Gestão de Frotas - 03

272 visualizações

Publicada em

Gerenciamento e Liderança

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de Frotas - 03

  1. 1. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 1 Gestão de Frota Apostila 4 Tecnólogo Marco Antonio Araujo Amaral (Autoria: Prof. Moisés Diniz) Amaral192@hotmail.com 1 Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas
  2. 2. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 2 TÓPICOS ESPECIAIS EM LOGÍSTICA
  3. 3. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 3 • TRANSPORTES ESPECIAIS • TRANSPORTES DE PRODUTOS PERIGOSOS • IÇAMENTOS • REMOÇÕES INDUSTRIAIS • EXCESSO DE PESO - LEI DA BALANÇA • SEGUROS
  4. 4. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes especiais • É a movimentação, operação e transporte de máquinas, equipamentos, partes ou peças com características especiais (indivisíveis), sejam por dimensões ou por peso, os quais precisam ser movidos de um ponto para o outro. Disciplina: Gestão de frotas 4 Definição:
  5. 5. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística • Como todo e qualquer tipo de operação logística, precisa ser muito bem planejada e elaborada. • Todos os pontos precisam ser bem estudados e definidos. • Todas as possibilidades precisam ser consideradas, por mais insignificantes que possam parecer. • Todas as dimensões da carga precisam ser verificadas e confirmadas. • O trajeto precisa ser definido e todas as medidas de altura de passarelas e viadutos precisam ser confirmadas. Disciplina: Gestão de frotas 5 Transportes especiais
  6. 6. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 6 Transportes especiais
  7. 7. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS 7 Os equipamentos necessários para a execução dos transportes especiais, por definição, precisam ser também especiais, adequados às dimensões de cada tipo de carga: •Carretas plataforma. •Carretas pranchas. •Carretas pranchas rebaixadas. •Linhas de eixo simples, duplas ou combinadas. •Carretas extensivas.
  8. 8. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 8 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Carretas Plataformas: São equipamentos utilizados para cargas com excesso de comprimento, sem excesso de peso
  9. 9. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 9 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Carretas Pranchas: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões e peso.
  10. 10. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 10 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Carretas Pranchas Rebaixadas: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões e peso, indicadas para excesso em peso e altura.
  11. 11. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 11 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAISEQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Linhas de Eixo Simples: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões e peso, indicadas para excesso em peso.
  12. 12. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 12 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Linhas de Eixo Dupla: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões e peso, indicadas para excessos em peso e largura.
  13. 13. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 13 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Linhas de Eixo Múltiplas: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões e peso, indicadas para excesso em peso e Comprimento.
  14. 14. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 14 EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTES ESPECIAIS Carretas Extensivas: São equipamentos para cargas com excessos nas dimensões, indicadas para excesso em Comprimento.
  15. 15. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 15 Transportes especiais O transporte de cargas com dimensões especiais ou excesso de peso ainda exige a emissão de uma licença específica para as vias federais, estaduais e municipais, que é chamada de “AET”, Autorização Especial para Transporte. A AET é emitida pelo DNIT quando em vias federais, pelo DER quando em vias estaduais e pelas prefeituras, quando em vias municipais.
  16. 16. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 16 Transportes especiais Ainda existe a necessidade de contratação de batedores quando a licença exigir, que pode ser somente por empresas credenciadas ou até mesmo com necessidade de batedor da PRF, polícia rodoviária federal. Também pode ser exigido o estudo de viabilidade, dependendo do PBT (Peso Bruto Total, soma do peso de todos os equipamentos e da carga).
