Td para estudo em grupo concurso ufca

976 visualizações

Publicada em

TD para grupo de estudo do concurso da UFCA

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
976
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
560
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Td para estudo em grupo concurso ufca

  1. 1. LÍNGUA PORTUGUESA – Ana Cleide LÍNGUA PORTUGUESA – Ana Cleide Leia o texto a seguir e responda às questões 1 e 2. Defendendo o passado-vivo no presente, já publiquei aqui uma análise do precursor do Computador, o Livro, que muitos julgam extinto: L.I.V.R.O. Local de Informações Variadas, Reutilizáveis e Ordenadas. É um insuperável conceito de tecnologia de informação. L.I.V.R.O. não tem fios nem baterias. Não é conectado a nada e facílimo de usar - qualquer criança pode operá-lo. Basta abri-lo. É formado por sequência de páginas numeradas, com milhares ou milhões de informações. As páginas são unidas por sistema de lombadas, que as mantém automaticamente em sequência correta. Dados inseridos nas duas faces da folha duplicam a quantidade de dados e reduzem custos. Um simples movimento de dedo permite o acesso instantâneo à próxima página. Nunca apresenta “erro geral de digitação” nem precisa ser “reinicializado”. E a informação fica exatamente no local em que você a deixou mesmo com o L.I.V.R.O. fechado. A compatibilidade dos marcadores de página é total, permitindo que funcionem em qualquer modelo sem necessidade de configuração. (FERNANDES, M. Pré - e - pós maravilhas. Veja. São Paulo: 9 abr. 2008. p. 29.) 1ª) De acordo com o texto, assinale a alternativa que apresenta elementos comuns ao LIVRO e ao outro objeto ao qual ele é contraposto. a) Informações, páginas, marcadores. b) Bateria, páginas, dados. c) Dados, reinicializado, configuração. d) Digitação, lombadas, compatibilidade. e) Lombadas, folha, marcadores. 2ª) Sobre o texto, considere as afirmativas a seguir. I. O texto destaca a variedade de informações sobre os demais atributos apresentados pelo acrônimo L.I.V.R.O. II. O autor apresenta várias qualidades do livro, porém reconhece a sua inevitável superação pelo computador. III. Para valorizar o livro, o autor o contrapõe a atributos negativos do computador. IV. O recurso ao acrônimo tem por finalidade apresentar um objeto já conhecido sob uma nova perspectiva. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. Leia o texto a seguir e responda às questões de 3 a 5. 3ª) O texto faz parte da propaganda de um dicionário de língua portuguesa. Sobre as marcas de correção presentes no texto, assinale a alternativa correta. a) Trata-se de retificações, no plano semântico, das palavras do léxico brasileiro. b) Referem-se às alterações ortográficas a serem feitas na língua portuguesa. c) São correções necessárias para a modificação da pronúncia dessas palavras. d) São parte das mudanças sintáticas que deverão ocorrer em breve no Português. e) Configuram sugestões de correção para que o texto se torne mais coeso.
  2. 2. LÍNGUA PORTUGUESA – Ana Cleide 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 4ª) Sobre cada uma das marcações feitas no texto, considere as afirmativas a seguir. I. A palavra “idéia” perderá o acento, visto que haverá alteração no timbre dessa palavra cujo ditongo aberto passará a ser fechado. II. Em “tranqüilo”, a eliminação do trema implicará alteração na pronúncia, aproximando-a da palavra “aquilo”. III. “Pára” perderá o acento que o diferencia de “para”, o que exigirá do leitor a observação do contexto para a correta distinção desses vocábulos. IV. Quanto a “auto-suficiente”, o acréscimo do “s” visa manter a pronúncia original de “suficiente” quando este se juntar ao prefixo “auto” sem a presença do hífen. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. 5ª) Levando-se em conta que o texto é dirigido a um potencial comprador do dicionário anunciado, assinale a alternativa correta quanto à sua construção. I. O anúncio, ao dirigir-se ao leitor, reforça a finalidade persuasiva própria do gênero anúncio publicitário. II. A segunda frase pressupõe desconhecimento, por parte do leitor, do conteúdo das mudanças referidas na pergunta lançada anteriormente. III. O uso do modo imperativo, comum em anúncios publicitários, está contrariando a norma padrão do Português, por misturar pessoas verbais. IV. Os adjetivos presentes no anúncio publicitário conferem ao texto maior cientificidade. