GESTÃO CONTEMPORÂNEA - RESUMO

43 visualizações

Publicada em

RESUMO DESCRITIVO DE GESTÃO CONTEMPORÂNEA NOS TEMPOS ATUAIS E MODERNOS

Publicada em: Recrutamento e RH
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
43
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GESTÃO CONTEMPORÂNEA - RESUMO

  1. 1. RESUMO 1. ORGANIZAÇÕES “São grupos estruturados de pessoas que se juntam para alcançar objetivos comuns.” (SOBRAL; PECI, 2013) Surgimento: necessidade primária de cooperação do Homem. A partir da sua limitação, ele se junta a outros para alcançar objetivos que, sozinho, teria dificuldade ou não conseguiria, em virtude da complexidade e da variedade de atividades. Vários tipos de organização (as empresas são organizações lucrativas: o excedente  remunerar os seus proprietários e acionistas ou investir na sua auto-sustentação; estão ligadas às leis do mercado); vários tamanhos; cada uma tem suas próprias características e particularidades. Diferentes entre si: cada uma tem seus objetivos (finalidade ou propósito; são muitos os objetivos); tem sua estrutura organizacional (a maneira como as atividades da organização são divididas, organizadas e coordenadas; é o esqueleto que sustenta a organização) e é composta por pessoas. 2. ADMINISTRADORES Estabelecem objetivos e guiam a organização de forma a alcançá-los. São eles que tomam as decisões quanto à aplicação adequada dos recursos organizacionais. São eles que fazem acontecer por meio de outras pessoas. 3. ADMINISTRAÇÃO “É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso dos recursos organizacionais para alcançar determinados objetivos de maneira eficiente e eficaz.” (CHIAVENATO, 2011) Processo: é a maneira sistemática de fazer algo; significa sequência de funções que se sucedem. Funções Administrativas: o Planejar: definir os objetivos da organização e os recursos que são necessários para alcançar tais objetivos. 1 GESTÃO CONTEMPORÂNEA AULAS 2 E 3: Prof Silas Franco
  2. 2. o Organizar: distribuir tarefas e recursos entre os membros da organização, assim como determinar quem tem autoridade sobre quem, e quando e onde se devem tomar as decisões. o Dirigir: orientar as pessoas para um propósito comum, sendo necessário entender suas necessidades, motivá-las, liderá-las e criar condições de trabalho para que elas sintam satisfeitas e comprometidas com a organização. o Controlar: monitorar o desempenho para garantir que os objetivos sejam alcançados e, se for o caso, adotar medidas de correção. Recursos Organizacionais: são os meios de que uma organização dispõe para poder funcionar adequadamente (humanos; físicos ou materiais; financeiros; informação: conjunto de dados com algum significado ou que quer dizer algo; tecnologia: combinação de técnicas/métodos de trabalho, recursos/equipamentos e conhecimento/know-how que criam um produto ou serviço para a organização). Objetivos: alvos ou propósitos a serem alcançado ao longo de um determinado período de tempo. Eficiência e Eficácia: o Eficiência: capacidade de desempenhar corretamente as tarefas, minimizando a utilização dos seus recursos. Preocupação com os meios. o Eficácia: implica escolher os objetivos certos e conseguir atingi-los. Preocupação com os fins. 4. FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS Planejamento, organização, direção e controle. São chamadas de funções administrativas quando tratadas isoladamente. 5. PROCESSO ADMINISTRATIVO As funções administrativas quando tomadas em conjunto na sua abordagem global forma o chamado processo administrativo. O processo administrativo é cíclico, repetitivo, sistêmico e formado por elementos interdependentes (dependem reciprocamente) e interagentes (agem uns sobre os outros, isto é, cada um afeta todos os demais). 2
  3. 3. O processo administrativo é mais do que uma simples sequência, na realidade compõe um sistema, onde o todo é maior do que a soma das partes em face do seu efeito sinergístico. Na prática, todas as funções administrativas são executadas de uma forma inter-relacionada e não sequencial (sequência na teoria). 6. NÍVEIS ORGANIZACIONAIS OU NÍVEIS ADMINISTRATIVOS O administrador pode estar situado em um dos três níveis organizacionais: no nível estratégico, tático ou operacional da organização. • Nível estratégico ou institucional: atuação estratégica, abrange toda a organização e é o nível administrativo mais elevado da organização. É constituído pelo presidente e diretores que compõem a alta administração e tomam as principais decisões da organização. Nas grandes organizações, existe o conselho administrativo, que determina o que o presidente e a diretoria devem fazer. O nível institucional é o nível mais periférico da organização, pois está em contato direto com o ambiente externo, com o mundo que rodeia a organização, e recebe o impacto das mudanças e pressões ambientais. Ele recebe também o nome de nível estratégico, pois é o responsável pela definição do futuro do negócio como uma totalidade. Nesse nível, o administrador deve possuir uma