A Casa do RelógioFoz do DouroPortoAvanço manual
A Casa do Relógio de Sol, também conhecida por Casa Manuelina, na Foz do Douro, apodre-ce a olhos vistos e à vista desarma...
Deambulava pelas ruas do Porto à procura de ruínas, aquando da minha primeira incursãopela Invicta Cidade, quando deparei ...
Nesse dia apenas o assediei e fotografei pelo exterior, pois o muro é alto e não convida osmenos atléticos a assaltar esta...
Por lá passei outras vezes, até que ganhei coragem e argutamente me introduzipelas traseiras, numa manobra menos perigosa....
Por sorte, não encontrei ninguém, pois os encontros imediatos são um dos maiores riscosdesta carreira de "ruinólogo", além...
Esta ruína neo-manuelina,nasceu da vontade de umcasal feliz, de meia idade,que a mandou edificar.
E aqui, Arthur Jorge Guimarães e sua mulher Beatriz, começaram a passar fériasà beira mar.
Arthur Jorge era umrepublicano convicto,mas da ala moderada,e foi perseguido pelosesbirros de Afonso Costanesta mesma mora...
A casa foi traçada porJosé Teixeira Lopes,onde espelhou o simbolismoda nacionalidade lusitana.
Com laivos de novo-riquismoe de uma excentricidade…em nada espartana.
Foi residência de veraneio de uma família abastada e passados tantos anos…já quase não resta nada.
Os constantes e exuberanteselementos adornantes,fazem dela uma "mansão“...
que pela sua extravagância,foi alvo da ganânciade um reles ladrão.
Foi depois da revolução,que sofreu uma ocupaçãopor um simples artesão.
E foi então…que o insigne proprietáriomoveu uma acçãoa este vil ordinário.
Como estamos em Portugal, nem mesmo o tribunal o conseguiu demover,e até o advogado que deveria ser exonerado, não cumpriu...
Todo o interior foidesventrado,o seu esplendor desvirtuadoe até o piano foi roubadopelo tal sapateiro.
Depois da sua estadia,nesta grande moradia…nada mais ficou inteiro.
Algunas de las muchas obras de arte que se pueden admirar en el Palacio..Passemos nós agoraa uma visita guiada,começando p...
Está pejada de elementos deste estilo de arquitectura, arcos, cordas,esferas armilares e o tal relógio de sol, adornando a...
Já no seu interior, outrora… de cariz nobre.
A sua grandiosa escadariaque nos conduz aos andaressuperiores,perdeu o encanto do tempodos seus senhores.
Com podres madeiras, partidos vitrais e decadentes lareiras,agora… é infeliz e pobre.
Já na cave e na cozinha, elaboravam-se os manjares,que seguiam de elevador para os almoços e jantares.
Também tinha uma garagempara um grandioso "popó”e hoje está num estado…que até mete dó.
Foi mais uma ruinosa aventuradeste vosso amigo "mouro",que ficou encantadocom a linda Foz doDouro.
F I MImagens e texto recebidos por e-mail de: M. Branco FerreiraMúsica: Dolmabahce MiniComposição: Linito
A casa do relógio   porto
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A casa do relógio porto

1.684 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A casa do relógio porto

  1. 1. A Casa do RelógioFoz do DouroPortoAvanço manual
  2. 2. A Casa do Relógio de Sol, também conhecida por Casa Manuelina, na Foz do Douro, apodre-ce a olhos vistos e à vista desarmada, sem que ninguém se incomode e todos fazem nada…
  3. 3. Deambulava pelas ruas do Porto à procura de ruínas, aquando da minha primeira incursãopela Invicta Cidade, quando deparei com este triste imóvel já de avançada idade…
  4. 4. Nesse dia apenas o assediei e fotografei pelo exterior, pois o muro é alto e não convida osmenos atléticos a assaltar esta "fortaleza", embora a tentação fosse grande.
  5. 5. Por lá passei outras vezes, até que ganhei coragem e argutamente me introduzipelas traseiras, numa manobra menos perigosa... o seu interior era o apetecidoprémio que teimava em reclamar.
  6. 6. Por sorte, não encontrei ninguém, pois os encontros imediatos são um dos maiores riscosdesta carreira de "ruinólogo", além das possíveis derrocadas e desabamentos... e comoestava só, todo o cuidado é pouco... só um louco não tem receio. O receio é uma constanteusina de adrenalina, que me dá uma estamina necessária, maior que a minha dose diária decafeína... é uma espécie de vitamina.
  7. 7. Esta ruína neo-manuelina,nasceu da vontade de umcasal feliz, de meia idade,que a mandou edificar.
  8. 8. E aqui, Arthur Jorge Guimarães e sua mulher Beatriz, começaram a passar fériasà beira mar.
  9. 9. Arthur Jorge era umrepublicano convicto,mas da ala moderada,e foi perseguido pelosesbirros de Afonso Costanesta mesma morada.
  10. 10. A casa foi traçada porJosé Teixeira Lopes,onde espelhou o simbolismoda nacionalidade lusitana.
  11. 11. Com laivos de novo-riquismoe de uma excentricidade…em nada espartana.
  12. 12. Foi residência de veraneio de uma família abastada e passados tantos anos…já quase não resta nada.
  13. 13. Os constantes e exuberanteselementos adornantes,fazem dela uma "mansão“...
  14. 14. que pela sua extravagância,foi alvo da ganânciade um reles ladrão.
  15. 15. Foi depois da revolução,que sofreu uma ocupaçãopor um simples artesão.
  16. 16. E foi então…que o insigne proprietáriomoveu uma acçãoa este vil ordinário.
  17. 17. Como estamos em Portugal, nem mesmo o tribunal o conseguiu demover,e até o advogado que deveria ser exonerado, não cumpriu o seu dever.
  18. 18. Todo o interior foidesventrado,o seu esplendor desvirtuadoe até o piano foi roubadopelo tal sapateiro.
  19. 19. Depois da sua estadia,nesta grande moradia…nada mais ficou inteiro.
  20. 20. Algunas de las muchas obras de arte que se pueden admirar en el Palacio..Passemos nós agoraa uma visita guiada,começando pela fachadada casa "manuelina"à beira mar plantada.
  21. 21. Está pejada de elementos deste estilo de arquitectura, arcos, cordas,esferas armilares e o tal relógio de sol, adornando a sua estrutura.
  22. 22. Já no seu interior, outrora… de cariz nobre.
  23. 23. A sua grandiosa escadariaque nos conduz aos andaressuperiores,perdeu o encanto do tempodos seus senhores.
  24. 24. Com podres madeiras, partidos vitrais e decadentes lareiras,agora… é infeliz e pobre.
  25. 25. Já na cave e na cozinha, elaboravam-se os manjares,que seguiam de elevador para os almoços e jantares.
  26. 26. Também tinha uma garagempara um grandioso "popó”e hoje está num estado…que até mete dó.
  27. 27. Foi mais uma ruinosa aventuradeste vosso amigo "mouro",que ficou encantadocom a linda Foz doDouro.
  28. 28. F I MImagens e texto recebidos por e-mail de: M. Branco FerreiraMúsica: Dolmabahce MiniComposição: Linito

×