Entrevista a alice vieira

795 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
795
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Entrevista a alice vieira

  1. 1. Entrevista a Alice VieiraIntrodução: Nós vamos fazer os estudos da Alice Vieira, realizando uma entrevista dizendotudo por o que passou na sua infância, como ultrapassou os seus objetivos e muito mais…Jornalista(AJ)-Hoje vamos falar com a escritora Alice Vieira. Olá, podemos entrevistá-la?Alice (TB) – Olá, sim claro!Jornalista (AJ)- Em que ano e onde nasceu?Alice (TB) – Nasci em 20 de Março de 1943 e em Lisboa.Jornalista (AJ)- Como foi a sua infância? Alice (TB) - A minha infância e adolescência foi passada na casa de tios-avós, madrinhas, primas, tudo gente mais velha. Então, por andar de casa em casa comecei a ler livros, por isso desde daí que os meus brinquedos foram os lápis e as borrachas, no entanto aprendi a ler e a escrever sozinha. Foi nos livros que encontrei os amigos que nunca tinha conhecido e aí foi neles que aprendi que só com o trabalho se conseguia o que queria. As minhas tias que cuidavam de mim não me deixavam ir para a escola, mas quando cheguei aos 10 anos teimei com asminhas tias que queria ir para o liceu, e assim foi. Em 1953 entrei para o Liceu Filipa deLencastre e aí passei os meus melhores 7 anos da minha vida. Hoje a minha antiga sala deaula tem o meu nome que é uma coisa que me orgulho muito.Jornalista (AJ)- Já quis alguma vez ser jornalista?Alice (TB) – Sim.Jornalista (AJ)- Porquê?Alice (TB) – Nunca tive o apoio das minhas tias, mas sempre quis lutar por ser jornalista. Jácom 14 anos comecei a enviar textos para um suplemento juvenil que havia no “ Diário deLisboa”. Muitas vezes os textos eram publicados mas outros eram recusados. Uma vez umdos meus poemas foi publicado no próprio corpo do jornal, entregado numa grandereportagem sobre Lisboa. E por isso acabaram por me chamar para lá trabalhar, em 1961.Jornalista (AJ)- Quando estava no jornalismo também estava na faculdade?Alice (TB) – Sim, na mesma altura em que entrei para o jornalismo, foi na mesma altura queentrei para Faculdade de Letras.Jornalista (AJ)- Já teve algum sonho que quis muito e não conseguiu?Alice (TB) – Sim, tive o sonho de ser professora, mas com o jornalismo era um bocadinhoimpossível porque ali aprendíamos no duro, e com os mais velhos, jornalistas e tipógrafos.Com a minha entrada na faculdade comecei a trabalhar no “Centro de Ação Social e
  2. 2. Universitário” como aconteceu aos meus colegas. Por isso ao ser jornalista e ao entrar noCASU é que não consegui seguir o meu sonho.Jornalista (AJ)- Alguma vez se chateou com alguém da sua família?Alice (TB) – Sim, comigo mesma , com os meus pais e a minha família, daí fui ter com aminha tia Maria Lamas, também jornalista, a Paris.Jornalista (AJ)- O que aconteceu quando regressou de Paris?Alice (TB) – Quando regressei de Paris, em 1968, vim com a intenção de começar uma novavida ao lado de um homem, e assim foi, encontrei o grande amor da minha vida, esta foiuma paixão até ao dia em que ele morreu. Vivi com ele 40 anos. Quando o conheci eu tinha25 anos e ele perto de 50 anos. O nome do meu grande amor era Mário Castrim.Jornalista (AJ)- Quais foram os momentos mais felizes da sua vida depois de ter conhecido oseu grande amor?Alice (TB) – Os momentos mais felizes que tive foi quando sobe que estava grávida.Jornalista (AJ)- Quantos filhos teve?Alice (TB) – Tive dois filhos, um rapaz e uma rapariga. O rapaz chama-se André e nasceu1970, e a rapariga chama-se Catarina e nasceu em 1969.Jornalista (AJ)- Quando teve os seus filhos foi quando decidiu ser escritora?Alice (TB) –Sim, foi nessa altura que investi em serescritora profissional escrevendo livros para crianças .Jornalista (AJ)- Tem algum marco para o resto da vida?Alice (TB) – Sim, a um marco que há-de me acompanharpara o resto da minha vida. Que foi, o convite paraintegrar o grupo de 10 pessoas que foram cumprimentar oPapa Bento XVI, no seu encontro com intelectuais noCCB , em Maio de 2010.Jornalista(AJ)- Quando reparou que tinha um domespecial para ser escritora?Alice (TB)- Desde pequeninha que escrevia muito, masnunca pensei ser uma escritora profissional.Jornalista (AJ)- Já sabendo um pouco da sua vida vamosfalar da sua carreira profissional. Quais são os nomes de 6 obras que já fez?Alice (TB) – As minhas 6 obras foram “O Principezinho” , “Leandro, Rei da Helíria”,“Chocolate à Chuva”, “Um fio de fumo nos confins do mar”, “Meia Hora Para Mudar aMinha Vida” e “Rosa minha irmã Rosa” .Jornalista (AJ)- Quantos livros pensa já ter publicado?
  3. 3. Alice (TB) – Penso já ter publicado cerca de 40 livrosJornalista (AJ)- De todos os tipos de livros quais lhe dão mais prazer a escrever?Alice (TB) –O que me dá mais prazer a escrever são os de romance.Jornalista (AJ)- Concluindo que já não iremos perguntar mais nada, o que está a prepararagora?Alice (TB) – Neste momento estou a tentar escrever um romance para os mais novos,baseando nas histórias que a minha neta Adriana inventa para mim.Jornalista (AJ)- Muito obrigada pela sua disponibilidade de nos poder contar um pouco dasua história.Alice (TB) – Obrigada e o prazer é todo meu.Conclusão: Concluímos que com a Alice Vieira pode-se tentar lutar pelos seussonhos e conseguiu ser alguém na vida. Realizado por: Ana Araújo nº 2 7ºG Tatiana Bastos nº 22

×