Departamento de Educação e Ensino a Distância
Mestrado em Pedagogia do Elearning
A Experiência Subjetiva do
Estudante Onli...
Ana Maria Neves
Introdução
Ofício de estudante
(Perrenoud, 1995)
http://office.microsoft.com/pt
Ana Maria Neves
Introdução
.
.
Investigação
Ana Maria Neves
Questão de Investigação
Como vivem e percecionam os
estudantes que ingressam
numa instituição universitári...
Ana Maria Neves
Sub-Questões da investigação
• Como vivem os estudantes os seus primeiros dias online emocionalmente?
• Qu...
Ana Maria Neves
Fundamentação Teórica
Perfil do Estudante
Online
Pallof & Pratt (2003); Peterson (2006); Guitert & Romeu (...
Ana Maria Neves
Metodologia da
Investigação
Qualitativa
ESTUDO DE CASO
Exploratório
Entrevistas Online (email)
N= 50 (3 tu...
Ana Maria Neves
Conclusões
SUB-QUESTÃO 1.
Os primeiros dias online são vividos de uma forma muito intensiva
emocionalmente...
Ana Maria Neves
Conclusões
SUB-QUESTÃO 3.
A gestão do tempo é a grande fonte de stress e ansiedade online (54%
dos entrevi...
Ana Maria Neves
Conclusões
SUB-QUESTÃO 5.
As primeiras impressões são, sobretudo de natureza instrumental (72%
dos entrevi...
Ana Maria Neves
Conclusões
SUB-QUESTÃO 7.
É possível estabelecer laços de amizade (74% dos entrevistados),
partilha de afe...
Ana Maria Neves
Contributos e Limitações
 Acreditamos comprovar a importância de um Módulo de Ambientação
Online como açã...
Ana Maria Neves
Contributos e Limitações
 Sugerimos a testagem da metodologia de análise do fórum num
estudo relativo às ...
Ana Maria Neves
Um testemunho com muita
emoção 
E48 (…) [o MAO] foi muito importante na medida em que me pôs a par
destas...
Ana Maria Neves
FIM…
Obrigad@ 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Experiência Subjetiva do Estudante Online

385 visualizações

Publicada em

Apresentação da defesa da dissertação de Mestrado em Educação, especialidade em Pedagogia do eLearning. Universidade Aberta, Julho de 2014

This study focuses in an online learning context taking as focus graduate and master students of the only Portuguese online university offering courses exclusively online. Universidade Aberta privileges in its pedagogical model the principle of digital inclusion alongside flexibility and interaction primacies.
Online student has a different profile from the face-to-face student. He has familiar and professional responsibilities. He’s an adult returning his activity as student, in most of cases, after several years of interregnum.
Being an online student involves much more than the simple access to a computer and the internet. Implies, first of all, a predisposition to learn, communicate and express himself differently from what happens in face-to-face contexts. Implies using and manipulating technologies in a context in which the roles of students and teachers are specially differentiated of those that happens in face-to-face classroom.
The aim of this study is to know the students’ experience in early online days, after their arrival to the virtual classroom, their main motivations and difficulties and also to understand how these students live and interpret their experiences as online students.
The methodology used is qualitative and exploratory, taking the form of a case study. As data collection instruments we proceeded to online interviews and analysis of an online social character forum (the Virtual Café).
Despite the study limitations, the results point to 1) some previous digital literacy before the entrance in an online course but with difficulties in adapting to the eLearning model; 2) strong emotions experienced in the early online days; 3) difficulties in finding a balanced time management.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
385
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O tema do estudo surgiu como inspiração da obra de Perrenoud, Ofício de Estudante (1995) segundo o qual o sentido de “ser estudante” se constrói, fundamenta-se numa cultura de aprendizagem e negoceia-se em contexto, em situação, numa interação e numa relação. Dado que a obra se fundamenta na experiência do estudante “tradicional”, presencial; a questão que surgiu foi: e o ofício do estudante online?
  • O surgimento da Web e mais recentemente o seu desenvolvimento para a web 2.0 motivou uma série de estudos relacionados com a comunicação mediada por computador, a interação online ou a psicologia das relações online. É nestes estudos que a pedagogia do e-Learning se tem também fundamentado. No entanto, são ainda poucos os estudos nas áreas da CMC, da psicologia e das interações que são desenvolvidos em contextos de ensino –aprendizagem online.
  • O objetivo da nossa investigação é recolher pistas que nos ajudem a compreender como vivem e percecionam os estudantes que ingressam numa universidade virtual o seu papel enquanto estudantes online nos primeiros dias online.
  • Para o efeito formulámos oito questões de investigação:
  • A metodologia adotada é qualitativa de natureza exploratória e fundamenta-se num estudo de caso. Como instrumentos de recolha de dados recorremos a entrevistas online (por email) seguidas da análise de conteúdo das mesmas e à análise de conteúdo de um fórum do Módulo de Ambientação Online; um fórum de cariz social – o Café Online. No que respeita à entrevista online, foram enviados 266 convites a estudantes. 99 convites foram aceites, contudo, apenas 50 (44 mulheres e 6 homens) estudantes completaram a entrevista. A entrevista foi dividida em três blocos, com a previsão de 3 dias de resposta para cada bloco. No que respeita ao fórum do Café Online, ele pertence a uma turma com 60 estudantes (41 mulheres e 19 homens). Das 680 mensagens produzidas pelos estudantes, optámos por analisar 400 mensagens que correspondem aos dois primeiros dias do curso; ao 5.º e ao 6.º dia e ao 11.º e 12.º dia, sendo que o MAO tem a duração de 13 dias.
  • Sub-questão 1. Como vivem os estudantes os seus primeiros dias online emocionalmente?
    Sub-questão 2. Que estratégias utilizam os estudantes para expressar sentimentos e emoções online?
  • Sub-questão 3. Quais as principais fontes de stress e ansiedade para os estudantes online?
    Sub-questão 4. Como gerem os estudantes as situações de crises e conflitos online?
  • Sub-questão 5. Quais as pistas (visuais e não visuais) que mais contribuem para a formação de primeiras impressões online?
    Sub-questão 6. Qual a relevância do MAO para os estudantes que ingressam numa universidade virtual?
  • Sub-questão 7. É possível o desenvolvimento de relações de amizade num contexto de ensino/aprendizagem online? Existem laços de interdependência entre os estudantes? Há partilha/suporte emocional entre eles?
    Sub-questão 8. Que estratégias encontram os estudantes online para superar a distância física?
  • A Experiência Subjetiva do Estudante Online

