Viagens na idade média

6.313 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Viagens na idade média

  1. 1. A difusão do Gosto e da prática das viagens na Idade Média
  2. 2. Introdução <ul><li>Neste trabalho iremos falar sobre a importância, o gosto e a prática das viagens na Idade Média. </li></ul><ul><li>Esperemos que gostem do trabalho e que aprendam qualquer coisa com ele. </li></ul>
  3. 3. Idade Média <ul><li>A Idade Média ou Era Medieval foi um período da História da Europa que se caracteriza pela influência da Igreja na sociedade, que está dividida em três grupos sociais: clero , nobreza e povo . </li></ul><ul><li>Ao clero cabia a função religiosa, é a classe culta e possui propriedades </li></ul><ul><li>A nobreza é a classe guerreira, proprietária de terras, os títulos e propriedades são hereditários. </li></ul><ul><li>O povo é a maioria da população que trabalha para as outras classes, constituído grande parte por servos. </li></ul>
  4. 4. As ordens sociais
  5. 5. Viagens de negócio e missões político-diplomáticas <ul><li>Os mercadores desta época são grandes viajantes. Ir de viagem de negócios passou a ser nesta altura uma coisa normal, embora não tivessem livres de perigos e incómodos. </li></ul><ul><li>Práticos e espontâneos, os mercadores cedo receberam conhecimentos essenciais para estas deslocações, aprendendo línguas , elaborando dicionários e guias de viagem . </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Muitas dessas viagens eram missões politico-diplomáticas em que comerciantes famosos reconhecidos desempenharam o papel de embaixadores das cortes da Europa. </li></ul><ul><li>Era em Roma que se cruzavam os embaixadores de todas as nações porque ai se resolviam questões religiosas e conflitos políticos, já que o Papa desempenhava dois papeis: o de medianeiro entre os Estados e de juiz em matéria de Direito Internacional. </li></ul>
  7. 7. Marco Polo e seus familiares, viajantes famosos da Idade Média
  8. 8. Marco Polo <ul><li>Nascimento: 15/9/1254 Veneza </li></ul><ul><li>Morte: 29/1/1324 Veneza </li></ul><ul><li>Foi: mercador, embaixador e explorador. </li></ul><ul><li>Foi dos primeiros Ocidentais a percorrer a Rota da Seda </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Niccolo e Matteo Polo entregarem uma carta de Kublai Khan para o Papa Gregório X em 1271. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Niccolo e Matteo em Bukhara. Eles foram convidados pelo enviado de Hulagu Khan (direita) a viajarem para o leste a para visitarem Kublai Khan. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Chegada da família Polo a uma cidade da China </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Niccolò e Matteo Polo saindo de Constantinopla rumo ao Oriente em 1259. </li></ul><ul><li>Página de Il Milione / As Viagens </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Estátua de Marco Polo em Hangzhou, China </li></ul>
  14. 15. Romarias e Peregrinações <ul><li>A religião ajudou também a ultrapassar e a superar as dificuldades dos caminhos. </li></ul><ul><li>Na Idade Média, a religião exprimia-se pela prática de actos rituais como: as orações , ofícios religiosos , a confissão , a penitência , os jejuns e as peregrinações . Todas elas eram obrigações a que deviam obedecer todos os que queriam a vida eterna. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>As Romarias são celebrações organizadas em honra de um santo sempre numa data fixa do ano. Atraiam numerosos fiéis, normalmente das proximidades, que vinham em grupos, maior parte das vezes a pé, demorando de um a vários dias. </li></ul><ul><li>Quando chegavam ao santuário, os romeiros pagavam as suas promessas, participavam nas cerimónias religiosas, que tem sempre uma missa e uma procissão normalmente. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Depois das celebrações aproveitavam a ocasião para realizar negócios (o que não era raro por estas coincidirem com as feiras), trocar noticias, cantar e bailar ao som dos instrumentos tradicionais. </li></ul><ul><li>As romarias ficaram fortemente enraizadas nos hábitos das populações que persistiram até hoje animando os meses de Verão </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Romaria a Nossa Senhora da Saúde </li></ul>
  18. 20. <ul><li>As Peregrinações ganharam de novo importância no século XI. Para estas peregrinações partia-se em grupo ou individualmente por um caminho já escolhido. Todos participavam nesta tradição: homens, mulheres, crianças, velhos, doentes e sãos. </li></ul>
  19. 21. <ul><li>Jerusalém - por ter sido o local da morte de Jesus. </li></ul><ul><li>Roma - Local de residência do Papa e onde repousavam os restos do mártir São Pedro. </li></ul><ul><li>Santiago de Compostela – onde, em meados do séc. IX, foi encontrado um túmulo identificado como sendo o do apóstolo São Tiago. </li></ul>Principais locais de peregrinação
  20. 23. <ul><li>Oração do Peregrino : </li></ul><ul><li>Apóstolo Santiago, </li></ul><ul><li>escolhido entre os primeiros, tu foste o primeiro a beber no cálice do senhor, e és o grande protector dos peregrinos; faz-nos fortes na fé e alegres na esperança, no nosso caminho de peregrinos seguindo o caminho da vida cristã e aleitamos para que finalmente, alcancemos a gloria de Deus Pai </li></ul><ul><li>Amén </li></ul>
  21. 24. Caminhos para Santiago <ul><li>Entre os vários caminhos, traçados desde a Idade Média, evidenciam-se: </li></ul><ul><li>Caminho Francês - Que recebe entre outros a Via Podiensis e antes a Via Gebennensis,a partir de Saint-Jean-Pied-de-Port, entra na Espanha por Roncesvalles, no sopé dos Pirenéus, e de lá segue por cerca de 800 quilómetros até Compostela. </li></ul>
  22. 26. <ul><li>Caminho Português – </li></ul><ul><li>A maior parte dos caminhos portugueses entroncam em Valença do Minho, onde se fazia (faz) a travessia da fronteira para e daí prolonga-se por mais 130 quilómetros. Do lado português, os percursos mais usados são: Fátima, Porto, Barcelos e Braga. </li></ul>
  23. 27. <ul><li>Caminho Inglês – </li></ul><ul><li>parte de Ferrol ou da Corunha, prolongando-se até 120 quilómetros. Apareceu a partir dos peregrinos das ilhas britânicas que, por causa da Guerra dos Cem Anos, não podiam atravessar a França com segurança e assim viajavam de barco até à Galiza, seguindo a pé até Compostela. </li></ul>
  24. 28. Conclusão <ul><li>Com este trabalho aprendemos mais acerca da importância das viagens na Idade Média e ficámos a perceber melhor a origem das Peregrinações e especialmente das Romarias. </li></ul><ul><li>Gostámos de realizar este trabalho </li></ul>
  25. 29. Bibliografia <ul><li>Para fazer a pesquisa deste trabalho utilizámos o manual de História “O Tempo da História,” 2ª parte, da autoria de Célia Pinto do Couto e Maria Antónia Monterroso Rosas. </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Marco_Polo </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Caminhos_de_Santiago </li></ul>
  26. 30. Autores <ul><li>Marcelo Domingues nº20 10ºD </li></ul><ul><li>Nuno Gonçalves nº24 10ºD </li></ul><ul><li>Pedro Norberto nº25 10ºD </li></ul><ul><li>Rita Santo nº27 10ºD </li></ul>

×