SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
GABARITO
1 2 3 4 5 6 7 8
Leia o texto que segue, a parte IV de O navio negreiro para responder as questoẽs de 1 a 4.
Era um sonho dantesco... o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho.
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros... estalar de açoite...
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar...
Negras mulheres, suspendendo às tetas
Magras crianças, cujas bocas pretas
Rega o sangue das mães:
Outras moças, mas nuas e espantadas,
No turbilhão de espectros arrastadas,
Em ânsia e mágoa vãs!
E ri-se a orquestra irônica, estridente...
E da ronda fantástica a serpente
Faz doudas espirais ...
Se o velho arqueja, se no chão resvala,
Ouvem-se gritos... o chicote estala.
E voam mais e mais...
Sobre o poema O navio negreiro, é correto afirmar:
I. Junto de Vozes d'África, o poema épico-dramático O navio negreiro integra a obra Os escravos
e vem a ser uma das principais realizações poéticas de Castro Alves;
II. O poema O navio negreiro apresenta uma finalidade estética voltada para a exacerbação
romântica, cuja linguagem é pouco expressiva e voltada para a objetividade.
III. Apresenta uma finalidade política e social evidente: a erradicação da escravidão no Brasil.
IV. Faz uma recriação poética das cenas dramáticas do transporte de escravos no porão dos
navios negreiros.
V. Os versos apresentam referências a costumes e crenças das tribos indígenas brasileiras,
expressando um nacionalismo guerreiro e primitivo.
a) I, II e III estão corretas.
b) II e V estão corretas.
c) I, III e IV estão corretas.
E.E.F.M ANANIAS DO AMARAL VIEIRA
Nº:
PROFESSOR(A):
e
ALUNO(A):
NOTA:
DATA: EJA
TURMA:
AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS
d) Todas as alternativas estão corretas.
2. Identifique algumas figuras de linguagem empregadas no poema:
(1) comparação metafórica (2) metáfora (3) hipérbole
( )”Era um sonho dantesco... o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho.
Em sangue a se banhar.”
( ) “Legiões de homens negros como a noite”
( ) “E ri-se a orquestra irônica, estridente...
E da ronda fantástica a serpente
Faz doudas espirais ...”
A opção correta é:
a . 1,2,3 b. 3,2,1 c. 3,1,2 d.1,3,2
3. No trecho: “ Magras crianças, cujas bocas pretas” a palavra em negrito pertence a qual
classe gramatical.
a. adjetivo b. substantivo c. pronome d. Preposição
4. Em: “Era um sonho dantesco... o tombadilho” .
Respectivamente, as palavras em negrito tem o mesmo significado de:
a ofegar e fantasma
b. infernal e alojamento do navio
c. rígido e alojamento do navio
d. relativo a inferno e luz muito intensa
5. (FUC-MT) Considerando os seguintes itens:
I. Autor da obra Cantos e Fantasias e O Estandarte Auriverde.
II. Foi chamado o poeta dos escravos por seus textos contra a escravidão.
III. Autor de I-Juca Pirama, belo poema de inspiração indianista
IV. Sua poesia é extremamente egocêntrica e sentimental, exprimindo um pessimismo
doentio, uma descrença generalizada, um tédio de vida que impregna tudo de tristeza e
desilusão.
V. Seu estilo vibrante e oratório empolgava os ouvintes, popularizando seus poemas de
caráter social.
Referências a Castro Alves encontram-se apenas em:
a. I e II
b. II e IV
c. II, III e V
d. II e V.
6. (FEI) Numere a coluna da esquerda, de acordo com a coluna da direita, tendo em vista a poesia
romântica brasileira:
1. primeira geração
2. segunda geração
3. terceira geração
( ) abolicionismo
( ) condoreirismo
( ) autocomiseração exacerbada
( ) obsessão pela morte
( ) indianismo
( ) nacionalismo
Agora, escolha a alternativa que apresenta a sequência correta dos numerais:
a. 2 - 3 - 2 - 1 - 2 - 1;
b. 1 - 3 - 2 - 1 - 2 - 3;
c. 3 - 2 - 2 - 1- 2 - 2;
d. 3 - 3 - 2 - 2 - 1 - 1;
7. (USP) O índio, em alguns romances de José de Alencar, como Iracema e Ubirajara, é:
a. retratado com objetividade, numa perspectiva rigorosa e científica.
b. idealizado sobre o pano de fundo da natureza, da qual é o herói épico.
c. visto com o desprezo do branco preconceituoso, que o considera inferior.
d. representado como um primitivo feroz e de maus instintos.
8. (MACK-SP) José de Alencar tenta mostrar um painel das relações do índio brasileiro com o
homem europeu.
Mostra, inclusive, o índio antes da chegada dos portugueses, o princípio de sua miscigenação, e,
posteriormente, o mesmo já totalmente cristianizado, num estado de quase servidão em relação
ao homem branco.
Assinale a alternativa em que aparecem, respectivamente, nomes de romances que
exemplifiquem tais temáticas.
a. Iracema – Ubirajara – O Sertanejo
b. As Minas de Prata – Til – O Sertanejo
c. Lucíola – A Pata da Gazela – Ubirajara
d. Ubirajara – Iracema – O Guarani