    1. 1. Departamento de Educação e Ensino a Distância Mestrado em Pedagogia do Elearning A Experiência Subjetiva do Estudante Online Ana Maria Pereira das Neves Dissertação orientada por Professora Doutora Lina Morgado
    2. 2. Ana Maria Neves Introdução Ofício de estudante (Perrenoud, 1995) http://office.microsoft.com/pt
    3. 3. Ana Maria Neves Introdução . . Investigação
    4. 4. Ana Maria Neves Questão de Investigação Como vivem e percecionam os estudantes que ingressam numa instituição universitária totalmente virtual o seu papel enquanto estudantes online nos primeiros dias online? http://www.bulawayo24.com/index-id-technology-sc- computers-byo-12761.html
    5. 5. Ana Maria Neves Sub-Questões da investigação • Como vivem os estudantes os seus primeiros dias online emocionalmente? • Que estratégias utilizam os estudantes para expressar sentimentos e emoções online? • Quais as principais fontes de stress e ansiedade para os estudantes online? • Como gerem os estudantes as situações de crises e conflitos online? • Quais as pistas (visuais e não visuais) que mais contribuem para a formação de primeiras impressões online? • Qual a relevância do MAO para os estudantes que ingressam numa universidade virtual? • É possível o desenvolvimento de relações de amizade num contexto de ensino/aprendizagem online? Existem laços de interdependência entre os estudantes? Há partilha/suporte emocional entre eles? • Que estratégias encontram os estudantes online para superar a distância física?
    6. 6. Ana Maria Neves Fundamentação Teórica Perfil do Estudante Online Pallof & Pratt (2003); Peterson (2006); Guitert & Romeu (2009) Programas de Orientação/ Ambientação Bozarth, Chapman & LaMonica (2004); Crawley & Fretzer (2013); Jones (2013); Newberry & DeLuca (2013); Crawford & Persaud (2013) Primeiras Impressões Online Sherman (2003); Mendes, Morgado & Amante (2006) Comunicação Mediada por Computador Whittaker (2003) O Tempo do Estudante Online Bullen (2010);Moore (2010); Carreras & Valox (2010); Romero (2011) Emoções Online Catalán et al. (2008); Cleveland & Campbell (2012); Meyer & Jones (2012); Angelaki & Mavroidis (2013)
    7. 7. Ana Maria Neves Metodologia da Investigação Qualitativa ESTUDO DE CASO Exploratório Entrevistas Online (email) N= 50 (3 turmas de mestrado, 2 turmas de licenciatura) Análise Categorial: 9 temas / 83 categorias encontradas Análise dum fórum social – Café Online 60 estudantes (1 turma de licenciatura) N= 400 mensagens analisadas Análise categorial: 13 categorias inspiradas em Catalán et al. (2008)
    8. 8. Ana Maria Neves Conclusões SUB-QUESTÃO 1. Os primeiros dias online são vividos de uma forma muito intensiva emocionalmente. Na entrevista, os estudantes reportam emoções negativas (46% - Ansiedade, nervosismo, cansaço, stress, insegurança) mas em fórum as emoções mais observadas são as positivas (estímulo, entusiasmo, reconhecimento, afeto, gratidão). SUB-QUESTÃO 2. A principal estratégia utilizada para passar aos outros sentimentos e emoções online é a assertividade na comunicação escrita (78% - entrevistados) e a utilização de expressão emocional multimédia (48% - entrevistados). No fórum, verificou-se um uso intensivo de emoticons (50,25% das mensagens)
