PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACI...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

5ª tarefa - 1ª parte

322 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

5ª tarefa - 1ª parte

  1. 1. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) • A escola inclui a BE na formulação e • Excertos das determinações contidas na • A escola/agrupamento incluiu a BE na formulação D.1.1 Integração/acção desenvolvimento da sua missão, princípios e documentação institucional que define os e desenvolvimento da sua visão/ missão, princípios da BE na Escola/ objectivos estratégicos e de aprendizagem. objectivos e regula o funcionamento da e objectivos estratégicos e operacionais. • O professor bibliotecário tem assento no escola/agrupamento, referentes à BE. agrupamento. conselho pedagógico. • A professora bibliotecária participa no Conselho • São desencadeadas acções com vista à • Aspectos contidos nos documentos que Pedagógico e nos restantes órgãos de planificação/decisão partilha, discussão e aprovação da missão e regem o funcionamento da BE e que se pedagógica. objectivos da BE nos órgãos de relacionam com este item. administração e gestão (conselho geral, • O Regulamento Interno da Escola contempla os director, conselho pedagógico) • Registos de reuniões/contactos. seguintes aspectos: departamentos curriculares e demais - Missão e objectivos da BE; estruturas de coordenação educativa e de • Plataforma de gestão de projectos e - Gestão dos recursos humanos afectos à BE; supervisão pedagógica. requisição de recursos: http://gato.ccems.pt - Regimento do funcionamento da BE. • O regulamento interno da escola contempla os seguintes aspectos: • Plataforma Moodle da escola: http://esbat- • O plano de desenvolvimento da BE acompanha, em termos - Missão e objectivos da BE; m.ccems.pt de acção estratégica o Projecto Educativo da escola. - Organização funcional do espaço; - Organização e gestão dos recursos • Homepage da escola: • O plano anual de actividades da BE relaciona-se em termos de informação; http://esbatalha.ccems.pt de objectivos operacionais com o plano anual de actividades - Gestão dos recursos humanos da escola, colocando a BE ao seu serviço. afectos à BE; - Serviços prestados à comunidade • A BE adequa os seus objectivos, recursos e actividades ao escolar no âmbito do projecto • Registo das reuniões do Conselho Pedagógico currículo nacional, ao projecto curricular de escola e aos educativo; projectos curriculares das turmas. - Regimento do funcionamento das BE. • A BE adequa os seus objectivos, recursos e • BE assume-se e é entendida como um recurso activo ao • Projecto Educativo actividades ao currículo nacional, ao serviço da escola projecto curricular de escola e aos projectos curriculares das turmas. Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 1/6
  2. 2. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) • O plano de desenvolvimento da BE • A BE articula/planifica com os vários departamentos acompanha, em termos de acção • Plano anual de actividades da BE curriculares e demais estruturas de coordenação educativa e estratégica, o projecto educativo da escola e supervisão pedagógica. outros projectos. • Plano de Acção da BE • O plano anual de actividades da BE relaciona-se, em termos de objectivos • Planos de actividades dos operacionais, com o apoio ao currículo, com Departamentos/grupos disciplinares o plano anual de actividades da escola e com outros projectos em desenvolvimento. • Os órgãos de administração e gestão • Documentos de gestão da escola. • O Conselho Executivo apoia a BE, envolve-se na procura de D.1.2 Valorização da BE soluções promotoras do seu funcionamento e, dentro dos (conselho geral, director, conselho pelos órgãos de pedagógico) apoiam as BE e envolvem-se na • Documentos de gestão da BE. constrangimentos legais existentes e recursos humanos direcção, administração procura de soluções promotoras do seu disponíveis, põe em prática uma política de afectação de e gestão da funcionamento. • Entrevista/questionário ao director recursos humanos adequada às necessidades de escola/agrupamento. • Os órgãos de administração e gestão põem (CK1). funcionamento da BE. em prática uma política de afectação de recursos humanos adequada às • Plataforma de gestão de projectos e • A BE está contemplada nos projectos e actividades necessidades de desenvolvimento da BE. requisição de recursos: http://gato.ccems.pt educativas e curriculares da escola • Os órgãos de administração e gestão (director, conselho