Transportes no brasil

5.735 visualizações

Publicada em

bkjbkhj

Publicada em: Carreiras, Turismo, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Transportes no brasil

  1. 1. Transportes no Brasil
  2. 2. Redes de transportes <ul><li>Refletem o modelo econômico: </li></ul><ul><li>Modelo agro-exportador: ferrovias ligando áreas produtoras aos portos; “bacias de drenagem”. </li></ul><ul><li>Destaque: malha ferroviária da região cafeeira do SE. </li></ul><ul><li>Modelo urbano industrial: rodovias de integração nacional: </li></ul><ul><li>a) BR 116 e 101: NE e S ao SE. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>b) Anos 50 e 60: CO (Brasília) ao SE. </li></ul><ul><li>c) Anos 70: BR 153 (Belém-Brasília), 163 </li></ul><ul><li>(Cuiabá-Santarém) e BR 153 (MT a RO e AC). </li></ul><ul><li>Criação de Petrobrás e desenvolvimento da indústria automobilística. </li></ul><ul><li>Modernização e expansão das ligações viárias que servem aos eixos do SE - grandes rodovias paulistas: </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Sistemas Anhanguera-Bandeirantes (São Paulo e Campinas). </li></ul><ul><li>Anchieta-Imigrantes (São Paulo e Baixada Santista). </li></ul><ul><li>Dutra-Ayrton Senna/Carvalho Pinto (São Paulo e Vale do Paraíba). </li></ul><ul><li>Subordinação à lógica industrial e ao mercado interno. </li></ul><ul><li>Consolidação da polarização do SE. </li></ul><ul><li>Aumento dos custos de deslocamentos de cargas. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>1980: fim da política rodoviarista com a crise financeira do Estado </li></ul><ul><li>degradação das rodovias concessões </li></ul><ul><li>investimentos em ferrovias, hidrovias e integração intermodal </li></ul><ul><li>conciliação entre circulação interna e deslocamento da produtos agrícolas e minerais até os portos marítimos </li></ul>
  6. 6. Rede multimodal
  7. 7. <ul><li>Desigualdades espaciais: </li></ul><ul><li>SE e S: redes mais densas e articuladas a uma rede urbana complexa. </li></ul><ul><li>NE: menor densidade, refletindo a fraca articulação litoral/interior. </li></ul><ul><li>CO: pode ser dividido em 2 áreas – sul, fortemente conectada ao SE e N, pouco servida por grandes eixos viários. </li></ul><ul><li>N: muito dependente dos eixos fluviais que ligam cidades e povoados ribeirinhos, com exceção de Belém e Manaus. </li></ul>
  8. 8. Ferrovias
  9. 9. 1ª estrada de ferro do Brasil
  10. 10. Ferrovias de SP
  11. 11. Malha rodoviária brasileira
  12. 12. Situação das rodovias
  13. 14. Rodovias paulistas
  14. 15. Infraestruturas do comércio exterior <ul><li>Ferrovias: </li></ul><ul><li>- EF Carajás (1970; CVRD): minérios da serra de Carajás ao porto de Itaqui (MA) = modelo para integrar o CO aos portos. </li></ul><ul><li>- Ferronorte: extensão para Cuiabá e Porto Velho menores custos da soja até o SE e a hidrovia do rio Madeira. </li></ul><ul><li>- Ramal Cuiabá-Santarém: soja até o sistema fluvial do Amazonas. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Ferrovia Norte-Sul: integrar a EF Carajás às rodovias e ferrovias do SE, cortando GO e TO </li></ul><ul><li>produtos agrícolas mais baratos para o exterior. </li></ul><ul><li>- EF Transnordestina: PI/PE/CE/AL (2011). </li></ul><ul><li>- Ferrovia Leste-Oeste: Ilhéus, Caetité e Barreiras (BA) a Figueirópolis (TO). </li></ul>
  16. 17. - Hidrovias Diferentes condições naturais para a navegação: rios de planície e de planalto. Impactos ambientais: construção de portos, barragens e de eclusas, dragagem dos leitos. Vantagem: baixos custos de transporte.
  17. 18. 1869 Plano Moraes Reconstituição a partir da descrição dos traçados: Brasil. Conselho Nacional de Transportes. Planos de Viação. Evolução histórica (1808-1973). Rio de Janeiro, 1973.
  18. 19. <ul><li>Principais hidrovias: </li></ul><ul><li>PR- Tietê: SP/Pampa argentino/porto de Buenos Aires agropecuários, combustíveis, minérios e manufaturados. </li></ul><ul><li>Madeira: Porto Velho/rio Amazonas: soja dos cerrados; distância menor até os mercados europeu, norte-americano e asiático. </li></ul>
  19. 20. Portos <ul><li>Conexão entre o território nacional e o exterior; concentrados no SE e S. </li></ul><ul><li>Movimentos de carga de exportação: </li></ul><ul><li>Tubarão (ES), Itaqui (MA) e Itaguaí (RJ) em minérios e produtos siderúrgicos. </li></ul><ul><li>Santos (SP): bens manufaturados, produtos petroquímicos e químicos. </li></ul><ul><li>Paranaguá (PR): produtos agrícolas. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>Movimentos de carga de importação: </li></ul><ul><li>São Sebastião (SP): terminal petrolífero. </li></ul><ul><li>Santos (SP): bens manufaturados. </li></ul><ul><li>Aratu (BA): petróleo e bens manufaturados. </li></ul><ul><li>Manaus (AM): maior porto fluvial do país. </li></ul><ul><li>- Problemas: baixa produtividade/necessidade de modernização aumento dos custos. </li></ul>
  21. 22. Corredores de exportação

×