  17. 17. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes especiais O transporte de equipamentos com necessidades específicas deve ser muito bem estudado e elaborado, pois qualquer item não considerado no levantamento de dados, pode levar a um erro de execução que dificilmente poderá ser resolvido, e que, poderá acarretar até em prejuízo e sansões coercitivas pelas autoridades. Disciplina: Gestão de frotas 17
  18. 18. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes especiais Disciplina: Gestão de frotas 18
  19. 19. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Disciplina: Gestão de frotas 19
  20. 20. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos O transporte de produtos perigosos tem a sua regulamentação através dos decretos: •O transporte rodoviário de produtos perigosos por vias públicas, é disciplinado pelo Decreto no 96.044, de 18 de Maio de 1988. •O transporte ferroviário de produtos perigosos, pelo Decreto 98.973, de 21 de fevereiro de 1990 (alterados pelo Decreto 4.097 de 23 de Janeiro 1990). Disciplina: Gestão de frotas 20
  21. 21. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Esses Decretos são complementados pelas: Instruções aprovadas pela Resolução ANTT no 420, de 12 de Fevereiro de 2004, e suas alterações (Resoluções ANTT nº 701/04, nº 1.644/06, nº 2.657/08 e nº 2.975/08), sem prejuízo do dispostos em legislação e disciplina peculiares a cada produto. A Portaria MT 349/02 aprova as Instruções para a Fiscalização do Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos no Âmbito Nacional. O Decreto–Lei 2.063, de 06 de outubro de 1983, dispõe sobre multas a serem aplicadas por infrações à regulamentação para o transporte rodoviário de cargas ou produtos perigosos. Disciplina: Gestão de frotas 21
  22. 22. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos A Resolução ANTT nº. 1.573, de 10 de agosto de 2006, institui o regime de infrações e penalidades do transporte ferroviário de produtos perigosos. A Resolução ANTT nº 420/04, dentre outras exigências requeridas para a realização dessa atividade, dispõe sobre: Classificação (do Capítulo 2.0 até o 2.9); Relação de Produtos Perigosos (Capítulo 3.2); Provisões Especiais Aplicáveis a Certos Artigos ou Substâncias (Capítulo 3.3); Produtos Perigosos em Quantidade Limitada (Capítulo 3.4), Disposições Relativas a Embalagens e Tanques e Exigências para Fabricação (Partes 4 e 6); Marcação e Rotulagem (Capítulo 5.2); Identificação das Unidades de Transporte e de Carga (Capítulo 5.3); Documentação (Capítulo 5.4); Prescrições Relativas às Operações de Transporte (Parte 7). Disciplina: Gestão de frotas 22
  23. 23. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos O transporte de produtos perigosos deve ser efetuado por veículos adequados e identificados com painéis e rótulos de segurança, ainda devem estar munidos da Ficha de Emergência (FE) e do envelope de segurança. Disciplina: Gestão de frotas 23
  24. 24. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Painéis de segurança: São placas afixadas ao veículos em suas laterais, frente e traseira, com posicionamento adequado e com dimensões especificadas por legislação. Disciplina: Gestão de frotas 24
  25. 25. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Rótulos de Risco: São Painéis afixados nos veículos que identificam a reação química do produto, como as placas de risco obedecem legislação específica de dimensões e posicionamento. Disciplina: Gestão de frotas 25
  26. 26. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos O posicionamento das placas e dos painéis de risco devem obedecer à legislação, conforme figura abaixo: Disciplina: Gestão de frotas 26
  27. 27. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Além de toda documentação que deve acompanhar a carga, ainda existe a obrigatoriedade da Ficha de Emergência, que contém todas as informações úteis para as equipes de salvamento e resgate em caso de acidentes, e do Envelope de Segurança, que contém a identificação do produto, fabricante, e telefones de contato das autoridades e de serviços de socorro e resgate. Disciplina: Gestão de frotas 27
  28. 28. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Ficha de Emergência: Disciplina: Gestão de frotas 28
  29. 29. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Envelope de Segurança: Disciplina: Gestão de frotas 29
  30. 30. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Ainda é necessário que o veículo esteja equipado com o Kit de Emergência, que contem todos os equipamentos necessários para manuseio, operação e resgate em caso de acidentes ou emergências: Disciplina: Gestão de frotas 30
  31. 31. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Os motoristas que operam veículos para transporte e movimentação de produtos perigosos precisam de treinamento específico e certificação por empresa credenciada, que é a certificação de curso MOPP (Movimentação e Operação com Produtos Perigosos). Disciplina: Gestão de frotas 31
