Diversidade nas organizações

1.687 visualizações

Publicada em

Prática de Gestão

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.687
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diversidade nas organizações

  1. 1. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Diversidade: como fonte de inovação nas organizações 1 SEMANA DA ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração
  2. 2. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE: como fonte de inovação nas organizações Diversidade pode significar variedade, diferença e multiplicidade. A diferença é qualidade do que é diferente; o que distingue uma coisa de outra, a falta de igualdade ou de semelhança. Nesse sentido, podemos afirmar que onde há diversidade existe Diferença para Anete Abramowicz (2006, p12), 2SEMANA DA ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS
  3. 3. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE: como fonte de inovação nas organizações Marisa Vorraber Costa (2008), afirma que a diferença não é uma marca do sujeito, mas sim uma marca que o constituem socialmente, e se estabeleceu como uma forma de exclusão, ser diferente na educação ainda significa ser excluído nas instâncias sociais. 3SEMANA DA ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS
  4. 4. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE: como fonte de inovação nas organizações Reconhecer que somos diferentes para estabelecer a existência de uma diversidade cultural no Brasil, não é suficiente para combater os estereótipos e os estigmas que ainda marginalizam milhares de crianças em nossas escolas e milhares de adultos em nossa sociedade. Candau (2005 apud FLEURY , p.20) afirma que: “Não se deve contrapor igualdade a diferença. De fato, a igualdade não está oposta à diferença, e sim à desigualdade, e diferença não se opõem à igualdade, e sim à padronização, à produção em série, à uniformidade, a sempre o “mesmo”, à mesmice”. 4SEMANA DA ESCOLA DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS
  5. 5. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Gerenciamento da diversidade • O não-gerenciamento da diversidade pode conduzir a forte conflito intergrupal entre membros da maioria e da minoria, reduzindo os resultados efetivos do trabalho para homens de ambos os grupos ( KNOMO e COX 1996, apud FLEURY , 2000). 5
  6. 6. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Gerenciamento da diversidade Segundo Govatto , empregos.com.br: A diversidade no ambiente interno empresarial pode representar uma melhoria na qualidade de vida do trabalho. No ambiente externo, nas relações com o mercado e a sociedade, as iniciativas que priorizam a diversidade podem significar uma expressiva melhoria na imagem de marca. Este novo cenário mundial da gestão empresarial é resultado da globalização que exige novas demandas e desafios. Produtividade, competitividade e compromisso social são requisitos básicos de sustentabilidade e sucesso dos negócios. 6
  7. 7. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DICAS DE EXECUTIVOS ESPECIALISTAS NO ASSUNTO DIVERSIDADE: Desenvolva a inteligência cultural- é preciso ter entendimentos das culturas e nos ambientes mais distintos. Reúna pessoas diferentes – busque pessoas com outros pontos de vista, outras vivências. Promova respeito - não basta reunir pessoas diferentes, ter pessoas diferentes também significa ter conflitos, é preciso colocar respeito acima de tudo, é necessário que suas contribuições sejam levadas a sério. Invista em comunicação - quando se fala em diversidade cultural, a língua não é o principal entrave. Uma comunicação eficiente depende do conhecimento e algumas peculiaridades culturais. 7
  8. 8. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Diversidade: vantagens Campo econômico: - incremento na competitividade; - Atendimento personalizado; - Maior valorização da marca; - Fortalecimento do desempenho financeiro; - Menor rotatividade de funcionários e aumento de satisfação no trabalho; - Menor risco de ações trabalhistas; - Aumento na capacidade de reconhecer talentos. 8
