SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Workshop: Apresentação Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar
Manifesto da Biblioteca Escolar: “A biblioteca escolar  proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos alunos competências para a aprendizagem ao longo da vida e estimula a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos  responsáveis”. Manifesto da Biblioteca Escolar Publicado pelo Ministério da Educação de Portugal Gabinete da Rede de Bibliotecas escolares
Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar Definição: “O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares enquadra-se na estratégia global de desenvolvimento das bibliotecas escolares portuguesas, com o objectivo de facultar um instrumento pedagógico e de melhoria contínuaque permita aos órgãos directivos e aos professores bibliotecários avaliar o trabalho da biblioteca escolar e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos e identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas” Texto da sessão 1.O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:  problemáticas e conceitos implicados O que é?
CONHECER  as práticas pedagógicas Objectivos: o desempenho da BE MELHORAR os instrumentos de gestão da BE as práticas pedagógicas PLANEAR planos de acção e de desenvolvimento
Noção de valor    Procura de uma melhoria contínua    Conceitos Implicados: Aponta para as áreas nucleares    Permite a identificação clara dos pontos fortes e fracos Engloba os diferentes níveis de escolaridade
Organização do modelo  DOMINÍO A Apoio ao desenvolvimento curricular DOMINÍO B Leitura e literacia DOMINÍO C Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade DOMINÍO D Gestão da biblioteca escolar
Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os DocentesB. Leitura e Literacia A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular 2. Promoção da Literacia da Informação Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular C. Projectos, Parcerias e Actividades Livre e de Abertura à Comunidade C.2. Projectos e Parcerias D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D. Gestão da BE D.2. Condições humanas e materiais para prestação dos serviços D. Gestão da BE 3. Gestão da Colecção/da Informação
Exemplo do modelo
RESULTADOS 4 (Excelente) A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo. 3 (Bom) A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. 2 (Satisfatório) A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 1 (Fraco) A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.
Professor Bibliotecário Equipa Director Órgãos de Gestão Biblioteca Municipal Alunos   Funcionários Encarregados de Educação … INTERVENIENTES:
Existência de vários espaços   de Bibliotecas Escolares Existência de uma equipa e dois Professores Bibliotecários   que trabalham em conjunto Qualidade das instalações e do Fundo Documental    OPORTUNIDADES: Existência de algum equipamento informático    Existência de uma direcção sensível    Existência de um serviço que chega até todas as turmas dos vários níveis de ensino    Interesse dos alunos e docentes pela promoção das leituras e literacias    Existência de um Blog e Boletins de divulgação
Falta de orçamento próprio CONSTRANGIMENTOS: Falta de tratamento de dados referentes às actividades desenvolvidas    Inexistência de sistema de  empréstimo   informatizado
Síntese Aplicação do Modelo Planear a avaliação  Recolha de evidências Analisar os dados  Elaboração do relatório final  Comunicar resultados  Participar para implementar plano de acção
Envolvimento da escola Reuniões com o Director Reuniões periódicas com os docentes dos vários departamentos Apresentação periódica do ponto de situação da avaliação da B.E.   no órgão de gestão, conselho Pedagógico e docentes Reuniões com pais  Reunião com os professores seleccionados para recolha de evidências Reuniões periódicas com outros intervenientes
Próximas acções: Análise descriminada dos domínios e subdomínios Análise e construção de modelos de recolha de evidências Bibliografia: Textos da sessão Modelo de Auto-Avaliação Manifesto da Biblioteca Escolar Formanda: Ana Paula Sanches

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (13)

Prioridades2020.21
Prioridades2020.21Prioridades2020.21
Prioridades2020.21
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
3ª Tarefa Apresentação MAABE ao CP
3ª Tarefa    Apresentação MAABE ao CP3ª Tarefa    Apresentação MAABE ao CP
3ª Tarefa Apresentação MAABE ao CP
 
Workshop parte III
Workshop parte IIIWorkshop parte III
Workshop parte III
 
MABE
MABEMABE
MABE
 
Avaliacao Be Contexto Escola Manuela Varejao
Avaliacao Be Contexto Escola Manuela VarejaoAvaliacao Be Contexto Escola Manuela Varejao
Avaliacao Be Contexto Escola Manuela Varejao
 
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
 
Paa be 2010-2011 agrup.perafita
Paa be 2010-2011 agrup.perafitaPaa be 2010-2011 agrup.perafita
Paa be 2010-2011 agrup.perafita
 
Biblioteca ativa
Biblioteca ativaBiblioteca ativa
Biblioteca ativa
 
Instituto Nun'Alvres PlanodeMelhoria2013.14
Instituto Nun'Alvres PlanodeMelhoria2013.14Instituto Nun'Alvres PlanodeMelhoria2013.14
Instituto Nun'Alvres PlanodeMelhoria2013.14
 