  32. 32. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Para o manuseio e operação com produtos perigosos os profissionais devem fazer uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) para resguardar a sua segurança: Os motoristas devem ser devidamente orientados e treinados na utilização de EPIs, caso contrário não saberão quais os equipamentos adequados para cada situação. Disciplina: Gestão de frotas 32
  33. 33. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Disciplina: Gestão de frotas 33
  34. 34. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Os veículos também precisam estar em conformidade com a legislação, para tanto necessitam também de serem certificados em empresas credenciadas junto ao Inmetro, que emitem os certificados CIPP (Certificado de Inspeção de Produtos Perigosos) e CIV (Certificado de Inspeção Veicular). Disciplina: Gestão de frotas 34
  35. 35. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Certificação CIPP, é emitida por entidade credenciada junto ao Inmetro, que atesta a capacidade do veículo em operar com produtos químicos e perigosos. Disciplina: Gestão de frotas 35
  36. 36. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Certificação CIV, também é emitida por entidade credenciada junto ao Inmetro, que atesta a capacidade do veículo quanto à segurança, manutenção e conservação para o transporte de produtos químicos e perigosos. Disciplina: Gestão de frotas 36
  37. 37. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Como o próprio nome diz, o transporte e operação com produtos perigosos requer conhecimento técnico e equipamentos adequados, o simples fato de se colocar materiais (produtos) diferentes que apresentam incompatibilidade entre eles pode, por si só, representar grave risco de acidentes, bem como o resgate inadequado pode ainda agravar os danos já ocasionados. Disciplina: Gestão de frotas 37
  38. 38. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Movimentação e operação de produtos químicos e perigosos por pessoa não habilitada, risco de acidentes pessoais: Disciplina: Gestão de frotas 38
  39. 39. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos Movimentação e operação de produtos químicos e perigosos por veículo ou pessoa não capacitados, risco de acidentes graves: Disciplina: Gestão de frotas 39
  40. 40. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Transportes de Produtos Perigosos O transporte de produtos perigosos ainda pode causar sérios danos ao meio ambiente, com manuseio inadequado, derramamento por acidente ou até mesmo por desleixo no descarte de embalagens vazias. Disciplina: Gestão de frotas 40
  41. 41. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Içamento é a operação logística de elevação de cargas indivisíveis, sejam elas peças únicas ou equipamentos montados, podendo ser transpostas do nível do solo ou sub-solo até o topo de altos edifícios. Remoção industrial é a operação logística utilizada para movimentação de máquinas e equipamentos montados ou de suas partes que não possam ser desmontadas, os quais podem ser retirados até mesmo de dentro de galpões fechados, onde são utilizados equipamentos especiais, sendo executado por uma equipe especializada. 41
  42. 42. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos A elevação de cargas pode ser realizada com a utilização de diversos equipamentos, sejam eles gruas, guindastes, guindautos, talhas, pontes rolantes, etc. A seguir apresentaremos alguns deles: Disciplina: Gestão de frotas 42
  43. 43. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Gruas são equipamentos específicos para elevação de cargas fixos, montados sobre estruturas presas ao solo ou ao topo de construções, podem ser de diversas capacidades, que se aplicam a todos os tipos de cargas, as quais podem ser içadas diretamente ou com utilização de acessórios especiais. Disciplina: Gestão de frotas 43
  44. 44. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Guindastes são equipamentos específicos para elevação de cargas montados sobre chassi de um veículo, podem ser de diversas capacidades, podendo ser autopropelidos ou não, que se aplicam a todos os tipos de cargas, as quais podem ser içadas diretamente ou com utilização de acessórios especiais. Disciplina: Gestão de frotas 44
  45. 45. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Guindautos são equipamentos específicos para elevação de cargas montados sobre chassi de um caminhão, comumente chamado de MUNCK, entre a cabine e a carroceria, podem ser de diversas capacidades, que se aplicam a todos os tipos de cargas, as quais podem ser içadas diretamente ou com utilização de acessórios especiais. Disciplina: Gestão de frotas 45
  46. 46. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Talhas são equipamentos específicos para elevação de cargas que podem ser fixadas em qualquer estrutura que possa suportar o peso da carga, podem ser de diversas capacidades, podendo ser mecânicas ou elétricas,que se aplicam a cargas de pequenas dimensões, as quais podem ser içadas diretamente ou com utilização de acessórios especiais. Disciplina: Gestão de frotas 46
