CaminhoAmigo VerdeJornalSite: www.caminhoamigoverde.com.br - E-mail: falecom@caminhoamigoverde.com.br Junho/Julho - 2013Ca...
Caminho Amigo Verde2Presidente: Clodomar BarbosaPresidente em exercício: Gabriel HassanVice-Prisidente: Camila Nogueira1oT...
Caminho Amigo Verde 3Criar soluções de gestão que garantamsustentabilidade e mobilidade urbana nasgrandes metrópoles. Este...
Caminho Amigo Verde 4Fezes de cachorro vão gerarenergia na Grã-BretanhaDe quebra, sistema de biodigestãopromete dar um fim...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Caminho amigo verde

363 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
363
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caminho amigo verde

  1. 1. CaminhoAmigo VerdeJornalSite: www.caminhoamigoverde.com.br - E-mail: falecom@caminhoamigoverde.com.br Junho/Julho - 2013Caçadores matam os últimos15 rinocerontes de MoçambiqueOs rinocerontes estão oficialmente extintos doterritório de Moçambique, na África. Os últi-mos 15 animais que viviam no Parque GreatLimpopo, que fica na fronteira com a Áfricado Sul e o Zimbábue, foram encontrados mor-tos no mês passado – em 2002, a área de con-servação ambiental tinha uma população de300 rinocerontes.Autoridades ambientais acusam os própriosguardas florestais da reserva de colaborar comos caçadores na busca pelos animais que elesdeveriam proteger. Segundo os administrado-res do Great Limpopo, 30 guardas já estãosendo investigados por corrupção e poderãoresponder judicialmente pelo crime.Os caçadores promovem a matança por contados valiosos chifres dos rinocerontes, que va-lem mais que ouro no mercado negro. A presaé usada na medicina de países asiáticos, comoChina e Vietnã, por seus ditos efeitos de cura.A busca sangrenta pelos chifres já causou, se-gundo levantamento de organizações não-go-vernamentais, a morte de 180 do total de 249rinocerontes de uma reserva na África do Sulsó neste ano.Fonte: Do UOL, em São PauloFotoCrédito:CarlosBassanASecretaria de Serviços Públicos de Cam-pinas finalizou a reestruturação do PontoVerde situado na Rua 13 de Maio, ao ladoda subprefeitura, no distrito de Sousas. Aunidade é disponibilizado aos moradorespara receber materiais recicláveis.Agora, estão sendo reformados os pontosverdes das Vila Costa e Silva, na Rua Sal-danha da Gama s/nº; e do Jardim Bela Vis-ta, na Rua Cônego Pedro Bonhomme. Aprevisão é de conclusão até o final do mês.Segundo o secretário municipal de Servi-ços Públicos, Ernesto Dimas Paulella, es-ses locais fazem parte das ações do gover-no municipal para melhoria da qualidadede vida na cidade. “Os moradores passama contar com um local próprio para rece-ber os resíduos produzidos, que, se foremdespejados em qualquer lugar, degradam omeio ambiente”, destacou.Segundo o chefe de operação dos PontosVerdes e Ecopontos, Marcos Massaratto, areestruturação consiste no fechamento daárea com alambrado, instalação de portãoe paisagismo, além de manter no local umagente ambiental para orientar a popula-ção sobre o horário de funcionamento e otipo de resíduos que podem ser levados aolocal.O Ponto Verde funicona de segunda a sá-bado das 8h às 22h e conta com recipientespara receber papel, plástico, metal, vidro,pequenas quantidades de entulho e galhosde árvores, produzidos por moradores dasproximidades.Esses locais descentralizados de recebi-mento de resíduos são coordenados pelaSecretaria Municipal de Serviços Públi-cos, por meio do Departamento de Limpe-za Urbana (DLU), com o apoio técnico elogístico do Consórcio Tecam.ReciclagemPara os técnicos, os pontos verdes sãomedidas fundamentais na redução da de-gradação de áreas e no aumento de mate-riais para a reciclagem, sem contar que ostrechos onde esse material é jogado ficamcom uma aparência bem desagradável.Os materiais são retirados diariamente dospontos verdes e direcionados a locais apro-priados. O entulho de construção é levadopara a Unidade Recicladora de Materiais; osrecicláveis para as cooperativas de recicla-gens e os pneus são conduzidos ao DLU edepois retirados por equipes ligadas à Asso-ciação Nacional das Indústrias Pneumáticas.Sustentabilidade emobilidade pautam 1º Ciclode ConversasCriar soluções de gestão que garantamsustentabilidade e mobilidade urbananas grandes metrópoles. Este foi oenfoque do primeiro Ciclo “Conversassobre a Mobilidade Urbana” de 2013.Página 03Ponto Verde do distrito de Sousas já estátotalmente reestruturadoFonte: Portal Prefeitura Municipal de CampinasKoos van der Lende/Great Limpopo Transfrontier ParkAssociaçãoCaminho Amigo VerdeFezes de cachorrovão gerar energia naGrã-BretanhaPágina 04
