Juventude e mercado de trabalho

4.939 visualizações

Publicada em

Dossiê sobre o tema polêmico JUVENTUDE E MERCADO DE TRABALHO, desenvolvido pelo 3º Ano da EE Prof. Dr. Oswaldo dos Santos Soares, São Vicente, em 2009, na matéria de DAC, pela Prof. Ana Paula R. de Olive

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.939
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
184
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Juventude e mercado de trabalho

  1. 1. Helcio Tadeu e Natan Medeiro DOSSIÊ Juventude e Formação Socioeconômica
  2. 2. <ul><li>O ensino que circunda essencialmente aqueles que não possuem condições favoráveis para aspirarem à escolas particulares é quase sempre cheio de situações que podem desmotivar o jovem na busca de sua profissão, ou até apresentar apenas a ele alguns caminhos como o crime, as drogas e a prostituição para que sejam sanadas as principais e mais imediatas necessidades de ganhar dinheiro, ou de ser o famoso “popular”, que para esses se mostram quase que ininterruptamente. Sabemos que esses ambientes oferecem muitas dificuldades, mas não devemos considerar que esse caminho seja apenas de imensas e intérminas dificuldades, e a seguir apresentaremos tanto as vantagens e desvantagens com que o ensino chega a esses jovens de classes mais baixas socioeconomicamentes. </li></ul>Introdução
  3. 3. Juventude e formação socioeconômica LADO A
  4. 4. <ul><li>O ambiente que cerca o jovem da classe média hoje, é muito diferente da que cerca o jovem da classe baixa, pois de um lado o descrédito pelo qual passa o ensino público em termos de qualidade e significa, também, que as classes médias baixa e de baixa renda estão se tornando cada vez mais pobres ao empenhar seus poucos recursos e cortando outras despesas para a educação dos seus filhos, nas escolas particulares que, com raras exceções oferecem, como na maioria das  escolas públicas, ensino de baixa qualidade, com a ilusão de que, assim, irão aumentar as chances de garantir o futuro de seus filhos. </li></ul>Juventude e formação socioeconômica O ambiente que os cercam
  5. 5. <ul><li>De antemão achamo-nos no direito de informar que os jovens de classe média à classe média alta são os que possuem mais acessos aos bens culturais. </li></ul><ul><li>Segundo a pesquisa do jornal folha do Estado realizada essencialmente em Cuiabá, mas que pode ser referida ao Brasil inteiro, o Cuiabano jovem do sexo masculino com poder aquisitivo acima da média e com bom grau de escolaridade não tem muito do que reclamar no que tange à fruição de bens culturais . </li></ul><ul><li>A pesquisa revela que 30% dos entrevistados têm de uma a duas horas para o lazer diário, enquanto que 18,6% tem de duas à três horas de lazer diário porém ainda é revelado que as classes mais baixas são as que possuem menor tempo livre enquanto as mais altas possuem maior tempo livre. </li></ul><ul><li>58% dos entrevistados não praticam atividades físicas. </li></ul><ul><li>A pesquisa é finalizada contando que em ambas as classes sociais o sedentarismo impera, pouca leitura e pouca atividade cultural, sendo que as classes com rendas mais altas A, B e C possuem mais acessos à essas atividades e praticam mais essas atividades ao contrário das classes D e E. </li></ul>Juventude e formação socioeconômica As festas, as facilidades e a perspectiva para o futuro desses jovens
  6. 6. <ul><li>Boa parte dos jovens de classe média no Brasil, estudaram ou estudam em escolas particulares, e segundo dados levantados por um economista da USP, é fato que estes alunos tem grandes chances de ingressar em uma Universidade Pública. De fato, as universidades particulares — muito em função do limitado número de vagas ofertadas pelas instituições públicas e crescimento das instituições privadas — têm recebido cada vez mais alunos: cerca de 3,2 milhões ingressaram na rede privada e 1,5 milhão na rede pública. Em 2005, por exemplo, 54% dos concluintes do Ensino Médio ingressaram em faculdades pagas e 14% em faculdades públicas. </li></ul>Juventude e formação socioeconômica O Ensino que Recebem
  7. 7. Juventude e formação socioeconômica LADO B
  8. 8. Juventude e formação socioeconômica O ambiente que os cercam Nós sabemos, há muito tempo, que a má estrutura escolar é um imenso obstáculo para o desenvolvimento do País e, ademais a tudo isso, o Bando Mundial BIRD nos ajuda a dimensionar cada vez mais o quão grande é esse obstáculo pelo calculo exposto abaixo: Calcula-se o PIB de um País e o quanto dos jovens que deixa de estudar ( 10 % no Brasil ). Assim subentende-se que a cada desistência do jovem na escola uma geração inteira ( 40 anos ) existe com menor contribuição. Portanto, é sabido que retirando o total do PIB Nacional a contribuição dos 10% dos jovens economicamente ativos, perde-se cerca de trezentos bilhões de reais, equivalente a 16% do PIB Brasileiro. Porque uma geração com menor conhecimento resulta numa população economicamente menos ativa e competitiva, que resulta em menos contribuição e lucro para o nosso País. O Próximo tópico se preocupara em expor um ensino que os jovens dessa classe recebe e o porquê que tantos jovens como foi relatado na pesquisa anterior param de estudar antes de concluir o Ensino Médio.
