SlideShare uma empresa Scribd logo
SEDF – CRE Taguatinga – CEI 1 
COMPORTAMENTO AGRESSIVO, RAIVA, 
HIPERATIVIDADE, IMPULSIVIDADE 
Anaí Haeser & Vânia Varela 
Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem 
20 de agosto de 2014
A agressividade tem sido, nos útlimos anos, uma das queixas mais 
frequentes para o encaminhamento de crianças à psicoterapia 
(Caballo, 2012).
MAS É PRECISO 
REFLETIR...
comunidade 
mídia 
economia 
políticas 
públicas 
ética, 
valores
CONCEITOS E IDEIAS 
FUNDAMENTAIS
CONCEITOS E IDEIAS RELACIONADAS À 
RAIVA, AGRESSIVIDADE, HIPERATIVIDADE 
E IMPULSIVIDADE
Emoção 
• Fenômeno complexo, de difícil definição, que envolve todo o organismo 
• Palavra que evoluiu do latim motio, motionis 
• Movimento, perturbação 
• Adaptação do termo francês émotion 
• Alteração intensa e passageira do estado de uma pessoa 
• É indispensável para mobilizar as pessoas, criar vínculos 
• Tem substrato biológico mas se desenvolve em determinado contexto e 
nas relações da pessoa com o meio 
• Possui caráter evolutivo 
• Pode ser externalizada ou internalizada
Características da emoção sengundoWallon 
contagiosidade 
plasticidade 
regressividade
Afetividade> Sentimento> Emoção 
AFETIVIDADE SENTIMENTO EMOÇÃO 
Sistema que envolve 
sentimentos, emoções 
e paixões. 
Reações menos 
instintivas e mais 
pensadas, “racionais”, 
sendo consciente. 
Reações com “fundo” 
biológico que tem 
relação direta com 
acontecimento do 
meio. São ocasionais, 
instantâneas e diretas.
Três categorias de emoções (Damásio, 2004) 
Emoções de 
fundo 
Agradáveis 
Desagradáveis 
Emoções 
primárias 
Raiva 
Alegria/ 
Felicidade 
Tristeza 
Medo/ 
Surpresa 
Emoções 
sociais 
Vergonha 
Culpa 
Compaixão 
Simpatia...
4 
Emoções 
Básicas 
- Alegria/ Felicidade 
- Medo/ Surpresa 
- Tristeza 
- Raiva/ Repulsa
Roda das emoções 
(Robert Plutchik)
Ira/ Raiva x Agressividade 
• Ira/ Raiva: 
• estado emocional que abrange 
sentimentos que variam desde 
aborrecimento leve até fúria e 
cólera intensas, acompanhado 
por estimulação do sistema 
nervoso autônomo (Spielberger 
& Biaggio, 1992); 
• EXTERNALIZADA, pode ser 
um dos componentes da 
agressividade; 
• envolve sentimentos como a 
irritação e o aborrecimento, 
• tende a ser vista como uma 
emoção negativa; 
• pode surgir associada à dor, 
frustração, ameaça, ofensa, 
injustiça, coerção. 
• Agressividade 
• comportamento destrutivo 
ou punitivo orientado a 
outras pessoas ou objetos 
(Monteiro & Silva, 2012); 
• pode ser uma forma de 
expressão da raiva.
Ato x Comportamento Agressivo 
AGRESSÃO SITUACIONAL 
• Ato ou ação agressiva: 
acontece ocasionalmente, em 
momentos de tensão, estresse, 
ameaça à vida, o ser humano 
pode reagir em resposta ao 
risco iminente. 
PADRÃO AGRESSIVO 
RECORRENTE 
• Comportamento agressivo: é 
um conjunto de ações repetidas 
no decorrer do tempo, podendo 
estar relacionados à dinâmica 
familiar, fatores contextuais, 
psicológicos ou psiquiátricos, 
entre outros. 
• O comportamento agressivo em 
crianças envolve: 
• frequentemente morder, 
bater, chutar, quebras objetos, 
xingar...
Reações de luta-fuga e imobilização 
• “Relacionadas a um mecanismo de neurocepção, que se caracteriza 
pela capacidade de o indivíduo de agir conforme sua percepção de 
segurança ou ameaça a respeito do meio onde ele se encontra.” 
• Ambiente seguro = mecanismos inibitórios 
• Ambiente percebido como ameaçador = ativação da reação de 
luta-fuga ou de imobilização
Agressividade Infantil x Educação familiar 
• Muitas vezes, agressividade e mau comportamento são associados à 
problemas na educação familiar da criança. 
• Contudo... 
• Sofrimento psíquico de alguma natureza pode resultar no 
comportamento agressivo ou no mau comportamento; 
