Doença de ALZHEIMER Doença de PARKINSON  Doenças neurodegenerativas
Doença de ALZHEIMER <ul><li>A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa dado que, lenta e progressivamente, destrói as...
 
<ul><li>A instalação da DA ocorre geralmente após os 65 anos de idade, embora  não seja raro que se possa manifestar mais ...
<ul><li>Como doença crónica, tem uma evolução, em média, de 2 a 10 anos, sendo que os sintomas implicam geralmente  uma de...
<ul><li>Não há provas conclusivas que sugiram que haja um grupo em especial de pessoas com maior ou menor aptidão a desenv...
Memória e Comunicação <ul><li>O doente apresenta uma  incapacidade real de apreender ou memorizar  coisas novas :« é como ...
Desorientação espacio-temporal / Comportamento <ul><li>Em consequência da progressiva perda de memória e da incapacidade d...
Doença de PARKINSON <ul><li>A doença de Parkinson (DP), é de evolução lenta e progressiva, na qual se perdem os mensageiro...
<ul><li>quando as células da substância negra morrem, os níveis de dopamina tornam-se anormalmente baixos, o que leva a di...
Doença de PARKINSON
Como se manifesta? <ul><li>A manifestação inicial da doença é, geralmente,  um tremor ligeiro numa mão, braço ou perna que...
Quais são os SINAIS / SINTOMAS:   <ul><li>Movimentos lentos ou enrijecidos;  </li></ul><ul><li>Postura encurvada;  </li></...
DBS  - DEEP BRAIN STIMULATION- -operação de estimulação profunda do cérebro  Durante DBS a cirurgia, são implantados eléct...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alzparkin

