Bullying não tem graça

701 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre bullyng, com dicas para como se prevenir esta violência no espaço escolar e bem como reconher possíveis agressores.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
701
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bullying não tem graça

  1. 1. Bullying, substantivo nascido do adjetivo,bully, que significa valentão. Em seu piorsentido da palavra. Esta palavra deorigem inglesa denomina um dos grandesproblemas enfrentados pelas escolas nosdias de hoje, a perseguição contra osdiferentes, sejam fisicamente, racialmenteou intelectualmente.
  2. 2. Esta perseguição pode envolverviolência física ou psicológica egeralmente é exercida por pequenosgrupos que elegem um aluno para servitima de suas covardias.
  3. 3. Mas o que leva uma criança ouadolescente a sentir prazer em maltratarum ser humano?Segundo a psiquiatra Ana Beatriz BarbosaSilva, estas crianças podem ser divididasem quatro grupos:
  4. 4. • Primeiro grupo - Crianças sem limites em casa, geralmente causada pela ausência dos pais, que procuram compensar esta falta não dando limites aos filhos.
  5. 5. • Segundo grupo - Crianças que não possuem um exemplo de tolerância vindo da família, sendo comum pais violentos e que externam seus preconceitos.
  6. 6. • Terceiro grupo - Crianças que mudam repentinamente de personalidade e que podem estar sendo influenciadas pelo grupo
  7. 7. Nestes três tipos de crianças, cabe aospais observar e conversar com os filhos ese necessário procurar ajuda profissional,que pode ser um orientador, um psicólogoou um terapeuta.
  8. 8. No quarto grupo se encontram aquelascrianças com natureza perversa que apesarde serem poucos entre os bullies, estascrianças geralmente desde cedo nãodemonstram comoção ao ver um sofrimentode um animal, não sendo raro torturar osmesmos por um prazer sádico. Este grupo de crianças são os casos demaior dificuldades e que necessitam deacompanhamento terapêutico por longotempo.
  9. 9. Qual o papel da escola na prevenção aobullying?Estudos indicam que as escolas devemagir antes do bullying , isto pode ser feitoadotando algumas práticas, tais como:
  10. 10. Desenvolver tanto nos professores quanto nos demais profissionais um olhar mais observador, capaz de perceber os sinais de violência.Adotar uma maior supervisão nos pátios e em sala de aula, principalmente nos intervalos.Punir os agressores. Assessorar as vitimas .
  11. 11. transformar os espectadores da violência em aliados.Na sala de aula, não deixar o tratamento por apelidos. Evitar a formação de “panelinhas” entre os alunos.incentivar a relação entre as pessoas.
  12. 12. Na escola e em sala de aula deve-se promover debates, envolvendo os temas:Violência,Multiculturalismo.Respeito mútuo.Relações humanas.
  13. 13. Outra postura importante é evitar que osprofissionais da escola usem atosagressivos, verbais ou não, entre si oupara com os alunos. Dando assimexemplo aos jovens.
  14. 14. O psicólogo e professor Dan Olweus,pioneiro no estudo do bullying nos ensinaque os bullies (praticantes de bullying)possuem determinados comportamento,que nos permite identificar potenciaisagressores.
  15. 15. Em casaVolta da escola com as roupas amarrotadas e exibe um certo ar de superioridade.Apresenta atitude desafiante e hostil com pais e irmãos.É habilidoso para sair-se bem em situações complicadas.
  16. 16. Tenta exteriorizar sua autoridade sobre alguém frágil.Porta objetos ou dinheiro sem justificar a origem.
  17. 17. Na escolaFaz brincadeiras ou gozações com os colegas diariamente.Coloca apelidos pejorativos ou prefere chamar os colegas pelo nome e sobrenome.Insulta, menospreza, ridiculariza e difama sem culpa.
  18. 18. Faz ameaças, dá ordens, domina e subjuga os tímidos.Incomoda, intimida, empurra, picha, bate, dá socos, pontapés, beliscões, puxa os cabelos, envolve-se em discussões e desentendimentos.Pega materiais, dinheiro, lanche e outros pertences dos colegas sem consentimento.
  19. 19. As conseqüências para as vítimas do bullyingsão graves e abrangentes, promovendo noâmbito escolar o desinteresse pela escola, odéficit de concentração e aprendizagem, aqueda do rendimento, o absentismo e aevasão escolar.
  20. 20. No âmbito da saúde física e emocional, abaixa na resistência imunológica e na auto-estima, o stress, os sintomas psicossomáticos,transtornos psicológicos, não raramentecausando depressão e levando ao suicídio.
  21. 21. "Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais“. Artigo 5º do estatuto da Criança e do AdolescenteFontes:Bullying: mentes perigosas na escola. SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.Revista Claudia – Janeiro 2011 – Editora Abril - Pp93 a 95.FANTE, Cléo. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas, SP: Verus, 2005.

×