• O mau comportamento é uma das maneiras mais comuns das 
crianças manifestarem tristeza, medo, ansiedade, inveja, baixa 
auto-estima, ou sofrimentos psíquicos de outra natureza.
Fatores a observar 
• Quando a criança agride, é preciso observar em que condições isso 
acontece e outras características: 
• local/ locais em que acontece 
• momento(s) de ocorrência 
• outros elementos associados 
• características do comportamento agressivo 
• intensidade do comportamento agressivo 
• persistência e recorrência 
• características do agressor e do observador
O comportamento agressivo infantil na escola 
• Na escola, são consideradas crianças agressivas: 
• Aquelas extremamente inquietas, impulsivas, que buscam 
atingir outras crianças, que falam alto demais, são 
desobedientes, provocam... 
• É preciso distinguir entre comportamento agressivo e: 
• desobediência 
• hiperatividade 
• assertividade...
Desobediência e Indisciplina 
• Não obedecer comandos, seguir 
regras ou combinados 
• Carência na instrução para a 
disciplina regulada e imposta 
pela ordem social 
• Pode ser refletida pela: 
• Desobediência 
• Conversas paralelas 
• Comportamentos 
“descontrolados e fora de 
contexto”
Hiperatividade 
• Características: 
• agitação excessiva das mãos ou os pés; 
• abandonar a cadeira em sala de aula ou outras situações nas 
quais se espera que permaneça sentado; 
• correr ou escalar em demasia, em situações nas quais isto é 
inapropriado; 
• dificuldades para brincar ou se envolver silenciosamente em 
atividades de lazer, estar “a mil” ou muitas vezes age como se 
estivesse “a todo vapor”; 
• falar em demasia.
Impulsividade 
• Características: 
• dar respostas precipitadas antes de as perguntas terem sido 
completadas; 
• dificuldade para aguardar sua vez; 
• interromper ou intrometer-se em assuntos de outros
O comportamento agressivo, a raiva ou a “hiperatividade” 
também podem refletir... 
Função 
O que proporciona para a 
pessoa 
Quando pode acontecer 
Sensorial 
Fornece experiências 
sensoriais preferidas 
<Se sente bem em fazer> 
A qualquer momento, 
especialmente quando está 
ansioso ou solitário. 
Fuga 
Afasta de atividades ou 
interações não desejadas 
Quando a atividade ou 
interação é muito: difícil, fácil, 
chata, assustadora... 
Atenção 
Permite acesso a pessoas ou 
interações 
Quando se deseja interagir 
socialmente 
Palpável 
Providencia objetos ou 
atividades desejados 
Quando se deseja um objeto ou 
atividade 
Adaptado e traduzido livremente por Anaí Peña, de Andrew Davis
Por que na Escola? 
“o comportamento agressivo na infância se manifesta 
geralmente no ambiente escolar, porque as crianças 
ficam envolvidas com outras crianças, tem que lidar 
com frustrações, regras e limites. Esse ambiente pode 
propiciar manifestações de sentimentos que as crianças 
ainda não sabem controlar, como raiva e irritação, fazendo 
com que ela se comporte de forma agressiva” 
(psicóloga Paula Pessoa Carvalho, em entrevista ao site Mães & Filhos – 
Educação, Saúde e Relacionamentos)
O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA 
SEGUNDO WALLON 
ELEMENTOS FUNDAMENTAIS PARA A 
COMPREENSÃO DO TEMA 
- Foco nos campos funcionais e no estágio do personalismo -
Elemento afetivo/ 
emocional do 
movimento. 
Ação direta sobre o 
meio físico, 
Movimento concreto. 
Dimensão 
Expressiva 
Dimensão 
Instrumental 
MOVIMENTO 
CONDIÇÃO INICIAL 
Primeira manifestação 
psíquica 
atividade motora reflexa 
CONDIÇÃO FINAL 
Refinamento e 
funcionalidade 
movimento ideo-motor
EMOÇÃO/ AFETIVIDADE 
EMOÇÃO 
Fator fundamental de interação 
Primeira manifestação 
afetiva 
Exteriorização da 
afetividade 
com o meio 
Emoção/ 
Sentimento/ 
Paixão 
SENTIMENTOS 
Refinamento e 
