O teorema do papagaio

202 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O teorema do papagaio

  1. 1. Nome dos alunos: Ana Carolina Santos Deodato nº 03 Leandro Perbelis Souza nº21 Nayara Ribeiro Bastos nº29 1° Ensino Médio C
  2. 2. Denis Guedj é matemático. Além de dar aulas de matemática e de história da ciência na universidade Paris VIII, publicou diversos livros e participou da elaboração de filmes e peças de teatro baseados em conceitos científicos.
  3. 3. RESUMOS DO 1 AO 26 Resumo do Capítulo 1 – Nofutur A trama se inicia quando o Sr.Ruche,um velho filósofo,que perdera a mobilidade das pernas recebe uma carta de seu velho conhecido,Elgar Grousrouve,que estudou junto com o Sr Ruche na faculdade,porém Elgar fez matemática e Ruche fez filosofia. Elgar diz na carta que está mandando sua coleção de obras matemáticas,pois ele é o seu melhor amigo e o único livreiro que conhece.E provoca-o dizendo que não iria lê-los pois não era de interesse dele,e também que não iria vendê-los pelo seu pouco interesse pelo dinheiro.Mais o Sr.Ruche iria contra a provocação do amigo e iria lê-los primeiro para depois vender ,que era o que Grousrouve previa pois,sabia que quando o amigo lesse as obras,iria apaixonar-se e não conseguiria vendê-las. Max,um garoto de 11 anos que mora com sua mãe adotiva Perrete e com seus irmãos, os gêmeos Jonathan e Léa,andando pelo Mercado das Pulgas,vê o papagaio,de 40 centímetros de altura ,de penas verdes manchadas,
  4. 4. cobertas pela poeira,uma marca azul em sua testa, sendo que nessa marca azul tinha um ferimento estava sendo agredido por dois homens e vai lá resgatá-lo e quando o resgata leva o papagaio para casa,sem se importar que o papagaio estava machucado. Quando chega a casa onde mora,todos reclamam do papagaio,sua mãe Perrete,ajudante do Sr.Ruche na livraria diz para Max mandá-lo embora mas, ele não deixa isso acontecer pois diz que ele precisa de ajuda.
  5. 5. RESUMO DO CAPITULO 2 – MAX O EÓLICO Max tenta uma conversa com o papagaio,que não fala nada,mas em uma certa hora,o papagaio diz suas primeiras palavras desde que chegou,todos se assustam e vão ver o que estava acontecendo, no começo as sua palavras parecem confusas pois ele não falou com clareza mas, Perrete entende que ele está pedindo comida,então Max foi buscar comida,Abacates,que o papagaio devorou. A pancada havia feito o papagaio não lembrar de nada,o que fazia dele uma espécie única,era o único papagaio que falava o que escutava então resolveram chamá-lo de Nofutur. Perrete conta a sua história de como havia parado na livraria,trabalhando para o Sr.Ruche,incluindo como teve os gêmeos Jonathan e Léa e a adoção de Max.
  6. 6. Conta que quando foi fazer a última prova do vestido de noiva,caiu em um buraco e quando conseguiu sair,voltou para casa e no dia seguinte,Perrete rompeu o noivado,e que seus pais nunca a perdoaram por isso,conseguiu um emprego na livraria e quando os gêmeos nascem,o Sr.Ruche os chama para morar na casa da Rue Ravignan,depois resolveu ter mais um filho,então adotou Max com apenas 6 meses ,mesmo com a lei que uma mãe sozinha não poderia adotar uma criança.
  7. 7. RESUMO DO CAPÍTULO 3 TALES,O HOMEM DAS SOMBRAS Sr. Ruche começa a contar a história sobre Tales de Mileto,um importante pensador e matemático. Ele explica que Tales foi o primeiro “pensador” de todos,pois foi o primeiro a se perguntar o porque de tudo, o primeiro a ter uma atitude filosófica. Depois da explicação de dá aos integrantes da casa sobre o assunto,o Sr. Ruche vai até a biblioteca para estudar mais sobre Tales de Mileto,encontra livros relacionados a ele , e claro sobre seu teorema e sobre suas descobertas na área da geometria. Descobre que Tales não tratou muito de números e sim, se interessou pelas figuras geométricas,pelas retas,pelas circunferências e pelos triângulos,e que foi assim o primeiro a considerar o ângulo como um ser matemático. Tales afirmou também que ângulos opostos pela vértice forma duas retas que se cruzam são iguais.
