Universidade do Grande Rio Professor José de Souza
Herdy – UNIGRANRIO
Manhã – Penha
ECONOMIA
Professor Demóstenes Silvestr...
Rio de janeiro
2014
SUMÁRIO:
Introdução......................................................................................
INTRODUÇÃO
O mercado de um produto encontra-se em equilíbrio quando as quantidades oferecidas
desse produto são iguais às ...
Aumento do preço de um bem complementar
Um bem complementar é um bem que deve ser consumido com outro bem. Isto
significa ...
Três curvas de indiferença de bens complementares
Diminuição do preço de um bem substituto, no consumo
Num mercado a forma...
a) Efeito substituição: se um bem possui um substituto, ou seja, outro bem similar que
satisfaça a mesma necessidade, quan...
Suponha-se que um determinado nível de renda dos consumidores, a curva de
demanda do bem x apresente os seguintes pares e ...
Se o bem x for um bem inferior, o aumento de renda dos consumidores reduz a sua
demanda, a curva desloca-se para a esquerd...
referido aumento dos insumos. Este conceito traduz a relação entre um aumento das
quantidades de todos os fatores produtiv...
grandes, onde um aumento nos insumos provocaria problemas de coordenação,
fazendo com que a produção deixasse de crescer c...
-Silva, João Correia da – Rendimentos de Escala
http://www.fep.up.pt/docentes/joao/material/micro2/micro2_rendimentos_e_ec...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Economia - Trabalho completo e descritivo

99 visualizações

Publicada em

Economia, trabalho e apresentação com formulação oficial apresentada.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
99
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Economia - Trabalho completo e descritivo

