Juventude e emoção

1.173 visualizações

Publicada em

Dossiê sobre o tema polêmico JUVENTUDE E EMOÇÃO, desenvolvido pelo 3º Ano da EE Prof. Dr. Oswaldo dos Santos Soares, São Vicente, em 2009, na matéria de DAC, pela Prof. Ana Paula R. de Olive

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Juventude e emoção

  1. 1. Juventude e Emoção
  2. 2. Conhecendo seu Inconsciente <ul><li>O inconsciente é uma maneira de descrever o modo como à mente filtra o pensamento. É o jeito que a nossa mente tem de evitar que pensemos a respeito de tudo de uma vez só. Como não podemos lidar com tudo de uma única vez, não podemos estar plenamente conscientes de tudo o que se passa na nossa mente em um determinado momento. O problema não é o fato de a nossa mente operar inconscientemente e sim de não termos consciência disso. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Trabalhamos os nossos assuntos inacabados no inconsciente. Questões problemáticas ou não resolvidas do passado ficam armazenadas no inconsciente e são frequentemente revistas. Sem perceber, ficamos repetindo o passado na tentativa de corrigi-lo. Por isso é importante conhecer o inconsciente. Sem essa percepção, ”estaremos sempre ouvindo, mas nunca entendendo!”, porque algumas coisas muito importantes que precisamos compreender estão ocultas no nosso inconsciente. </li></ul>
  4. 4. O que é emoção? <ul><li>Tanto emoção quanto sentimento dependem de um sistema sensorial, que nos permite percebê-los. Essa percepção vale tanto para as emoções e sentimentos em nós mesmos, quanto para as emoções nos outros. Percebemos a tristeza de uma pessoa, por exemplo, através de sua expressão facial. </li></ul>
  5. 5. O que é sentimento? <ul><li>caracterizado por períodos duradouros e intensos </li></ul>
  6. 6. Quais são as emoções? <ul><li>Alegria </li></ul><ul><li>Entusiasmo </li></ul><ul><li>Coragem </li></ul><ul><li>Raiva </li></ul><ul><li>Desprezo </li></ul><ul><li>Vergonha </li></ul><ul><li>Culpa </li></ul><ul><li>Ciúmes </li></ul><ul><li>Inveja </li></ul><ul><li>Paixão </li></ul><ul><li>Tristeza </li></ul><ul><li>Mágoa </li></ul>
  7. 7. Quais são os sentimentos? <ul><li>Ansiedade </li></ul><ul><li>Amor </li></ul><ul><li>Felicidade </li></ul><ul><li>Esperança </li></ul><ul><li>Fé </li></ul><ul><li>Paz </li></ul><ul><li>Medo </li></ul><ul><li>Ódio </li></ul><ul><li>Amargura </li></ul><ul><li>Frustração </li></ul><ul><li>Solidão </li></ul><ul><li>Orgulho </li></ul><ul><li>Caos </li></ul>
  8. 8. Para que servem as emoções? <ul><li>Preparam nosso organismo para criar um impulso á ação diante de situações vitais relevantes para a sobrevivência individual e da espécie. </li></ul><ul><li>Energizam e ampliam outras funções psicológicas, como pensamento, à vontade, a imaginação, o sonho e até mesmo outras emoções. </li></ul><ul><li>Mentem a saúde física. A sua expressão plena permite ao organismo regular-se automaticamente. </li></ul><ul><li>Provocam mudanças psicológicas e impulsionam o desenvolvimento da personalidade individual e da espécie. </li></ul><ul><li>Permitem a comunicação interpessoal, às manutenções das relações intimam e a interação social, pilares da vida em comunidade. </li></ul><ul><li>Fazem-nos conhecer quem somos e nos levam tomar nossas atitudes. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Os Jovens sabem lidar com suas emoções e sentimentos? </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Você trabalha sua Inteligência Emocional? </li></ul><ul><li>Você sabe o que é isso? </li></ul>
  11. 11. Inteligência Emocional <ul><li>A inteligência emocional é um tipo de inteligência que envolve as emoções voltadas em prol de si mesmo. Para que um indivíduo se desempenhe bem esse necessita de inteligência intelectual , flexibilidade mental, objetivos traçados, equilíbrio emocional e determinação. Adquirindo a capacidade de se auto-conhecer, lidar com os sentimentos, controlando-os, administrando as emoções, levando-as a serem influenciadas pelos objetivos, relacionando-se e observando o emocional de outras pessoas. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Autopercepção – que é a capacidade das pessoas conhecerem a si próprias, em termos de seus comportamentos frente às situações de sua vida social e profissional, além do relacionamento consigo mesmo. </li></ul><ul><li>Autocontrole – ou capacidade de gerir as próprias emoções, seu estado de espírito e seu bom humor. </li></ul><ul><li>Auto-motivação – capacidade de motivar a si mesmo, e realizar as tarefas e ações necessárias para alcançar seus objetivos, independente das circunstâncias. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Práticas sociais – capacidade de relacionamento interpessoal e de trabalho em equipe. </li></ul><ul><li>Empatia – habilidade de comunicação interpessoal de forma espontânea e não verbal, e de harmonizar-se com as pessoas. </li></ul>
  14. 14. Doenças Emocionais <ul><li>PERTURBAÇÕES ANSIOSAS </li></ul><ul><li>FOBIAS </li></ul><ul><li>DEPRESSÃO E DOENÇA MANÍACO-DEPRESSIVA </li></ul><ul><li>PERTURBAÇÕES DE COMPORTAMENTO ALIMENTAR </li></ul>