  8. 8. A relação entre circunferência e triângulos mostrada por Tales foi que a cada triângulo podia corresponder uma circunferência :Aquela que passa por seu três vértices. Demonstrou também que um triângulo isósceles tinha dois ângulos iguais,estabelecendo assim um forte vinculo entre os comprimentos e os ângulos :Dois lados iguais,dois ângulos iguais. E a respeito da relação de uma circunferência e uma reta? Como a reta deve estar situada para que tenha duas partes iguais? A resposta de Tales foi que para a reta corte a circunferência em duas partes iguais,deve obrigatoriamente passar pelo centro,que dá origem ao diâmetro,que é o mais longo segmento que a circunferência abriga dentro de si. E sem contar seu famoso teorema.Chamado de teorema de Tales ou teorema das proporções.
  9. 9. RESUMO DO CAPÍTULO 4 A BIBLIOTECA DA FLORESTA 
  10. 10. RESUMO DO CAPÍTULO 5 O PESSOAL MATEMÁTICO DE TODOS OS TEMPOS Impossível cortar, agora a impaciência em ver os livros organizados na Biblioteca da Floresta, a BDF aumentou. Então ,o sr. Ruche,que já tinha organizado as seções de acordo com as áreas da Matemática , iria arrumar os livros de acordo com o seu período histórico na matemática. Foram quatro períodos para arrumar: Mais de 2500 anos de matemática em uma biblioteca. O primeiro foi matemática Grega, com Tales,com geometria e Pitágoras, aritimética, Arquimedes, Euclides e Apolônio “os legisladores da geometria” . O segundo foi A matemática no mundo árabe,que além de matemáticos dominavam a filosofia, a astronomia, e medicina, Criadores da álgebra, analise combinatória e da Trigonometria .Ao terceiro foi A matemática no ocidente a partir de 1400, criação das equações de terceiro e quarto grau , descoberta dos números complexos e dos logaritimos,analise combinatória .O ultimo período foi A matemática do século XX.
  11. 11. RESUMO DO CAPÍTULO 6 A SEGUNDA CARTA DE GROSROUVE Para surpresa de todos, que ainda estavam organizando a BDF, chega uma segunda carta,que não era de Grousrouve mas sim do delegado de Manaus, em que ele explica a morte de Grousrouve em sua casa ,queimado em Manaus, e que o índio que era o empregado descobre nos escombros, a carta anexada, que seria enviada juntamente com a bibilhoteca. Perrete leu a carta do ínicio ao fim, o sr. Ruche atento as palavras de seu único melhor amigo. Quando a leitura termina, o sr. Ruche fica desolado e pertubado : Porque a bibilhoteca tinha escapado do incêndio ? O que que ela tinha de tão especial além de ser o objeto de adoração que Grourouve levou uma vida para colecionar e compreender o raciocinio matemático que levou a criar aquelas obras.
  12. 12. RESUMO DO CAPÍTULO 7 PITÁGORAS. O HOMEM QUE VIA NÚMEROS EM TODA PARTE O capitulo Pitágoras. o homem que via números em toda parte esta inserido no livro O teorema do papagaio que esta dividido em vinte e seis capitulos,mas que é explicado melhor no capítulo 8. Conhecendo Grousrouve como conhecia, o sr. Ruche confiava em sua tese que nas cartas do amigo havia segredos a serem solucionados. Chegou na parte em que ele havia escolhido Pitágoras, para se aprofundar em seus pensamentos e descobertas como, foi Pitágoras que criou o nome “matemática” e “filosofia” e seu teorema famoso :Hipotenusa ao quadrado= cateto ao quadrado + cateto ao quadrado. Pitágoras foi seguidor de Tales, e descobriu coisas e revolucionou a Matemática, palavra que ele inventou.