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. A FLOR NO ASFALTO (Otto Lara Resende) Conheço essa estrada genocida, o começo da Rio- Petrópolis. Duvido que se encontre um trecho rodoviário ou urbano mais assassino do que esse. São tantos os acidentes que já nem se abre inquérito. Quem atravessa a avenida Brasil quer morrer. Se morre, ninguém liga. Aparece aquela velinha acesa, o corpo é coberto por uma folha de jornal e pronto. Não se fala mais nisso. Teria sido o destino de dona Creusa, se não levasse nas entranhas a própria vida. Na pista que vem para o Rio, a 20 metros da passarela de pedestres, dona Creusa foi apanhada por uma Kombi. O motorista tentou parar e não conseguiu. Em seguida veio outro carro, um apolo, e sobreveio o segundo atropelamento. A mesma vítima. Ferida, o ventre aberto pelas ferragens, deu-se aí o milagre. Dona Creusa estava grávida e morreu na hora. Mas no asfalto, expelida com a placenta, apareceu uma criança. Coberta a mãe com um plástico azul, um estudante pegou o bebê e o levou para o acostamento. Nunca tinha visto um parto na sua vida. Entre os curiosos, uma mulher amarrou o umbigo da recém-nascida. Uma menina. Por sorte, vinha vindo uma ambulância. Depois de chorar no asfalto, o bebê foi levado para o hospital de Xerém. Dona Creusa, aos 44 anos, já era avó, mãe de vários filhos e viúva. Pobre, concentração humana de experiências e de dores, tinha pressa de viver. E era uma pilha carregada de vida. Quem devia estar ali era sua nora Marizete. Mas dona Creusa se ofereceu para ir no seu lugar porque, grávida, não pagava a passagem. Com o dinheiro do ônibus podia comprar sabão. Levava uma bolsa preta, com um coração de cartolina vermelha. No cartão estava escrito: quinta-feira. Foi o dia do atropelamento. Apolo é o símbolo da vitória sobre a violência. Diz o poeta Píndaro que é o deus que põe no coração o amor da concórdia. No hospital, sete mães disputaram o privilégio de dar de mamar ao bebê. A vida é forte. E bela, apolínea, apesar de tudo. Por que não? (Folha de S. Paulo, 30 maio1992.)
  3. 3. LÍNGUA PORTUGUESA – Ana Cleide 6ª) Pode-se afirmar que o texto apresenta características de: a)um conto b)uma descrição c)uma dissertação d)uma crônica e)um apólogo 7ª)Infere-se do texto que a)o autor se preocupa mais com a descrição do ambiente b)os curiosos conheciam dona Creusa c)A vida é difícil mas vale a pena viver d)Dona Creusa estava acompanhada de um neto e)A vítima era desatenta 8ª) Conforme o seu uso no texto, as palavras sublinhadas têm a sua significação corretamente indicada na alternativa: a) “Conheço essa estrada genocida” linha 01 (concorrida) b) “se não levasse nas entranhas a própria vida” linha 05 (seios) c) “expelida com a placenta, apareceu uma criança” linha 09 (posta para dentro) d) “pegou o bebê e o levou para o acostamento” linha 10 (calçada) e) “que põe no coração o amor da concórdia” linha 18 (harmonia) 9ª) Em “Nunca tinha visto um parto na sua vida.” linhas (10 e 11) O trecho refere-se: a) ao autor b) ao estudante c) à dona Creusa d) a uma mulher e) a Marizete 10ª) Com “deu-se aí o milagre” linha (08), entende-se que: a)dona Creusa ainda demorou para morrer b)mesmo com o ventre aberto a mãe salvou o bebê c)o bebê saiu do ventre vivo após dois atropelamentos d)veio uma ambulância no momento do acidente e)um estudante salvou o bebê 11ª) O autor empregou no sentido conotativo a palavra: a) “inquérito” linha (02) d) “pista” linha (05) b) “plástico” linha (10) e) “pilha” linha (14) c) “mamar” linha (19) 12ª) “Mas dona Creusa se ofereceu para ir no seu lugar porque, grávida não pagava passagem. Com o dinheiro do ônibus podia comprar sabão.” linhas (15 e 16) Pela compreensão do trecho, podemos afirmar que foi estabelecida uma relação sintático-semântico de: a)oposição b)consequência c)finalidade d)conformidade e)proporção 13ª) Como “assassino” linha (02) as palavras estão corretamente grafadas em: a)impecílio, jeito, desinteria, ensosso b)exceção, disenteria, maisena, insosso c)anlizar, desinteria, empecilho, insoço d)misto, gesto, tijela, ensoço