visão estratégica e orientada para o futuro, pois define a missão, a visão e os objetivos fundamentais do negócio. • Nível tático ou intermediário ou gerencial: atuação tática, com foco em uma unidade ou área funcional e é o nível administrativo que articula internamente o nível institucional com o nível operacional da organização. É o nível de meio do campo, composto pelos gerentes. Funciona como uma camada amortecedora dos impactos ambientais, pois recebe as decisões globais tomadas no nível institucional e as transforma em programas de ação para o nível operacional. Interpreta a missão, a visão e os objetivos fundamentais do negócio e os traduz em meios de ação cotidiana para que o nível operacional possa transformá-los em execução. Nesse nível, o administrador deve possuir uma visão tática e orientada para sua unidade de negócios, departamento ou área funcional. • Nível operacional: atuação operacional, específica de uma operação ou tarefa e é o nível administrativo mais baixo de todos. É o nível mais íntimo da organização e constitui a base inferior do organograma. Também é o nível que administra a execução e a realização das tarefas e atividades cotidianas. Recebe o nome de supervisão de primeira linha, pois tem contato direto com a execução ou operação, realizada pelos funcionários de execução que se incumbem das tarefas e atividades rotineiras do dia-a-dia da organização. Nesse nível, 3
  4. 4. o administrador deve possuir uma visão operacional e orientada para as tarefas e atividades cotidianas. 7. HABILIDADES DO ADMINISTRADOR Habilidade é a capacidade de transformar conhecimento em ação e que resulta em um desempenho desejado. Segundo Robert Katz, o sucesso do administrador depende mais do seu desempenho do que de seus traços particulares de personalidade, depende daquilo que ele faz e não daquilo que ele é, ou seja, o desempenho desse profissional é o resultado de certas habilidades que ele possui e utiliza. Dessa forma, para Katz, existem três tipos de habilidades importantes para o desempenho administrativo bem sucedido: • Habilidades técnicas envolvem o uso do conhecimento especializado e facilidade na execução de técnicas relacionadas com o trabalho e com os procedimentos de realização. • Habilidades humanas estão relacionadas com a interação com as pessoas e envolvem a capacidade de comunicar, motivar, coordenar, liderar e resolver conflitos individuais ou coletivos. • Habilidades conceituais envolvem a visão da organização ou da unidade organizacional como um todo, assim como a facilidade em trabalhar com idéias, teorias e abstrações. Um administrador com habilidades conceituais está apto a compreender as várias funções da organização e complementá-las entre si, entendendo como a organização se relaciona com seu ambiente e como as mudanças em uma parte da organização afetam o restante dela. As habilidades conceituais estão relacionadas com o pensamento, o raciocínio, o diagnóstico das situações e a formulação de alternativas de solução dos problemas. 8. PAPÉIS DO ADMINISTRADOR Papel é o conjunto de expectativas da organização a respeito do comportamento de uma pessoa. Cada papel representa atividades que os administradores conduzem para cumprir as funções de planejar, organizar, dirigir e controlar. Henry Mintzberg fez uma interessante pesquisa e verificou que as atividades administrativas podem ser organizadas em dez papéis, divididos em três categorias: • Papéis interpessoais representam as relações com outras pessoas e estão relacionados com as habilidades humanas e mostram como o administrador interage com as pessoas. São eles: símbolo/representação, liderança e ligação. • Papéis informacionais mostram como o administrador intercambia e processa a informação. São eles: monitoração/coleta, disseminação e porta-voz. 4
  5. 5. • Papéis decisoriais/decisórios envolvem todos os eventos e situações nos quais o administrador deve fazer uma escolha ou opção e mostram como o administrador utiliza a informação nas suas decisões. São eles: empreendimento, solução de conflitos/solucionador de problemas, alocação de recursos e negociação. 9. COMPETÊNCIAS DO ADMINISTRADOR As habilidades requerem competências pessoais para serem colocadas em ação. As competências estão relacionadas às capacidades do gestor representadas pelo Conhecimento (acervo de informações, conceitos, ideias, experiências, aprendizagens), Habilidades (aplicação do conhecimento na solução de problemas e situações) e Atitudes (comportamento, ação).- CHA. 10. DESAFIOS DA ADMINISTRAÇÃO As mudanças (informação, globalização, exigência dos clientes, responsabilidade social, ética etc.) que têm ocorrido no ambiente organizacional alteraram bastante o trabalho dos administradores, fazendo com que tais profissionais enfrentem grandes desafios no seu dia-a-dia. Para enfrentá-los, é preciso que os gestores busquem: • desenvolver uma nova visão para suas organizações; • apostar na flexibilidade e rapidez de resposta; • estar atentos à diversidade cultural; • considerar ética e responsabilidade social nas suas decisões; • focalizar a estratégia na satisfação dos clientes; • investir no treinamento e desenvolvimento contínuo de seu capital humano. 