  2. 2. Caminho Amigo Verde2Presidente: Clodomar BarbosaPresidente em exercício: Gabriel HassanVice-Prisidente: Camila Nogueira1oTesoureiro: Agnelo Marcondes2oTesoureira: Patricia TravoltaDiretor de Realações Institucionais: Paulo MaiaDiretora de Manurtenção de Patrimônnio:Maria Aparecida GonçalvesEditor/Diagramador: Gabriel Hassan ZeidanImpressão: gráfica linsTiragem: 3.000 exemplaresEditorialO Jornal informativo Caminho Amigo Verde tem o objetivo de levar Cultura Verdealiada com boas praticas para um mundo melhor.Queremos transmitir coisas boas e de elevado grau cultural a população. Estamos emnosso primeiro exemplar. Somos uma Associação de pessoas para o bem estar do MeioAmbiente e Animal.Iremos apresentar aqui notícias e ensaios culturais que agregue conteúdo.Gabriel Hassan - Editor ChefeCuide bem da naturezaHoje acordei cedo, contempleimais uma vez a natureza.A chuva fina chegava demansinho.O encanto e aroma matinaltraziam um ar de reflexão.Enquanto isso, o meioambiente pedia socorro.Era o homem construindo edestruindo a sua casa.Poluição, fome e desperdíciodeixam o mundo frágil edegradado.Dias mais quentes aquecem o“planeta água”.Tenha um instante com a paz ea harmonia.Reflita e preserve para umaconsciência coletiva.Ainda há tempo, cuide bem danatureza.Gleidson MeloPensar nissoUtilidade Púb. Municipal no5592/85Utilidade Púb Estadual no6358/88www.caminhoamigoverde.com.brColabore com a Associação Caminho Amigo VerdeNossa Associação Ajuda:Preservar a vida na terra átravés dareciclagem de materiais.Preservar a vida animal prestandoauxilio na doação dos mesmo.Preservar o Verde, a Terra, a Aguae os AnimaisSaiba como contribuir acessando nosso site.www.caminhoamigoverde.com.brVenha AprenderAlemãoNão perca a OportunidadeAulas individuais ou em grupoProfessora nativaAdultos e CriançasLocal privilegiando comestacionamento:Rua Soldano Percilio Neto, 567Pq. TaquaralPara Anunciar Aqui em nosso jornalentre em Contato19 93585702contato@caminhoamigoverde.com.br
  3. 3. Caminho Amigo Verde 3Criar soluções de gestão que garantamsustentabilidade e mobilidade urbana nasgrandes metrópoles. Este foi o enfoque doprimeiro Ciclo “Conversas sobre a Mobi-lidade Urbana” de 2013. O encontro, rea-lizado na tarde desta quinta-feira, dia 9 demaio, no Centro de Educação Profissionalde Campinas (Ceprocamp) “Prefeito Antô-nio da Costa Santos”, reuniu especialistasem meio ambiente, planejamento, urbanis-mo e transportes.Com o tema “O Papel da Mobilidade Urba-na na Construção de Cidades Sustentáveis:Desafios de Gestão”, o ciclo foi mediadopelo secretário de Transportes e presiden-te da Empresa Municipal de Desenvolvi-mento de Campinas (Emdec),Sérgio Benassi. Na mesatambém estavam o econo-mista Josmar Cappa; RogérioMenezes, secretário do Verdee Desenvolvimento Susten-tável; e a diretora do Depar-tamento de Planejamento daSecretaria de Planejamentoe Desenvolvimento Urbano,Maria Célia Caiado.Cerca de 90 pessoas assistiram ao debate,com destaque para duas turmas de estu-dantes do Ceprocamp, uma de técnica desegurança do trabalho e outra de técnicaadministrativa. Um intérprete de Libras re-alizou a tradução das falas para deficientesauditivos.Na abertura do evento, Sérgio Benassi des-tacou que a mobilidade urbana é um itemfundamental no cotidiano da população egrande preocupação das administraçõesmunicipais. “Os temas Saúde, Educação,Transportes e Mobilidade Urbana sempresão enfocados nas campanhas políticas,tanto municipais como estaduais e nacio-nais”.ApresentaçõesJosmar Cappa apresentou a palestra “Trans-porte como infraestrutura estratégica naeconomia do século XXI”. Cappa afirmouque “na distribuição de mercadorias, a inte-gralidade dos diversos modais de transportecontribui para uma mobilidade sustentável,na medida em que despende menos energiae menos tempo de deslocamento”.O economista também enfatizou o papelestratégico do Aeroporto Internacional deViracopos, na movimentação de cargas; e aimportância de manter a fluidez viária paraatingir o sítio aeroportuário. “Caso contrá-rio, ele perde competitividade e se torna umgrande problema”.Maria Célia, do Pla-nejamento, enfocouos problemas que aurbanização espraia-da provoca nas cida-des, principalmentecom efeitos negativosna Mobilidade Urba-na e no meio ambien-te. “Temos que terconsciência da importância de se rompercom o hábito de expandir as cidades