Custos Logísticos - 05

38 visualizações

Publicada em

Logística

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
38
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Custos Logísticos - 05

  1. 1. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Gerenciamento de Custos Logísticos Gerenciamento de Custos Logísticos 1 Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 3º Período ECT 072 80 horas – 04 créditos
  2. 2. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística Aula 8Aula 8 2 Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística
  3. 3. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 3 Nível de Serviço ao Cliente Está associado ao que se deseja de resposta ao próximo elo da cadeia, em termos de: -Disponibilidade do produto/ serviço inventário -Confiabilidade do serviço qualidade -Desempenho velocidade e consistência das entregas
  4. 4. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 4 Nível de Serviço ao Cliente É algo acordado entre as partes (comprador e vendedor). - Quem paga sempre tem razão? - Cliente ideal x cliente que só reclama – quem realmente importa?
  5. 5. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 5 Nível de Serviço ao Cliente Um aumento no NS poderá implicar em: - mais estoques; - maior rigor na separação e conferência; - reentregas; - identificação de não conformidades; - pessoal envolvido; - recursos tecnológicos; - serviços cada vez mais diferenciados.
  6. 6. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 6 Nível de Serviço ao Cliente Caso da empresa que pretende definir o NS para os seus clientes: 1º passo – definir o limite de rupturas nos estoques (vendas perdidas); 2º passo – estabelecer o percentual que ela irá aceitar – ex: 3%; 3º passo – criar indicadores para medição do NS (veremos adiante no BSC).
  7. 7. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 7 Nível de Serviço ao Cliente O NS será então definido como: NS = (100 – limite máximo aceitável de rupturas) NS = 100 – 3 NS = 97% Ou seja, a empresa deverá atender 97% (no mínimo) das necessidades de seus clientes.
  8. 8. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 8 Nível de Serviço ao Cliente Como ocorrem as rupturas? - Planejamento inadequados dos itens. O que acarretam? - Vendas perdidas; - Imagem; - Fidelidade dos clientes; - Resultados econômicos desfavoráveis.
  9. 9. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 9 Nível de Serviço ao Cliente A mensuração do custo da venda perdida em um determinado NS é difícil, pois não podemos apenas pontuar a venda em si, mas também as futuras que deixarão de ser geradas em função da experiência ruim.
  10. 10. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 10 Custos de vendas perdidas – causas: -Gestão de estoques; -Planejamento inadequado da demanda; -Lead-time de entrega; -Desembaraços aduaneiros; -Falhas na distribuição; -Cancelamento por insatisfação do cliente; -Falha no cadastro/ localização do cliente; -Devoluções (parciais/ totais) por erros nos pedidos; etc...
  11. 11. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 11 As falhas o que são? -Perdas anormais efetivas, decorrentes do mau funcionamento da cadeia de suprimentos; -Podem ser involuntárias; -Ou em algum processo que afete a qualidade do produto/ serviço;
  12. 12. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 12 As falhas o que são? -Qualquer atividade anormal que afete a qualidade do produto ou serviço, que acaba afetando a rentabilidade, como por exemplo a má administração de compras ou vendas, estoque de materiais, prazos de estocagem, recebimentos e pagamentos, atrasos nas entregas e quaisquer outros problemas operacionais;
  13. 13. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 13 As falhas o que são? -Podem ser considerados os custos de não-qualidade; -Imprescindível que os pontos de falha sejam identificados, isolados e tratados para evitarmos sua repetição futura; -Uma perda econômica para a empresa.
  14. 14. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 14 As falhas como corrigi-las? Existem duas situações: -Corrigir o problema (reentrega, novo produto, prestação de novo serviço); -Outra relativa à perda efetivada com seus esforços serão direcionados para reversão da falha ou atenuação dos possíveis desdobramentos.
  15. 15. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 15 As falhas como corrigi-las? Existem duas situações: -Corrigir o problema (reentrega, novo produto, prestação de novo serviço); -Outra relativa à perda efetivada, com seus esforços serão direcionados para reversão da falha ou atenuação dos possíveis desdobramentos.