  1. 1. Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy – UNIGRANRIO Manhã – Penha ECONOMIA Professor Demóstenes Silvestre Curso Superior Tecnológico em Recursos Humanos Marco Antonio A. Amaral Beatriz Oliveira Marques Cristiane Costa 1
  2. 2. Rio de janeiro 2014 SUMÁRIO: Introdução..........................................................................................pag. 3 Aumento do preço de um bem complementar................................pag. 4 Diminuição do preço de um bem substituto, no consumo............pag. 5 Diminuição na venda dos consumidores de um bem normal........pag. 6 Aumento da venda dos consumidores de um bem inferior...........pag. 7 Explique o significado da Lei dos Rendimentos Decrescentes....pág. 7 O que são rendimentos de escala.....................................................pág. 8 Diminuição no custo de mão de obra..............................................pág.10 Bibliografia.........................................................................................pág.10 2
  3. 3. INTRODUÇÃO O mercado de um produto encontra-se em equilíbrio quando as quantidades oferecidas desse produto são iguais às quantidade procuradas. O preço para o qual as quantidades oferecidas vão ser iguais às quantidades procuradas é o preço de equilíbrio. A quantidade de equilíbrio é a quantidade em que tanto a procura como a oferta são iguais. Quando a oferta é maior que a demanda, ocorre liquidação por parte das empresas como forma de reduzir seus estoques. Quando a demanda é maior que a oferta, as empresas aumentam a quantidade ofertada e, conseqüentemente, os preços dos produtos, fazendo assim com que a demanda diminua. Nesses dois casos, o objetivo da empresa é levar o mercado para o preço e quantidade de equilíbrio. Havendo igualdade entre oferta e demanda, terá uma harmonização entre os variados interesses entre os produtores e os consumidores. 3
  4. 4. Aumento do preço de um bem complementar Um bem complementar é um bem que deve ser consumido com outro bem. Isto significa que, se os bens A e B forem complementares, um aumento no consumo do bem A resulta num aumento do consumo do bem B. A Um exemplo de bens complementares é o do pão com o fiambre. Se o preço do fiambre baixar, para além de haver um aumento da quantidade consumida de fiambre, também haverá um aumento da quantidade consumida de pão, uma vez que os dois são frequentemente oferecidos em conjunto. Um bem complementar perfeito é um bem que tem de ser consumido em conjunto com outro bem. Muitos bens do mundo real exibem características próximas da complementaridade perfeita. Um exemplo seria o sapato esquerdo e o direito. O grau de complementaridade não é necessariamente mútuo e pode ser avaliado pela Elasticidade preço da demanda cruzada. No caso de video-games, um video-game específico, o bem complementar, tem que ser consumido com um console de video- game, o bem base. A recíproca não é verdadeira: o console de video-game não necessita daquele video-game específico para funcionar. O oposto de bem complementar é o bem substituto. • marketing, bens complementares elevam o poder de mercado de uma empresa porque permitem fidelidade ao vendedor por aumentar o custo de troca. Alguns tipos de estratégias de preços existem No para bens complementares e seus bens bases: consumidores (ex.: impressoras vs. cartuchos de tinta) • Preço do bem base a nível relativamente alto em relação ao bem complementar - isso cria uma barreira para a entrada e saída de consumidores (ex.: taxas de clubes de golfe vs. taxas de campo) 4
  5. 5. Três curvas de indiferença de bens complementares Diminuição do preço de um bem substituto, no consumo Num mercado a formação de preços depende diretamente das condições de oferta e demanda. A Lei Geral da Demanda é uma relação inversa e proporcional entre a quantidade procurada e o preço deste bem. A curva da demanda é inclinada negativamente devido ao efeito de substituição e de renda. Há uma relação inversamente proporcional entre a quantidade procurada e o preço do bem. É a chamada Lei Geral da Demanda. Essa relação pode ser observada a partir dos conceitos de escala de procura, curva de procura ou função demanda. A relação preço/quantidade procurada pode ser representada por uma escala de procura, conforme apresentada a seguir: Alternativa de preço ($) Quantidade Demandada 1,00 12.000 3,00 8.000 6,00 4.000 8,00 3.000 10,00 2.000 A curva da demanda é negativamente inclinada devido ao efeito conjunto de dois fatores: o efeito substituição e o efeito renda. Se o preço de um bem aumenta, a queda da quantidade demanda será provocada por esses dois efeitos somados: 5
  6. 6. a) Efeito substituição: se um bem possui um substituto, ou seja, outro bem similar que satisfaça a mesma necessidade, quando seu preço aumenta, o consumidor passa adquirir o bem substituto, reduzindo assim sua demanda. Exemplo: Fósforo. b) Efeito renda: quando aumenta o preço de um bem, o consumidor perde o poder aquisivo, e a demanda por esse produto diminui. Outras variáveis que afetam a demanda de um bem. Efetivamente, a procura de uma mercadoria não é influenciada apenas por seu preço. Existe uma série de outras variáveis que também afetam a procura. a) Se a renda dos consumidores aumenta e a demanda do produto também, temos um bem normal. b) Bem inferior, cuja demanda varia em sentido inverso às variações da renda; exemplo se o consumidor ficar mais rico, diminuirá o consumo de carne de segunda, e aumentará o consumo da carne de primeira. c) Bens de consumo saciado, quando a demanda do bem, quase não é influenciada pela renda dos consumidores (arroz, farinha, sal, etc.), neste caso a demanda por esses produtos tenderão a continuar a mesma. d) Bens substitutos, quando há uma relação direta entre o preço de um bem e a quantidade de outro. Exemplo: um aumento no preço da carne deve elevar a demanda de peixe. e) Bens complementares: São bens que podem ser utilizados em conjunto ou que ficam melhores utilizados. Ex: Se aumentar o preço da impressora e a quantidade demandada de cartuchos diminuir é porque a impressora e o cartucho são complementares no consumo. Diminuição na venda dos consumidores de um bem normal Bens normais são aqueles cujo consumo aumenta à medida que a renda do consumidor se eleva. 6