e pen-sar em municípios compactos; caso con-trário, nunca daremos conta de garantir aMobilidade e a Sustentabilidade”.Já o secretário Rogério Menezes discorreusobre a dinâmica econômica dos municípiose a relação com o meio ambiente, principal-mente com os recursos hídricos. “O maiordesafio do planeta é repensar as cidades sobuma nova ótica. A Mobilidade Urbana é ocoração da Cidade Sustentável. Mobilidadesignifica saúde e opção pelo coletivo, emdetrimento do individual”, afirmou.Sustentabilidade e mobilidadepautam 1º Ciclo de ConversasCiclo de ConversasPromovido pela Emdec desde 2009, o Ciclo deConversas é um fórum permanente de debates,que reúne vários segmentos sociais e represen-tantes do meio acadêmico, analisando temas rela-cionados à Mobilidade Urbana. Ele estimula par-cerias que buscam a redução da acidentalidade emelhoria da qualidade de vida no município.Os temas são discutidos de maneira transversal,entre diferentes órgãos. A iniciativa estabeleceuparcerias com universidades e faculdades do mu-nicípio, além do Ministério da Saúde e Ministériodas Cidades.O tema do próximo Ciclo de Conversas, assimcomo convidados e data do debate, serão divulga-dos futuramente.Creditos foto : Prefeitura Municipal de CampinasDepoimentosAs estudantes do Ceprocamp Beatriz Chaves, 18,Tainara Marques, 18, e Letícia Soares, 17, assisti-ram ao Ciclo. Elas fazem parte do curso de técnicaadministrativa.Beatriz disse que o debate “foi muito interessante,pois mostrou a interligação entre transporte, econo-mia, planejamento e meio ambiente”. Tainara se sur-preendeu com os “dados grandiosos do Aeroportode Viracopos”.Para Letícia, o destaque foi a importância econômi-ca de se manter a fluidez nas rodovias.Na abertura doevento, SérgioBenassi destacou quea mobilidade urbana éum item fundamentalno cotidiano dapopulação
  4. 4. Caminho Amigo Verde 4Fezes de cachorro vão gerarenergia na Grã-BretanhaDe quebra, sistema de biodigestãopromete dar um fim inteligente aum problema que atormenta grandeparte da população: a sujeira nasruasE se as fezes do seu cachorro pudessem ser usadas paragerar energia e garantir a iluminação de ruas e praçasda cidade? Essa é a proposta de um inovador sistema deenergia renovável previsto para ser inaugurado em julho,na Grã-Bretanha. Carinhosamente apelidado de “PoopyPower”, o projeto pretende transformar o cocô dos ani-mais em bioenergia, para ser usada de forma gratuita.wwwDe quebra, o esquema promete dar um fim inteligente aum problema que atormenta grande parte da população,a saber, o emporcalhamento dasruas, uma vez que não são todosos donos que recolhem a sujeirado bichinho do chão.Anualmente, mais de 700 mil to-neladas de fezes de cachorro sãoretiradas das ruas e enviadas paraa terros sanitários na Grã-Breta-nha, um processo que custa 72,5milhões de libras aos cofres públi-cos, segundo o jornal Daily Mail.Por trás dessa empreitada, está aempresa especializada em biodigestores Streetkleen, quetem a sua frente um ex-banqueiro de Manhathan aficio-nado pelo negócio, Gary Downie. Ele foi um dos pio-neiros a usar fezes de cachorro para gerar energia com-plementar para grandes consumidores no campo, comoindústrias. Agora, ele quer implementar o primeiro pro-jeto do tipo em escala comercial nos centros urbanos.Na prática, o projeto funciona do seguinte modo: o donorecolhe o excremento do animal do chão e, ao invés dejogá-lo no lixo, deposita o cocô em um coletor especialque está conectado ao sistema biodigestor, localizadono subsolo, onde as fezes são transformadas em meta-no, CO2 e fertilizante. A energia gerada então pode serusada na iluminação pública da cidade e em sistemas deaquecimento, tudo de forma gratuita.Ao invés de cobrar pelo fornecimento de energia, a em-presa prevê fatur com a cobran-ça de uma taxa para realizar abiodigestão e também com avenda de créditos de carbono,uma vez que, ao transformar asfezes em energia, ao invés demandá-las para o aterro, esta-ria evitando a emissão de gasesefeito estufa na atmosfera, vi-lões do aquecimento global.Em entrevista ao jornal TheIndependent, o idealizador doprojeto diz que cada toneladade excrementos mantidos fora do aterro vai evitar emis-sões 450 kg de gases de efeito estufa.Ao invés de cobrar pelofornecimento de energia, aempresa prevê faturar com acobrança de uma taxa para realizara biodigestão e também com avenda de créditos de carbono, umavez que, ao transformar as fezesem energia.Públicação: Vanessa BarbosaExame.com - 06/05/2013

×