  15. 15. Perturbações Ansiosas <ul><li>Síndrome de Trihiper </li></ul><ul><li>Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA) </li></ul><ul><li>Síndrome compulsiva de comprar (SCC) </li></ul><ul><li>Síndrome Compulsiva de Economizar (SCE) </li></ul>
  16. 16. Fobias <ul><li>Fobia Social </li></ul><ul><li>Transtorno bipolar </li></ul><ul><li>Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) </li></ul>
  17. 17. DEPRESSÃO E DOENÇA MANÍACO-DEPRESSIVA <ul><li>Depressão </li></ul>
  18. 18. PERTURBAÇÕES DE COMPORTAMENTO ALIMENTAR <ul><li>Padrão Inatingível de Beleza (PIB) </li></ul><ul><li>Bulimia </li></ul><ul><li>Anorexia </li></ul>
  19. 19. Como conseguir ajuda? <ul><li>Psicologia (Terapia multifocal) </li></ul><ul><li>Psiquiatria </li></ul><ul><li>Deus </li></ul>
  20. 20. Terapia Multifocal <ul><li>Existe em nossa mente um fenômeno que é chamado de Registro Automático de Memória (RAM). Todas as experiências que construímos na inteligência são registradas automaticamente e involuntariamente por esse fenômeno que prefere registrar as experiências com maior carga emocional. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>1º Declaro que a liberdade e o prazer de viver são meus direitos, independentemente das intempéries da vida que estou atravessando. Não preciso do efeito das drogas para ser livre e feliz. </li></ul><ul><li>2º Estou consciente de que a dependência e a mentira são amigos íntimos. Declaro que fico livre tanto da dependência como da mentira. Assim como o mestre dos mestres, Jesus Cristo declarou com autenticidade que a sua alma estava angustiada antes de morrer, também eu decido falar dos meus sentimentos e desejos com sinceridade. Viverei a arte da autenticidade. </li></ul><ul><li>3º Reconheço a minha doença, mas decido convictamente que não quero ser um doente. </li></ul><ul><li>4ºEnfrento sem medo as minhas dores emocionais e as trabalho com dignidade e sabedoria, pensando antes de reagir. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>5º Estou consciente de que, uma vez dependente, o meu problema não é mais só a droga fora de mim, mas a imagem registrada na minha memória, no meu inconsciente. Portanto, reescrevo a minha memória a cada momento com idéias saudáveis e inteligentes. </li></ul><ul><li>6º Critico todas as idéias e pensamentos negativos que povoam o palco da minha mente e que me desanimam de reconstruir uma nova vida. Transformo os meus invernos em belas primaveras. </li></ul><ul><li>7º Resgato a liderança do eu nos foco de tensão gerada pelas minhas perdas, dificuldades e frustrações e consequentemente, domino o gatilho da memória que produz a ansiedade, o humor deprimido e a compulsão pelas drogas. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>8º Nunca vou desistir de mim. Determino a abstenção completa de tudo que é ruim. Todavia, se eu recair, redobrarei o meu animo e recomeçarei imediatamente meu tratamento e não me afogarei no sentimento de culpa e de auto-abandono. </li></ul><ul><li>9º Posso perder algumas batalhas, mas não perco a guerra contra minha doença psíquica. Supero todo fracasso, angustia e desmotivação. Construo um oásis em cada deserto que atravesso. </li></ul><ul><li>10º Tenho plena convicção que o Autor da existência, me criou para ser livre, alegre e saudável. Por isso, eu O amo com toda minha alma. </li></ul>
  24. 24. Como gerenciar a emoção <ul><li>Se você fugir das suas dores emocionais, elas se tornarão um leão agressivo. Enfrentam-se-las, elas se transformação em um animal de estimação. Critique, no silencio da sua mente, cada sofrimento. Não faça da sua emoção uma lata de lixo de seus problemas. Proteja-se. Pense antes de reagir diante das ofensas. </li></ul><ul><li>Governe sua emoção para ter esperança, brindas a vida e contemplar o belo. </li></ul>
  25. 25. Gerenciar os pensamentos <ul><li>1º Vire a mesa dos seus pensamentos, critique cada pensamento negativo nos primeiros cinco segundos que produzi-lo para evitar o registro doentio; </li></ul><ul><li>2º Faça microrrelaxamentos para desacelerar o pensamento no trabalho, no transito; </li></ul><ul><li>3º Pratique o silencio contemplativo, mude sua agenda e desenvolva a inteligência espiritual para enriquecer os pensamentos. </li></ul>
  26. 26. Proteger os solos da memória <ul><li>Viva intensamente “as leis” para ser feliz: contemple o belo, gerencia a emoção, trabalhe as perdas. Mas o que fazer com os traumas já registrados? É necessário reeditar o filme do inconsciente, sobrepondo novas experiências sobre as antigas. Eis o maior desafio da inteligência! </li></ul><ul><li>É necessário “criticar” diariamente as imagens doentias da memória que nos controlam. É necessário também “não pedir”, mas “determinar” ser alegre, ousado, seguro, saudável. Essas ferramentas reurbanizam as favelas do medo, do ódio, da autopunição e nos libertam. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>Victória Brites Fajardo </li></ul>

×