  9. 9. <ul><li>O site UOL no mês de Janeiro de 2009 propôs uma pesquisa feita pelo IBGE sobre o quanto e como são compostas as classes sociais de baixo rendimento mensal ( as pessoas que vivem com até meio salário mínimo). Assim foi constado que os vivem com até meio salário mínimo não são poucos – 46% são jovens. </li></ul>Juventude e formação socioeconômica As lutas, os sacrifícios e a perspectiva para o futuro desse jovem <ul><li>Apenas por estes dados podemos refletir : </li></ul><ul><li>A grande maioria dos jovens trabalha desde tenra idade. </li></ul><ul><li>Recebem salário totalmente desproporcional a qualquer trabalho assalariado. </li></ul><ul><li>Precisam urgentemente sustentar suas famílias. </li></ul><ul><li>Gasta-se assim quase todo o dinheiro com eles. </li></ul><ul><li>Trabalham usando todas as suas forças e as vezes um pouco mais nos obstáculos da hierarquia profissional. </li></ul>
  10. 10. Diagrama de jovens provenientes de familiares de baixa renda. Juventude e formação socioeconômica Jovens Trabalho Escola Cansaço Anormal Devido as condições do próprio corpo que não favorecem estudo e trabalho ao mesmo tempo. Prejudica o seu desempenho tanto no trabalho como na escola Agravante de má estrutura familiar Convive com drogas, violências e desinteresse em adquirir uma vida melhor A maioria chega a decisão de desistência dos estudos
  11. 11. <ul><li>Uma pesquisa realizada pelo projeto Todo pela Educação se preocupou em responder o porquê de tantos jovens fora da escola. </li></ul><ul><li>Estimulados a apontar os três maiores problema que encontram nas escolas públicas, onde estudam a maioria dos que possuem baixa renda, 50% de todos os entrevistados afirmam que os maiores problemas das escolas são: </li></ul><ul><li>Falta de segurança e drogas. </li></ul><ul><li>Professores desmotivados e mal pagos. </li></ul><ul><li>Baixa qualidade do Ensino. </li></ul><ul><li>Como vemos e muitas vezes precisamos rever, uns para acreditar, outros para que tomam providências cabíveis, a baixa qualidade do Ensino não é há muito o fator preponderante ruim das escolas, mas nos reservaremos apenas a esse aspecto, nessa parte do Dossiê. </li></ul><ul><li>Desde há tempos longínquos a escola não é um lugar seguro, o que outrora foi, alguns dizem que não volta mais, assim, as violências urbanas e domesticas, as drogas e os atrativos usados como fugas espetaculares daqueles que muitas vezes por falta de novos conhecimentos e sensações e sentimentos se jogam em abismos cada vez mais profundos. Não queremos culpar apenas grupos especiais mais sabemos de antemão que se fossem realizados, tanto por parte de alunos e professores, se entre - ajudando, com certeza o problema seria muito menor. Então paremos!... Isso mesmo que você está pensando.. Paremos, de criticar a todos, especialmente os governantes porque já sabemos de antemão que o dever também é nosso. </li></ul>O Ensino que recebem Juventude e formação socioeconômica
  12. 12. O Mercado de Trabalho Lados A e B Os desafios que circundam todos os jovens brasileiros são muitos, tanto entre aqueles de rendas mais altas e de rendas mais baixas, embora os de renda mais altas ainda sejam mais favorecidos em muitos aspectos. <ul><li>Os indicies do desemprego e emprego são provenientes às regiões do Brasil, sendo que o maior número de desempregados se encontram no nordeste e o maior número de empregados no sudeste. </li></ul><ul><li>O jovem é expressivamente uma força produtiva urbana contando entre jovens com mais de 16 anos da população economicamente ativa com 20,8% entre os empregados e 46,4% dos empregados de toda a PEA (População Economicamente Ativa). </li></ul><ul><li>O dobro do número de desempregados de jovens no Brasil é de regiões mais pobres enquanto que os de menores números são de regiões mais ricas. </li></ul><ul><li>A Economista Patrícia Lino Costa do Departamento Intersindical de estatísticas e estudos socioeconômicos procura relatar os porquês de que a família com maior renda tem seus jovens com maior facilidade de ingresso no mercado de trabalho, ela afirma: “ISSO SE JUSTIFICA PORQUE AQUELES COM MAIOR CONDIÇÃO FINANCEIRA TEM MAIS ACESSO A INFORMAÇÃO E A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL. PODEM APRESENTAR UM OU MAIIS CURSOS DE IDIOMAS PASSAR POR UMA BOA FACULDADE ENTRE OUTRAS VANTAGENS DO GENERO” </li></ul>Juventude e formação socioeconômica
  13. 13. <ul><li>“ Quem consegue perceber que acima de nossas contas bancarias, de status social, de cultura, somos simplesmente seres humanos, está abrindo uma janela para ver a vida sob outra perspectiva. Mesmo que estejamos doentes, angustiados, deprimidos, tensos, ansiosos e encarcerados no território da emoção, nunca deveríamos esquecer d que nada neste mundo pode tirar a dignidade de um ser humano, único e insubstituível. Toda pessoa que se sente diminuída, inferiorizada, impactada, esgota a sua motivação de viver, esfacela sua capacidade de superação e abandona a si mesma na trajetória existencial.” </li></ul><ul><li>Augusto Cury </li></ul><ul><li>“ Se você procura então a alegria e a felicidade do mundo proceda para com os outros como deseja que os outros procedam para com você. E caminhando cada homem nessa mesma norma, muito breve estenderemos na terra as glórias do paraíso.” </li></ul><ul><li>Chico Xavier. </li></ul>Juventude e formação socioeconômica
  14. 14. Bibliografia Juventude e formação socioeconômica

×