1.412 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alzparkin

  1. 1. Doença de ALZHEIMER Doença de PARKINSON Doenças neurodegenerativas
  2. 2. Doença de ALZHEIMER <ul><li>A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa dado que, lenta e progressivamente, destrói as células cerebrais. </li></ul><ul><li>As células de certas áreas do cérebro começam assim, a morrer, formando cicatrizes em forma de estruturas microscópicas chamadas placas senis. Na medida em que as células morrem e são formadas as placas senis, o cérebro não consegue mais funcionar como deveria. </li></ul><ul><li>As áreas do cérebro que são afectadas por estas mudanças degenerativas controlam as funções da memória, concentração e raciocínio. Outras funções cerebrais como, por exemplo, os movimentos, não costumam ser afectadas, excepto em fases muito avançadas da doença. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>A instalação da DA ocorre geralmente após os 65 anos de idade, embora não seja raro que se possa manifestar mais cedo. Não se pode, todavia, considerar a doença como consequência inevitável do envelhecimento, embora com o avançar da idade aumente, consideravelmente, a sua incidência. </li></ul><ul><li>Num certo número de casos a doença de Alzheimer pode ter uma natureza familiar. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Como doença crónica, tem uma evolução, em média, de 2 a 10 anos, sendo que os sintomas implicam geralmente uma deterioração gradual, lenta e irrecuperável da capacidade de funcionamento da pessoa. </li></ul><ul><li>Os danos cerebrais afectam o funcionamento mental, nomeadamente memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento, que, por sua vez, têm repercussões no comportamento . </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Não há provas conclusivas que sugiram que haja um grupo em especial de pessoas com maior ou menor aptidão a desenvolver a doença de Alzheimer. A etnia, ocupação profissional, situação sócio-económica não são determinantes na doença. «Em todo o caso, há uma crescente evidência que sugere que as pessoas com um nível mais elevado de educação tenham um risco inferior àquelas que tem um nível mais baixo». </li></ul><ul><li>« Não existe nenhum teste específico para se chegar ao diagnóstico. Este é feito por exclusão e através da observação cuidadosa do estado físico e mental do indivíduo afectado ». </li></ul>
  6. 7. Memória e Comunicação <ul><li>O doente apresenta uma incapacidade real de apreender ou memorizar coisas novas :« é como voltar à infância, mas ao contrário, enquanto a criança cresce, o doente de Alzheimer regride ». Esta deterioração da memória acaba necessariamente por afectar a realização de actividades de vida diária, resultando numa progressiva incapacidade de realizar tarefas ou actividades que antes eram banais e quotidianas, como, por exemplo, apertar botões, vestir-se, reconhecer o direito do avesso, etc. </li></ul><ul><li>Ao défice de memória juntam-se outros que comprometem a capacidade cognitiva, nomeadamente, a capacidade de atenção e concentração , em que se verifica grande dificuldade, por exemplo, em «seguir uma conversa». </li></ul><ul><li>A comunicação, principalmente a verbal , começa também a ficar afectada, apresentando o doente tendência a, progressivamente, utilizar frases mais curtas e simples, bem como a «procurar palavras que não encontra». </li></ul><ul><li>Perde-se também gradualmente a capacidade de ler, escrever e resolver problemas matemáticos simples. </li></ul><ul><li>A representação simbólica/ abstracta também é afectada, por exemplo, a incapacidade de reconhecer o dinheiro ou até saber o preço real dos bens . Torna-se também difícil associar formas geométricas a objectos reais, o que significa que os doentes não são capazes de reproduzir um cubo, por ser demasiado abstracto. </li></ul>
  7. 8. Desorientação espacio-temporal / Comportamento <ul><li>Em consequência da progressiva perda de memória e da incapacidade de reconhecer pessoas e objectos o doente de Alzheimer apresenta uma desorientação espaçio-temporal . É frequente o doente perder-se no ambiente familiar e conhecido como a sua casa ou a rua onde mora . Não é raro perderem-se no regresso a casa. O problema maior reside no facto de o doente começar a aperceber-se da doença, o que é gerador de grande ansiedade e até de medos. </li></ul><ul><li>Manifestam-se algumas alterações de comportamento em consequência dos problemas acima referidos: mudanças frequentes de humor, ansiedade, depressão, frustração, apatia, desconfiança, medo, impaciência são alguns comportamentos identificados. </li></ul><ul><li>Alguns doentes apresentam comportamento desinibido, mostrando uma familiaridade indevida com estranhos ou desconsiderando regras convencionais de conduta social. </li></ul><ul><li>Em relação às actividades, as pessoas com doença de Alzheimer frequentemente aborrecem-se por quererem executar actividades e não conseguirem. </li></ul>
  8. 9. Doença de PARKINSON <ul><li>A doença de Parkinson (DP), é de evolução lenta e progressiva, na qual se perdem os mensageiros químicos (DOPAMINA) produzidos no cérebro que são responsáveis pelo controlo de movimentos, tais como: andar, virar-se na cama, levantar-se da cama ou de uma cadeira, falar, vestir, escrever etc. A DP atinge aproximadamente uma pessoa em cada mil, homem ou mulher, de todos os grupos sociais e étnicos. Aparece mais frequentemente depois dos 50 anos , mas pode surgir muito antes. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>quando as células da substância negra morrem, os níveis de dopamina tornam-se anormalmente baixos, o que leva a dificuldades no controlo dos movimentos musculares, afectando, os músculos quer durante o repouso quer quando em actividade. </li></ul>
  10. 11. Doença de PARKINSON
  11. 12. Como se manifesta? <ul><li>A manifestação inicial da doença é, geralmente, um tremor ligeiro numa mão, braço ou perna que ocorre, normalmente, a uma frequência de três por segundo quando extremidade afectada está em repouso mas, que pode aumentar em momentos de tensão. Tipicamente, o tremor melhora quando o paciente move voluntariamente a extremidade afectada e pode, mesmo, desaparecer durante o sono. À medida que a doença progride, o tremor torna-se mais difuso, acabando, eventualmente, por afectar as extremidades de ambos os lados do corpo. </li></ul><ul><li>Para além do tremor, que classicamente caracteriza a doença, surgem ainda outros sintomas, nomeadamente rigidez das extremidades, lentificação dos movimentos corporais voluntários (bradicinésia), instabilidade postural e alterações da marcha. </li></ul>
  12. 13. Quais são os SINAIS / SINTOMAS: <ul><li>Movimentos lentos ou enrijecidos; </li></ul><ul><li>Postura encurvada; </li></ul><ul><li>Movimentos trôpegos ou de arrastar os pés; </li></ul><ul><li>Tremores; </li></ul><ul><li>Voz fraca, aguda e lenta; </li></ul><ul><li>Redução do piscar dos olhos; </li></ul><ul><li>Perda da espontaneidade da expressão facial: o rosto fica inexpressivo, o olhar torna-se fixo, boca entreaberta, deixando cair uma saliva pelos cantos da boca, ás vezes, abundante; </li></ul><ul><li>As pálpebras, língua e lábios apresentam tremor característico; </li></ul><ul><li>Dificuldade para mastigar e engolir; </li></ul><ul><li>Suor excessivo; </li></ul><ul><li>Vertigens; </li></ul><ul><li>Câibras, formigamento ou dor nos músculos; </li></ul><ul><li>Dificuldade em mudar de posição; </li></ul><ul><li>Depressão e ansiedade; </li></ul><ul><li>Demência (nos casos avançados). </li></ul>
  13. 14. DBS - DEEP BRAIN STIMULATION- -operação de estimulação profunda do cérebro Durante DBS a cirurgia, são implantados eléctrodos no cérebro para enviarem impulsos eléctricos. Este tratamento oferece aos doentes alívio dos tremores, rigidez, lentidão do movimento e problemas de equilíbrio próprios da sua condição. A estimulação pode ser ajustada à medida que o estado do doente varia ao longo do tempo.

×