Power Point Para Enviar
Power Point Para EnviarPower Point Para Enviar
Power Point Para Enviar
 
BE_Evidências_2011.2014
BE_Evidências_2011.2014BE_Evidências_2011.2014
BE_Evidências_2011.2014
 
Apresentação da BE
Apresentação da BEApresentação da BE
Apresentação da BE
 

Semelhante a Avaliação Biblioteca Escolar: Modelo, Domínios, Intervenientes

Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...
Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...
Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...Pedro Príncipe
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalhoDeco10
 
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolares
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolaresPaa 2014 2015-bibliotecas_escolares
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolaresRisoleta Montez
 
Cantanhede_PADDE_RBE.pdf
Cantanhede_PADDE_RBE.pdfCantanhede_PADDE_RBE.pdf
Cantanhede_PADDE_RBE.pdfJorge Borges
 
MAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho PedagógicoMAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho PedagógicoBiblideias
 
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2Sintese Desafios Oportunidades Turma 2
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2franciscamonteiro
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Isabel Nina
 
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...anabelavalentim
 
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotesc
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotescResposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotesc
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotescesperancasantos
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]mjoaocaldeira
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]mjoaocaldeira
 
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento 10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento ammocho
 
Paa bibliotecas escolares 2017 2018
Paa bibliotecas escolares 2017 2018Paa bibliotecas escolares 2017 2018
Paa bibliotecas escolares 2017 2018Risoleta Montez
 
Paa bibliotecas escolares 2016 2017
Paa bibliotecas escolares 2016 2017Paa bibliotecas escolares 2016 2017
Paa bibliotecas escolares 2016 2017Risoleta Montez
 
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]Teresa Semedo
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...subranco
 
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escolaSessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escolaVirginia Sousa
 

Semelhante a Avaliação Biblioteca Escolar: Modelo, Domínios, Intervenientes (20)

Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...
Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...
Recomendações para as bibliotecas de ensino superior de Portugal - Webinar @B...
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalho
 
Ppt Mav SessãO3
Ppt Mav SessãO3Ppt Mav SessãO3
Ppt Mav SessãO3
 
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolares
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolaresPaa 2014 2015-bibliotecas_escolares
Paa 2014 2015-bibliotecas_escolares
 
Cantanhede_PADDE_RBE.pdf
Cantanhede_PADDE_RBE.pdfCantanhede_PADDE_RBE.pdf
Cantanhede_PADDE_RBE.pdf
 
MAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho PedagógicoMAA ao Conselho Pedagógico
MAA ao Conselho Pedagógico
 
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2Sintese Desafios Oportunidades Turma 2
Sintese Desafios Oportunidades Turma 2
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
 
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...
Modelo de auto-avaliacao_das_bibliotecas_escolares_metodologias_de_operaciona...
 
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotesc
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotescResposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotesc
Resposta tarefa 1 power-point_modelo_auto-avaliacao_bibliotesc
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento 10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento
10 11 Apresentação do modelo de av ao Agrupamento
 
Paa bibliotecas escolares 2017 2018
Paa bibliotecas escolares 2017 2018Paa bibliotecas escolares 2017 2018
Paa bibliotecas escolares 2017 2018
 
Paa bibliotecas escolares 2016 2017
Paa bibliotecas escolares 2016 2017Paa bibliotecas escolares 2016 2017
Paa bibliotecas escolares 2016 2017
 
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]
Oficina%20 Forma%C3%87%C3%83 O%20 %20 Teresa%20 Semedo[1]
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
 
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escolaSessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
Sessao 3 trabalho 2 maabe no contexto da escola
 
Apresentação do MABE
Apresentação do MABEApresentação do MABE
Apresentação do MABE
 
Apresentação do MABE
Apresentação do MABEApresentação do MABE
Apresentação do MABE
 

Mais de anapaulasilvasanches (15)

Apresentação a sopa verde
Apresentação a sopa verdeApresentação a sopa verde
Apresentação a sopa verde
 
Trabalhos Cuquedo
Trabalhos CuquedoTrabalhos Cuquedo
Trabalhos Cuquedo
 
Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.
 
Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.
 