  9. 9. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Diversidade: benefícios potenciais - Atrair e reter os melhores talentos no mercado e trabalho; - Promover a criatividade e a inovação; - Desenvolver a flexibilidade organizacional; O objetivo principal da gestão da diversidade cultural é administrar as relações de trabalho, as práticas de emprego e composição interna da força de trabalho a fim de atrair e reter os melhores talentos, dentre os chamados grupos de minoria (FLEURY, 2000) 9
  10. 10. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Gerenciamento da diversidade ESTUDO DE CASOS 1.Quem procura por um exemplo de diversidade no ambiente de trabalho pode olhar para o escritório paulista da Wunderman, agência de marketing do grupo de propaganda WPP. O vice-presidente de criação, Eco Moliterno, é poeta, ateu, formado em publicidade e propaganda. A diretora de tecnologia, Tarcila Steter, é astrofísica, judia e se diverte pesquisando números primos. Na equipe, de 250 pessoas, há músicos, historiadores e matemáticos. A variedade é intencional. A Wunderman começou a contratar pessoas de múltiplas origens em 2006, para reunir mentes diferentes. “Uma equipe com alto grau de diversidade inova mais e mais rápido”, diz Adilson Batista, vice-presidente executivo da Wunderman. A estratégia trouxe resultados. Em 2006, a agência crescia 30% ao ano. Para 2008, a previsão é crescer 41%. "Somos um caldeirão de ideias", afirma Adilson. (vocesa.abril.com ) 10
  11. 11. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso Gerenciar a diversidade implica o desenvolvimento das competências necessárias ao crescimento e sucesso do negócio. 11
  12. 12. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA 2. A ALPHA é subsidiária de uma companhia norte americana. Tem duas plantas no Brasil, uma no setor de equipamentos e outra no setor químico. A matriz da empresa se encontra nos EUA, e as filiais, em 22 países; emprega 17 mil pessoas em aproximadamente 100 plantas ao redor do mundo, com um faturamento de US$ 6 bilhões. No Brasil, a empresa tem operado desde os anos 70, com as duas plantas na Região Sudeste do país. O faturamento anual é de US$ 170 milhões, e a Empresa emprega aproximadamente 500 pessoas. A missão da companhia no Brasil é ser reconhecida como um centro de excelência no setor agrícola. 12
  13. 13. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA Na década de 80, a empresa fornecia equipamentos para o governo americano e começou a elaborar um programa de diversidade cultural, de cunho bem legalista, no enfoque do Affirmative Action. Nos anos 90, foi criado o Corporate Council of Minorities, e a diversidade começou a ser considerada parte da estratégia dos negócios, a ser divulgada como um valor importante para toda a empresa. 13
  14. 14. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA Para a ALPHA, o conceito de diversidade cultural engloba os seguintes aspectos: 1. Reconhecimento de que pessoas de origens diferentes têm talentos e habilidades diferentes e que podem contribuir para o crescimento da empresa; 2. Respeito pelo indivíduo, independentemente de raça, sexo, religião ou origem; 3. Criação de possibilidades para o desenvolvimento do negócio e das carreiras dos empregados, livre de preconceitos. . 14
  15. 15. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA Um manual foi elaborado como guia para a implementação do programa pelas subsidiárias. A ALPHA do Brasil foi a primeira companhia do grupo a procurar implementar o programa fora dos EUA. O principal executivo da subsidiária brasileira participou das atividades do Corporate Council of Minorities e trouxe o manual visando à sua tradução e adaptação à realidade brasileira. 15
  16. 16. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA Durante um workshop interno envolvendo os dirigentes da empresa, foi decidido que o manual não seria simplesmente traduzido e adaptado (o processo usual de tropicalização), mas que eles desenvolveriam seus próprios conceitos e enfoque para trabalhar a diversidade no Brasil. Notou-se que o conceito de diversidade está relacionado, principalmente, ao respeito à individualidade dos empregados e ao reconhecimento desta; gerenciar a diversidade implica o desenvolvimento das competências necessárias ao crescimento e sucesso do negócio. Em outras palavras, administrar a diversidade deve adicionar valor à companhia. 16
