SlideShare uma empresa Scribd logo
Imunidade ativa e passiva
 A imunidade ativa desenvolve naturalmente
uma resposta à infeção
 Também pode desenvolver imunidade através da
vacinação
 Na imunização, uma forma não patogénica ou
parte de um micróbio induz uma resposta
imunitária com memória
 A imunidade passiva permite de imediato uma
proteção a curto prazo
 É conferida naturalmente logo que a IgG
(imunoglobulina) atravessa a placenta da mãe
para o feto ou a IgA passa da mãe para a criança
no leite materno
 Pode ser induzida artificialmente pela injeção de
anticorpos numa pessoa não imune.
Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios
Rejeição imunitária
 Células transferidas de uma pessoa para outra podem
ser atacadas pelos mecanismos de defesa imunitária
 Isto complica as transfusões de sangue, os
transplantes de orgãos e os enxertos de tecidos
A imunidade
 A imunidade deixa de existir em caso de
desaparecimento das células de memória ou da
mutação de agentes patogénicos
 A imunidade passiva é mais efémera que a imunidade
ativa
Vacinas
Com agentes patogénicos mortos ou atenuados
Com proteínas com atividade antigénica em alimentos
transgénicos ( recurso à Engª Genética)
Soros imunes
 Possuem anticorpos retirados do plasma de indivíduos
imunes a determinados agentes patogénicos
 Possuem riscos e possibilidade de infeção
Desequilíbrios e doenças
 Alergias – hipersensibilidade a alergénios (antigénios
do meio ambiente):
 Pode resultar em reação com resposta inflamatória
intensa (linfócitos B)
 Pode resultar em reação alérgica por contato direto e
repetido
 Pode acontecer severamente através do choque
anafilático (queda brusca da pressão sanguínea…)
Alergénio
IgE
Grânulo
Mastócito
Histamina
Desequilíbrios e doenças
Doenças auto-imunes
hipersensibilidade a antigénios específicos das células do
organismo
Lupus
Exemplos de doenças auto-imunes
Pulmões de um
paciente com
Síndrome de
Goodpasture
Vitiligo
Doença de Hashimoto
(tiroidite)
Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios
B ou T?
Autoimunidade é difícil de classificar restritivamente às
células B ou T pois existem diversas formas de
envolvimento do sistema imunitário
Miastenia Gravis
Doença marcada pela fraqueza progressiva e perda do
controle muscular
Classificada como “B cell” doença
(autoanticorpos reativos)
Diabetes
O corpo não produz
ou usa
apropriadamente a
insulina
É uma doença “ T
cell”
A “T cell” ataca e
destrói as células
beta do pâncreas
Esclerose Múltipla
Pacientes com podem ter anticorpos e/ou células T auto-
reativas responsáveis pela desmielinação
Desequilíbrios e doenças
 Imunodeficiências:
 Inatas – ex: SCID – Imunodeficiência grave combinada
mutação num gene ADA (Deficiência da Desaminase
da Adenosina)
 Adquiridas – ex: temporárias por má nutrição,
patologias renais, SIDA
 https://www.youtube.com/watch?v=fvhjiGMcDb8
Ataque ao sistema imunitário: HIV
 O vírus da imunodeficiência humana (HIV)
infecta as células T helper
 A perda de células T helper debilita ambas as
respostas imunitárias: humoral e mediada de
células e conduz à SIDA
 O HIV ilude o sistema imunitário pela variação
dos antigénios e pela respetiva habilidade de
se manter “latente” enquanto integrado no DNA
hospedeiro
 Pessoas com SIDA são altamente susceptíveis a
infeções oportunistas e cancros que se
aproveitam dessa vantagem de um sistema
imunitário em colapso.
 A disseminação do HIV é um problema mundial
 A melhor abordagem para conter essa
disseminação é a educação/ informação sobre as
formas de transmissão do vírus.
Lactência
Relative antibody
concentration
SIDA
HelperTcellconcentration
inblood(cells/mm3)
Helper T cell
concentration
Relative HIV
concentration
Years after untreated infection
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
0
200
400
600
800
Cancro e Imunidade
 A frequência de certos cancros aumenta quando a
resposta imunitária fica debilitada
 Duas explicações sugeridas são:
 O sistema imunitário suprime normalmente as
células tumorais
 Inflamações significativas aumentam o risco de
cancro
Exercício e stress e o sistema imunitário
 Exercício moderado melhora o funcionamento
do sistema imunitário
 Stress psicológico tem sido responsável por
alterações hormonais, nervosas e do sistema
imunitário