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Análise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottaAnálise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottama.no.el.ne.ves
 
Exercícios literatura escolas literárias (3)
Exercícios literatura   escolas literárias (3)Exercícios literatura   escolas literárias (3)
Exercícios literatura escolas literárias (3)Edcléia Xavier
 
Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02ma.no.el.ne.ves
 
Questões sobre canção do africano
Questões sobre canção do africanoQuestões sobre canção do africano
Questões sobre canção do africanoma.no.el.ne.ves
 
A poesia de castro alves
A poesia de castro alvesA poesia de castro alves
A poesia de castro alvesma.no.el.ne.ves
 
Questões sobre navio negreiro
Questões sobre navio negreiroQuestões sobre navio negreiro
Questões sobre navio negreiroma.no.el.ne.ves
 
Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03ma.no.el.ne.ves
 
Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01ma.no.el.ne.ves
 
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machado
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machadoLirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machado
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machadoma.no.el.ne.ves
 
Aula 12 romantismo no brasil - prosa
Aula 12   romantismo no brasil - prosaAula 12   romantismo no brasil - prosa
Aula 12 romantismo no brasil - prosaJonatas Carlos
 
Terceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia românticaTerceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia românticama.no.el.ne.ves
 
Questões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantesQuestões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantesma.no.el.ne.ves
 
Espumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alvesEspumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alvesma.no.el.ne.ves
 
Segunda geração da poesia romântica
Segunda geração da poesia românticaSegunda geração da poesia romântica
Segunda geração da poesia românticama.no.el.ne.ves
 
Aps 1 2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)
Aps 1   2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)Aps 1   2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)
Aps 1 2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)juliannecarvalho
 
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...ma.no.el.ne.ves
 
Avaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeAvaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeManu Dias
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...ma.no.el.ne.ves
 

Mais procurados (20)

Simulado lit-prise 2.1 ok
Simulado lit-prise 2.1 okSimulado lit-prise 2.1 ok
Simulado lit-prise 2.1 ok
 
Análise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo mottaAnálise de transpaixão, de waldo motta
Análise de transpaixão, de waldo motta
 
Exercícios literatura escolas literárias (3)
Exercícios literatura   escolas literárias (3)Exercícios literatura   escolas literárias (3)
Exercícios literatura escolas literárias (3)
 
Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02
 
Questões sobre canção do africano
Questões sobre canção do africanoQuestões sobre canção do africano
Questões sobre canção do africano
 
A poesia de castro alves
A poesia de castro alvesA poesia de castro alves
A poesia de castro alves
 
Questões sobre navio negreiro
Questões sobre navio negreiroQuestões sobre navio negreiro
Questões sobre navio negreiro
 
Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03
 
Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01
 
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machado
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machadoLirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machado
Lirismo e surrealismo em joão ternura, de aníbal machado
 
Aula 12 romantismo no brasil - prosa
Aula 12   romantismo no brasil - prosaAula 12   romantismo no brasil - prosa
Aula 12 romantismo no brasil - prosa
 
Terceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia românticaTerceira geração da poesia romântica
Terceira geração da poesia romântica
 
