Gestão de Frotas em power point

390 visualizações

Publicada em

Gerenciamento e Liderança

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
390
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de Frotas em power point

  1. 1. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 1 LOG019 - Gestão de Frotas Tecnólogo Marco Antonio Araujo Amaral Apostilas 1 e 2 amaral192@hotmail.comamaral192@hotmail.com 1 Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística
  2. 2. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística REVISÃO 2
  3. 3. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Historia do Transporte Rodoviário • As primeiras rodovias brasileiras surgiram no século XIX, mas a ampliação da malha rodoviária ocorreu no governo Vargas (1932), com a criação do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) em 1937 e, mais tarde, com a implantação da indústria automobilística • Na segunda metade da década de 1950, a aceleração do processo de industrialização e a mudança da capital federal para Brasília. A partir daí a rede rodoviária se ampliou de forma notável e se tornou a principal via de escoamento de carga e passageiros do país. • Na década de 1980, o crescimento acelerado deu lugar à estagnação. A perda de receitas, com a extinção, em 1988, do imposto sobre lubrificantes e combustíveis líquidos e do imposto sobre serviços de transporte rodoviário, impediu a ampliação da rede e sua manutenção. • Em 1997, concessão de trechos de rodovias à iniciativa privada 3
  4. 4. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Agência Reguladora • Cabe à ANTT, como atribuições específicas pertinentes ao Transporte Rodoviário de Cargas, promover estudos e levantamentos relativos à frota de caminhões, empresas constituídas e operadores autônomos, bem como organizar e manter um registro nacional de transportadores rodoviários de carga (RNTRC) • O Transporte Rodoviário de Cargas está dispensado de qualquer tipo de concessão, permissão ou autorização do Poder Público, estando regido em regime de Livre Concorrência 4
  5. 5. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Condições das Rodovias Brasileiras • Pelas estradas nacionais circulam 17,9 milhões de automóveis, 3,087 milhões de comerciais leves, 1,17 milhão de caminhões e cerca de 258 mil ônibus. Mais de 60% do transporte de cargas é realizado através das rodovias. • O estado de conservação, pavimentação e sinalização das rodovias em geral é bastante deficiente. Com a privatização de 5,5 mil quilômetros, sob o regime de concessão, as condições de alguns trechos melhoraram, de forma significativa, no que diz respeito à segurança, sinalização e estado do piso. 5
  6. 6. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Condições da Rodovias Brasileiras 0 10 20 30 40 50 60 Estradas Federais 33% Estradas Estaduais 55% Estradas Municipais 12% 6
  7. 7. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Infra-estrutura • Segundo estudo da Confederação Nacional do Transporte(CNT), em 1999 eram cerca de 164,213 mil km de rodovias pavimentadas sobre um total de 1,725 milhão de km de rodovia. O estado de conservação é avaliado como péssimo, ruim ou deficiente em aproximadamente 78% da sua extensão. 7
  8. 8. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Estado de Conservação das Rodovias 8
  9. 9. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Rodovias • Rodovias radiais: BR-0xx - rodovias que partem da capital federal em direção aos extremos do país • Rodovias longitudinais: BR-1xx - rodovias que cortam o país na direção Norte-sul • Rodovias transversais: BR-2xx - rodovias que cortam o país na direção leste-oeste • Rodovias diagonais: BR-3xx - rodovias podem apresentar dois modos de orientação: noroeste-sudeste ou nordeste-sudoeste • Rodovias de ligação: BR-4xx - rodovias apresentam-se em qualquer direção. OBS: Existem algumas rodovias com a nomenclatura: BR-6xx - Estas são de pouca extensão. 9
  10. 10. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Tipos mais comuns de Carretas utilizadas no transporte Rodoviário • Sider • Baú fechado • Tanque (Cargas líquidas a granel) • Basculante (Cargas a granel que precisam ser despejadas) • Frigorífica • Cegonheira • Porta-container 10
  11. 11. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Tipos de carretas 11
  12. 12. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Tipos de carretas (cont.) 12