funcionalidade 
da afetividade 
PAIXÃO 
Autocontrole 
afetivo
Estágios do desenvolvimento segundo Wallon 
Impulsivo-emocional 
Sensório motor-projetivo 
Personalismo 
Categorial 
Adolescência 
Adulto
Estágio do Personalismo 
-Algumas características - 
AFETIVO 
ORIENTAÇÃO 
CENTRÍPETA 
• Tarefa central: formação da personalidade 
• Busca descobrir-se diferente das outras crianças e de adultos 
• Construção da consciência de si por meio das interações sociais 
• Interesse voltado para as pessoas e relações afetivas 
• Principais características nas relações interpessoais: 
• Oposição ao outro (relações negativistas, recusa, reivindicação) 
• Sedução (idade da graça) 
• Imitação (copia os comportamentos do outro, que antes negou, 
como modelo para ampliação das próprias competências) 
• Ciúmes e paixão; 
• Exibicionismo.
ASPECTOS RELACIONADOS AO 
DESENVOLVIMENTO CEREBRAL
SÍNTESE 
OU CONSIDERAÇÕES PARA REFLEXÃO
Refletindo em grupo 
• A relação dialética entre pessoa-meio (físico, social...) 
• Os aspectos relacionados ao desenvolvimento 
• Movimento: hiperatividade e impulsividade 
• Emoções: amadurecimento, desenvolvimento da “personalidade” 
• Estratégias utilizadas quando há agressividade, raiva, 
‘hiperatividade’, impulsividade 
• Time-out x Time-in 
• Educação emocional/ afetiva
A PRÁTICA DOCENTE 
Educação Emocional
Educação emocional 
• A Educação Emocional, ou alfabetização emocional, é uma estratégia 
para o desenvolvimento da inteligência emocional (Goleman) 
• Para a alfabetização emocional é importante promover atividades 
que desenvolvam: 
• Autoconsciência 
• Controle das emoções 
• Automotivação 
• Lidar com relacionamentos 
• Empatia
Autoconsciência 
• Perceber e nomear emoções e sentimentos
Cartões com 
expressões 
emocionais
Rosto para 
trabalhar 
expressão 
emocional 
facial
Livro dos 
sentimentos: 
As vezes eu 
me sinto...
Termômetro 
emocional
Reconhecer o 
que compõe a 
expressão de 
uma emoção 
ou sentimento 
- Elaborar cartazes e 
outros recursos que 
auxiliem a perceber o 
que compõe uma 
emoção ou sentimento
Controle das emoções 
• Atividades, jogos e estratégias para controlar as emoções
Role-play
Corrida do comportamento
Automotivação
Lidar com relacionamentos
Empatia
Referências 
CABALLO, V. E. Clínica dos Tanstornos Psicológicos: Estratégias de avaliação, problemas 
infantis e transtornos de ansiedade. São Paulo: Santos, 2012. 
CALL, N. Cérebro e Educação Infantil. Porto Alegre: Penso, 2013. 
DAMÁSIO, A.. Em busca de Espinosa: Prazer e dor na ciência dos sentimentos. São Paulo, SP: 
Companhia das Letras, 2004. 
ESPERIDIÃO-ANTONIO, V., MAJESKI-COLOMBO, M., TOLEDO-MONTEVERDE, D., MORAES-MARTINS, 
G., FERNANDES, J. J., ASSIS, M. B., SIQUEIRA-BATISTA, R. Neurobiologia das 
Emoções. Revista de Psiquiatria Clínica, http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol35/n2/55.htm . 
GALVÃO, I. Henri Wallon: uma concepção do desenvolvimento infantil. Petrópolis, RJ: Vozes, 
1995. 
GOLEMAN, D. Emotional Intelligence, why it can matter more than IQ. Bloomsbury Publishing Plc, 
1995. 
MONTEIRO, N.; SILVA, D. Sobre o conceito de raiva e o STAXI-2. Revista de Psicologia Militar, 
n.21, pp.31-40, 2012. 
VIGOTSKI, L. S. As emoções e seu desenvolvimento na infância. In: L. S. Vigotski. O 
desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 
SPIELBERGER, C.D.; BIAGGIO, A. Manual do Inventário de Expressão da Raiva Traço Estado - 
STAXI. São Paulo: Vetor, 1992.
Comportamento agressivo, raiva, irritação, hiperatividade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estabelecendo limites
Estabelecendo limitesEstabelecendo limites
Estabelecendo limitesCras Macatuba
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteisismaat
 
Psicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e AdolescênciaPsicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e AdolescênciaClaudia Paola Aguilar
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoDoroteiaSouza
 
PSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLARPSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLARCassia Dias
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...Editora Moderna
 
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiPALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiEdson Salgado Ávella
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaLuciana França Cescon
 
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional   as 5 chaves fundamentaisInteligência emocional   as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentaisManuela Selas
 
Como construir limites
Como construir limitesComo construir limites
Como construir limitesSosseguinho
 
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de FreudFases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de FreudLucas Vinícius
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdfAnaí Peña
 
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação Parental
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação ParentalWorkshop: Parentalidade Positiva e Educação Parental
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação ParentalJudite Peixoto
 
Palestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino MédioPalestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino Médioangelavbecker
 

Mais procurados (20)

Estabelecendo limites
Estabelecendo limitesEstabelecendo limites
Estabelecendo limites
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
 
Agressividade na Infância
Agressividade na InfânciaAgressividade na Infância
Agressividade na Infância
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafiante
 
Psicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e AdolescênciaPsicopatologia da Infância e Adolescência
Psicopatologia da Infância e Adolescência
 
Bullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunosBullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunos
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
 
PSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLARPSICOLOGIA ESCOLAR
PSICOLOGIA ESCOLAR
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
 
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiPALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
 
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional   as 5 chaves fundamentaisInteligência emocional   as 5 chaves fundamentais
Inteligência emocional as 5 chaves fundamentais
 
Como construir limites
Como construir limitesComo construir limites
Como construir limites
 
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de FreudFases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
 
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação Parental
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação ParentalWorkshop: Parentalidade Positiva e Educação Parental
Workshop: Parentalidade Positiva e Educação Parental
 
Palestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino MédioPalestra Motivacional Ensino Médio
Palestra Motivacional Ensino Médio
 
Como Manejar a Ansiedade?
Como Manejar a Ansiedade?Como Manejar a Ansiedade?
Como Manejar a Ansiedade?
 
Afetividade
AfetividadeAfetividade
Afetividade
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
 

Destaque

Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta - paul stallard
Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta  - paul stallardBons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta  - paul stallard
Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta - paul stallardgabriela cardoso
 
Manual do Medo pra Crianças
 Manual do Medo  pra Crianças Manual do Medo  pra Crianças
Manual do Medo pra CriançasJuju Dias
 
Quando me sinto... zangado
Quando me sinto... zangadoQuando me sinto... zangado
Quando me sinto... zangadoLurdesRFernandes
 
Agressividade infantil - birras
Agressividade infantil - birrasAgressividade infantil - birras
Agressividade infantil - birrasIolanda Pereira
 
O dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaO dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaMafalda Souto
 
Agressividade vivi
Agressividade viviAgressividade vivi
Agressividade vivivivicoelho
 
Alunos cegos
Alunos cegosAlunos cegos
Alunos cegosFilipAna
 
Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
Lição 05- Relacionamento com Pessoas DifíceisLição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
Lição 05- Relacionamento com Pessoas DifíceisMaxsuel Aquino
 
Saber lidar com as pessoas
Saber lidar com as pessoasSaber lidar com as pessoas
Saber lidar com as pessoasManuel Manero
 
Gerir situações agressivas
Gerir situações agressivasGerir situações agressivas
Gerir situações agressivasMário Laranjeira
 
Livro do gato habilidoso
Livro do gato habilidosoLivro do gato habilidoso
Livro do gato habilidosoJuju Dias
 
Como lidar com pessoas difíceis
Como lidar com pessoas difíceisComo lidar com pessoas difíceis
Como lidar com pessoas difíceisluzcarpin
 
Apostila tratamento da dependência química
Apostila   tratamento da dependência químicaApostila   tratamento da dependência química
Apostila tratamento da dependência químicakarol_ribeiro
 

Destaque (20)

Agressividade
AgressividadeAgressividade
Agressividade
 
Baralho das emoções
Baralho das emoçõesBaralho das emoções
Baralho das emoções
 
Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta - paul stallard
Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta  - paul stallardBons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta  - paul stallard
Bons pensamentos, bons-sentimentos, guia do terapeuta - paul stallard
 
Manual do Medo pra Crianças
 Manual do Medo  pra Crianças Manual do Medo  pra Crianças
Manual do Medo pra Crianças
 
Agressividade
AgressividadeAgressividade
Agressividade
 
Quando me sinto... zangado
Quando me sinto... zangadoQuando me sinto... zangado
Quando me sinto... zangado
 
O livro dos medos
O livro dos medosO livro dos medos
O livro dos medos
 
Agressividade infantil - birras
Agressividade infantil - birrasAgressividade infantil - birras
Agressividade infantil - birras
 
O dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaO dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escola
 
Agressividade _
Agressividade  _Agressividade  _
Agressividade _
 
Agressividade vivi
Agressividade viviAgressividade vivi
Agressividade vivi
 
Alunos cegos
Alunos cegosAlunos cegos
Alunos cegos
 
EMOÇÕES
EMOÇÕESEMOÇÕES
EMOÇÕES
 
Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
Lição 05- Relacionamento com Pessoas DifíceisLição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
Lição 05- Relacionamento com Pessoas Difíceis
 
Saber lidar com as pessoas
Saber lidar com as pessoasSaber lidar com as pessoas
Saber lidar com as pessoas
 
Gerir situações agressivas
Gerir situações agressivasGerir situações agressivas
Gerir situações agressivas
 
Livro do gato habilidoso
Livro do gato habilidosoLivro do gato habilidoso
Livro do gato habilidoso
 