Questões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantesQuestões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantes
 
Espumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alvesEspumas flutuantes, de castro alves
Espumas flutuantes, de castro alves
 
Segunda geração da poesia romântica
Segunda geração da poesia românticaSegunda geração da poesia romântica
Segunda geração da poesia romântica
 
Aps 1 2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)
Aps 1   2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)Aps 1   2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)
Aps 1 2015 - análise literária do poema saudades de álvares de azevedo (1)
 
Gênero lírico no enem
Gênero lírico no enemGênero lírico no enem
Gênero lírico no enem
 
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
Revisando a literatura imperial 01: Romantismo, Realismo, Parnasianismo e Sim...
 
Avaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeAvaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidade
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
 

Semelhante a O navio negreiro

Semelhante a O navio negreiro (20)

PORTUGUÊS
PORTUGUÊSPORTUGUÊS
PORTUGUÊS
 
Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
 
Projetovestibular
ProjetovestibularProjetovestibular
Projetovestibular
 
Estudos independentes 2 ano
Estudos independentes 2 anoEstudos independentes 2 ano
Estudos independentes 2 ano
 
Simulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileiraSimulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileira
 
Simulado de literatura
Simulado de literaturaSimulado de literatura
Simulado de literatura
 
Adjetivo numeral artigo face
Adjetivo numeral artigo faceAdjetivo numeral artigo face
Adjetivo numeral artigo face
 
Adjetivo numeral artigo
Adjetivo numeral artigoAdjetivo numeral artigo
Adjetivo numeral artigo
 
CASTRO ALVES (2) (1) (2).pptx
CASTRO ALVES (2) (1) (2).pptxCASTRO ALVES (2) (1) (2).pptx
CASTRO ALVES (2) (1) (2).pptx
 
03i2pdf
03i2pdf03i2pdf
03i2pdf
 
Exercício literatura professor alexandre
 Exercício literatura   professor alexandre Exercício literatura   professor alexandre
Exercício literatura professor alexandre
 
Castro Alves
Castro AlvesCastro Alves
Castro Alves
 
Tomás de Alencar
Tomás de AlencarTomás de Alencar
Tomás de Alencar
 
Augusto dos anjos aluno
Augusto dos anjos alunoAugusto dos anjos aluno
Augusto dos anjos aluno
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
 
Questoes literatura prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏
Questoes literatura   prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏Questoes literatura   prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏
Questoes literatura prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏
 
Q10
Q10Q10
Q10
 
4 exercicios barroco-literatura_portugues
4   exercicios barroco-literatura_portugues4   exercicios barroco-literatura_portugues
4 exercicios barroco-literatura_portugues
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 123-124
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 123-124Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 123-124
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 123-124
 
AULÃO - TERCEIRO ANO
AULÃO - TERCEIRO ANOAULÃO - TERCEIRO ANO
AULÃO - TERCEIRO ANO
 

Mais de ananiasdoamaral

Proposta 10 de redação enem 2017
Proposta 10 de redação enem 2017Proposta 10 de redação enem 2017
Proposta 10 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 9 de redação enem 2017
Proposta 9 de redação enem 2017Proposta 9 de redação enem 2017
Proposta 9 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 8 de redação enem 2017
Proposta 8 de redação enem 2017Proposta 8 de redação enem 2017
Proposta 8 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 7 de redação enem 2017
Proposta 7 de redação enem 2017Proposta 7 de redação enem 2017
Proposta 7 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 6 de redação enem 2017
Proposta 6 de redação enem 2017Proposta 6 de redação enem 2017
Proposta 6 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 5 de redação enem 2017
Proposta 5 de redação enem 2017Proposta 5 de redação enem 2017
Proposta 5 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 4 de redação enem 2017
Proposta 4 de redação enem 2017Proposta 4 de redação enem 2017
Proposta 4 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 3 de redação enem 2017
Proposta 3 de redação enem 2017Proposta 3 de redação enem 2017
Proposta 3 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 2 de redação enem 2017
Proposta 2 de redação enem 2017Proposta 2 de redação enem 2017
Proposta 2 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Proposta 1 de redação enem 2017
Proposta 1 de redação enem 2017Proposta 1 de redação enem 2017
Proposta 1 de redação enem 2017ananiasdoamaral
 