  13. 13. RESUMO DO CAPÍTULO 8 DA IMPOTÊNCIA A SEGURANÇA: OS NÚMEROS IRRACIONAIS O sr. Ruche prende a cadeira de rodas no monta-ruche . O capitulo sobre Pitágoras tinha sido cansativo, entao estava descansando,e penasndo se quela coleção de livros matemáticos seria uma dádiva ou um fato. Enquanto isso Max e Nofutur estavam juntos e Nofutur estava com sede , pos se então a procurar agua , mas derruba em cima do caderno do sr . Ruche . Perrete faz um calculo brilhante mostrando que iria transbordar aquele copo, que transvasando os três copos, ele havia adicionado o conteudo deles: 1/2+1/3+ ¼. Dá 13/12,que era maior que 1 ,maipor que a capacidade dos vasos. Fez o calculo de cabeça e foi elogiada por Max
  14. 14. RESUMO DO CAPÍTULO 9 Era fim de novembro. Max se sentou , e formou com o pé do abajur ,uma circunferência, uma hiperbole, uma eclipse. Euclides quer estabelecer o que é uma relação entre duas grandezas, sejam elas geométricas: linhas, superficies ou volumes ou aritiméticas: números. Euclides engloba em sua teoria geral da razoes, e responde em questão da geometria que não há caminho direto reservado aos reis. A sala de sessões estava escura. Max, com o pé de um abajur, formou na parede uma circunferência, uma elipse, uma parábola e uma hipérbole, que foram todas anunciadas pela voz rouca de Nofotur. Sr. Ruche explicava a todos a descoberta de Menaecmus, com o auxílio do projetor de transparências, que figuras tão diferentes podiam ser formadas a partir do encontro de um cone com um plano. Pôs AF para funcionar após perceber a incompreensão dos gêmeos. Continuou a explicação, falando agora de Apolônio, que surgiu dois séculos depois e Eudoxo, que fez com que a harmonia mandava que tudo se deslocasse segundo círculos e esferas. Depois, comentou sobre Kepler, que descobriu que os planetas se deslocavam segundo elipses, tendo o Sol como foco e Tartaglia, que pressentiu que a trajetória de uma bala de
  15. 15. RESUMO DO CAPITULO 10 ,Na sala de sessão escura , Max se sentou , segurou forme o pé do abajur, e o mantinha perpendicular a parede, o que a cúpula desenhava um circulo perfeito. Nofutur anuncia com sua voz rouca : Circunferência. Inclina o abajur lateralmente, manha se tornou oval: E Nofutur anuncia: Elipse. Mais uma enclinação, A elipse se encompridou e rasgou, mais se etendia um limite que o da própria sal, Nofutur diz: Parábola. Começam a discutir sobre as figuras cônicas, feitas com a luz do abajur e ajuda de Max, como o próprio cone, descoberta por Menaecmus. Figuras diferentes como as três primeiras feitas de uma linha só
  16. 16. CAPITULO 11 Como os gregos diriam , não alcançaram nenhuma iota. Mais tinham três problemas nas mãos os três problemas da antiguidade : Duplicação do cubo,trisseção do ângulo e quadratura do circulo. A duplicação do cubo consiste em tornar o cubo dado duplo, a trisseção do ângulo, em dividir o ângulo em três partes iguais, e a quadratura do circulo,em construir um quadrado igual a um circulo dado.A trigonometria passou o triangulo estabelecendo relação entra ângulos e os lados. Com essa descoberta ela oferecia um meio mais preciso de passar a medida do ângulo á medida dos lados, e vice-versa. Os matemáticos árabes tinham a necessidade de criar uma teoria, acrescentava Grosrouvre. Eles construíram a famosa formula de trigonometria que foi passada há pouco tempo em sala de aula. Cos(a+b) = cos a x cos b – sen a x sem b sen (a + b) = sen a x sen b- sem b x cos e assim sucessivamente.