Relacionamentos dificeis e nao pessoas dificeis
Relacionamentos dificeis e nao pessoas dificeisRelacionamentos dificeis e nao pessoas dificeis
Relacionamentos dificeis e nao pessoas dificeis
 
Como lidar com pessoas difíceis
Como lidar com pessoas difíceisComo lidar com pessoas difíceis
Como lidar com pessoas difíceis
 
Apostila tratamento da dependência química
Apostila   tratamento da dependência químicaApostila   tratamento da dependência química
Apostila tratamento da dependência química
 

Semelhante a Comportamento agressivo, raiva, irritação, hiperatividade

Slides da aula 1 psicologia - professora léia lídice
Slides da aula 1   psicologia - professora léia lídiceSlides da aula 1   psicologia - professora léia lídice
Slides da aula 1 psicologia - professora léia lídiceLéia Lídice
 
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAAUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAKátia Rumbelsperger
 
Personalidade na organização
Personalidade na organizaçãoPersonalidade na organização
Personalidade na organizaçãoLiliane Ennes
 
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e Vítimas
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e VítimasBullying - Alertas para Identificar Agressores e Vítimas
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e VítimasMauro Paulino
 
Aplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educaçãoAplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educaçãoPriscillaTomazi2015
 
educação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxeducação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxFoxBilingue
 
Boletim coaching junho 2015
Boletim coaching   junho 2015Boletim coaching   junho 2015
Boletim coaching junho 2015Myrthes Lutke
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSAngella Barros
 
inteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptxinteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptxMARYJANUARIO1
 
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOUFMA e UEMA
 
1266884451 comportamento crianca
1266884451 comportamento crianca1266884451 comportamento crianca
1266884451 comportamento criancaameliamarques
 
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptx
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptxSLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptx
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptxssuser9f513e
 

Semelhante a Comportamento agressivo, raiva, irritação, hiperatividade (20)

Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Emoção
Emoção  Emoção
Emoção
 
Freud 1
Freud 1Freud 1
Freud 1
 
Slides da aula 1 psicologia - professora léia lídice
Slides da aula 1   psicologia - professora léia lídiceSlides da aula 1   psicologia - professora léia lídice
Slides da aula 1 psicologia - professora léia lídice
 
Sandra Godoi - BM06 - 9/10 semana
Sandra Godoi - BM06 - 9/10 semanaSandra Godoi - BM06 - 9/10 semana
Sandra Godoi - BM06 - 9/10 semana
 
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAAUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
 
Introdução Psicologia
Introdução Psicologia Introdução Psicologia
Introdução Psicologia
 
Inteligencia emocional
Inteligencia emocionalInteligencia emocional
Inteligencia emocional
 
Personalidade na organização
Personalidade na organizaçãoPersonalidade na organização
Personalidade na organização
 
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e Vítimas
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e VítimasBullying - Alertas para Identificar Agressores e Vítimas
Bullying - Alertas para Identificar Agressores e Vítimas
 
Aplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educaçãoAplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educação
 
Ebook Estados de Ego
Ebook Estados de EgoEbook Estados de Ego
Ebook Estados de Ego
 
educação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxeducação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptx
 
Boletim coaching junho 2015
Boletim coaching   junho 2015Boletim coaching   junho 2015
Boletim coaching junho 2015
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
 
inteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptxinteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptx
 
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
 
1266884451 comportamento crianca
1266884451 comportamento crianca1266884451 comportamento crianca
1266884451 comportamento crianca
 
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptx
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptxSLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptx
SLIDES VIGOTSKI E WALLON.pptx.pptx
 

Mais de Anaí Peña

Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino MédioEncontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino MédioAnaí Peña
 
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopeeOs desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopeeAnaí Peña
 
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi   sopeeTdah e seus desafios na escola do século xxi   sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopeeAnaí Peña
 
Apresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicólogaApresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicólogaAnaí Peña
 
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEBApresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEBAnaí Peña
 
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
Formação UNIEB -   Desafios a inclusãoFormação UNIEB -   Desafios a inclusão
Formação UNIEB - Desafios a inclusãoAnaí Peña
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricularAnaí Peña
 
Material de apoio do seaa
Material de apoio do seaaMaterial de apoio do seaa
Material de apoio do seaaAnaí Peña
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Anaí Peña
 
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente Anaí Peña
 
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdahEstratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdahAnaí Peña
 
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdahEstratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdahAnaí Peña
 
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamentalAvaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamentalAnaí Peña
 
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantilProjeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantilAnaí Peña
 
Mapeamento institucional devolutiva
Mapeamento institucional   devolutivaMapeamento institucional   devolutiva
Mapeamento institucional devolutivaAnaí Peña
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Anaí Peña
 
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAARelato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAAAnaí Peña
 
