Klimt

1.212 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.212
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
75
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Klimt

  1. 1. Klimt e a eterna atração pelo femininoEste ano comemoram-se 150 anos do nascimento de Gustav Klimt (1862-1918), um dosgrandes artistas europeus e um dos percursores da vanguarda vienense. Sua vida foi tãointensa quanto sua obra, e em ambas a paixão pelas mulheres - em seu intimo edespidas de vestes e valores morais - foi seu guia. Nuas, vestidas, deitadas, emmovimento ou em momentos íntimos - poucos artistas estiveram tão envolvidos com ouniverso feminino. Gustav Klimt, "Beethoven Frieze" (1901-02) , Belvedere, Viena
  2. 2. Gustav Klimt viveu em Viena em um momento de efervescência. Durante o século XIX, a cidade se urbanizou; novas ideias a invadiam e atraiam intelectuais de diversas localidades. Um cenário intenso que permitiu muitas alterações no conhecimento científico, na sociedade e na arte. Antes de Klimt, a pintura praticada na cidade era provinciana e a maioria das obras eram retratos da elite vienense. O artista traz uma perceção do espirito humano, um estilo pictórico e decorativo, que vai influenciar o art nouveau. Suas obras são caracterizadas como pertencendo ao simbolismo, e dialogam com a arte japonesa eGustav Klimt, "Palas Atena" (1898). africana, o que resultou em uma pintura peculiar e muito própria.
  3. 3. Foi nesse período que Klimt e mais dezoito artistas dissidentes da Associação dos Artistas Vienenses criaram a Secessão Vienense, uma crítica à liberdade de criação tolhida pelas academias. Os membros da Secessão foram influenciados pelo movimento Arts and Crafts, da Inglaterra. O grupo buscava resgatar as qualidades do fazer artesanal contra a mecanização, integrando-o com a arte e arquitetura. O afresco Beethoven Frieze é um dos grandes exemplos desse período.Gustav Klimt, "As Três Idades da Mulher" (1905).
  4. 4. Ao deixar a Secessão, a obra de Klimt passou a ter um caráter mais pessoal. Assim, asmulheres tornaram-se o foco de atenção, uma verdadeira obsessão do pintor - que soubecomo retratá-las diante do novo século. Klimt utilizou-se das curvas femininas e do olharevocativo das mulheres, sempre colocadas como figuras centrais, como verdadeirasarmadilhas de sedução para o observador. A nudez é sempre crua, e as mulheres não sãoobjetos passiveis para o prazer, mas para excitar com o seu próprio prazer. E o nu frontal,mostrando até mesmo os pelos pubianos, rompeu totalmente com o conservadorismotanto da sociedade quanto das artes. Gustav Klimt, "Serpentes Aquáticas" (1904-1907).
  5. 5. Gustav Klimt, "Fritza Riedler" (1906) , Belvedere,VienaA obra de Klimt possui umequilíbrio e um diálogoúnico entre o refinamentosensível e decorativo e amorbidez de sua figuras,que pendem para osimbolismo. Os ornamentosaparentam ser simbólicosem diversos momentos,criando ritmos noselementos de cinzas epérolas pálidos e dourado eprata vívidos. Aornamentação foi ocaminho escolhido peloartista para criar umaatmosfera de sonho, ondeas figuras não estão ligadasa nenhum tempo ou local,repleta de alegorias queestimulam a imaginação.
  6. 6. Gustav Klimt, "Frizo Stoclet - O abraço" (1905).
  7. 7. As joias, parte desta ornamentação, são de uma delicadeza e cuidado que atraem o olhar. Assim como as vestimentas. Em 2008, John Galliano apresentou em um desfile da Dior uma coleção totalmente inspirada nos vestidos usados pelas mulheres de Klimt em suas obras. O artista fez parte do Movimento pela Reforma do Vestuário, que pregava um novo tipo de vestimenta para as mulheres – assim como uma reforma nas regras de comportamento. Os vestidos tinham inspiração nas túnicas africanas de cortes largos e com tecidos de estampagemGustav Klimt, "Adele Bloch Bauer" (1907). étnicos.
  8. 8. Outro elementorecorrente naspinturas de Klimt sãoas ruivas.Influenciado pelospré-rafaelitas, quepopularizaram aimagem da mulherruiva, nas obras doartista as madeixasvermelhas ganham ostatus de sedução efeminilidade. Gustav Klimt, "Danae" (1907-08).
  9. 9. Klimt realizou cerca de3.000 desenhos eróticos,muitas vezes com cenas desexo explícito – a maioriapublicada após a sua morte.Além dos desenhos, muitasde suas pinturas trazemuma carga de intensoerotismo. O ato sexual érevisto através dospersonagens clássicos damitologia grega. A vidatambém é vista através dapassagem do tempo e dosexo. Outra questãoexplorada por Klimt é oamor entre as mulheres,como na obra As Amigas. Equando o homem se fazpresente nas pinturas, écomo voyeur ou comocomplemento.
  10. 10. Já em Judith I, o artista traz umainovadora versão do mito. Ícone damulher fatal capaz de submeterqualquer homem aos seus desejos,na obra de Klimt ela aparece semdisfarçar o prazer da dominação –como um prazer sexual - ao segurara cabeça do general assírio por cujamorte foi responsável. Repleta deouro – com um fundo em que Klimtbuscou reproduzir os relevosassírios do palácio de Nínive –Judith aparece com a roupatransparente e os seios nus. Seuscabelos negros contrastam com ostrabalhos em dourados. Umafeminilidade agressiva, onde amulher tem o pleno poder, masainda é repleta de sensualidade.
  11. 11. No final da vida, Klimt abandonou o dourados e as cores fortes e passou a utilizar os tons pastel. Uma viagem à França também fez com que se encantasse pelo impressionismo e com isso alterasse suas pinceladas. Mas seu olhar permaneceu eternamente atraído pelas mulheres.Gustav Klimt, "Mäda Primavesi" (1912-13),Belvedere, Viena.
  12. 12. Gustav Klimt, "Família" (1912-13), Belvedere, Viena.

×