MUSEU,CUJA SALVAGUARDA TARDA,DEVERÁ FECHARAO PÚBLICO. PERSPETIVAS ANALISAR O TEXTO EM DUAS PERSPETIVAS PERSPETIVA LINGUÍSTICA 1) SINTAXE  COORDENAÇÃO/SUBORDINAÇÃO  ESTRUTURA ARGUMENTAL/MODIFICADORES 2) Linguística Narratológica SELECÇÃO VERBAL:OS VERBOS EXIGEM ARGUMENTOS EX: SUJEITOS NECESSITAMDE VERBOS. OJOÃO QUEBROU O VASO.
  4. 4. 2) SEMÂNTICA  ESTATIVIDADE (SER E DO ESTAR)/NÃO ESTATIVIDADE (FAZER/PROCESSOS)  DECOMPOSIÇÃO DAS SITUAÇÕES LINHA 5:PREPARA-O NÃO DECOMPÕE TOTALMENTE MAS É NECESSÁRIO DECOMPOR SITUAÇÕES LINHA 12: LEVANTA-SE 3) PONTUAÇÃO  ESCOLHER A FRASE MAIS LENTA. 4) PLANO LEXICAL 5) FIGURAS  FIGURAS DE ESTILO  DA SINTAXE PERSPETIVA NARRATOLÓGICA 1) DURAÇÃO DO TEMPO DO DISCURSO (T.D) E DO TEMPO DA HISTÓRIA (T.H)  SABER SE HÁ OU NÃO ARGUMENTOS SUFICIENTES PARA REFERIR O TEMPO DO DISCURSO E DO TEMPO DA HISTÓRIA.CASO O TEMPO DO DISCURSO SEJA INFERIORAO TEMPO DA HISTÓRIA,NÃO QUER DIZER QUE SEJA EM TEXTO RÁPIDO.  EX: RELATO DE UM JOGO DE FUTEBOL. ORELATO E O DISCURSO TÊMDE COINCIDIRCOM A HISTÓRIA.  OTEXTO ESCRITO NO PRESENTE E NÃO NO PASSADO:GANHO DE VALOR AFETIVO.EX:VER UMBAILADO EM CASA NÃO TRANSMITE OS MESMOS SENTIMENTOSQUE O VER AO VIVO. 2) NARRAÇÃO E DESCRIÇÃO  OJORGE ABRIU A PORTA E ATRAVESSOU A SALA (NÃO EXISTE DESCRIÇÃO)  OJORGE ABRIU A PORTA;ESTAVA TRISTE E SENTIA-SE DOENTE.ATRAVESSOUA SALA,ERA DESCONFORTÁVEL E O CHÃO ESTAVA SUJO.(EXISTE DESCRIÇÃO)  ESTÁ NO PASSADO PRETÉRITO PERFEITO  PASSADO ACABADO PRETÉRITO IMPERFEITO  SÓ TÊM O SEU INÍCIO NO PASSADO;PODERÁ CONTINUAR NO PRESENTE
  5. 5. NARRAÇÃO:PERMANENTE ALTERAÇÃO DO MUNDO É aberto em ambos os intervalos. S1 S2 Descrição ao estar no imperfeito (sobreposto ao passado) No presente:  O Jorge abriua posta;estátriste e sente-sedoente.Atravessaasala;a salaé desconfortávele ochão estásujo.(Têma havercom a descrição,casoesteja sobrepostaaumentaotempoentre oT.H e o T.D. 3) Sintaxe Narrativa  São apresentadasascategoriasdanarrativa literáriae asua estrutura.  É a sequência( grupode sequênciasque tornaumconjunto). Sequências/Preposições  A estruturasintáticanarrativamaisfácil é a cronologia.Oencadeamentoé utilizadono textorápido. Existe,também,aalternância: (M1)(P1)(M2)(P.A)  Vantagem:Recorrerà alternânciacontextual(Ex:falardoHomeme depoisfalardas crianças a fazerbarulho) 4) Núcleose catálises/informantese indícios Núcleo Núcleo Catálise:Processosde escritaque ligamosnúcleos  Os núcleosestãonotextolentomaisafastados.Notextorápido,existirammais núcleos.

×