Mapeamento institucional concepções docentes
Mapeamento institucional   concepções docentesMapeamento institucional   concepções docentes
Mapeamento institucional concepções docentesAnaí Peña
 
EEAA Apresentação CEI 01-2015
EEAA Apresentação CEI 01-2015EEAA Apresentação CEI 01-2015
EEAA Apresentação CEI 01-2015Anaí Peña
 

Mais de Anaí Peña (20)

Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino MédioEncontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
Encontro SEEDF - CRE TAG - Anos Finais & Ensino Médio
 
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopeeOs desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
Os desafios do tdah nos processos de ensino aprendizagem sopee
 
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi   sopeeTdah e seus desafios na escola do século xxi   sopee
Tdah e seus desafios na escola do século xxi sopee
 
Apresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicólogaApresentação da nova psicóloga
Apresentação da nova psicóloga
 
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEBApresentação da equipe de apoio da UNIEB
Apresentação da equipe de apoio da UNIEB
 
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
Formação UNIEB -   Desafios a inclusãoFormação UNIEB -   Desafios a inclusão
Formação UNIEB - Desafios a inclusão
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 
Material de apoio do seaa
Material de apoio do seaaMaterial de apoio do seaa
Material de apoio do seaa
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
 
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
O Professor e a Inclusão: A Formação e os desafios à prática docente
 
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdahEstratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
Estratégias didático pedagógicas para a inclusão tdah
 
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdahEstratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
Estratégias didático pedagógicas para a qualidade da relação prof aluno tdah
 
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamentalAvaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
Avaliação da aprendizagem na educação infantil e 1o ano do ensino fundamental
 
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantilProjeto cei 1   abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
Projeto cei 1 abordagem à problemas de comportamento na educação infantil
 
Mapeamento institucional devolutiva
Mapeamento institucional   devolutivaMapeamento institucional   devolutiva
Mapeamento institucional devolutiva
 
Discalculia
DiscalculiaDiscalculia
Discalculia
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAARelato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
Relato de uma experiência de trabalho em equipe na EEAA
 
Mapeamento institucional concepções docentes
Mapeamento institucional   concepções docentesMapeamento institucional   concepções docentes
Mapeamento institucional concepções docentes
 
EEAA Apresentação CEI 01-2015
EEAA Apresentação CEI 01-2015EEAA Apresentação CEI 01-2015
EEAA Apresentação CEI 01-2015
 

Último

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 

Último (20)

