1
GESTÃO DE FROTAS
LOG019 – Parte 3
UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROFESSOR JOSÉ DE SOUZA HERDY
CSA - ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS
LOG019– GESTÃO DE ...
4.4 MANUTENÇÃO LEVE
Entende-se por manutenção leve os procedimentos realizados em
postos, tais como: Lavagem; lubrificação...
Ao encaminhar o veículo para troca do óleo, o gestor poderá retirar a
etiqueta velha e fixá-la na ordem de serviço, evitan...
Responsabilidades no abastecimento da frota:
4.6 REQUISITOS E RESPONSABILIDADES DAS OFICINAS
São considerados pré-requisit...
Tendo em vista toda a infraestrutura oferecida se espera que a oficina
desenvolva as seguintes atribuições:
• Executar os ...
chamado FMS-Standard, em 2002, que permite a implementação de outras
funcionalidades ou aplicações extras de comunicação. ...
alertado, comunicar-se com o condutor e ou potencialmente desativar o
veículo.
5.5 CARTÕES DE FROTA
Os cartões de frota (T...
5.1 CUSTOS NA GESTÃO DE FROTA
O gestor deve estar sempre bem informado sobre os aspectos
relacionados aos custos com a fro...
10
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gestão de Frotas - 03

65 visualizações

Publicada em

Gerenciamento e Liderança de Frotas

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
65
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de Frotas - 03