pedagógico) e os • Plataforma Moodle da escola: http://esbat- departamentos curriculares estabelecem m.ccems.pt estratégias visando a articulação entre a BE e as demais estruturas de coordenação • Homepage da escola: educativa e de supervisão pedagógica. http://esbatalha.ccems.pt • A escola contempla a BE e os seus recursos • A professora bibliotecária e equipa da BE propõem no nos projectos e actividades educativas e início do ano um orçamento para a BE. Contudo, é ao longo curriculares. • Excertos de actas de apresentação de do ano lectivo que nos vão dizendo, parcialmente, quanto • Os órgãos de administração e gestão projectos/relatórios ao conselho pedagógico; podemos dispor para a renovação de equipamentos e para a atribuem uma verba anual para a renovação determinações/ recomendações do conselho actualização da colecção. de equipamentos, para a actualização da pedagógico. colecção e para o funcionamento da BE. • A escola encara a BE como recurso fulcral Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 2/6
  3. 3. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) no desenvolvimento do gosto pela leitura, • Registos de projectos/actividades • A BE desenvolve, de forma sistemática, actividades no na aquisição das literacias fundamentais, na envolvendo trabalho na/com a BE. âmbito da promoção da leitura: sessões de leitura, fóruns, progressão nas aprendizagens e no sucesso concursos, sinalização de efemérides sobre o Dia Mundial do escolar. • Estatísticas de utilização da BE. livro, Dia Internacional das Bibliotecas Escolares, Semana da • Os docentes valorizam o papel da BE e Leitura, entre outras actividades que associam diferentes integram-na nas suas práticas de formas de leitura, de escrita ou de comunicação com o ensino/aprendizagem. objectivo de promover o gosto pela leitura. • Uma grande parte dos docentes integram com frequência a BE na sua prática pedagógica, recorrendo à mesma para a realização de diversas actividades. •% dos professores participaram com frequência em actividades articuladas com a BE • A BE funciona num horário contínuo e • Horário da BE. • A BE funciona num horário contínuo, possibilitando o D.1.3 Resposta da BE às alargado que possibilita o acesso dos acesso dos utilizadores, principalmente no horário lectivo e, necessidades da utilizadores no horário lectivo e acompanha • Estatísticas de utilização da BE. em alguns dias, no horário extra-lectivo (dependente do escola/agrupamento. as necessidades de ocupação em horário horário das turmas). extra lectivo. • Registos de reuniões/contactos. • As BE no agrupamento são geridas de • % dos alunos utilizaram o espaço da BE para actividades de forma integrada, rentabilizando recursos, • Registos de projectos/actividades. leitura informativa, recreativa e até orientada, durante os possibilidades de acesso a programas e intervalos e depois das aulas. projectos. • Questionário aos docentes (QD3). • Os recursos e serviços da BE respondem às •% dos professores utilizaram a BE em actividades lectivas. metas e estratégias definidas no projecto • Livro/Caixa de sugestões/ reclamações. • % de docentes utilizaram a BE em horário não lectivo, educativo, projecto curricular e outros recorrendo com maior frequência à zona de leitura informal projectos. • Dados obtidos nos registos de presença e de e à zona de material impresso. • A BE cria condições e é usada como requisições, de utilização dos recursos • No âmbito da ocupação das zonas funcionais da BE, ao recurso e como local de lazer e de trabalho. informáticos, audiovisuais, material impresso e longo do ano lectivo, foram feitas os seguintes registos de • A BE apoia os utilizadores no acesso à na base de dados do quiosque multimédia. entrada, no quiosque digital: Vídeo, X%; Produção Gráfica, colecção, aos equipamentos, à leitura, à X%; Multimédia/Internet, X%; Material Impresso, X%; Leitura pesquisa e ao uso da informação. de Informal, X% e Áudio, X%. supervisão pedagógica. Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 3/6