  17. 17. RESUMO CAPITULO 12 O sr. Ruche não sofria de insônia, mas não foi o que aconteceu naquela vez, perturbado com tudo o que havia acontecido. Estava convencido que grousrouve, que por meio de suas cartas lhe dirigiam uma palavra. Tinha que descobrir e pesquisar mais,então vai ao instituto do mundo árabe, ima,começa sua pesquisa por omar khayyan, que foi além de matemático um grande poeta.Os matemáticos árabes vão detectar outras propriedades para a matemática : Al-Farisi descobriu o par (17296,18,416),conhecido como par de Fermat,e Al-Yazdi descobriu o par (9363584, 9434056) conhecido como par de descartes .Khayyan está na origem da noção de polinômio, no começo a álgebra,era simplesmente fazer equações sem se preocupar com a natureza da equação,e khayyan ampliou o campo de estudo dos polinômios (adição,subtração, divisão), ele aplicou o procedimento de divisão euclidiana. Omar khayyan se especificou em equações do 3º grau, e as classificou em 25 tipos
  18. 18. CAPITULO 13 A Àlgebra não estava na Grécia. E sim no Oriente Médio, onde foi reformulado por Matemáticos árabes, até se tornar a Álgebra que conhecemos hoje. Fala sobre Bagdá: A cidade redonda. Pois a sua muralha era uma forma circular, uma forma perfeita. Sobre Brahmaguptae e em seu ensinamentos das dez figuras, que era nada mais nada menos que os números com o que calculamos: panca, sat,sapta,asta,nav, sem esquecer do zero:Sunya que quer dizer vazio. Falaram também sobre os números amigos, pois eram extremamente raros, mais imporantes
  19. 19. CAPÍTULO 14 O sr. Ruche continuava a estudar sobre os matemáticos árabes, desta fez centrando- se em Sharafal-din e al-tusi deram continuidade ao estudo da geometria de equações de terceiro grau, que só ocorre em superficies planas. O sr. Ruche começa “a soma dos ângulos era igual a 180°”,ou seja se centrava na trigonometria,mas ainda não havia descoberto o que tinha relação com os outros já estudados, então, pegou obras sobre geometria dos dois autores mais mesmo assim nada descobriu.
  20. 20. CAPITULO 15 O Sr. Ruche tremia de emoção após ler novamente o massacre da igrejinha de Oradour-sur-flane. No livro Noccoló tinha doze anos e era muito pequeno, como seu pai. Pobre demais para pagar um médico ao seu filho, sua mãe cuida dela em casa. Com o passar do tempo ela volta a falar, porem gago. Os garotos de sua idade o apelidara de Tartaglia, isto é , Gaguinho. Resolveu manter o nome. Ele aprendera tudo que sabia com obras de defuntos. Neste capítulos ele também fala sobre a invenção do zero,e também adquiriu um grande interesse pela multiplicação dos coelhos e a descendência de um casal até o fim de um ano, Em um casal de coelhões gera duzentos e trinta e dois outros casais ! Fibonacci inventou a noção matemática de sequencia de números, que teve muito futuro. Capítulo 16- Igualdade Este capítulo informa a origem dos sinais que pertencem a matemática que são esses: =, +, -, x, <, >, √, raiz cúbica e quarta. Segundo o livro, o sinal de igual foi criado por Robert Recorde,
  21. 21. Neste capítulos ele também fala sobre a invenção do zero,e também adquiriu um grande interesse pela multiplicação dos coelhos e a descendência de um casal até o fim de um ano, Em um casal de coelhões gera duzentos e trinta e dois outros casais ! Fibonacci inventou a noção matemática de sequencia de números, que teve muito futuro. Capítulo 16Igualdade Este capítulo informa a origem dos sinais que pertencem a matemática que são esses: =, +, , x, <, >, √, raiz cúbica e quarta. Segundo o livro, o sinal de igual foi criado por Robert Recorde, ele dizia que estava desenhando, até que fez dois riscos exatamente iguais um abaixo do outro, já o X da multiplicação foi inventado por William Oughtred em 1631 os dois “vês” deitados formaram a “xis” da multiplicação, os dois “vês” deitados (maior e menor) inventados por Thomas Horrot, a raiz quadrada foi inventada por um alemão chamado Rudoff em 1525 e o sinal de infinito ∞ que é também representado como um oito deitado, foi criado por John Wallis. Outro fato importante que ocorre neste capítulo foi o grande musical criado por Jonathan e Léa, que deixou impressionado o Sr Ruche
  22. 22.  Então um pouco mais tarde Perrete havia chegado na casa com sacolas e cestas cheias de mercadorias . Os gêmeos entaum voltaram para seus quartos , para tornar ao repouso . Nofutur com sua inteligência boa estava sendo agradecido por Max ao dar uma resposta muito boa aos garotos . Então a menina Léa foi ao cômodo aonde o filósofo estava e pediu ao homem , que retribuice suas histórias sobre Tales , seus teoremas e descobertas , o velho então refrescou sua memória com várias histórias e curiosidades sobre Tales . Um pouco mais tarde os gêmeos não perderam a oportunidade e foram ao cinema .
