Sexo e obsessão

635 visualizações

Publicada em

Palestra realizada no Centro Espírita Bezerra de Menezes

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
635
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sexo e obsessão

  1. 1. Sexo e Obsessão
  2. 2. Influência dos espíritos “Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? Resposta: Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.” L. E. pergunta 456
  3. 3. Definição da palavra: Obsessão “Do latim, obsessione. Impertinência, perseguição, vexação. Preocupação com determinada ideia, que domina doentiamente o espírito, e resultante ou não de sentimentos recalcados; ideia fixa; mania.” Fonte: Dicionário Aurélio
  4. 4. A Obsessão: “(...)Domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Nunca praticada senão pelos Espíritos inferiores, que procuram dominar.” “A obsessão consiste na tenacidade de um Espírito do qual não se consegue desembaraçar”. , O Livro dos Médiuns, item 237 “(...) É a ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta características muito diversas, desde a simples influencia moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais”. O Evangelho Seg. o Espiritismo Cap. XXVIII - 81
  5. 5. Obras Póstumas – Cap. VII – Item 56 • “Quando um Espírito, bom ou mau, quer atuar sobre um indivíduo, envolve-o, por assim dizer, no seu perispírito, como se fora um manto.”
  6. 6. O Livro dos Médiuns “São sempre os Espíritos inferiores que procuram dominar, pois os bons não exercem nenhum constrangimento. Os bons aconselham, combatem a influência dos maus, e se não os escutam preferem retirar-se. Os maus, pelo contrário, agarram-se aos que conseguem prender. Se chegarem a dominar alguém, identifica-se com o Espírito da vítima e a conduzem como se faz com uma criança”.
  7. 7. Como ocorre? “ Justapondo-se sutilmente cérebro a cérebro, mente a mente, vontade dominante sobre vontade que se deixa dominar, órgão a órgão, através do perispírito pelo qual se identifica com o encarnado, a cada cessão feita pelo hospedeiro, mais coercitiva se faz a presença do hóspede, que se transforma em parasita insidioso (...)” MIRANDA,Manoel Philomeno, Nos Bastidores da Obsessão.
  8. 8. A Sintonia “ Referimo-nos à identificação de idéias e propósitos, que certos indivíduos percebem noutros, passando a receber-lhes o magnetismo e deixando-se impregnar.” Joanna De Ângelis - Fonte De Luz, Influenciações Sutis.
  9. 9. obsessão simples “A obsessão simples verifica-se quando um Espírito malfazejo se impõe a um médium, intromete-se contra a sua vontade nas comunicações que ele recebe, o impede de se comunicar com outros Espíritos e substitui os que são evocados”.
  10. 10. A Fascinação “A fascinação tem consequências muito mais graves. Trata-se de uma ilusão criada diretamente pelo Espírito no pensamento do médium e que paralisa de certa maneira a sua capacidade de julgar as comunicações. O médium fascinado não se considera enganado. O Espírito consegue inspirar-lhe uma confiança cega, impedindo-o de ver a mistificação e de compreender o absurdo do que escreve, mesmo quando este salta aos olhos de todos”. O Livro dos Médiuns - item 239.
  11. 11. A Subjulgação “A subjugação é um envolvimento que produz a paralisação da vontade da vítima, fazendo-a agir malgrado seu. Esta se encontra, numa palavra, sob um verdadeiro jugo. A subjugação pode ser moral ou corpórea. No primeiro caso, o subjugado é levado a tomar decisões frequentemente absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão considera sensatas: é uma espécie de fascinação. No segundo caso, o Espírito age sobre os órgãos materiais, provocando movimentos involuntários. No médium escrevente produz uma necessidade incessante de escrever, mesmo nos momentos mais inoportunos”. O Livro dos médiuns – item 240
  12. 12. Quanto ao elemento obsessor, ou seja, quanto a quem é o obsessor. Desta forma temos, a obsessão: De encarnado para encarnado: É a obsessão realizada entre seres encarnados, através do domínio mental e até mesmo físico. Esse domínio muitas vezes é mascarado pelos termos ciúme, proteção, paixão, e até mesmo, o que é pior, amor. Acontece também sob o império do ódio ou outros sentimentos inferiores, como vingança, orgulho ferido etc. Desencarnado para desencarnado: Há Espíritos que obsidiam Espíritos. É a prova de que os sentimentos não mudam só pelo ato do desencarne. Quando um homem é de nível inferior, evolutivamente falando, será também, até que mude de postura, Espírito inferior. Há nas relações entre Espíritos verdadeiras relações de domínio de um em relação a outros que se acham em desvantagem.
  13. 13. De encarnado para desencarnado: Acontece quando criaturas desavisadas ligam-se obstinadamente aos entes queridos que desencarnaram antes, fincando a elas jungidas seja pela revolta ante o fato, ou por sentimento de perda. É fruto do amor egoísta e possessivo que domina nosso ambiente planetário, agravado ainda pela falta de informação e consciência de culpa, ou ainda pelo sentimento de ódio, inveja ou vingança. De desencarnado para encarnado: Esse é o mais conhecido, e o que tratamos mais comumente. O fator vigilância, para o obsedado, é de suma importância, porquanto o obsessor desencarnado leva vantagem de nem sempre ser visto ou percebido, agindo assim com mais tranquilidade, pois, ao contrário, tudo vê e percebe.
