  Até 1870, não existia uma “Alemanha”. O que existia eram 39 paísesindependentes, sendo o maior deles a Prússia, que jun...
  Isso desperta um grande nacionalismo que gera o movimentoromântico e que vai contribuir decisivamente para reforçar ose...
   Depois de anos de conversações secretas com aInglaterra, Bismarck consegue fazer com que este paíspermita a unificação...
   A Alemanha só não era a maior potência do mundo porque não    tinha área colonial para expandir.   O final do século ...
   Panorama 1890 – 1913   Fim da era Bismarck:       Com a morte de Guilherme I, sobe ao trono da Alemanha        Guilh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Unificação alemã e italiana

1.590 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unificação alemã e italiana

  1. 1.  Até 1870, não existia uma “Alemanha”. O que existia eram 39 paísesindependentes, sendo o maior deles a Prússia, que juntos formavam aConfederação Germânica. Em 1830, a nobreza prussiana fez um movimento revolucionário, cujoobjetivo era a unificação. Como a Inglaterra e a Áustria não tinhaminteresse no surgimento de uma Alemanha unificada, eles impediram aunificação.Apesar do fracasso da revolução, se conseguiu uma vitória: a criação deuma zona de livre comércio entre esses países (Zollverein) Além de ter promovido um grande crescimento do comércio entre essespaíses, o Zollverein aumentou a aproximação entre esses países,revelando-lhes uma identidade comum, um sentimento“Pan-Germânico”.
  2. 2.  Isso desperta um grande nacionalismo que gera o movimentoromântico e que vai contribuir decisivamente para reforçar osentimento germânico nos povos desta região. Por isso, em 1848 estoura na Prússia uma revolução popularcom o intuito de promover a unificação. Essa revolução será combatida, mais umavez, pela Inglaterra e pela Áustria e, desta vez,a nobreza alemã se junta à esses países, paraevitar a formação de uma Alemanha com umgoverno popular. Em 1862, o rei da Prússia, Guilherme I, vaichamar Bismarck para ser o primeiro ministro e este vai por emprática seu plano para promover a unificação.
  3. 3.  Depois de anos de conversações secretas com aInglaterra, Bismarck consegue fazer com que este paíspermita a unificação alemã, sob duas promessas:  A Alemanha unificada nunca partiria para um processo imperialista.  A Alemanha unificada permitiria que a Inglaterra comercializasse seus produtos em território alemão, sem pagar impostos. No rastro da unificação alemã, a Itália vai se unificar, e este processo se completa quando, em 1871, Roma é invadida pelas tropas de unificação. A partir desta unificação, a Alemanha vai ter um crescimento exponencial e, no final do século XIX, ela já era a 2ª maior potência econômica da Europa e a 3ª do mundo. Para os alemães, a superioridade da raça alemã era a explicação para um crescimento tão rápido.
  4. 4.  A Alemanha só não era a maior potência do mundo porque não tinha área colonial para expandir. O final do século XIX foi marcado por várias disputas entre as grandes potências, geradas pela busca por colônias. Para resolver a disputa entre Portugal e Inglaterra e outras disputas entre os países, Bismarck sugeriu que se fizesse uma conferência entre os países, para definir os limites coloniais: a Conferência de Berlim (1884). Foi essa conferência que determinou o futuro dos países da África, pois a maioria das fronteiras atuais foram fixadas nesse congresso.
  5. 5.  Panorama 1890 – 1913 Fim da era Bismarck:  Com a morte de Guilherme I, sobe ao trono da Alemanha Guilherme II. As divergências entre o novo rei e Bismarck sobre a expansão imperialista, levam o velho primeiro- ministro a deixar o governo alemão.  A Alemanha passa a ser governada por uma nobreza e uma burguesia, totalmente favoráveis à expansão “custe o que custar”

×