  17. 17. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Estudo de caso: O caso da companhia ALPHA Composição dos funcionários ALPHA Brasil Gênero Feminino 8,7 % Masculino 91,3 % Idade 15 a 20 anos 3,7 % 21 a 30 anos 27,2 % 31 a 40 anos 46, 6 % 41 a 50 anos 19,1 % Mais de 50 anos 3,4 % Fonte : Fleury (2000) Raça Branco 83 % Negro 16 % Oriental 1 % 17
  18. 18. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Considerações finais Em um país como o Brasil, com uma sociedade heterogênea e com muitas desigualdades sociais, o tema da diversidade cultural assume relevância. Em um país em que as empresas enfrentam os desafios da competitividade e da onda de fusões e aquisições, trazendo para o cenário doméstico novos jogadores, com diferentes culturas, essa diversidade é um tema bastante atual em construção e que deve ser levado em consideração nas organizações pela sua complexidade. Adaptado de (FLEURY 2000).. Como se verificou, a diversidade pode contribuir para a inovação nas organizações, o mercado global, diariamente os meios de comunicação relatam aquisições e fusões de empresas, é neste sentido principalmente a preocupação com a diversidade. 18
  19. 19. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE: como fonte de inovação nas organizações • A formação da população brasileira se caracteriza por uma multiciplicidade e grande diversidade étnica e intenso processo de miscigenação. • Disso advém a reconhecida tolerância à cultura de outros povos que constituem a sociedade brasileira, a sua valorização e participação nela. 19
  20. 20. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração CARACTERISTICAS DEMOGRÁFICAS DA FORÇA DE TRABALHO BRASILEIRA1 • Aumento no número de mulheres empregadas (hoje representam aproximadamente 45,5 da população economicamente ativa) • O número de mulheres que ingressam nas faculdades é 39,8 por cento maior de que o número de homens, assim podemos esperar que funções profissionais técnicas e gerenciais sejam cada vez mais ocupadas por elas. • Envelhecimento da força de trabalho 20 Robbins, Judge, Sobral. Comportamento Organizacional. 14 ed. São Paulo:Prentice Hall, 2010.
  21. 21. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração A DIVERSIDADE CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS2 • Cresce a participação de mulheres e negros nos quadros de funcionários das mais importantes empresas do país. Mas ainda de forma muito lenta e, inaceitável desigualdade. • Constata-se um decréscimo da presença feminina na base e nos níveis intermediários da escala hierárquica. Mas olhando-se o topo, pode-se saudar um crescimento de 2,2 pontos. As mulheres ocupam agora 13,7% do quadro executivo. (Caminha-se) • Evolução positiva da participação dos negros – pretos e pardos (de acordo com nomenclatura do IBGE adotada por este estudo) muito mais lenta que a evolução feminina. (A disparidade e a sub-representação ainda são imensas). • A situação da mulher negra é pior. Melhorar essa condição não depende apenas da adoção de políticas públicas eficazes. As empresas têm um papel importante a desempenhar, e já começam a assumi-lo. (Timidamente) 21 2 Dados obtidos do Perfil social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas –Pesquisa 2010. Fonte:http://www.generoracaetnia.org.br/publicacoes/ethos.pdf
  22. 22. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração A DIVERSIDADE CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS2 • Uma expressiva maioria não tem medidas para incentivar a participação de mulheres ou de negros em seus quadros. Quando tem, são ações pontuais, e não políticas com metas e ações planejadas. • O mesmo acontece em relação às pessoas com deficiência, que, mesmo formando um contingente estimado, pelo Censo de 2000, em 14,5% do total da população, não têm taxa de participação superior a 1,5% • Também esperam um lugar de mais destaque na agenda das corporações os jovens aprendizes, que procuram mudar sua realidade, apoiados por uma lei que 70% das empresas da amostra dizem ter dificuldade de cumprir. 22 2 Dados obtidos do Perfil social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas –Pesquisa 2010. Fonte:http://www.generoracaetnia.org.br/publicacoes/ethos.pdf