e)lagarticha, anciedade, excesso, inçosso 15ª) Como “privilégio”, linha (19) a acentuação gráfica da palavra sublinhada está correta na frase: a)Todos têm o direito de ir e vir. b)Daqui, eles vêem o palco. c)Procuro a núvem colorida. d)Elas têem medo de escuro. e)A melância está madura. Feias, sujas e imbatíveis (Fragmento) As baratas estão na Terra há mais de 200 milhões de anos, sobrevivem tanto no deserto como nos polos e podem ficar até 30 dias sem comer. Vai encarar? Férias, sol e praia são alguns dos bons motivos para comemorar a chegada do verão e achar que essa é a melhor estação do ano. E realmente seria, se não fosse por um único detalhe: as baratas. Assim como nós, elas também ficam bem animadas com o calor. Aproveitam
  4. 4. LÍNGUA PORTUGUESA – Ana Cleide a aceleração de seus processos bioquímicos para se reproduzirem mais rápido e, claro, para passearem livremente por todos os cômodos de nossas casas. Nessa época do ano, as chances de dar de cara com a visitante indesejada, ao acordar durante a noite para beber água ou ir ao banheiro, são três vezes maiores. (Revista Galileu. Rio de Janeiro: Globo, Nº 151, Fev. 2004, p.26. ) 15ª) No trecho “Vai encarar?” (l.2), o ponto de interrogação tem o efeito de a) apresentar. b) avisar. c) desafiar. d) questionar. e) amedrontar 16ª) É possível elaborar um texto novo a partir de um texto já existente. É assim que os textos "conversam" entre si. É comum encontrar ecos ou referências de um texto em outro. Observe o trecho da música Bom conselho, de Chico Buarque: Eu semeio vento na minha cidade/ Vou pra rua e bebo a tempestade. Comparando esse trecho ao provérbio popular, “Quem semeia vento, colhe tempestade”, temos um exemplo de: a) Sinonímia b) Polissemia c) Hiperonímia d) Intertextualidade e) Inferência 17ª) Analise os textos abaixo. 1 - Em “Maria mente” e “Maria tem uma mente privilegiada” temos um exemplo de palavras _________. 2 - As palavras “esquecimento” e “memorização” podem ser consideradas _________. 3 - As palavras “presente” e “paciente” são exemplos de palavras _________. 4 - As palavras “episódio” e “acontecimento” podem ser consideradas _________. 5. “Retificar” e “ratificar” são exemplo de palavras _________. Assinale a alternativa que preenche, de forma sequencial e correta, as lacunas. a) antônimas ; homônimas ; polissêmicas ; sinônimas ; parônimas b) sinônimas ; polissêmicas ; parônimas ; homônimas ; antônimas c) homônimas ; antônimas ; sinônimas ; polissêmicas ; parônimas d) polissêmicas ; homônimas ; antônimas ; parônimas ; sinônimas e) homônimas ; antônimas ; polissêmicas ; sinônimas ; parônimas 18ª) Assinale a opção em que o verbo contar é empregado com o mesmo sentido que apresenta em - “ainda não se podiam contar”. a) comece a contar até dez e depois trate de correr; b) mesmo sem contar que somos amigos, eu lhe daria o emprego; c) ao morrer, Castro Alves contava menos de vinte e cinco anos; d) não tenho condições de contar toda a história detalhadamente; e) contava nunca mais tornar a vê-lo. 19ª) Assinale a opção em que o vocábulo mais equivale a “outra vez “ou “de novo”: a) “no outro dia não voltou mais para trabalhar para aquele homem; b) “desceu mais, não queria que o vissem assim como estava” ; c) “e quanto mais andava mais tinha vontade”; d) “quis correr para que não o visse, mas não o fez, chegou-se mais para perto:” e) “não era um pobre seleiro de beira de estrada, era mais que um oficial, de bagaceira de engenho” Esparadrapo Há palavras que parecem exatamente o que querem dizer. “Esparadrapo”, por exemplo. Quem quebrou a cara fica mesmo com cara de esparadrapo. No entanto, há outras, aliás de nobre sentido, que parecem estar insinuando outra coisa. Por exemplo, “incunábulo* “ Mário.Quintana *Incunábulo: [do lat. Incunabulu; berço]. Adj. 1- Diz-se do livro impresso até o ano de 1500./ S.m. 2 – Começo, origem. 20ª) A locução “No entanto” tem importante papel na estrutura do texto. Sua função resume-se em a) ligar duas orações que querem dizer exatamente a mesma coisa. b) separar acontecimentos que se sucedem cronologicamente. c) ligar duas observações contrárias acerca do mesmo assunto. d) apresentar uma alternativa para a primeira ideia expressa. e) introduzir uma conclusão após os argumentos apresentados

×