  47. 47. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Pontes rolantes são equipamentos específicos para elevação de cargas que são montadas sobre trilhos suspensos ou não, podendo ser utilizado no interior de galpões ou em área externa, podem ser de diversas capacidades, que se aplicam a cargas diversas, as quais podem ser içadas diretamente ou com utilização de acessórios especiais. Disciplina: Gestão de frotas 47
  48. 48. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Içamentos Equipamentos específicos para içamento: •Estropos. •Cintas. •Cabos de aço. •Correntes. •Lingadas. •Aranhas. •Moitões. Disciplina: Gestão de frotas 48
  49. 49. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Remoções Industriais A Remoção industrial é a atividade de movimentação para a retirada ou instalação de máquinas e equipamentos de médio e grande porte de áreas onde não se pode efetuar o içamento, sendo utilizados equipamentos apropriados e equipe altamente treinada, com conhecimento técnico e habilidade. Disciplina: Gestão de frotas 49
  50. 50. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Remoções Industriais Pode ser utilizada também para a carga e descarga de equipamentos em áreas de difícil acesso aos equipamentos de içamento, ou que sejam sensíveis a movimentações, ou que necessitem de alinhamento ou nivelamento adequado. Disciplina: Gestão de frotas 50
  51. 51. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Remoções Industriais Para as remoções industriais são utilizados materiais, acessórios e equipamentos apropriados para o deslocamento com segurança das máquinas e equipamentos que não possam ser desmontados, são eles: •Macacos hidráulicos; •Tartarugas; •Roletes; •Movimentadores; •Paleteiras; •Talhas, etc. Disciplina: Gestão de frotas 51
  52. 52. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Remoções Industriais Disciplina: Gestão de frotas 52 Equipamentos e acessórios:
  53. 53. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Remoções Industriais Na maioria das vezes as atividades de transportes especiais, de içamento e de remoção industrial ocorrem em simultaneidade, pois alguns equipamentos estão em locais de difícil acesso para os equipamentos de transporte e de içamento. Disciplina: Gestão de frotas 53
  54. 54. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Excesso de peso – Lei da Balança Disciplina: Gestão de frotas 54 O fator de maior impacto sobre a conservação das estradas brasileiras é o excesso colocado sobre os veículos de carga, que ocasionam o desgaste prematuro da pavimentação.
  55. 55. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 55 Excesso de peso – Lei da Balança Contran aprova a Resolução no 258/07, que fixa definitivamente as tolerâncias de peso e revoga as resoluções nos 102, 104 e114, todas editadas em 1999 como fruto da greve dos autônomos. Estas Resoluções eram consideradas muito tolerantes pelos técnicos e até ilegais por alguns juristas. Por isso, no novo diploma, o assunto voltou a ser tratado á luz do atual Código de Trânsito Brasileiro.
  56. 56. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 56 Excesso de peso – Lei da Balança O objetivo: A Resolução no 258 regulamenta, finalmente, o artigo 323 do CTB, lei que entrou em vigor em 1998. Inserido no capítulo das Disposições Transitórias, este artigo fixava prazo de 180 dias para o Contran estabelecer a metodologia de aferição de peso dos veículos.
  57. 57. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 57 Excesso de peso – Lei da Balança Tolerância por eixo volta a ser de 5% Uma das principais modificações em relação ao sistema atual é que a tolerância por eixo volta a ser de 5%, a partir de 1o de janeiro de 2009. Haverá, portanto, prazo de um ano para que os operadores, especialmente os de carga líquida, se ajustem à nova tolerância. A tolerância para o peso bruto permanece sendo de 5%, conforma já determinava, em 1985, a lei 7.408, do deputado Denisar Arneiro.
  58. 58. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 58 Excesso de peso – Lei da Balança Volta da multa por eixo Introdução da multa progressiva Com o novo regulamento, entram em vigor imediatamente a multa progressiva prevista no inciso V do artigo 231 do CTB, que estavam suspensos pelo artigo 323 do CTB até a fixação da nova metodologia de aferição de pesos. Isso significa que à multa inicial de 80 UFI (R$ 85,13) não mais serão acrescidas 20 UFIR (R$ 21,28) por 200 kg ou fração. Este acréscimo passará a variar de R$ 5,32 (5 UFIR) a R$ 53,20 (50 UFIR) por 200 kg ou fração, conforme tabela abaixo: ACRÉSCIMO POR 200 KG OU FRAÇÃO DE EXCESSO APURADO 1 UFIR = R$ 1,0641
  59. 59. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Disciplina: Gestão de frotas 59 Excesso de peso – Lei da Balança Um recurso utilizado pelas empresas transportadoras, é a utilização de Dole Intermediário, que auxilia na distribuição do peso da carga pelos eixos.

×