  4. 4. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) • A BE desenvolve projectos com a • Plataforma de gestão de projectos e • As turmas X,YeZ foram as que mais utilizaram a BE, escola/agrupamento. requisição de recursos: http://gato.ccems.pt recorrendo nomeadamente às zonas funcionais: Leitura Multimédia e Internet; Material Impresso; Leitura informal. • A BE planifica com docentes, • Planos de actividades dos Como recursos utilizaram maioritariamente: livros; Revistas; departamentos curriculares e demais Departamentos/grupos disciplinares computadores,… estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica. • Relatórios de actividades da BE • % dos docentes considera medianamente a gestão da BE eficaz e capaz de favorecer o trabalho com os alunos e a • A BE assume-se como pólo de fomento e articulação com o currículo. de difusão cultural. • % dos docentes classifica com Bom as condições de acesso e os recursos disponibilizados pela BE. • % de professores atribuíram o nível … … ao horário de abertura da BE. ... à área, organização do espaço, mobiliário existente e condições de acomodação nas deslocações com alunos. … ao número e actualização dos equipamentos Tecnológicos. … à adequação da colecção às necessidades pessoais de documentação e ao trabalho pedagógico com os alunos. … à actualidade dos fundos documentais. … à diversidade da colecção em áreas temáticas e em suportes, incluindo recursos organizados on-line. … à disponibilização de informação relacionada com interesses pessoais/divulgação de iniciativas. … à disponibilização de informação relacionada com o trabalho escolar/currículo. … à disponibilização de recursos e de ferramentas web para acesso, produção e difusão de informação. … à avaliação realizada às condições e serviços da BE. % de professores classificaram os serviços prestados Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 4/6
  5. 5. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) pela BE como bons • % dos professores consideraram bom o impacto da BE na vida da escola e no apoio ao seu trabalho enquanto docentes % dos professores participaram em projectos decorrentes do projecto educativo de escola , em articulação com a BE. • A BE implementa um sistema de auto- • Informação recolhida com recurso ao sistema • A BE implementa um sistema de auto-avaliação e de D.1.4 Avaliação da BE avaliação contínuo. automatizado de gestão bibliográfica. melhoria contínuo, planificando e orientando a sua acção na • Os órgãos de direcção, administração e com base nos dados obtidos. escola/agrupamento. gestão são envolvidos no processo de • Registos de observação, questionários, autoavaliação da BE. entrevistas ou outros realizados no âmbito da • A BE faz, trimestralmente, uma avaliação intermédia com • Os instrumentos de recolha de informação avaliação da BE. base nos obtidos nos registos de presença e de requisições, são aplicados, de forma sistemática, e no de utilização dos recursos informáticos, audiovisuais, decurso do processo de gestão. • Auscultação de opiniões e de sugestões dos material impresso e na base de dados do quiosque • A informação recolhida é analisada e os utentes; multimédia ( essa avaliação é distribuída numa brochura a resultados da análise/avaliação originam, todos os elementos da comunidade educativa) quando necessário, a redefinição de • Excertos de documentação recolhida. estratégias, sendo integrados no processo de planeamento. • Relatório de auto-avaliação da escola • A BE analisa os dados quantitativos relativos ao • Os resultados da auto-avaliação são funcionamento da BE e faz uma avaliação qualitativa; divulgados junto dos órgãos de direcção, • Excertos do Relatório da Avaliação Externa da consultas a docentes, alunos e outros elementos; administração e gestão (conselho geral, Escola da Inspecção Geral de Ensino observação e análise de recursos e de actividades; análise de director, conselho pedagógico), estruturas documentação, originando acções a nível da gestão e do de coordenação educativa e de supervisão funcionamento da BE. pedagógica, e da restante comunidade, com • Os resultados da avaliação são divulgados junto do o objectivo de promover e valorizar as mais- Conselho Executivo, junto dos órgãos de decisão pedagógica valias da BE e de alertar para os pontos fracos do seu funcionamento. e da restante comunidade, com o objectivo de promover e valorizar as maisvalias da BE e de alertar para os pontos • São realizadas actividades de fracos do seu funcionamento. benchmarking. • A auto-avaliação da escola integra os Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 5/6
  6. 6. PRÁTICAS E MODELOS DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Indicadores Factores Críticos de Sucesso Instrumentos de Recolha de Evidências Evidências extraídas dos Instrumentos, a integrar sugeridos no Relatório de Auto-avaliação (“frases-tipo”) resultados da auto-avaliação da BE. • Os resultados de cada avaliação originam a redefinição de estratégias e novas planificações. Ana Luísa S. Fernandes - sessão 5 - 06/12/09 6/6

×