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
URCA
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Atividades sistema digestório
Atividades sistema digestórioAtividades sistema digestório
Atividades sistema digestório
Secretaría de Educación Pública
 
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
GernciadeProduodeMat
 
Modulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossínteseModulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossíntese
Leonor Vaz Pereira
 
IV.1 Os alimentos
IV.1 Os alimentosIV.1 Os alimentos
IV.1 Os alimentos
Rebeca Vale
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Célia Maria Antunes
 
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Cátia Teixeira
 
Digestão intracelular e extracelular
Digestão intracelular e extracelularDigestão intracelular e extracelular
Digestão intracelular e extracelular
Wagner Andrade
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr
Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO NrMecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr
Nuno Correia
 
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
Gabriel Mendes de Almeida
 
09 sangue
09 sangue09 sangue
09 sangue
ruiricardobg
 
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Isabel Lopes
 
Ficha De Trabalho BiomoléCulas
Ficha De Trabalho BiomoléCulasFicha De Trabalho BiomoléCulas
Ficha De Trabalho BiomoléCulas
guestdc4752
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
Elizabete Costa
 
IMUNIDADE II
IMUNIDADE IIIMUNIDADE II
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
emanuel
 
Biologia cruzadinha tecidos
Biologia cruzadinha tecidosBiologia cruzadinha tecidos
Biologia cruzadinha tecidos
ADÃO Graciano
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
joseeira
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida

Mais procurados (20)

Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Imunidade
 
Atividades sistema digestório
Atividades sistema digestórioAtividades sistema digestório
Atividades sistema digestório
 
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
BIOLOGIA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203)
 
Modulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossínteseModulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossíntese
 
IV.1 Os alimentos
IV.1 Os alimentosIV.1 Os alimentos
IV.1 Os alimentos
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
 
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
 
Digestão intracelular e extracelular
Digestão intracelular e extracelularDigestão intracelular e extracelular
Digestão intracelular e extracelular
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr
Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO NrMecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr
 
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
 
09 sangue
09 sangue09 sangue
09 sangue
 
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
 
Ficha De Trabalho BiomoléCulas
Ficha De Trabalho BiomoléCulasFicha De Trabalho BiomoléCulas
Ficha De Trabalho BiomoléCulas
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
 
IMUNIDADE II
IMUNIDADE IIIMUNIDADE II
IMUNIDADE II
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
 
Biologia cruzadinha tecidos
Biologia cruzadinha tecidosBiologia cruzadinha tecidos
Biologia cruzadinha tecidos
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 

Destaque

Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
Messias Miranda
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
Janine Rafael
 
Sistema Imunológico
Sistema ImunológicoSistema Imunológico
Sistema Imunológico
JosianeBergund
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
LABIMUNO UFBA
 
A resposta imune
A resposta imuneA resposta imune
A resposta imune
Annie Oliveira
 
Imunologia microbiologia
Imunologia   microbiologiaImunologia   microbiologia
Imunologia microbiologia
Crismontalvao
 
Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
LABIMUNO UFBA
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
Messias Miranda
 
Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
Ernesto Silva
 
Imunidade Inata e Sistema Complemento
Imunidade Inata e Sistema ComplementoImunidade Inata e Sistema Complemento
Imunidade Inata e Sistema Complemento
Lys Duarte
 
Citocinas da imunidade inata e adquirida
Citocinas da imunidade inata e adquiridaCitocinas da imunidade inata e adquirida
Citocinas da imunidade inata e adquirida
LABIMUNO UFBA
 
Imunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e AdaptativaImunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e Adaptativa
LABIMUNO UFBA
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
Israel Lima
 
Imunização
ImunizaçãoImunização
Apresentacao Prociv Lisboa
Apresentacao Prociv LisboaApresentacao Prociv Lisboa
Apresentacao Prociv Lisboa
Junta de Freguesia da Sé
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr. 7 Imunidade Activa, Imu...
Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr. 7   Imunidade Activa, Imu...Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr. 7   Imunidade Activa, Imu...
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr. 7 Imunidade Activa, Imu...
Nuno Correia
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
Leonor Vaz Pereira
 
A importância da mudança442
A importância da mudança442A importância da mudança442
A importância da mudança442
Naira Viana Viana
 
Biologia ácidos nucléicos (2015)
Biologia ácidos nucléicos (2015)Biologia ácidos nucléicos (2015)
Biologia ácidos nucléicos (2015)
Vitor Pinheiro
 

Destaque (20)

Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
Sistema Imunológico
Sistema ImunológicoSistema Imunológico
Sistema Imunológico
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
 
A resposta imune
A resposta imuneA resposta imune
A resposta imune
 
Imunologia microbiologia
Imunologia   microbiologiaImunologia   microbiologia
Imunologia microbiologia
 
Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
 
Imunidade Inata e Sistema Complemento
Imunidade Inata e Sistema ComplementoImunidade Inata e Sistema Complemento
Imunidade Inata e Sistema Complemento
 
Citocinas da imunidade inata e adquirida
Citocinas da imunidade inata e adquiridaCitocinas da imunidade inata e adquirida
Citocinas da imunidade inata e adquirida
 
Imunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e AdaptativaImunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e Adaptativa
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
Imunização
ImunizaçãoImunização
Imunização
 
Apresentacao Prociv Lisboa
Apresentacao Prociv LisboaApresentacao Prociv Lisboa
Apresentacao Prociv Lisboa
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr. 7 Imunidade Activa, Imu...
Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr. 7   Imunidade Activa, Imu...Mecanismos De Defesa EspecíFicos  (ApresentaçãO Nr. 7   Imunidade Activa, Imu...
Mecanismos De Defesa EspecíFicos (ApresentaçãO Nr. 7 Imunidade Activa, Imu...
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
 
A importância da mudança442
A importância da mudança442A importância da mudança442
A importância da mudança442
 
Biologia ácidos nucléicos (2015)
Biologia ácidos nucléicos (2015)Biologia ácidos nucléicos (2015)
Biologia ácidos nucléicos (2015)
 

Semelhante a Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios

Revisão
Revisão Revisão
Revisão
MariMoura15
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
LABIMUNO UFBA
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
Cidalia Aguiar
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
LABIMUNO UFBA
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
LABIMUNO UFBA
 
Imunossenescência
Imunossenescência Imunossenescência
Imunossenescência
Thalita Maciel de Melo
 
Biologia2
Biologia2Biologia2
Biologia2
guest5d7719
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
Ismael Costa
 
Imunodeficiência Congénita 12º
Imunodeficiência Congénita 12ºImunodeficiência Congénita 12º
Imunodeficiência Congénita 12º
João Pereira
 
Imunodeficiencia congénita e adquirida
Imunodeficiencia congénita e adquiridaImunodeficiencia congénita e adquirida
Imunodeficiencia congénita e adquirida
Isabel Lopes
 
Imunodeficiências emc
Imunodeficiências emcImunodeficiências emc
Imunodeficiências emc
Cláudia Sofia
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
12anogolega
 
Imunodeficiencia
ImunodeficienciaImunodeficiencia
Imunodeficiencia
12anogolega
 
ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade
Ricardo Portela
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshare
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshareVacinas e programa alargado de vacinação slideshare
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshare
Falguni Homesh
 
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
guest5d7719
 
Disbiose intestinal
Disbiose intestinalDisbiose intestinal
Disbiose intestinal
Bru Resende
 
Aula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo EstadoAula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo Estado
Ismael Costa
 

Semelhante a Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios (20)

Revisão
Revisão Revisão
Revisão
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
 