  1. 1. 1 GESTÃO DE FROTAS LOG019 – Parte 3
  2. 2. UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO - PROFESSOR JOSÉ DE SOUZA HERDY CSA - ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS LOG019– GESTÃO DE FROTAS 4.3 ORGANIZAÇÃO DA OFICINA Uma filosofia interessante para embasar o processo de organização da oficina consiste na adoção do "5S" que é uma prática desenvolvida no Japão e ocidentalizada como "Housekeeping" e sua denominação é devido as cinco palavras iniciadas pela letra "S", quando pronunciadas em japonês: 2
  3. 3. 4.4 MANUTENÇÃO LEVE Entende-se por manutenção leve os procedimentos realizados em postos, tais como: Lavagem; lubrificação, trocas de óleos, etc, estes devem ser controlados por um sistema informatizado, visando assegurar a correta aplicação dos recursos, e o controle eficaz e descomplicado, dos serviços de manutenção. Algumas empresas para auxiliar e agilizar o controle periódico das trocas de óleos, filtros mantém uma etiqueta adesiva com dados atualizados e fixada em local visível no veículo. 3
  4. 4. Ao encaminhar o veículo para troca do óleo, o gestor poderá retirar a etiqueta velha e fixá-la na ordem de serviço, evitando que a etiqueta com dados desatualizados permaneça no veículo. 4.5 ABASTECIMENTO DA FROTA As atividades de abastecimento da frota também merecem destaque especial nos procedimento de Gestão, tendo em vista que o alto valor empregado em combustíveis os torna suscetíveis de práticas irregulares por parte dos colaboradores e até mesmo de empresas parceiras. O uso de softwares para controle bem como sistemas digitais de pagamento como ticket cars, por exemplo, auxiliam muito o gestor nessas tarefas. 4
  5. 5. Responsabilidades no abastecimento da frota: 4.6 REQUISITOS E RESPONSABILIDADES DAS OFICINAS São considerados pré-requisitos para a execução dos serviços de manutenção da frota de veículos os seguintes requisitos mínimos: • Boxes de serviços cobertos e delimitados, pátio pavimentado, dotados de bancadas de alvenaria com revestimento cerâmico; • Equipamentos eletrônicos apropriados para aferições e regulagens de motores, balanceamentos e geometrias de rodas; • Dispor de ferramentaria atualizada para atendimento da frota da respectiva categoria; • Área física adequada à prestação dos serviços de manutenção; • Equipe técnica preferencialmente uniformizada; 5
  6. 6. Tendo em vista toda a infraestrutura oferecida se espera que a oficina desenvolva as seguintes atribuições: • Executar os serviços de manutenção preventiva e corretiva de acordo com sua especialidade, com fornecimento de peças, componentes e demais materiais destinados à manutenção da frota de veículos; • Orçamentos com quantitativos e descrições de peças, componentes, materiais e serviços de forma clara e inquestionável; • Responsabilizar-se por todo e qualquer dano ou prejuízo causado por ela, seus colaboradores, direta ou indiretamente, inclusive aos decorrentes de serviços prestados ou peças fornecidas com vícios ou defeitos, durante os prazos de validade das garantias; • Assumir a responsabilidade pelos veículos incluindo todos os pertences, acessórios e objetos neles contidos. 5 DISPOSITIVOS, TECNOLOGIAS E SISTEMAS APLICADOS NA GESTÃO DE FROTAS 5.1 SISTEMA DE TRACKING DE VEÍCULOS Os sistemas de tracking de veículos são dispositivos eletrônicos instalados nos veículos para permitirem o monitoramento destes veículos pelos seus proprietários ou terceiros autorizados para tal. A maior parte dos sistemas modernos de tracking de veículos utilizam tecnologias de “sistemas de posicionamento global” ou simplesmente sistemas GPS, para localização exata dos veículos. Alguns desses sistemas também combinam outras tecnologias, como por exemplo, a telefonia móvel ou emissores de satélites para localização dos veículos. A informação a cerca do veículo pode ser visualizada em mapas eletrônicos através da Internet ou através de softwares especializados. Isso é possível através da tecnologia conhecida como sistemas de localização automática de veículos (do inglês AVL-Automatic Vehicle Location). 5.2 FLEET MANAGEMENT SYSTEM INTERFACE (FMS) FMS é uma interface ou dispositivo que permite a comunicação entre os veículos e os centros de controle. Os maiores fabricantes desenvolveram o 6
  7. 7. chamado FMS-Standard, em 2002, que permite a implementação de outras funcionalidades ou aplicações extras de comunicação. Esta interface permite a difusão de informações como: a velocidade de rotação dos pneus dos veículos, funcionamento e estado da embreagem, funcionamento e estado dos freios, a posição do pedal de aceleração (0-100%), combustível total utilizado (desde início de ciclo de vida do veículo), nível de combustível no depósito (0-100%), a velocidade rotação do motor, velocidade de rotação dos pneus e velocidade lida pelo tacógrafo; Peso do eixo (em kg), o tempo total de funcionamento do motor (em horas), número ou código de identificação do veículo, informações do tacógrafo, distância percorrida pelo veículo e temperatura do fluído de arrefecimento. 5.3 SOFTWARE DE GESTÃO DE FROTAS O software de gestão de frotas é um programa de computador que permite as empresas realizar uma série de tarefas específicas na gestão de qualquer um ou todos os aspectos relacionados a uma frota de veículos operados por uma empresa, governo ou outra organização. Estas tarefas específicas abrangem todas as operações desde a aquisição de veículo através da manutenção e a eliminação. Funciona como um complexo sistema de informação. A sua principal função é a recolher, armazenar, processar, controlar, divulgar e receber dados externos, além dessas funcionalidades o software de gestão oferece permite fazer a gestão de processos, tarefas e eventos. Por exemplo, permite a programação de ordens de manutenção de rotina, programação de datas ou prazos de pagamento de impostos e seguros, e permite fazer gestão das carteiras de motorista. 5.4 SISTEMAS DE DESATIVAÇÃO REMOTA DE VEÍCULOS Desativação remota de veículos permite a um usuário autorizado, através de um local remoto, impedir o arranque do motor, a circulação do veículo e imobilizar ou atrasar um veículo em funcionamento. Alguns sistemas fornecem uma notificação prévia ao motorista que o veículo de a desativação do veículo está prestes a ocorrer. Depois da imobilização de um veículo, alguns sistemas bloqueiam os travões ou não permitem que o motor do veículo seja reiniciado dentro de determinado prazo. Estes sistemas também podem ser integrados em sistemas de pânico e notificação de emergência. Em uma emergência, um condutor pode enviar um alerta de emergência, carregando num botão de pânico a bordo, ou no botão de pânico incorporado no porta-chaves do veículo se este se encontrar perto do veículo. Em seguida, o transportador ou uma outra organização, poderá ser 7
  8. 8. alertado, comunicar-se com o condutor e ou potencialmente desativar o veículo. 5.5 CARTÕES DE FROTA Os cartões de frota (Ticket Cars) são usados para pagamentos de combustíveis, pagamento das despesas de manutenção dos veículos segundo os critérios do proprietário ou do gestor de frota. A utilização destes tipos de cartões elimina a necessidade de transportar de dinheiro, contribuindo assim para o aumentando do nível de segurança dos motoristas. Além disso, a eliminação do dinheiro contribui para se evitar a ocorrência de transações fraudulentas. Estes cartões permitem aos proprietários ou gerentes de frotas receberem relatórios em tempo real e controlar as compras realizadas com os cartões, ajudando-os a manterem-se informados sobre todos os movimentos realizados permitindo assim um maior controlo das despesas. Apesar de todos esses benefícios, estes cartões apresentam algumas desvantagens: os períodos de cancelamentos de cartões são normalmente mais longos, taxas de cartão, dependendo do produto, ciclos de pagamento mais curtos, mais responsabilidade colocada sobre o usuário ou proprietário do cartão. Dois novos conceitos mais modernos e eficientes surgem como possibilidades para a substituição dos cartões de frota, um deles prevê a instalação de sensores nas bombas, para abastecimento particular da frota e outro prevê a utilização de sensores nas entradas dos tanques do veículo. Ambos utilizam tecnologia em automação para controlar o quanto exatamente de combustível foi alocado em cada veículo. 6 ANÁLISE DOS CUSTOS NA GESTÃO DE FROTAS No segmento de Gestão de Frotas, a correta administração de custos tem uma importância ainda maior, como podemos visualizar no gráfico abaixo: 8
  9. 9. 5.1 CUSTOS NA GESTÃO DE FROTA O gestor deve estar sempre bem informado sobre os aspectos relacionados aos custos com a frota, tais como: O ponto fundamental para redução do custo deve ser o nível de utilização da frota, ou seja, otimizar ao máximo a utilização de cada veículo. 9
  10. 10. 10

×