  16. 16. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 16 Agravantes dos impactos das falhas Mais complexas Maiores custos Maior sofisticação tecnológica Importância estratégica
  17. 17. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 17 Custos ocultos – hidden costs Toda empresa precisa planejar adequadamente suas vendas, produção e compras, para que não haja nem excesso nem falta de produtos em cada elo da cadeia, o que traz a geração de custos desnecessários, muitas vezes ocultos e não mensurados.
  18. 18. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 18 Custo do excesso É equivalente ao custo de manutenção de cada unidade de estoque, enquanto o custo da falta é equivalente ao custo da venda perdida.
  19. 19. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 19 Custo do excesso O ideal é que ocorra um equilíbrio, com a adoção do Estoque de Segurança (mínimo) para que não ocorra a falta, tampouco o excesso.
  20. 20. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 20 Relembrando – estoque de segurança Ou estoque mínimo é o risco que a empresa está disposta a assumir com relação à falta no estoque. Deve ser menor, quanto maior for o custo do excesso e maior quando o custo da falta for grande.
  21. 21. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 21 Relembrando – estoque de segurança Existem algumas técnicas que auxiliam no gerenciamento dos níveis de estoque como o Programa de Reposição Contínua (Continuous Replenishment Programme – CPR) – reposição eficiente.
  22. 22. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 22 Programa de Reposição Contínua Envolve dois modelos que auxiliam o JIT: -Vendor Managed Inventory – VMI; - Gerenciado pelo fornecedor diariamente. -Co-Managed Inventory - CMI; - Ger. pelos parceiros na cadeia de suprimentos, semanal ou mensalmente.
  23. 23. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 23 Programa de Reposição Contínua
  24. 24. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 24 Falhas na cadeia de suprimentos -Fornecedores com baixa integração, lead time elevado, baixa confiabilidade e dificuldades de reprogramação; -Suprimentos: altos níveis de rejeição, estoques altos, falta de materiais e processos inadequados;
  25. 25. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 25 Falhas na cadeia de suprimentos -Produção: alto lead time, baixa utilização da capacidade, horas extras, set-up de linha lento; -Marketing: falta ou excesso de produtos, obsoletos, erros de previsão de vendas, processamento lento de pedidos, desconhecimento das margens;
  26. 26. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 26 Falhas na cadeia de suprimentos -Distribuição: necessidade de transparência nos estoques, baixa ocupação de carga nos veículos, excesso de NF por rota, baixa otimização logística, danos e avarias às cargas, alto lead time de entregas; -Consumidor: baixo nível de satisfação, comunicação deficiente, baixo esclarecimento, perda de mercado e imagem manchada.
  27. 27. Escola de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Logística 27 Trade-offs entre Custos Logísticos e Nível de Serviço Carac. do NS ao cliente TI TRP Armazenagem e mov de mat. Custos dec. de lotes Custos de mnt de inventários Entregas mais frequentes (JIT) Desvantagens: -Aumento nos custos de proc; -Maior NS req. Desvantagens: + custos de trp c/ deslocamentos + freq e cargas menores. Desvantagem: - Aumento nos custos de MO e inventário. Vantagem: - red. espaço e nec. Volumes. Desvantagem: -possib.cargas unitárias não econômicas Vantagem: - Menores níveis de inventário e de sua mnt. Lead time menor Desvantagem: - Aumentos nos processa/ e nos seus custos. Desvantagem: - Maior freq de entrega e acompanha/ Desvantagem: - Aumento nos custos de movimentação. Desvantagem: -possib.cargas unitárias não econômicas Vantagem: - Menores níveis de mnt de inventário Aumentos na confiabilidade da distribuição Desvantagem: - Aumento nos custos. Desvantagem: - Aumento nos custos de supervisão - KPI Desvantagem: - Aumento nos custos de mnt. Vantagem: + efic. da gestão do inventário. Estoque aumentado/ disp. e continui/ dos suprimentos Desvantagem: - Dev.dos pedidos aumentará custos. Vantagem: + efic. programação. Desvantagem: - Aumento na necessidade de espaço e cubagem. Desvantagem: - Aumento nos custos de mnt.

×