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 

Comportamento agressivo, raiva, irritação, hiperatividade

  • 1. SEDF – CRE Taguatinga – CEI 1 COMPORTAMENTO AGRESSIVO, RAIVA, HIPERATIVIDADE, IMPULSIVIDADE Anaí Haeser & Vânia Varela Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem 20 de agosto de 2014
  • 2. A agressividade tem sido, nos útlimos anos, uma das queixas mais frequentes para o encaminhamento de crianças à psicoterapia (Caballo, 2012).
  • 3. MAS É PRECISO REFLETIR...
  • 4. comunidade mídia economia políticas públicas ética, valores
  • 5. CONCEITOS E IDEIAS FUNDAMENTAIS
  • 6. CONCEITOS E IDEIAS RELACIONADAS À RAIVA, AGRESSIVIDADE, HIPERATIVIDADE E IMPULSIVIDADE
  • 7. Emoção • Fenômeno complexo, de difícil definição, que envolve todo o organismo • Palavra que evoluiu do latim motio, motionis • Movimento, perturbação • Adaptação do termo francês émotion • Alteração intensa e passageira do estado de uma pessoa • É indispensável para mobilizar as pessoas, criar vínculos • Tem substrato biológico mas se desenvolve em determinado contexto e nas relações da pessoa com o meio • Possui caráter evolutivo • Pode ser externalizada ou internalizada
  • 8. Características da emoção sengundoWallon contagiosidade plasticidade regressividade
  • 9. Afetividade> Sentimento> Emoção AFETIVIDADE SENTIMENTO EMOÇÃO Sistema que envolve sentimentos, emoções e paixões. Reações menos instintivas e mais pensadas, “racionais”, sendo consciente. Reações com “fundo” biológico que tem relação direta com acontecimento do meio. São ocasionais, instantâneas e diretas.
  • 10. Três categorias de emoções (Damásio, 2004) Emoções de fundo Agradáveis Desagradáveis Emoções primárias Raiva Alegria/ Felicidade Tristeza Medo/ Surpresa Emoções sociais Vergonha Culpa Compaixão Simpatia...
  • 11. 4 Emoções Básicas - Alegria/ Felicidade - Medo/ Surpresa - Tristeza - Raiva/ Repulsa
  • 12. Roda das emoções (Robert Plutchik)
  • 13. Ira/ Raiva x Agressividade • Ira/ Raiva: • estado emocional que abrange sentimentos que variam desde aborrecimento leve até fúria e cólera intensas, acompanhado por estimulação do sistema nervoso autônomo (Spielberger & Biaggio, 1992); • EXTERNALIZADA, pode ser um dos componentes da agressividade; • envolve sentimentos como a irritação e o aborrecimento, • tende a ser vista como uma emoção negativa; • pode surgir associada à dor, frustração, ameaça, ofensa, injustiça, coerção. • Agressividade • comportamento destrutivo ou punitivo orientado a outras pessoas ou objetos (Monteiro & Silva, 2012); • pode ser uma forma de expressão da raiva.
  • 14. Ato x Comportamento Agressivo AGRESSÃO SITUACIONAL • Ato ou ação agressiva: acontece ocasionalmente, em momentos de tensão, estresse, ameaça à vida, o ser humano pode reagir em resposta ao risco iminente. PADRÃO AGRESSIVO RECORRENTE • Comportamento agressivo: é um conjunto de ações repetidas no decorrer do tempo, podendo estar relacionados à dinâmica familiar, fatores contextuais, psicológicos ou psiquiátricos, entre outros. • O comportamento agressivo em crianças envolve: • frequentemente morder, bater, chutar, quebras objetos, xingar...
  • 15. Reações de luta-fuga e imobilização • “Relacionadas a um mecanismo de neurocepção, que se caracteriza pela capacidade de o indivíduo de agir conforme sua percepção de segurança ou ameaça a respeito do meio onde ele se encontra.” • Ambiente seguro = mecanismos inibitórios • Ambiente percebido como ameaçador = ativação da reação de luta-fuga ou de imobilização
  • 16. Agressividade Infantil x Educação familiar • Muitas vezes, agressividade e mau comportamento são associados à problemas na educação familiar da criança. • Contudo... • Sofrimento psíquico de alguma natureza pode resultar no comportamento agressivo ou no mau comportamento; • O mau comportamento é uma das maneiras mais comuns das crianças manifestarem tristeza, medo, ansiedade, inveja, baixa auto-estima, ou sofrimentos psíquicos de outra natureza.
  • 17.
  • 18. Fatores a observar • Quando a criança agride, é preciso observar em que condições isso acontece e outras características: • local/ locais em que acontece • momento(s) de ocorrência • outros elementos associados • características do comportamento agressivo • intensidade do comportamento agressivo • persistência e recorrência • características do agressor e do observador
  • 19. O comportamento agressivo infantil na escola • Na escola, são consideradas crianças agressivas: • Aquelas extremamente inquietas, impulsivas, que buscam atingir outras crianças, que falam alto demais, são desobedientes, provocam... • É preciso distinguir entre comportamento agressivo e: • desobediência • hiperatividade • assertividade...
  • 20. Desobediência e Indisciplina • Não obedecer comandos, seguir regras ou combinados • Carência na instrução para a disciplina regulada e imposta pela ordem social • Pode ser refletida pela: • Desobediência • Conversas paralelas • Comportamentos “descontrolados e fora de contexto”
  • 21. Hiperatividade • Características: • agitação excessiva das mãos ou os pés; • abandonar a cadeira em sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado; • correr ou escalar em demasia, em situações nas quais isto é inapropriado; • dificuldades para brincar ou se envolver silenciosamente em atividades de lazer, estar “a mil” ou muitas vezes age como se estivesse “a todo vapor”; • falar em demasia.