Imunossenescência
Imunossenescência Imunossenescência
Imunossenescência
 
Biologia2
Biologia2Biologia2
Biologia2
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
 
Imunodeficiência Congénita 12º
Imunodeficiência Congénita 12ºImunodeficiência Congénita 12º
Imunodeficiência Congénita 12º
 
Imunodeficiencia congénita e adquirida
Imunodeficiencia congénita e adquiridaImunodeficiencia congénita e adquirida
Imunodeficiencia congénita e adquirida
 
Imunodeficiências emc
Imunodeficiências emcImunodeficiências emc
Imunodeficiências emc
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
 
Imunodeficiencia
ImunodeficienciaImunodeficiencia
Imunodeficiencia
 
ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade ICSA17 - Autoimunidade
ICSA17 - Autoimunidade
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshare
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshareVacinas e programa alargado de vacinação slideshare
Vacinas e programa alargado de vacinação slideshare
 
Imunologia - Vacinas
Imunologia - VacinasImunologia - Vacinas
Imunologia - Vacinas
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Disbiose intestinal
Disbiose intestinalDisbiose intestinal
Disbiose intestinal
 
Aula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo EstadoAula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo Estado
 

Mais de anabela

Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
anabela
 
Vulcanologia7
Vulcanologia7Vulcanologia7
Vulcanologia7
anabela
 
1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes
anabela
 
Metamorficas
MetamorficasMetamorficas
Metamorficas
anabela
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
anabela
 
Deformações das rochas
Deformações das rochasDeformações das rochas
Deformações das rochas
anabela
 
Lua
LuaLua
Explicações científicas
Explicações científicasExplicações científicas
Explicações científicas
anabela
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário ppt
anabela
 
Biotecnologia objetivos
Biotecnologia  objetivosBiotecnologia  objetivos
Biotecnologia objetivos
anabela
 
Imunidade parte 1
Imunidade   parte 1Imunidade   parte 1
Imunidade parte 1
anabela
 
Sistemas digestivos
Sistemas digestivosSistemas digestivos
Sistemas digestivos
anabela
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
anabela
 
Agentes mutagénicos
Agentes mutagénicosAgentes mutagénicos
Agentes mutagénicos
anabela
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
anabela
 
Dúvidas existenciais
Dúvidas existenciaisDúvidas existenciais
Dúvidas existenciais
anabela
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
anabela
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologico
anabela
 
Meteorização química
Meteorização químicaMeteorização química
Meteorização química
anabela
 
Fósseis 2
Fósseis 2Fósseis 2
Fósseis 2
anabela
 

Mais de anabela (20)

Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Vulcanologia7
Vulcanologia7Vulcanologia7
Vulcanologia7
 
1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes
 
Metamorficas
MetamorficasMetamorficas
Metamorficas
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
 
Deformações das rochas
Deformações das rochasDeformações das rochas
Deformações das rochas
 
Lua
LuaLua
Lua
 
Explicações científicas
Explicações científicasExplicações científicas
Explicações científicas
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário ppt
 
Biotecnologia objetivos
Biotecnologia  objetivosBiotecnologia  objetivos
Biotecnologia objetivos
 
Imunidade parte 1
Imunidade   parte 1Imunidade   parte 1
Imunidade parte 1
 
Sistemas digestivos
Sistemas digestivosSistemas digestivos
Sistemas digestivos
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Agentes mutagénicos
Agentes mutagénicosAgentes mutagénicos
Agentes mutagénicos
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Dúvidas existenciais
Dúvidas existenciaisDúvidas existenciais
Dúvidas existenciais
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologico
 
Meteorização química
Meteorização químicaMeteorização química
Meteorização química
 
