SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Lei de destruição O Livro dos Espíritos  "Primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é necessário civilizar o homem em relação a natureza e aos animais." Victor Hugo
Destruição necessária
Destruição excessiva
Qual é a potência da destruição que há em mim?
Guerras Perg. 742: Qual é a causa que leva o homem à guerra? Predominância da natureza selvagem sobre a espiritual e satisfação das paixões. No estado de barbárie, os povos conhecem apenas o direito do mais forte; é por isso que a guerra é para eles um estado normal. Contudo, à medida que o homem progride, ela se torna menos frequente, porque evita as suas causas, e quando é inevitável sabe aliar à sua ação o sentimento de humanidade.
Minha Guerra Pessoal
Assassinato Perg.746: O assassinato é um crime aos olhos de Deus? – Sim, um grande crime; porque aquele que tira a vida de seu semelhante corta uma vida de expiação ou de missão, e aí está o mal.
Quantas pessoas já matamos?Quantas relações já exterminamos?
Suicídio Moral “Pois o que aproveitará o homem, se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida ou causar dano a si mesmo?” (Lucas, 9:25; Marcos, 8:36.)
Crueldade Perg. 752:  Pode-se ligar o sentimento de crueldade ao instinto de destruição? 	A crueldade é o que tem de pior no instinto de destruição. A destruição constitui uma necessidade. Mas, o mesmo não se dá com a crueldade, que  é sempre resultado de uma natureza má.	A crueldade é consequência do atraso no desenvolvimento do senso moral. Tanto no homem cruel como nos selvagens, embora o possuam, o senso moral se encontra em estado rudimentar. À medida que vão desenvolvendo este  senso, neutralizam os instintos materiais, tornando-se bons e humanos
Será que sou cruel? Que se compraz em fazer sofrer ou ver sofrer: tirano cruel. Que demonstra crueldade: sorriso cruel. Implacável, rigoroso: destino cruel. Que causa sofrimento doloroso: perda cruel. Atroz, bárbaro, feroz, inexorável, pungente.
Duelo Perg.757: O duelo pode ser considerado como legítima defesa? Não; é um assassinato e um costume absurdo, digno de bárbaros.
Duelo nos dias de hoje... Perg. 759 : Qual é o valor do que se chama ponto de honra em matéria de duelo? Orgulho e vaidade: duas chagas da humanidade.
Pena de Morte Defender a pena de morte é se opor a tudo o que nos ensina a doutrina Espírita: Imortalidade da alma; Evolução dos espíritos Perdão Poder transformador da educação Todos nós merecemos uma segunda chance!
O duelo – E.S.E. Cap III, item 12    “Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aos outros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde: erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossa fronte também não recearia ser coroada de espinhos, a exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer participar de um assassinato autorizado, podemos dizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais é senão orgulho e amor próprio.”  Santo Agostinho
O bom uso da Lei de Destruição
O espiritismo é o melhor remédio para a violência!
Prece por um criminoso Senhor, Deus de misericórdia, não repilas esse criminoso que acaba de deixar a Terra. A justiça dos homens o castigou, mas não o isentou da tua, se o remorso não lhe penetrou o coração. Tira-lhe dos olhos a venda que lhe oculta a gravidade de suas faltas. Possa o seu arrependimento merecer de ti acolhimento benévolo e abrandar os sofrimentos de sua alma! Possam também as nossas preces e a intercessão dos bons Espíritos levar-lhe esperança e consolação; inspirar-lhe o desejo de reparar suas ações más numa nova existência e dar-lhe forças para não sucumbir nas novas lutas em que se empenhar! Senhor, tem piedade dele! O Evangelho Segundo o Espiritismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdadeSegundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
CeiClarencio
 
Instinto e inteligência
Instinto e inteligênciaInstinto e inteligência
Instinto e inteligência
Shantappa Jewur
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
meebpeixotinho
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
CeiClarencio
 

Mais procurados (20)

Lei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma BadanLei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma Badan
 