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.ananiasdoamaral
 
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananias
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananiasModelo cabeçalho de avaliação escola ananias
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananiasananiasdoamaral
 
Anorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizadoAnorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizadoananiasdoamaral
 
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananias
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA AnaniasLABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananias
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananiasananiasdoamaral
 
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° dia
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° diaAULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° dia
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° diaananiasdoamaral
 

Mais de ananiasdoamaral (20)

Proposta 10 de redação enem 2017
Proposta 10 de redação enem 2017Proposta 10 de redação enem 2017
Proposta 10 de redação enem 2017
 
Proposta 9 de redação enem 2017
Proposta 9 de redação enem 2017Proposta 9 de redação enem 2017
Proposta 9 de redação enem 2017
 
Proposta 8 de redação enem 2017
Proposta 8 de redação enem 2017Proposta 8 de redação enem 2017
Proposta 8 de redação enem 2017
 
Proposta 7 de redação enem 2017
Proposta 7 de redação enem 2017Proposta 7 de redação enem 2017
Proposta 7 de redação enem 2017
 
Proposta 6 de redação enem 2017
Proposta 6 de redação enem 2017Proposta 6 de redação enem 2017
Proposta 6 de redação enem 2017
 
Proposta 5 de redação enem 2017
Proposta 5 de redação enem 2017Proposta 5 de redação enem 2017
Proposta 5 de redação enem 2017
 
Proposta 4 de redação enem 2017
Proposta 4 de redação enem 2017Proposta 4 de redação enem 2017
Proposta 4 de redação enem 2017
 
Proposta 3 de redação enem 2017
Proposta 3 de redação enem 2017Proposta 3 de redação enem 2017
Proposta 3 de redação enem 2017
 
Proposta 2 de redação enem 2017
Proposta 2 de redação enem 2017Proposta 2 de redação enem 2017
Proposta 2 de redação enem 2017
 
Proposta 1 de redação enem 2017
Proposta 1 de redação enem 2017Proposta 1 de redação enem 2017
Proposta 1 de redação enem 2017
 
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.
Locais de provas do ENEM 2016 ESCOLA ANANIAS.
 
Criar um blog
Criar um blog Criar um blog
Criar um blog
 
Memórias secundarias 2
Memórias secundarias 2Memórias secundarias 2
Memórias secundarias 2
 
Memorias secundárias
Memorias secundárias Memorias secundárias
Memorias secundárias
 
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananias
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananiasModelo cabeçalho de avaliação escola ananias
Modelo cabeçalho de avaliação escola ananias
 
Anorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizadoAnorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizado
 
Anatomia
AnatomiaAnatomia
Anatomia
 
Controle do data show
Controle do data showControle do data show
Controle do data show
 
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananias
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA AnaniasLABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananias
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA ESCOLA Ananias
 
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° dia
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° diaAULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° dia
AULÃO DE MATEMÁTICA Spaece 2° dia
 

Último

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 

Último (20)

