O guarda chuva do guarda

2.900 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.900
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.852
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O guarda chuva do guarda

  1. 1. A professora Cynthia escolheu trabalhar comsua turma o livro “O guarda chuva doguarda”. Pelo seu relato, podemos perceberque essa escolha não se deu de formaaleatória, mas também foi parte importantedo processo de ensino/aprendizagem; nessesentido, é necessário que o docente conheçabem o acervo que está à sua disposição.QUEIRÓS, Bartolomeu Campos de.Porque será que “todo marrecocarrega um mar”? Como a aranhaarranha? Quem disse que opernilongo tem pernalonga? E aserpente, anda mesmo atrás deserpente? Em baralhar edesembaralhar palavras, separare juntar, inventar... enfim! O livroO guarda-chuva do guarda ensinaque brincar com Palavras pode sermuito divertido!
  2. 2. Relato:“Optei pelo uso desse livro por ser ummaterial cujos textos são curtos, comletras de caixa alta, composto porpalavras de várias estruturas silábicas,bem como pela linguagem lúdica e pelojogo de palavras que o autor faz nospoemas que compõem o livro. Para mim,obras como essas são ricas e nos dãomuitas possibilidades de diversificar asatividades, principalmente, no trabalhocom apropriação do SEA e ortografia.Além disso, é necessário sistematizarsituações para aproximar os alunos deleiturasliterárias.”
  3. 3. Observamos abaixo o relato da professora com o uso daobra “O guarda-chuva do guarda”.Inicialmente, apresentei a obra,sinalizando as informações contidas nacapa (título, nome do autor, ilustradore editora). Logo após, fiz a leitura dasinopse do livro no intuito de anteciparalgumas informações acerca doconteúdo do livro. Ao voltar para acapa do livro, chamei atenção para otítulo “O guarda-chuva do guarda”, naTentativa de fazê-los perceber que apalavra GUARDA tinha sentidodiferente.
  4. 4. Alguns alunos, depois que explorei agravura, logo Disseram “tia tem oguarda- chuva e tem o guarda, opolicial”. A conversa inicial foi ganchopara relatar aos alunos que o livro faziaesse Jogo com as palavras, mudando osentido de uma mesma palavra nospoemas. Depois distribuí fotocópiasdos poemas para a turma e Solicitei aleitura silenciosa.
  5. 5. Após aquele momento, propus aleitura coletiva do texto. Em seguida,pedi que as crianças circulassem aspalavras que rimavam No poema.Logo após, incentivei os alunos apensarem que, mudando uma letrana palavra, muda toda a palavra. Umaluno respondeu: “eu posso trocarde lugar as letras A e O (na palavragato)”. A partir dessa resposta, apalavra PATO virou TOPA, a palavraRATO virou ROTA. Em outromomento, solicitei a formação denovas palavras, Ao trocar a letrainicial por uma nova letra.
  6. 6. Então, pedi que eles completassemas lacunas das palavras escritas noquadro. Essa atividade Demorou umpouco, pois os alunos tiveram queresgatar as palavras do seurepertório._ATO - FATO_ATO - MATO_ATO – JATOApós o trabalho de apropriação,resgatei uma estrofe do poema paratrabalhar o sentido da palavra PENA,no intuito de resgatar o jogo depalavras que O livro propõe e quehavia antecipado às crianças nocomeço da leitura.
  7. 7. •Os diferentes significados de palavraspresentes no texto, como por exemplo,PENA e GUARDA. Essa estratégia deleitura, explorada pela obra, foiressaltada, a fim de que as Criançasatentassem para a brincadeira comojogo de palavras que apresentam amesma grafia, mas sentidos diferentes.
  8. 8. • A fluência de leitura, quandopediu que os alunos lessemsozinhos e depois coletivamente.Lembramos que, para os alunosdesenvolverem a autonomia eagilidade na leitura, éfundamental que vivenciem,muito frequentemente, a leiturasilenciosa. Esse tipo de atividadepermite aos alunos pensaremsozinhos sobre ascorrespondências grafema-fonema.
  9. 9. • A reflexão sobre o SEA, aosolicitar que as criançasidentificassem as palavras queterminavam com o mesmo som,apontando para as semelhançasnas escritas das palavraselevando-as a perceber que,trocando algumas letras, ou umaletra, na palavra, muda-se o som econsequentemente a palavra.
  10. 10. Vale ressaltar que, quando acriança compreende a escritaalfabética, ela já apreende o modode funcionamento do sistema ecomeça a aprender diferentesrelações som-grafia. Mesmoavançando nessa últimaempreitada, ela ainda desconhecea norma ortográfica. Por essarazão, muitos erros ainda sãodetectados na produção escritados aprendizes.Pacto Nacional pela Alfabetização naIdade CertaAno 03 Unidade 03Formatado por:Ana Cláudia M. SantosOrientadora de estudos / Bom Repouso-MG

×