  23. 23. CAPITULO 16 Em seu gabinete de trabalho, iluminado por uma vela,assim surgiu o sinal de igualdade =-, criado por Robert Recorde, que inventou quando estava em seu trabalho, e estava debruçado no meio de números e letras,mal sabia ele que havia inventado o mais cérebre sinal matemático de todos os tempos. Jonathan contou para a Irma como o sinal de + e – surgiu com um tratado de aritmética comercial, foi no ano de 1489, com Widmann que os ultilizou para marcar caixas de mercadorias. A cruz de multiplicação, inventada pelo inglês Willian Oughtred, os dois vês deitados( < e >,maior e menor),inventados pouco antes por Thomas Harriot, O da raiz quadrada, inventado pelo alemão Rudoff em 1525. E o sinal de infinito, o oito deitado, inventado por outro inglês, John Wallis. Mais o sr. Ruche não sossegou: Como se resolvia uma equação de terceiro grau? Com radianos ou não?
  24. 24. CAPITULO 17 A equação de segundo grau era ou não era resolvido por radianos? E quantas soluções poderia ter? Era um dos três problemas matemáticos da história? Porém teve matemáticos como Tartaglia e Cardan que Seguiu dizendo sobre Alexandria, assunto que atraiu a curiosidade de Jonathan-e-Léa. Max mostrou ao público a obra de Ptolomeu e leu a ficha de Grosrouvre. Sr. Ruche folheou suas anotações enquanto Léa aguçava os seus ouvidos. A conversa continuou, e o fim da Grande Biblioteca e do Museu eram os assuntos da vez. A sessão chegou ao fim. O velho respondeu uma pergunta feita por Léa no dia seguinte da queda de Alexandria. Decidiu preparar uma receita que lhe tomou vários minutos. Enquanto isso, a menina insistia em saber o porquê dela não poder discutir sendo que foi assim que os gregos descobriram a matemática. A chuva havia finalmente parado. O cheiro da comida começava a aparecer na
  25. 25. CAPITULO 18  O problema da quadratura do círculo é um dos três problemas clássicos da Geometria grega; consiste em construir, usando apenas régua e compasso, um quadrado com a mesma área que a de um círculo dado. Como aconteceu com os restantes dois problemas, demonstrou-se no século XIX que o problema da quadratura do círculo não tem solução. Essa demonstração foi obtida em várias fases. Em 1801, no seu livro Disquisitiones Arithmeticae, o matemático alemão Carl Friedrich Gauss afirmou que, dado um número natural ímpar n > 1, são condições equivalentes: • é possível construir um polígono regular com n lados usando apenas régua e compasso; • n pode ser escrito como produto de números primos distintos da forma 22k + 1 (os chamados «primos de Fermat.
  26. 26.  », dos quais só se conhecem cinco: 3, 5, 17, 257 e 65537). No entanto, Gauss apenas publicou a demonstração de que a segunda condição implica a primeira.triângulo, a soma das medidas dos três ângulos internos é igual a 180 graus. Para verificar essa afirmação, considere um triângulo ABC qualquer.
  27. 27. CAPITULO 19 Ao sair da estação Lea recebeu um singelo bilhete dado por um homem e nele estava escrito não ha problemas sem soluções. Colocou o no bolso e foi encontrar com Max e Jonathan de repente começaram a falar sobre probabilidade.Começaram a refletir sobre Bertoggini e seu estudo sobre a arte de saber quanto e necessário para atingir a probabilidade.Começaram a refletir sobre Bertoggini e seu estudo sobre a arte de saber quanto e necessário para atingir um objeto fixado e depois sobre a rosa dos ventos de Fermat onde se indicava as partes estudadas em matemática. Se aprofundaram mais nas anotações de Grosrouve em relação ao assunto de números primos em seguida sobre Diofanto dessa equação.
  28. 28. CAPITULO 20 Graças a sua dor de cabeça, o sr Ruche não conseguiu se levantar como um bom pitagorico se lembrando de tudo o que havia acontecido no dia anterior. Agora se centrava em Euler, foi um dos maiores filósofos . tem como assunto principal, os mais usados símbolos matemáticos, =, -, +, x, >, <, raiz quadrada, raiz cúbica e quarta, letras pra representar números e o símbolo do infinito (lemniscata). O sinal de igual foi inventado por Robert Recorde, que por um súbito acaso desenhava, até que ele riscou duas paralelas. O símbolo do infinito é simbolizado pelo oito deitado, criado por John Wallis. O maior e menor foram criados pelo inglês Thomas Horrot, já a cruz da multiplicação foi concebida por Willian Oughtred no ano de 1631. Por fim, as raízes inventada por Rudoff, o alemão, em 1525.