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 

O navio negreiro

  • 1. GABARITO 1 2 3 4 5 6 7 8 Leia o texto que segue, a parte IV de O navio negreiro para responder as questoẽs de 1 a 4. Era um sonho dantesco... o tombadilho Que das luzernas avermelha o brilho. Em sangue a se banhar. Tinir de ferros... estalar de açoite... Legiões de homens negros como a noite, Horrendos a dançar... Negras mulheres, suspendendo às tetas Magras crianças, cujas bocas pretas Rega o sangue das mães: Outras moças, mas nuas e espantadas, No turbilhão de espectros arrastadas, Em ânsia e mágoa vãs! E ri-se a orquestra irônica, estridente... E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais ... Se o velho arqueja, se no chão resvala, Ouvem-se gritos... o chicote estala. E voam mais e mais... Sobre o poema O navio negreiro, é correto afirmar: I. Junto de Vozes d'África, o poema épico-dramático O navio negreiro integra a obra Os escravos e vem a ser uma das principais realizações poéticas de Castro Alves; II. O poema O navio negreiro apresenta uma finalidade estética voltada para a exacerbação romântica, cuja linguagem é pouco expressiva e voltada para a objetividade. III. Apresenta uma finalidade política e social evidente: a erradicação da escravidão no Brasil. IV. Faz uma recriação poética das cenas dramáticas do transporte de escravos no porão dos navios negreiros. V. Os versos apresentam referências a costumes e crenças das tribos indígenas brasileiras, expressando um nacionalismo guerreiro e primitivo. a) I, II e III estão corretas. b) II e V estão corretas. c) I, III e IV estão corretas. E.E.F.M ANANIAS DO AMARAL VIEIRA Nº: PROFESSOR(A): e ALUNO(A): NOTA: DATA: EJA TURMA: AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS
  • 2. d) Todas as alternativas estão corretas. 2. Identifique algumas figuras de linguagem empregadas no poema: (1) comparação metafórica (2) metáfora (3) hipérbole ( )”Era um sonho dantesco... o tombadilho Que das luzernas avermelha o brilho. Em sangue a se banhar.” ( ) “Legiões de homens negros como a noite” ( ) “E ri-se a orquestra irônica, estridente... E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais ...” A opção correta é: a . 1,2,3 b. 3,2,1 c. 3,1,2 d.1,3,2 3. No trecho: “ Magras crianças, cujas bocas pretas” a palavra em negrito pertence a qual classe gramatical. a. adjetivo b. substantivo c. pronome d. Preposição 4. Em: “Era um sonho dantesco... o tombadilho” . Respectivamente, as palavras em negrito tem o mesmo significado de: a ofegar e fantasma b. infernal e alojamento do navio c. rígido e alojamento do navio d. relativo a inferno e luz muito intensa 5. (FUC-MT) Considerando os seguintes itens: I. Autor da obra Cantos e Fantasias e O Estandarte Auriverde. II. Foi chamado o poeta dos escravos por seus textos contra a escravidão. III. Autor de I-Juca Pirama, belo poema de inspiração indianista IV. Sua poesia é extremamente egocêntrica e sentimental, exprimindo um pessimismo doentio, uma descrença generalizada, um tédio de vida que impregna tudo de tristeza e desilusão. V. Seu estilo vibrante e oratório empolgava os ouvintes, popularizando seus poemas de caráter social. Referências a Castro Alves encontram-se apenas em: a. I e II b. II e IV c. II, III e V d. II e V.
  • 3. 6. (FEI) Numere a coluna da esquerda, de acordo com a coluna da direita, tendo em vista a poesia romântica brasileira: 1. primeira geração 2. segunda geração 3. terceira geração ( ) abolicionismo ( ) condoreirismo ( ) autocomiseração exacerbada ( ) obsessão pela morte ( ) indianismo ( ) nacionalismo Agora, escolha a alternativa que apresenta a sequência correta dos numerais: a. 2 - 3 - 2 - 1 - 2 - 1; b. 1 - 3 - 2 - 1 - 2 - 3; c. 3 - 2 - 2 - 1- 2 - 2; d. 3 - 3 - 2 - 2 - 1 - 1; 7. (USP) O índio, em alguns romances de José de Alencar, como Iracema e Ubirajara, é: a. retratado com objetividade, numa perspectiva rigorosa e científica. b. idealizado sobre o pano de fundo da natureza, da qual é o herói épico. c. visto com o desprezo do branco preconceituoso, que o considera inferior. d. representado como um primitivo feroz e de maus instintos. 8. (MACK-SP) José de Alencar tenta mostrar um painel das relações do índio brasileiro com o homem europeu. Mostra, inclusive, o índio antes da chegada dos portugueses, o princípio de sua miscigenação, e, posteriormente, o mesmo já totalmente cristianizado, num estado de quase servidão em relação ao homem branco. Assinale a alternativa em que aparecem, respectivamente, nomes de romances que exemplifiquem tais temáticas. a. Iracema – Ubirajara – O Sertanejo b. As Minas de Prata – Til – O Sertanejo c. Lucíola – A Pata da Gazela – Ubirajara d. Ubirajara – Iracema – O Guarani