Fósseis 2
Fósseis 2Fósseis 2
Fósseis 2
 

Último

NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 

Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios

  • 1. Imunidade ativa e passiva  A imunidade ativa desenvolve naturalmente uma resposta à infeção  Também pode desenvolver imunidade através da vacinação  Na imunização, uma forma não patogénica ou parte de um micróbio induz uma resposta imunitária com memória
  • 2.  A imunidade passiva permite de imediato uma proteção a curto prazo  É conferida naturalmente logo que a IgG (imunoglobulina) atravessa a placenta da mãe para o feto ou a IgA passa da mãe para a criança no leite materno  Pode ser induzida artificialmente pela injeção de anticorpos numa pessoa não imune.
  • 4. Rejeição imunitária  Células transferidas de uma pessoa para outra podem ser atacadas pelos mecanismos de defesa imunitária  Isto complica as transfusões de sangue, os transplantes de orgãos e os enxertos de tecidos
  • 5. A imunidade  A imunidade deixa de existir em caso de desaparecimento das células de memória ou da mutação de agentes patogénicos  A imunidade passiva é mais efémera que a imunidade ativa
  • 6. Vacinas Com agentes patogénicos mortos ou atenuados Com proteínas com atividade antigénica em alimentos transgénicos ( recurso à Engª Genética)
  • 7. Soros imunes  Possuem anticorpos retirados do plasma de indivíduos imunes a determinados agentes patogénicos  Possuem riscos e possibilidade de infeção
  • 8. Desequilíbrios e doenças  Alergias – hipersensibilidade a alergénios (antigénios do meio ambiente):  Pode resultar em reação com resposta inflamatória intensa (linfócitos B)  Pode resultar em reação alérgica por contato direto e repetido  Pode acontecer severamente através do choque anafilático (queda brusca da pressão sanguínea…)
  • 10. Desequilíbrios e doenças Doenças auto-imunes hipersensibilidade a antigénios específicos das células do organismo
  • 12. Pulmões de um paciente com Síndrome de Goodpasture Vitiligo Doença de Hashimoto (tiroidite)
  • 14. B ou T? Autoimunidade é difícil de classificar restritivamente às células B ou T pois existem diversas formas de envolvimento do sistema imunitário
  • 15. Miastenia Gravis Doença marcada pela fraqueza progressiva e perda do controle muscular Classificada como “B cell” doença (autoanticorpos reativos)
  • 16. Diabetes O corpo não produz ou usa apropriadamente a insulina É uma doença “ T cell” A “T cell” ataca e destrói as células beta do pâncreas
  • 17. Esclerose Múltipla Pacientes com podem ter anticorpos e/ou células T auto- reativas responsáveis pela desmielinação
  • 18. Desequilíbrios e doenças  Imunodeficiências:  Inatas – ex: SCID – Imunodeficiência grave combinada mutação num gene ADA (Deficiência da Desaminase da Adenosina)  Adquiridas – ex: temporárias por má nutrição, patologias renais, SIDA  https://www.youtube.com/watch?v=fvhjiGMcDb8
  • 19. Ataque ao sistema imunitário: HIV  O vírus da imunodeficiência humana (HIV) infecta as células T helper  A perda de células T helper debilita ambas as respostas imunitárias: humoral e mediada de células e conduz à SIDA  O HIV ilude o sistema imunitário pela variação dos antigénios e pela respetiva habilidade de se manter “latente” enquanto integrado no DNA hospedeiro
  • 20.  Pessoas com SIDA são altamente susceptíveis a infeções oportunistas e cancros que se aproveitam dessa vantagem de um sistema imunitário em colapso.  A disseminação do HIV é um problema mundial  A melhor abordagem para conter essa disseminação é a educação/ informação sobre as formas de transmissão do vírus.
  • 21. Lactência Relative antibody concentration SIDA HelperTcellconcentration inblood(cells/mm3) Helper T cell concentration Relative HIV concentration Years after untreated infection 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 200 400 600 800
  • 22. Cancro e Imunidade  A frequência de certos cancros aumenta quando a resposta imunitária fica debilitada  Duas explicações sugeridas são:  O sistema imunitário suprime normalmente as células tumorais  Inflamações significativas aumentam o risco de cancro
  • 23. Exercício e stress e o sistema imunitário  Exercício moderado melhora o funcionamento do sistema imunitário  Stress psicológico tem sido responsável por alterações hormonais, nervosas e do sistema imunitário