  29. 29. CAPITULO 21  Os calculadores indianos do século V, e seus continua dores árabes, inscreviam seus algarismos diretamente no chão, terra e como na areia, ou também nas tábuas de madeira cobertas de poeiras. O Sr.Ruche avançou alguns centímetros ao longo das estantes e parou diante de um conjunto de seis bonitos volumes encadernados. Os estilos da redação da ficha reteve a atenção do Sr. Ruche. Grosrouvre as tinha composto como se,dirigindose a leitores, quisesse claros temas tratados em cada uma das obras da biblioteca da floresta. A ficha continuava. O sr.Ruche adorava esse gênero de coincidências, que via como a ingerência do milagroso no desenrolar normal das coisas da vida. Racionalista conseqüente que era, rejeitando toda e qualquer interpretação extravagante, não quis ver nisso nada mais e voltou á sua leitura.
  30. 30.  novamente para as estantes, o Sr.Ruche não podia ocultar sua perturbação. "A soma dos ângulos, de um triângulo é igual a 180 graus", essa frase, que ele se lembrava de ter sempre ouvido proclamar como verdade absoluta. Essa necessidade que a matemática tem mais que qualquer outro conhecimento, de precisar em que contexto, em quais condições, que hipóteses uma afirmação é verdadeira, a tornava exemplar. Mas sempre lendo as fichas Sr.Ruche aprendeu como, do círculo, trigonometria passou ao triângulo, estabelecendo relações entre os ângulos e os lados. O sr. Ruche voltou à ficha. A precisão de todo cálculo astronômico repousa na exatidão da tabela de senos, cuja construção está ligada ao problema da trissecção do ângulo! O Sr.Ruche voltava a encontrar os quatro mosqueteiros da trigonometria: seno, cosseno, tangente e cotangente. De repente, se lembrava de tudo. Para estabelecer essas tabelas da maneira mais completa possível, os matemáticos árabes precisaram criar uma teoria, acrescentava Grosrouvre. E o que os levou a construir as famosas formulas de
  31. 31. CAPITULO 22 Rodando novamente para as estantes, o Sr.Ruche não podia ocultar sua perturbação. "A soma dos ângulos, de um triângulo é igual a 180 graus", essa frase, que ele se lembrava de ter sempre ouvido proclamar como verdade absoluta. Essa necessidade que a matemática tem mais que qualquer outro conhecimento, de precisar em que contexto, em quais condições, que hipóteses uma afirmação é verdadeira, a tornava exemplar. Mas sempre lendo as fichas Sr.Ruche aprendeu como, do círculo, trigonometria passou ao triângulo, estabelecendo relações entre os ângulos e os lados. O sr. Ruche voltou à ficha. A precisão de todo cálculo astronômico repousa na exatidão da tabela de senos, cuja construção está ligada ao problema da trissecção do ângulo! O Sr.Ruche voltava a encontrar os quatro mosqueteiros da trigonometria:
  32. 32.  Para estabelecer essas tabelas da maneira mais completa possível, os matemáticos árabes precisaram criar uma teoria, acrescentava Grosrouvre. E o que os levou a construir as famosas formulas de trigonometria, terror de tantos colegiais cos (a+b)= cos a X cos b - sen b Sen (a+b) = sen a X cos b+ sen b x cos a.
