Tarefa 1

674 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
674
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
155
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tarefa 1

  1. 1.  ReflexãoA escola contemporânea tem novos contornos enovos desafios. Nas escolas existem as primeirasgerações que cresceram com o comando à distâncianuma das mãos e o rato na outra, os chamadosnativos digitais ou geração digital, que estão arevolucionar os conceitos de ensino, deaprendizagem e de conhecimento.
  2. 2. A Web, meio por excelência para a construção deconhecimento, interface de encantos edesencantos, permite repensar e construir novasformas de comunicar e ter acesso rápido e flexívelà informação, para aprender e conhecer.Esta modalidade de fazer conhecimento coloca oaluno no centro da sua própria aprendizagem eexige novas competências às escolas, bibliotecas,docentes e professores bibliotecários.
  3. 3. A Web 2.0 pode então ser definida, como dizCarlos Pinheiro e João Paulo Proença, como umanova atitude e como uma nova forma de aspessoas se relacionarem com a internet,possibilitando a interação e a conexão por meiode comunidades de utilizadores, que criamconteúdos e avaliam os que encontram,resultando numa atividade coletiva, uma espéciede cérebro global.
  4. 4. O conceito de web 2.0 também se disseminou àsbibliotecas, como não podia deixar de ser, tornando-asem biblioteca 2.0, termo concebido por Michael Casey,em 2005, sinónimo de uma nova postura de intervençãoe interação, contextualizada com a web 2.0. Maness(2006) aponta algumas características que definem aBiblioteca 2.0 na sua ação perante os utilizadores: Aparticipação do utilizador na criação de conteúdos, adisponibilização de serviços e coleções comcomponentes multimédia, a interação social (síncrona eassíncrona) e a inovação ao serviço da comunidade.
  5. 5. Na sequência do que foi referido e acrescentando avelocidade com que as alterações tecnológicas seprocessam e se diluem no tempo (novas webs),torna-se imperioso, e ao mesmo tempo um grandedesafio, quer para a escola, quer para as bibliotecas,dar respostas atualizadas aos utilizadores, que sãoexigentes, sequiosos e que são os principaisportadores das novidades tecnológicas, nas escolas.
  6. 6. As bibliotecas, para se aproximarem do modelo debiblioteca 2.0 precisam de melhorar os seus serviços,responder às necessidades dos utilizadores; propornovos serviços para angariar novos utilizadores,implicar e envolver os utilizadores e a comunidade,oferecer serviços multimédia atrativos e facilitadoresde interação.As bibliotecas, todos os dias, têm de fechar uma portae abrirem uma nova, não podem cristalizar ou parar notempo, necessitam de acompanhar o desenvolvimentotecnológico, a par e passo, sob pena de ficaremobsoletas, pouco atrativas e não corresponderem àsexpectativas dos seus utilizadores.
  7. 7. Para conseguir que uma biblioteca responda a estesobjetivos, David Lee King, bibliotecário de Topeka &Shawnee County Public Library, apresentou uma teoriaa que chamou “as ondas da biblioteca 2.0”. Kingbaseou-se nas ondas que uma pedra cria ao cair numlago e explicava, desta forma gráfica, a transformaçãode uma biblioteca tradicional numa biblioteca 2.0. Cadaelo crescente da forma gráfica significava a evolução eo enriquecimento das bibliotecas, usando para o efeitoferramentas da web 2.0, tais como: motores de busca,bases de dados on line, correio eletrónico, blogues,conversas digitais, vídeos, podcasting, média, redessociais, wikis, etc.
  8. 8. Em suma, as bibliotecas, para se tornarem embibliotecas 2.0, precisam de dar passos largos naaplicação das ferramentas 2.0, investir na formação equalificação dos recursos humanos existentes, centrara sua ação no utilizador e nos seus interesses,desenvolver a literacia digital, potenciar ambientesdigitais de aprendizagem, promover a interação e aconstrução coletiva de conteúdos, definir políticas decriação de novas ferramentas, novas formas dedisponibilização da informação, novos ambientes decontacto com o público, alargar a coleção a novosformatos, transformar o espaço da BE num ponto deacesso a documentos fora de portas.
  9. 9. A biblioteca escolar é a pedra basilar do conhecimentoe cabe-lhe a séria tarefa de incentivar, acompanhar eapoiar a escola na mudança, enquadrando-se,plenamente, no contexto da sociedade doconhecimento atual e na constante revoluçãotecnológica.http://www.youtube.com/watch?v=6VcxMjUIF50

×