Quadro mabe aee
Quadro mabe aeeQuadro mabe aee
Quadro mabe aee
 
Análise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEAnálise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEE
 
Guia e texto_da_sessao_5
Guia e texto_da_sessao_5Guia e texto_da_sessao_5
Guia e texto_da_sessao_5
 
Sessão 4 Escolha domínio, subdomínio
Sessão 4 Escolha domínio, subdomínioSessão 4 Escolha domínio, subdomínio
Sessão 4 Escolha domínio, subdomínio
 
Tabela para o_trabalho_1_
Tabela para o_trabalho_1_Tabela para o_trabalho_1_
Tabela para o_trabalho_1_
 
Workshop Apresentação MABE
Workshop Apresentação MABEWorkshop Apresentação MABE
Workshop Apresentação MABE
 
Workshop Apresentação MABE
Workshop Apresentação MABEWorkshop Apresentação MABE
Workshop Apresentação MABE
 
Tabela 1
Tabela 1Tabela 1
Tabela 1
 
Tabela 1
Tabela 1 Tabela 1
Tabela 1
 
Sessão 3 tabela para-o_trabalho_1
Sessão 3 tabela para-o_trabalho_1Sessão 3 tabela para-o_trabalho_1
Sessão 3 tabela para-o_trabalho_1
 
Início ano lectivo
Início ano lectivoInício ano lectivo
Início ano lectivo
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 

Avaliação Biblioteca Escolar: Modelo, Domínios, Intervenientes

  • 1. Workshop: Apresentação Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar
  • 2. Manifesto da Biblioteca Escolar: “A biblioteca escolar proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos alunos competências para a aprendizagem ao longo da vida e estimula a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis”. Manifesto da Biblioteca Escolar Publicado pelo Ministério da Educação de Portugal Gabinete da Rede de Bibliotecas escolares
  • 3. Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar Definição: “O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares enquadra-se na estratégia global de desenvolvimento das bibliotecas escolares portuguesas, com o objectivo de facultar um instrumento pedagógico e de melhoria contínuaque permita aos órgãos directivos e aos professores bibliotecários avaliar o trabalho da biblioteca escolar e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos e identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas” Texto da sessão 1.O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: problemáticas e conceitos implicados O que é?
  • 4. CONHECER as práticas pedagógicas Objectivos: o desempenho da BE MELHORAR os instrumentos de gestão da BE as práticas pedagógicas PLANEAR planos de acção e de desenvolvimento
  • 5. Noção de valor Procura de uma melhoria contínua Conceitos Implicados: Aponta para as áreas nucleares Permite a identificação clara dos pontos fortes e fracos Engloba os diferentes níveis de escolaridade
  • 6. Organização do modelo DOMINÍO A Apoio ao desenvolvimento curricular DOMINÍO B Leitura e literacia DOMINÍO C Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade DOMINÍO D Gestão da biblioteca escolar
  • 7. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os DocentesB. Leitura e Literacia A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular 2. Promoção da Literacia da Informação Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular C. Projectos, Parcerias e Actividades Livre e de Abertura à Comunidade C.2. Projectos e Parcerias D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D. Gestão da BE D.2. Condições humanas e materiais para prestação dos serviços D. Gestão da BE 3. Gestão da Colecção/da Informação
  • 9. RESULTADOS 4 (Excelente) A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo. 3 (Bom) A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. 2 (Satisfatório) A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 1 (Fraco) A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.
  • 10. Professor Bibliotecário Equipa Director Órgãos de Gestão Biblioteca Municipal Alunos Funcionários Encarregados de Educação … INTERVENIENTES:
  • 11. Existência de vários espaços de Bibliotecas Escolares Existência de uma equipa e dois Professores Bibliotecários que trabalham em conjunto Qualidade das instalações e do Fundo Documental OPORTUNIDADES: Existência de algum equipamento informático Existência de uma direcção sensível Existência de um serviço que chega até todas as turmas dos vários níveis de ensino Interesse dos alunos e docentes pela promoção das leituras e literacias Existência de um Blog e Boletins de divulgação
  • 12. Falta de orçamento próprio CONSTRANGIMENTOS: Falta de tratamento de dados referentes às actividades desenvolvidas Inexistência de sistema de empréstimo informatizado
  • 13. Síntese Aplicação do Modelo Planear a avaliação Recolha de evidências Analisar os dados Elaboração do relatório final Comunicar resultados Participar para implementar plano de acção
  • 14. Envolvimento da escola Reuniões com o Director Reuniões periódicas com os docentes dos vários departamentos Apresentação periódica do ponto de situação da avaliação da B.E. no órgão de gestão, conselho Pedagógico e docentes Reuniões com pais Reunião com os professores seleccionados para recolha de evidências Reuniões periódicas com outros intervenientes
  • 15. Próximas acções: Análise descriminada dos domínios e subdomínios Análise e construção de modelos de recolha de evidências Bibliografia: Textos da sessão Modelo de Auto-Avaliação Manifesto da Biblioteca Escolar Formanda: Ana Paula Sanches