  33. 33. CAPITULO 23  A grande igreja de brescia nunca tinha visto tanta gente assim. Dezenas de pessoas como mulheres e crianças que nela se apinhavam eram fiéis vindos para a cerimônia religiosa. Dentro, o silêncio é total. Todos os olhos suspendem a respiração, os corpos estão petrificados. Estamos na manhã do dia 19 de fevereiro de 1512. Niccolò fizera seis anos, seu pai havia contratado um professor, mas como eram pobres e não tinham dinheiro suficiente o professor ensinou só um terço do alfabeto de A a L. Depois de um tempo o professor interrompeu as aulas e Niccolò ficou curioso em saber o que vem depois do l e como se escreve. Niccolò ardia de vontade de saber. Acabou arranjando um alfebelo completo que chegaria até a letra Z. Tudo o que sei, aprendi estudando obras de homens
  34. 34. CAPITULO 24  Pierro”, filho de Ruche, dito Birucho, eminente filósofo da segunda metado do século XX, aprendeu árabe nos Oriente Médio. Nessa época para quem se interessava em matemática o conhecimento do árabe era muito importante. Durante uma viagem em terras muçulmanas, Fibonacci obteve os números de pares seguintes: 1, 1, 2, 3, 4, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233. Fibonacci inventava a noção matemática de seqüência de números. A numeração escrita romana era totalmente inadequada ao cálculo, a operação mais simples só podia ser feita com o auxílio de ábacos, equivalentes aos contadores de bolinhas chineses, que eram como tábuas com pinos verticais, nas quais se colocavam fichas. A grande revolução constituiu em não operar mais com objetos materiais e com isso, os cálculos mudou radicalmente de natureza, tornou-se um cálculo pela escrita. O Sr.Ruche nunca tinha visto pensado nisso
  35. 35. . As palavras tornavam-se operacionais. Difícil imaginar que choque isso deve ter causado. Com a chegada do zero todos levam um belo susto! O Sr. Ruche não pode se imperir de mergulhar no histórico da invenção do zero. Nos dispositivos constituídos de colunas, um número era representado por um nove algarismo para significar a quantidade de unidades, dezenas, centenas, entre outros. | 1 | | |1 | Tirou as barras de separação. Colapso total! |1|||1| => |11| Tiradas as muletas, o número foi ao chão. "Mil e um" virou "onze"! |1|0|0|1| Postos os zeros nas colunas, o Sr. Ruche tirou as barras de separação e os números respirou, "mil e um " tornou-se |1|0|0|1| => |1001|
  36. 36. CAPITULO 25  Aqui começa as revelações. A primeira é a relação entre a máfia e Nofutur, primeiramente, Nofutur era fêmea e era o papagaio de Grousrouve, trazido do Brasil para a França pelo Tráfico de animais, e seu nome de fêmea era Mamaguena, e quando voltavam para casa, o sr. Ruche conversava com Don Ottavio, sobre a BDF e Grousrove, e contou tudpo o que havia falado com ele antes de morrer, dizendo que não o matou. Logo depois, discute com Nofutur e tenta machucá-lo com ameaças e gestos, mas Max não o permitiu e Nofutur sai voando e Dom Ottavio manda um tiro certeiro. Era a morte de Nofutur ou Mamaguena. Mais a verdade é Nofutur não morre, ele desaparece, e Max vê,mas nada conta, deixao ir em paz.
  37. 37. CAPITULO 26 Rue Ravignan, Livraria Mil e Uma Folhas,nove horas da noite.Era preciso comemorar a volta de Max e do sr. Ruche . Com um jantar um pouco vazio, pois faltava Nofutur, como ele fazia falta. Dois dos Tprr estavam resolvidos , que o incêndio na casa de Grourouve não foi de origem criminosa, o que restava era que o motivo fosse o suicidio ou acidente. O capítulo nos apresenta vários problemas que diversos matemáticos se esforçaram ao máximo para poder resolver, mesmo com alguns acadêmicos achando que era impossível resolver. Alguns desses problemas eram: trissecção do ângulo, duplicação do cubo e quadratura do cubo.Mais como o passar do tempo perceberam que era exigente que utilizassem essa solução para tais problemas como ilustres matemáticos.
  38. 38. ENIGMAS *Quando Grousrouve manda a bibilhoteca matemática ao sr. Ruche,com que intenção ele tinha? O que ele queria? *Porque um papagaio estava sendo perseguido pela máfia? O que Nofutur sabia? *Qual o segredo que Grosrouve tinha contado a Nofutur sobre o teorema de Fermat e Goldbach, que fez o papagaio ser perseguido pela máfia?
  39. 39. PORQUE VALE A PENA OU NÃO LER ESSE LIVRO? Quando você se depara com um livro como “ O Teorema do Papagaio”,você tem que levar em conta que não é um livro para crianças. Paciência é fundamental para compreender essa história cheia de engmas e mistérios envolvendo a Matemática a tão temida matéria escolar. Porque querendo ou não, quando você o le, voce aprende muito mais sobre a Matemática, a sua história e seu representantes em cada época. Vale a pena ser lido, por mais trabalhoso e difícil, mas te leva a viajar pelo mundo matemático e a mostrar que é muito mais que números sem nexo nenhum.

×