  14. 14. Fatores desencadeantes: • Vingança • Simples desejo de fazer o mal – Sintonia • Orgulho • Os vícios
  15. 15. TÁTICA DAS 4 FRAGILIDADES HUMANAS “Trilhas da Libertação” 1ª - “o homem- redefiniu o novo Soberano das trevas – é um animal sexual que se compraz no prazer, deve ser estimulado ao máximo”. 2ª - “o narcisismo é filho predileto do egoísmo e pai do orgulho, da vaidade, inerentes ao ser humano. 3º - “o poder tem prevalência em a natureza humana (...) O poder é alçapão que não poupa quem quer que lhe caia na trama”.
  16. 16. 4º - “o dinheiro, que compra vidas e escraviza almas, será excelente recurso decisivo”. “(...) Quem poderá resistir a essas quatro legítimas verdades?” MIRANDA, Manoel Philomeno, Trilhas da Libertação,
  17. 17. A questão do sexo (...)“Graças à conduta moral em cada polaridade, mais fácil se lhe torna, quando edificante, escolher o próximo cometimento. No entanto, quando se permite corromper ou desviar-se do rumo das suas funções, gera perturbações emocionais e psíquicas que lhe impõem duros processos de recuperação, de que não se pode furtar com facilidade. A correta aplicação das forças genésicas propicia ao Espírito alegria de viver e entusiasmo no desempenho das tarefas que lhe dizem respeito, constituindo-se emulação para o progresso e a felicidade”. Sexo e Obsessão – Manoel Philomeno de Miranda
  18. 18. Causas de desequilíbrio Sexual: Vidas passadas: (...) “em razão das disfunções e dos desconsertos que ocorrem em muitas vidas como resultado das experiências atormentadas próximas ou remotas, que lhes geraram desequilíbrios e inarmonias, hoje refletidos em seu comportamento.(....) Excessos da liberação sexual: Como decorrência da nobre proposta, a liberação sexual, exagerando as suas licenças morais, vem trazendo transtornos graves e desarmonias profundas em muitos indivíduos que vivem conflitivamente em razão das dificuldades para se adaptarem às exigências comportamentais do momento”.
  19. 19. Banalização do sexo: “Vive-se, na Terra, a hora do sexo. O sexo vive na cabeça das pessoas, parecendo haver saído da organização genésica onde se sedia. Naturalmente, o pensamento é força atuante e desencadeadora da função sexual. Estimulo sexual excessivo: Reduzir o indivíduo apenas às imposições reais ou estimuladas do sexo em desalinho, conforme vem acontecendo, é transformá-lo em escravo de uma função pervertida pela mente e atormentada pelas fantasias mórbidas”.
  20. 20. Promiscuidade: O sexo, mal conduzido, em razão do envolvimento emocional e das dilacerações espirituais que produz em outrem, como naquele que o utiliza mal, abre campo para terríveis conúbios obsessivos, ao mesmo tempo que, praticado de forma vil atrai Espíritos igualmente atormentados e doentes que se vinculam ao indivíduo, levando-o a processos de parasitose terrível e de difícil libertação. Desvios sexuais, aberrações nas práticas do sexo, condutas extravagantes e desarticuladoras das funções estabelecidas pelas Leis da Vida, geram perturbações de longo curso, que não se recompõem com facilidade, senão ao largo de dolorosas reencarnações expungitivas e purificadoras.
  21. 21. O perigo do Sexo...
  22. 22. Consequências infelizes: “Todas essas condutas arbitrárias fixaram-se nos tecidos sutis do perispírito, impondo necessidades falsas, que agora os pacientes procuram atender, ampliando o complexo campo de problemas íntimos”.
  23. 23. Combate á Obsessão O livro dos Médiuns 249. “Os meios de combater a obsessão variam, segundo as características de que ela se reveste(...) Duas medidas essenciais devem ser tomadas pelo médium nesse caso: provar ao Espírito que não foi enganado por ele e que será impossível deixar-se enganar; segundo, cansar-lhe a paciência, mostrando-se mais paciente do que ele. Quando se convencer de que perde o seu tempo, acabará por se retirar, como o fazem o importuno a quem não se escuta”.
  24. 24. A desobsessão “é técnica espírita especializada para libertar as mentes que se interdependem, no comércio infeliz da submissão espiritual. Especialmente aplicada nos fenômenos que caracterizam a dominação de um Espírito sobre um ser encarnado, ela se apoia em dois elementos essenciais: •o esclarecimento do vingador que cobra por ignorância ou perversidade os delitos do passado. •a renovação moral do devedor, a vítima atual – que se transferiu da situação de algoz de ontem para a de devedor de hoje”. •Manoel Philomeno de Miranda
  25. 25. É preciso ... • Estudar: “O Estudo Doutrinário propiciará importantes conquistas que funcionarão como ferramentas facilitadoras da ação para o êxito (...). • Fazer a reforma íntima: “As imperfeições morais do obsidiado constituem, frequentemente, um obstáculo à sua libertação”. Kardec- Allan – O Livro dos Médiuns item 24
  26. 26. Palavras Finais “Ninguém se engane quanto aos compromissos do sexo perante a vida e cuide de não enganar a outrem. Cada um responde sempre pelo que inspira e pelo que faz. O sexo não foi elaborado para o prazer vulgar, senão para as emoções superiores na construção das vidas, ou para as sensações compensativas quando amparado pelas dúlcidas vibrações do amor,

×