Lei de trabalho
Lei de trabalhoLei de trabalho
Lei de trabalho
 
Inteligência e instinto
Inteligência e instintoInteligência e instinto
Inteligência e instinto
 
Suicidio na visão espirita
Suicidio  na visão espiritaSuicidio  na visão espirita
Suicidio na visão espirita
 
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdadeSegundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
 
Instinto e inteligência
Instinto e inteligênciaInstinto e inteligência
Instinto e inteligência
 
Os tormentos voluntários
Os tormentos voluntáriosOs tormentos voluntários
Os tormentos voluntários
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
Genese cap 01 de 1 a 29
Genese cap 01  de 1 a 29Genese cap 01  de 1 a 29
Genese cap 01 de 1 a 29
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
 

Semelhante a Lei de destruição livro dos espíritos 2011

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntasLei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx
Marta Gomes
 
O Veneno da Traição
O Veneno da TraiçãoO Veneno da Traição
O Veneno da Traição
Carlos Correa
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
Marta Gomes
 
Palestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos TerrestresPalestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos Terrestres
cab3032
 
Palestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos TerrestresPalestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos Terrestres
cab3032
 

Semelhante a Lei de destruição livro dos espíritos 2011 (20)

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntasLei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx
 
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Pena de morte
 
O mundo invisivel e a guerra parte I
O mundo invisivel e a guerra   parte IO mundo invisivel e a guerra   parte I
O mundo invisivel e a guerra parte I
 
Livro dos Espiritos Q.746a751 e ESE cap9_item7
Livro dos Espiritos Q.746a751 e ESE cap9_item7Livro dos Espiritos Q.746a751 e ESE cap9_item7
Livro dos Espiritos Q.746a751 e ESE cap9_item7
 
O Veneno da Traição
O Veneno da TraiçãoO Veneno da Traição
O Veneno da Traição
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
 
LE - Questao 176 e EV cap12 item11
LE - Questao 176 e EV cap12 item11LE - Questao 176 e EV cap12 item11
LE - Questao 176 e EV cap12 item11
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
 
LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15
 
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Boletim 220613
Boletim   220613Boletim   220613
Boletim 220613
 
A crueldade
A crueldadeA crueldade
A crueldade
 
A crueldade
A crueldadeA crueldade
A crueldade
 
Boletim Deus Cristo e Caridade - Agosto/2014
Boletim Deus Cristo e Caridade - Agosto/2014Boletim Deus Cristo e Caridade - Agosto/2014
Boletim Deus Cristo e Caridade - Agosto/2014
 
As armas da nossa milícia
As armas da nossa milíciaAs armas da nossa milícia
As armas da nossa milícia
 
Palestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos TerrestresPalestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos Terrestres
 
Palestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos TerrestresPalestra Penas E Gozos Terrestres
Palestra Penas E Gozos Terrestres
 
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
 

Mais de Ana Cláudia Leal Felgueiras

Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao SobrenaturalLivro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 

Mais de Ana Cláudia Leal Felgueiras (20)

O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
 
Espiritismo no mundo
Espiritismo no mundoEspiritismo no mundo
Espiritismo no mundo
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
 
Gratidão
GratidãoGratidão
Gratidão
 
Parábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos LugaresParábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos Lugares
 
Parábola das Bodas
Parábola das BodasParábola das Bodas
Parábola das Bodas
 
Ovelha Perdida
Ovelha PerdidaOvelha Perdida
Ovelha Perdida
 
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de JaneiroCongresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
 
Sexo e obsessão
Sexo e obsessãoSexo e obsessão
Sexo e obsessão
 
Lei de reprodução
Lei de reproduçãoLei de reprodução
Lei de reprodução
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
 
Resposta sexo
Resposta sexoResposta sexo
Resposta sexo
 
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens...""Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
 
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao SobrenaturalLivro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
 
História do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no BrasilHistória do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no Brasil
 
Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?
 
Pluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadosPluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitados
 
Ananias e Saulo
Ananias e SauloAnanias e Saulo
Ananias e Saulo
 
Se quisesse
Se quisesseSe quisesse
Se quisesse
 
Tipos de mediunidade
Tipos de mediunidadeTipos de mediunidade
Tipos de mediunidade
 

Último (7)

ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 

Lei de destruição livro dos espíritos 2011

  • 1. Lei de destruição O Livro dos Espíritos "Primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é necessário civilizar o homem em relação a natureza e aos animais." Victor Hugo
  • 4. Qual é a potência da destruição que há em mim?
  • 5. Guerras Perg. 742: Qual é a causa que leva o homem à guerra? Predominância da natureza selvagem sobre a espiritual e satisfação das paixões. No estado de barbárie, os povos conhecem apenas o direito do mais forte; é por isso que a guerra é para eles um estado normal. Contudo, à medida que o homem progride, ela se torna menos frequente, porque evita as suas causas, e quando é inevitável sabe aliar à sua ação o sentimento de humanidade.
  • 7. Assassinato Perg.746: O assassinato é um crime aos olhos de Deus? – Sim, um grande crime; porque aquele que tira a vida de seu semelhante corta uma vida de expiação ou de missão, e aí está o mal.
  • 8. Quantas pessoas já matamos?Quantas relações já exterminamos?
  • 9. Suicídio Moral “Pois o que aproveitará o homem, se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida ou causar dano a si mesmo?” (Lucas, 9:25; Marcos, 8:36.)
  • 10. Crueldade Perg. 752: Pode-se ligar o sentimento de crueldade ao instinto de destruição? A crueldade é o que tem de pior no instinto de destruição. A destruição constitui uma necessidade. Mas, o mesmo não se dá com a crueldade, que é sempre resultado de uma natureza má. A crueldade é consequência do atraso no desenvolvimento do senso moral. Tanto no homem cruel como nos selvagens, embora o possuam, o senso moral se encontra em estado rudimentar. À medida que vão desenvolvendo este senso, neutralizam os instintos materiais, tornando-se bons e humanos
  • 11. Será que sou cruel? Que se compraz em fazer sofrer ou ver sofrer: tirano cruel. Que demonstra crueldade: sorriso cruel. Implacável, rigoroso: destino cruel. Que causa sofrimento doloroso: perda cruel. Atroz, bárbaro, feroz, inexorável, pungente.
  • 12. Duelo Perg.757: O duelo pode ser considerado como legítima defesa? Não; é um assassinato e um costume absurdo, digno de bárbaros.
  • 13. Duelo nos dias de hoje... Perg. 759 : Qual é o valor do que se chama ponto de honra em matéria de duelo? Orgulho e vaidade: duas chagas da humanidade.
  • 14. Pena de Morte Defender a pena de morte é se opor a tudo o que nos ensina a doutrina Espírita: Imortalidade da alma; Evolução dos espíritos Perdão Poder transformador da educação Todos nós merecemos uma segunda chance!
  • 15. O duelo – E.S.E. Cap III, item 12   “Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aos outros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde: erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossa fronte também não recearia ser coroada de espinhos, a exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer participar de um assassinato autorizado, podemos dizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais é senão orgulho e amor próprio.” Santo Agostinho
  • 16. O bom uso da Lei de Destruição
  • 17. O espiritismo é o melhor remédio para a violência!
  • 18. Prece por um criminoso Senhor, Deus de misericórdia, não repilas esse criminoso que acaba de deixar a Terra. A justiça dos homens o castigou, mas não o isentou da tua, se o remorso não lhe penetrou o coração. Tira-lhe dos olhos a venda que lhe oculta a gravidade de suas faltas. Possa o seu arrependimento merecer de ti acolhimento benévolo e abrandar os sofrimentos de sua alma! Possam também as nossas preces e a intercessão dos bons Espíritos levar-lhe esperança e consolação; inspirar-lhe o desejo de reparar suas ações más numa nova existência e dar-lhe forças para não sucumbir nas novas lutas em que se empenhar! Senhor, tem piedade dele! O Evangelho Segundo o Espiritismo