11. ÁREAS FUNCIONAIS DA ORGANIZAÇÃO As organizações estão normalmente divididas em áreas funcionais, que representam atividades e tarefas especializadas que são desempenhadas por unidades organizacionais. As mais comuns são: • Operações O sistema de operações é o conjunto de atividades e operações inter-relacionadas envolvidas na produção de bens ou prestação de serviços de uma organização (transformação dos insumos em produtos ou serviços). A administração de operações envolve: desenvolvimento de um projeto de produto; definição das características físicas das instalações; escolha dos fluxos dos processos produtivos; organização do trabalho (definição da estrutura de cada trabalho ou tarefa); planejamento da produção; 5
  6. 6. administração de estoques; monitoração do desempenho do sistema de operações (controle); compras. • Marketing O objetivo é captar e manter os clientes da organização, tendo como principal foco a satisfação do cliente, influenciando seu comportamento. O Marketing envolve: pesquisa de mercado; desenvolvimento de produtos; estabelecimento e gestão do preço; distribuição (concepção e administração de um sistema de entrega do produto); comunicação (sinalização do público-alvo por meio de ações de publicidade, promoção, propaganda e relações públicas); vendas (em algumas organizações é uma área funcional independente). • Finanças Representam uma área de apoio, não relacionada diretamente à atividade principal da organização. Seu objetivo principal consiste em captar e utilizar os recursos financeiros, sendo responsável pelas seguintes funções: produção de relatórios e documentos contábeis que mostram a situação econômica e patrimonial da organização; avaliação e controle do desempenho da organização em termos de rentabilidade, equilíbrio financeiro e risco (análise); definição da política de investimentos; definição da política de financiamento; definição da política de distribuição de lucros (distribuição de dividendos). • Recursos Humanos A área de recursos humanos ou gestão de pessoas tem como objetivo a administração de comportamentos individuais em função dos objetivos coletivos. É responsável pelas seguintes funções: implementação de políticas e procedimentos que regulem as relações da organização com seus membros; planejamento dos recursos humanos; recrutamento e seleção; treinamento e desenvolvimento; avaliação de desempenho; remuneração e compensação; melhoria das condições no local de trabalho. Referências Bibliográficas ARAUJO, Luis César G.; GARCIA, Adriana Amadeu. Teoria Geral da Administração. Orientação para Escolha de um Caminho Profissional. São Paulo: Atlas, 2010. CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. SOBRAL, Filipe; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2013. 6
  7. 7. administração de estoques; monitoração do desempenho do sistema de operações (controle); compras. • Marketing O objetivo é captar e manter os clientes da organização, tendo como principal foco a satisfação do cliente, influenciando seu comportamento. O Marketing envolve: pesquisa de mercado; desenvolvimento de produtos; estabelecimento e gestão do preço; distribuição (concepção e administração de um sistema de entrega do produto); comunicação (sinalização do público-alvo por meio de ações de publicidade, promoção, propaganda e relações públicas); vendas (em algumas organizações é uma área funcional independente). • Finanças Representam uma área de apoio, não relacionada diretamente à atividade principal da organização. Seu objetivo principal consiste em captar e utilizar os recursos financeiros, sendo responsável pelas seguintes funções: produção de relatórios e documentos contábeis que mostram a situação econômica e patrimonial da organização; avaliação e controle do desempenho da organização em termos de rentabilidade, equilíbrio financeiro e risco (análise); definição da política de investimentos; definição da política de financiamento; definição da política de distribuição de lucros (distribuição de dividendos). • Recursos Humanos A área de recursos humanos ou gestão de pessoas tem como objetivo a administração de comportamentos individuais em função dos objetivos coletivos. É responsável pelas seguintes funções: implementação de políticas e procedimentos que regulem as relações da organização com seus membros; planejamento dos recursos humanos; recrutamento e seleção; treinamento e desenvolvimento; avaliação de desempenho; remuneração e compensação; melhoria das condições no local de trabalho. Referências Bibliográficas ARAUJO, Luis César G.; GARCIA, Adriana Amadeu. Teoria Geral da Administração. Orientação para Escolha de um Caminho Profissional. São Paulo: Atlas, 2010. CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. SOBRAL, Filipe; PECI, Alketa. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2013. 6

×