  13. 13. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Tipos de carretas (cont.) 13
  14. 14. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Problemas Estruturais • Excessivo número de empresas no setor, o que provoca acirramento da competição e perda no poder de barganha junto aos Clientes • Má conservação das estradas • Roubo de cargas • Idade da frota dos caminhões • Pesada carga tributária • Pouca carga de retorno • Altos tempos de espera (carga e descarga) 14
  15. 15. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Vídeo • Posto de Pesagem de Paracambi (Rodovia Presidente Dutra – BR116) 15
  16. 16. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 16 Parte 1 - Dimensionamento da Frota Dados do veículo – peso do chassi: 5.400 kg; – peso bruto total do veículo: 35.000 kg; – peso do semi-reboque : 7250 kg; – peso de outros equipamentos: 350 kg; – velocidade operacional (ida): 55km/h – velocidade operacional (volta): 70 km/h
  17. 17. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 17 Dimensionamento da Frota Dados da carga • tipo de carga a ser transportada: milho; • peso específico da carga quando granel: 1000 kg/ m3 ; • carga mensal a ser transportada: 30.000 t no mês.
  18. 18. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 18 Dimensionamento da Frota Dados operacionais: • tempo de carga e descarga: 80 min. na ida 0 na volta; • distância a ser percorrida: 414 km na ida e 430 km na volta • jornada útil de um dia de trabalho: 8 h • número de turnos de trabalho por dia: 2 • número de dias úteis de trabalho por mês: 25 dias • número de dias previstos para manutenção por mês: 2 dias
  19. 19. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Cálculos • Quantidade de veículos / mês • Capacidade total da frota • Diferença (folga) 19
  20. 20. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Cálculo da Quilometragem • Quilometragem Diária do Veículo = (Distância de Ida + Distância de Volta) x Viagens Possíveis no Dia • Quilometragem Mensal do Veículo = Dias de Operação x Quilometragem Diária do Veículo 20
  21. 21. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Cálculo do Consumo de Combustível para a Frota • Consumo de combustível mensal por veículo = Quilometragem Mensal do Veículo / consumo decombustível • Custo de Consumo mensal por veículo = Consumo de combustível mensal por veículo x Custo do combustível 21
  22. 22. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Fonte: BEN 2009 - Ministério de Minas e Energia Análises: Instituto ILOS Ano Produção/Consumo de óleo diesel (milhões m³) Produção Total Consumo Total Consumo Transporte Cons. Setor Rodoviário 1998 29,4 34,8 26,8 26,0 1999 31,5 36,2 27,3 26,5 2000 31,3 36,4 28,3 27,5 2001 32,4 38,0 29,3 28,4 2002 32,8 38,7 30,0 29,1 2003 35,4 38,3 29,6 28,6 2004 39,2 40,7 31,6 30,6 2005 38,4 40,4 31,5 30,4 2006 38,7 40,6 32,0 30,9 2007 39,5 42,8 33,9 32,7 2008 42,2 46,4 36,2 35,0 2009 44,0 45,5 35,8 34,6 Setor Consumo de óleo diesel (milhões m³) Transportes 35,8 Agropecuário 6,5 Industrial 0,8 Setor Energético 0,2 Público 0,1 Comercial 0,1 Total 43,5 Fonte: BEN 2010 - Ministério de Minas e Energia Análises: Instituto ILOS Análise do impacto do combustível noAnálise do impacto do combustível no transportetransporte 22
  23. 23. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 23Transporte de Cargas
  24. 24. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Organização da Frota • Organizar a frota • Ações de planejamento e controle • Organização dos processos • Rastreabilidade das ações 24
  25. 25. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Cadastro da Frota 25 Manutenção Dimensionamento Controle
  26. 26. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Deve constar do cadastro dos veículos • Modelo, fabricante, ano, data de aquisição, Lista de peças; • Informações sobre pneus, acessórios, equipamentos, últimos procedimentos de manutenção; • Capacidade de carga, consumo, fotos e aspecto físico 26
  27. 27. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Organização de Processos 27
  28. 28. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Identificação Visual dos Veículos 28
  29. 29. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Por que rastrear a Frota? 29
  30. 30. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 30
  31. 31. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Exercícios • Bom divertimento!!! 31

×