  7. 7. Suponha-se que um determinado nível de renda dos consumidores, a curva de demanda do bem x apresente os seguintes pares e quantidades procuradas: Px QPx 10 100 11 90 12 81 13 76 Caso a demandadas do bem x de tal forma que, para os possíveis níveis de preços: renda dos consumidores se eleve, provavelmente eles aumentarão também as quantidades Px QPx QP’x 10 100 110 11 90 100 12 81 91 13 76 86 Aumento da venda dos consumidores de um bem inferior bens inferiores são bens cuja demanda diminui quando o nível de renda do consumidor aumenta e aumenta quando o consumidor fica mais pobre. 7
  8. 8. Se o bem x for um bem inferior, o aumento de renda dos consumidores reduz a sua demanda, a curva desloca-se para a esquerda e o preço e a quantidade de equilíbrio diminuem. Explique o significado da Lei dos Rendimentos Decrescentes. A lei dos rendimentos decrescentes é uma teoria que expressa a relação econômica da utilização de unidades adicionais de trabalho. Também conhecida por lei das proporções variáveis ou lei da produtividade marginal decrescente, esta lei afirma que, em todos os processos produtivos, se a quantidade de um bem dor aumentada e a quantidade dos outros bens permanecerem constante, a produção total por bem irá cair. Isso não quer dizer porém que a produção total vai cair. Segundo a lei Ceteris paribus, o produto marginal de um fator de produção reduziar-se à conforme o aumento da quantidade utilizada desse fator. Isso equivale a dizer que quando se utilizam unidades adicionais de trabalho a produção total aumenta, mas a partir de um certo ponto de produção marginal tende a decrescer devido a utilização de fatores menos produtivos(eficientes) para atender uma procura. O que são rendimentos de escala Dentro da microeconomia é denominado rendimento de escala o conceito com que se obtém uma indicação de aumento de produção de determinada empresa quando os insumos (bem ou serviço utilizado na produção de um outro bem ou serviço) são aumentados proporcionalmente. Com tal aumento, os rendimentos a serem obtidos podem ser constantes, crescentes ou decrescentes, dependendo tal resultado de como será a alteração no nível de produção mediante o 8
  9. 9. referido aumento dos insumos. Este conceito traduz a relação entre um aumento das quantidades de todos os fatores produtivos na mesma proporção e também o equivalente aumento do volume de produção. Por exemplo, numa ambiente cuja produção resulte num total de 50 quilos, originados a partir de 10 unidades de capital e 30 unidades de trabalho (também denominada mão de obra) - entendendo-se aqui o termo "unidades" como as horas empregadas na utilização do insumo para a produção de determinado lote. Conclui-se daí, que, aumentando a quantidade produzida a uma grandeza qualquer implica a necessidade de aumentar as quantidades de fatores de produção numa proporção equivalente. Já no caso dos rendimentos constantes de escala, tendo ambos os insumos dobrados, ou seja, considerando-se o capital aumentado de 10 para 20 unidades, e o trabalho passando para 60 unidades, a função de tal produção irá indicar um aumento no produto, de 50 kg para 100 kg. A decorrência do aumento da quantidade de insumos em duas vezes, o resultado será o dobro da produção, sendo este um exemplo perfeito do fenômeno do rendimento constante de escala. Com o fenômeno do rendimento crescente de escala, partindo-se de um capital de 20 unidades de trabalho equivalentes a 60 unidades, a produção nova obtida será de 120 kg (ou então qualquer valor maior que 100). Tal aferição deriva do fato, de, ao se dobrarem os insumos, naturalmente decorrerá um aumento proporcionalmente superior na produção. Tal ocorrência se explica pelo fato de que a empresa, tendo um aumento no nível de produção e por conseguinte, atingindo uma maior eficiência, pois, tendo a capacidade, por exemplo, de arregimentar um número maior de trabalhadores, estes puderam ser organizados em determinadas especialidades, fator básico na Economia para atingir maior eficiência, e por fim, maximizando as características do produto oferecido. O que ocorre no fenômeno denominado como rendimento decrescente de escala é que há uma duplicação na quantidade de insumos, obtendo-se, por outro lado, um crescimento proporcional menor do produto da determinada empresa. No mesmo exemplo já mencionado acima, em caso de rendimento decrescente de escala, teria-se uma produção abaixo de 100 kg. Tal ocorrência surge em empresas demasiado 9
  10. 10. grandes, onde um aumento nos insumos provocaria problemas de coordenação, fazendo com que a produção deixasse de crescer como em períodos anteriores. Diminuição no custo de mão de obra A curva de demanda da mão-de-obra da empresa é determinada pela receita incremental associada à contratação de uma unidade adicional de mão-de-obra, conhecida como receita do produto marginal da mão-de-obra: RMgPL = (PMgL)(RMg), a produção adicional (“produto”) que o último trabalhador produz, multiplicada pela receita adicional obtida com a venda do produto. Em um setor competitivo, a curva da receita marginal é perfeitamente elástica e igual ao preço. Para um monopolista, a curva de receita marginal possui inclinação negativa. Isso implica que a receita do produto marginal para o monopolista é mais inelástica do que para a empresa do setor competitivo. Bibliografia: -José Paschoal Rossetti – Introdução a Economia 10
  11. 11. -Silva, João Correia da – Rendimentos de Escala http://www.fep.up.pt/docentes/joao/material/micro2/micro2_rendimentos_e_economias.p df . Acesso em 23/05/2011. -http://www.infoescola.com/economia/rendimentos-de-escala/ - http://umamao.com/questions/O-que-s%C3%A3o-rendimentos-de-escala. Acesso em 23/05/2011. -Wikpedia 11

×