  23. 23. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração A HISTÓRIA RECENTE DA AÇÃO AFIRMATIVA NO BRASIL • A diversidade étnica e o multiculturalismo, formadores do povo brasileiro, e uma tolerância histórica da sociedade à miscigenação não contribuíram para produzir uma sociedade igualitária e livre de preconceitos étnicos/raciais. • O Relatório do Instituto Ethos, Como as empresas podem (e devem) valorizar a diversidade3 indica que existem 26 medidas legislativas federais voltadas ao racismo e à discriminação e outras 400 no âmbito estadual e municipal. • Pode-se perceber que o preconceito e a discriminação racial resistem no Brasil, mas não por falta de leis. • Uma crítica usual feita ao uso de sistemas de cotas é a possibilidade de provocar uma “discriminação reversa”. 23 3 http://www.ethos.org.br/_Uniethos/Documents/manual_diversidade.pdf
  24. 24. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração IMPLEMENTANDO AÇOES PARA O DESENVOLVIMENTO DA DIVERSIDADE Gestão da diversidade: É o processo e os programas por meio dos quais os gestores tornam todos mais sensíveis às necessidades e diferenças dos outros. 24
  25. 25. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração AÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DA DIVERSIDADE 25 Mudança nas políticas de RH Mudança da Cultura Organizacional Realizar um acompanhamento da demografia organizacional Reforçar as relações comunitárias na empresa Adotar a diversidade como um parâmetro orientador de toas as políticas de rh Buscar promover a cultura da diversidade entre as empresas do setor de atuação Tornar o desempenho da diversidade parte da avaliação periódica de todos os gestores e empregados Comprometer-se a contratar e promover pessoas com experiências e perspectivas diferentes Promover ações de treinamento e comunicação regulares Disseminar a política de diversidade entre os stakeholders para todos os funcionários Dimensionar a necessidade de apoio externo e contratar especialistas para implementar políticas de diversidade. Assegurar que os princípios da diversidade orientem as campanhas de publicidade e marketing. Fonte: Adaptado e recategorizado o conteúdo do relatório do Instituto Ethos. Como as empresas podem (e devem) valorizar a diversidade, ob. Cit. In (Hanashiro et. al 2008: p. 53)
  26. 26. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE E VANTAGEM competitiva • A diversidade, quando bem administrada, cria uma vantagem competitiva em seis áreas: custo, aquisição de recurso, marketing, criatividade, solução de problemas e flexibilidade organizacional, pois agrega valor diferenciado à empresa. • No entanto, também pode gerar problemas potenciais em termos de conflitos interpessoais, rotatividade de mão de obra, comunicação menos fluída. Hanashiro (2008) 26
  27. 27. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE: Um conceito em construção • É um fenômeno social complexo. • Encontra-se em construção. Sua consolidação ainda exige muitas pesquisa e cuidadoso trabalho conceitual em face do caráter multidisciplinar que o tema encerra. • Para que a diversidade não se torne mais um grande discurso e ferramenta gerencial de moda, a organização necessita desenvolver uma cultura que apoie os valores da diversidade e os integre em seus sistemas, políticas e práticas. A diversidade cultural não se deve apenas a uma questão ideológica e igualitária, mas significa uma vantagem estratégica para as organizações. 27
  28. 28. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração DIVERSIDADE E VANTAGEM competitiva A diversidade cultural não se deve apenas a uma questão ideológica e igualitária, mas significa uma vantagem estratégica para as organizações. 28
  29. 29. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Administração Referências bibliográficas FLEURY, Maria Tereza Leme: Gerenciando a diversidade cultural : experiências de empresas brasileiras. São Paulo: RAE – Revista de Administração de Empresas . Jul./Set. 2000. LINDEGGER, Angela. Diversidade nas Organizações. São Paulo IDORT, 2009 Site consultado : vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua.../mistura-magica-536865.shtml em 17/10/2011 avaliacaopha.blogspot.com/.../diversidade-corporativa-um-novo-fato em 17/10/2011 29

×