    9. 9. Ana Maria Neves Conclusões SUB-QUESTÃO 3. A gestão do tempo é a grande fonte de stress e ansiedade online (54% dos entrevistados). No fórum verificou-se que quando envolvidos em atividades complexas online, os estudantes tendem a participar menos nos espaços de socialização. Nos dois primeiros dias foram produzidas 53,75% de todas as mensagens analisadas nos seis dias interpolados. No 5.º e 6.º dias esse número desce para 24% e nos últimos dois dias para 22,25%. A atividade no Café Online diminui à medida que as atividades propostas se tornam mais complexas. SUB-QUESTÃO 4. Os estudantes referem a assertividade e o distanciamento emocional como a principal estratégia de gestão de crises e conflitos online. Apenas 20% dos entrevistados admite recorrer a canais privados de comunicação.
    10. 10. Ana Maria Neves Conclusões SUB-QUESTÃO 5. As primeiras impressões são, sobretudo de natureza instrumental (72% dos entrevistados) mas quando questionados sobre as pistas que os ajudam a formar impressões os estudantes indicam a colaboração entre pares (46% dos entrevistados) como principal indicador. Para passar aos outros uma impressão positiva, os estudantes optam pela Autorrevelação/projeção da identidade real (60% dos entrevistados), estratégia observada intensivamente no fórum (35,5% das mensagens). SUB-QUESTÃO 6. Os estudantes consideram o Módulo de Ambientação Online importante ou muito importante (98%) sobretudo no que respeita à aquisição de competências tecnológicas (48%).
    11. 11. Ana Maria Neves Conclusões SUB-QUESTÃO 7. É possível estabelecer laços de amizade (74% dos entrevistados), partilha de afetos e suporte emocional entre os estudantes online. Os canais privados de comunicação (chat, email e telefone) servem de alicerce às amizades. Em fórum, 12,75% das mensagens tinham conteúdo afetivo em sentido crescente do 5.º dia até ao final do MAO. SUB-QUESTÃO 8. Um número muito relevante de estudantes (74% dos entrevistados) afirma ter necessidade de encontros presenciais. Os estudantes que não sentem essa necessidade recorrem a canais privados de comunicação.
    12. 12. Ana Maria Neves Contributos e Limitações  Acreditamos comprovar a importância de um Módulo de Ambientação Online como ação preparatória que auxilie os estudantes no desenvolvimento de competências técnicas, de comunicação escrita e de ser/estar online num contexto de aprendizagem.  Conhecer o clima emocional da vivência online (ainda que nos primeiros dias) pode elucidar sobre as principais necessidades e dificuldades dos estudantes, aprimorando, se necessário, a oferta disponível.  A entrevista online demonstrou ter pontos fortes na exposição de conteúdos/opiniões que se pretendiam reflexivas.
    13. 13. Ana Maria Neves Contributos e Limitações  Sugerimos a testagem da metodologia de análise do fórum num estudo relativo às participações no 2.º ciclo de estudos  Sublinhamos a importância de mais investigação nas áreas das emoções, da comunicação e do tempo online em contextos de ensino/aprendizagem online tendo como foco a experiência dos estudantes
    14. 14. Ana Maria Neves Um testemunho com muita emoção  E48 (…) [o MAO] foi muito importante na medida em que me pôs a par destas tecnologias, ensinou-me a utilizar o word, a enviar mails (por incrível que pareça não sabia lidar com qualquer um destes instrumentos tecnológicos). A partir dessa ambientação tudo se tornou mais fácil. Agora sou um Ás...cá em casa já dizem que eu sou a que percebo mais disto...
    15. 15. Ana Maria Neves FIM… Obrigad@ 

    ×