  • 22. Impulsividade • Características: • dar respostas precipitadas antes de as perguntas terem sido completadas; • dificuldade para aguardar sua vez; • interromper ou intrometer-se em assuntos de outros
  • 23. O comportamento agressivo, a raiva ou a “hiperatividade” também podem refletir... Função O que proporciona para a pessoa Quando pode acontecer Sensorial Fornece experiências sensoriais preferidas <Se sente bem em fazer> A qualquer momento, especialmente quando está ansioso ou solitário. Fuga Afasta de atividades ou interações não desejadas Quando a atividade ou interação é muito: difícil, fácil, chata, assustadora... Atenção Permite acesso a pessoas ou interações Quando se deseja interagir socialmente Palpável Providencia objetos ou atividades desejados Quando se deseja um objeto ou atividade Adaptado e traduzido livremente por Anaí Peña, de Andrew Davis
  • 24. Por que na Escola? “o comportamento agressivo na infância se manifesta geralmente no ambiente escolar, porque as crianças ficam envolvidas com outras crianças, tem que lidar com frustrações, regras e limites. Esse ambiente pode propiciar manifestações de sentimentos que as crianças ainda não sabem controlar, como raiva e irritação, fazendo com que ela se comporte de forma agressiva” (psicóloga Paula Pessoa Carvalho, em entrevista ao site Mães & Filhos – Educação, Saúde e Relacionamentos)
  • 25. O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA SEGUNDO WALLON ELEMENTOS FUNDAMENTAIS PARA A COMPREENSÃO DO TEMA - Foco nos campos funcionais e no estágio do personalismo -
  • 26.
  • 27. Elemento afetivo/ emocional do movimento. Ação direta sobre o meio físico, Movimento concreto. Dimensão Expressiva Dimensão Instrumental MOVIMENTO CONDIÇÃO INICIAL Primeira manifestação psíquica atividade motora reflexa CONDIÇÃO FINAL Refinamento e funcionalidade movimento ideo-motor
  • 28. EMOÇÃO/ AFETIVIDADE EMOÇÃO Fator fundamental de interação Primeira manifestação afetiva Exteriorização da afetividade com o meio Emoção/ Sentimento/ Paixão SENTIMENTOS Refinamento e funcionalidade da afetividade PAIXÃO Autocontrole afetivo
  • 29. Estágios do desenvolvimento segundo Wallon Impulsivo-emocional Sensório motor-projetivo Personalismo Categorial Adolescência Adulto
  • 30. Estágio do Personalismo -Algumas características - AFETIVO ORIENTAÇÃO CENTRÍPETA • Tarefa central: formação da personalidade • Busca descobrir-se diferente das outras crianças e de adultos • Construção da consciência de si por meio das interações sociais • Interesse voltado para as pessoas e relações afetivas • Principais características nas relações interpessoais: • Oposição ao outro (relações negativistas, recusa, reivindicação) • Sedução (idade da graça) • Imitação (copia os comportamentos do outro, que antes negou, como modelo para ampliação das próprias competências) • Ciúmes e paixão; • Exibicionismo.
  • 31. ASPECTOS RELACIONADOS AO DESENVOLVIMENTO CEREBRAL
  • 32.
  • 33. SÍNTESE OU CONSIDERAÇÕES PARA REFLEXÃO
  • 34. Refletindo em grupo • A relação dialética entre pessoa-meio (físico, social...) • Os aspectos relacionados ao desenvolvimento • Movimento: hiperatividade e impulsividade • Emoções: amadurecimento, desenvolvimento da “personalidade” • Estratégias utilizadas quando há agressividade, raiva, ‘hiperatividade’, impulsividade • Time-out x Time-in • Educação emocional/ afetiva
  • 35. A PRÁTICA DOCENTE Educação Emocional
  • 36. Educação emocional • A Educação Emocional, ou alfabetização emocional, é uma estratégia para o desenvolvimento da inteligência emocional (Goleman) • Para a alfabetização emocional é importante promover atividades que desenvolvam: • Autoconsciência • Controle das emoções • Automotivação • Lidar com relacionamentos • Empatia
  • 37. Autoconsciência • Perceber e nomear emoções e sentimentos
  • 39. Rosto para trabalhar expressão emocional facial
  • 40.
  • 41. Livro dos sentimentos: As vezes eu me sinto...
  • 43. Reconhecer o que compõe a expressão de uma emoção ou sentimento - Elaborar cartazes e outros recursos que auxiliem a perceber o que compõe uma emoção ou sentimento
  • 44. Controle das emoções • Atividades, jogos e estratégias para controlar as emoções
  • 46.
  • 51.
  • 52. Referências CABALLO, V. E. Clínica dos Tanstornos Psicológicos: Estratégias de avaliação, problemas infantis e transtornos de ansiedade. São Paulo: Santos, 2012. CALL, N. Cérebro e Educação Infantil. Porto Alegre: Penso, 2013. DAMÁSIO, A.. Em busca de Espinosa: Prazer e dor na ciência dos sentimentos. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2004. ESPERIDIÃO-ANTONIO, V., MAJESKI-COLOMBO, M., TOLEDO-MONTEVERDE, D., MORAES-MARTINS, G., FERNANDES, J. J., ASSIS, M. B., SIQUEIRA-BATISTA, R. Neurobiologia das Emoções. Revista de Psiquiatria Clínica, http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol35/n2/55.htm . GALVÃO, I. Henri Wallon: uma concepção do desenvolvimento infantil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. GOLEMAN, D. Emotional Intelligence, why it can matter more than IQ. Bloomsbury Publishing Plc, 1995. MONTEIRO, N.; SILVA, D. Sobre o conceito de raiva e o STAXI-2. Revista de Psicologia Militar, n.21, pp.31-40, 2012. VIGOTSKI, L. S. As emoções e seu desenvolvimento na infância. In: L. S. Vigotski. O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1998. SPIELBERGER, C.D.; BIAGGIO, A. Manual do Inventário de Expressão da Raiva Traço Estado - STAXI. São Paulo: Vetor, 1992.